Poesia sobre Ipe Roxo

Cerca de 53 poesia sobre Ipe Roxo

Eu ponho o amor no pilão com cinza e grão de roxo e soco. Macero ele, faço dele cataplasma e ponho sobre a ferida.

Adélia Prado

Estou cansada de mentiras e de enganação,
Cansada de suplicar por algo que sei ser em vão.
Me cansei de sua atuação e do mal uso