Poesias Tradicionalistas Gaucha

Cerca de 350 poesias Tradicionalistas Gaucha

A Voz Do Silêncio

Paula Taitelbaum é uma poeta gaúcha que acaba de lançar seu segundo livro, Sem Vergonha, onde encontrei um poema com apenas dois versos que diz assim: "Pior do que uma voz que cala/É um silêncio que fala".

Simples. Rápido. E quanta força. Imediatamente me veio a cabeça situações em que o silêncio me disse verdades terríveis, pois você sabe, o silêncio não é dado a amenidades.

Um telefone mudo. Um e-mail que não chega. Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca. Silêncios que falam sobre desinteresse, esquecimento, recusas. Quantas coisas são ditas na quietude, depois de uma discussão. O perdão não vem, nem um beijo, nem uma gargalhada para acabar com o clima de tensão. Só ele permanece imutável, o silêncio, a ante-sala do fim.

É mil vezes preferível uma voz que diga coisas que a gente não quer ouvir, pois ao menos as palavras que são ditas indicam uma tentativa de entendimento. Cordas vocais em funcionamento articulam argumentos, expõem suas queixas, jogam limpo. Já o silêncio arquiteta planos que não são compartilhados. Quando nada é dito, nada fica combinado.

Quantas vezes, numa discussão histérica, ouvimos um dos dois gritar: "diz alguma coisa, diz que não me ama mais, mas não fica aí parado me olhando". É o silêncio de um mandando más notícias para o desespero do outro.

É claro que há muitas situações em que o silêncio é bem-vindo. Para um cara que trabalha com uma britadeira na rua, o silêncio é um bálsamo. Para a professora de uma creche, o silêncio é um presente. Para os seguranças dos shows do Sepultura, o silêncio é uma megasena. Mesmo no amor, quando a relação é sólida e madura, o silêncio a dois não incomoda, pois é o silêncio da paz. O único silêncio que perturba é aquele que fala. E fala alto. É quando ninguém bate a nossa porta, não há recados na secretária eletrônica e mesmo assim você entende a mensagem.

Martha Medeiros

A mulher carioca

A gaúcha tem a fibra
A mineira o encanto tem
A baiana quando vibra
Tem isso tudo e o céu também
A capixaba bonita
É de dar água na boca
E a linda pernambucana
Ai meu Deus, que coisa louca
A mulher amazonense
Quando é boa é até demais
Mas a bela cearense
Não fica nada pra trás
A paulista tem a erva
Além das graças que tem
A nordestina conserva
Toda a vida e o querer-bem...

E a mulher carioca
O que é que ela tem?
Ela tem tanta coisa
Que nem sabe que tem

Ela tem um corpinho
Que mais ninguém tem
Ela faz um carinho
Melhor que ninguém
Ela tem passarinho
Que vai e que vem
Ela tem um jeitinho
De nhen-nhen-nhen-nhen

Ela tem, tem, tem...

Vinicius de Moraes

VOCÊ TEME MUDANÇA

Por que prefere seguir lagarta e rastejar do que se
Metamorfosear, virar borboleta e conseguir voar?
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

Ela gostava tanto das flores que de tanto olhar, cheirar,
Escolher, colher e acolher acabou ficando com os seus
Odores e cores e assim atraindo amores de beija-flores,
Cheinhos de mil biquinhos de beijos e sabores de desejo!
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

Embora saibamos que a morte é uma parte da vida,
Parece que jamais estamos preparados o suficiente,
Quando aparece bem na nossa frente, se encarrega,
Carrega doente e desaparece com a gente da gente!
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

Aquela que você nunca será (Y)

mulher gaúcha. se Deus fez outra mais bonita que tu, talvez por ciúmes, não mostrou pra humanidade!
Orgulho de ser gaúcha colorada!

eu

Floripolitana de Coração

Gaúcha, nos pampas nascida
Um grande sonho acalentei
Morar numa ilha encantada
Cheia de bruxas e fadas.
Nessa terra cheia de graça
Onde se juntam todas as raças,
Minha ilha lança ao poente
O azul espelhado da lagoa,
O verde silêncio das montanhas,
O rumorejar de um mar azul
Que beija apaixonado a areia da
Minha ilha de renda poética.
Não importa se há sol ou chuva,
A mágica ilha é sempre azul,
Fica gravada na alma e
Quem aqui vem sempre vai voltar,
Para descobrir novos caminhos,
Novos destinos, pois
Esta magia nunca irá acabar.

sonia schmorantz

Tempestade gaúcha

Gotas errantes
imitam vanera
Caem dançantes
sem eira nem beira

Um vento criança
recorda sanfona
Fissura de dança
me vem logo à tona

Fábio Sexugi

Sou gaúcha! Uma prenda com orgulho! Guardo comigo, carinho e amor pelas minhas raízes.
Tenho sangue campeiro, coração apaixonado por esta cultura, com pouco me sinto feliz. Aquele chimarrão que esquenta a alma, uma longa troteada com o mais belo potro, um churrasco do tipo e pessoas boas para compartilhar os melhores risos.

Marjila Agostini

"Gosto de honrar a tradição,
Sou gaúcha e tenho orgulho desse chão.
Levo o Rio Grande Do Sul na alma e no coração."

Larissa Tomaschewski

EU NÃO QUIS

Todos os homens que tive, mas
Tive todos os homens que quis!
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

Por mais que sentisse, jamais disse do orgulho que eu
Tenho por ser gaúcha, pois estive mais preocupada em
Merecer de gaúcha ser lembrada até depois de morrer!
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

O último a adormecer apagou a noite,
O primeiro a amanhecer acendeu o dia!
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

Amar é mais que cantar, é encantar,
É mais que envolver, é surpreender!
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

Fidelidade mais do que hombridade
Ou retidão, é o caráter do coração!
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

Poesia Gaúcha

Ser tradicionalista

Ser tradicionalista é ser do
Rio Grande do Sul.
Ser tradicionalista é gosta das danças dos ctgs.
Ser tradicionalista é gosta de toma chimarrão e de
Comer churrasco.

Ser tradicionalista é gosta do grenal.
Ser tradicionalista é gosta de poesias, de musicas gaúcha.
Ser tradicionalista é gosta de cavalo e de rodeio.

Ser tradicionalista é gosta do enart.
Ser tradicionalista é gosta da semana farroupilha.
É esperar a chegada da chama crioula.
Ser tradicionalista é colocar uma pilcha
Bem gaúcha.

Ser tradicionalista é ter um
Campo pra fora.
Ser tradicionalista é ser
Gaúcha e gaúcho de verdade.
Ser tradicionalista é ter o coração na
Cores verde,vermelho e amarelo.
Ser tradicionalista é gostar de ir pra fora.

Ser tradicionalista é gosta do céu azul.
Ser tradicionalista é nascer nesse campo do nosso
Rio Grande tradicionalista gaúcho.

Roberta Freitas

Confesso que eu acordei triste, sem
Vontade para ligar o celular, ver TV
E até de te ver, e talvez seja por que
Hoje descobri que mais que cansada
Ou estressada estou é decepcionada,
Por ceder tudo e receber quase nada!
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

Será que merece ser chamado de Homem, o
Covarde, cafajeste que te pega, não se apega,
Que socialmente sempre te nega, que carrega
Coração de pedra, que se faz de homem gentil,
Mas que no fundo é só um imbecil, que sempre
Que pode vem, te come, não te assume e some?
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

Na verdade, de que adianta ter a faca
E o queijo na mão quando não se tem
Mais um fio de vontade, de motivação?

Guria da Poesia Gaúcha

ILUSÃO

Ilusão eu achar que família é assim,
Um por todos, todos por um, sempre,
Sempre que preciso for, independente
Se o objetivo que une é de amor ou dor.

Afinal, foi pura ilusão eu achar que ao
Valorizar lar, que ao honrar a raça teria
A graça de igual ser tratada pelo homem
Que tem meu sangue e igual sobrenome.

Ah como eu quisera orgulhar-me agora de
Não ser anônima, de ser mais uma em uma
Família, dos tantos loucos uns pelos outros,
Do que menos uma numa família de poucos.

Ah! Que triste ilusão eu achar que por teres a
Mesma origem pudesses um dia evitar que eu
Tivesse vertigem e achar que porque viemos do
Mesmo ventre fôssemos mesmo gente da gente.

Mas, não, não foi ilusão quando usei a palavra
Mano e não vi a tua mão estendida, quando eu
Gritei a palavra irmão e não fui ouvida, quando
Toquei o teu coração e vi o teu trocado em vida.

Ah! Que desilusão senti quando não pude contar
Contigo como amigo, afinal vi o ledo engano até
Do cartório que registrou o igual sobrenome num
Homem desumano neste plano como meu mano!
Pedaços de Mim, página 46, 1999

Guria da Poesia Gaúcha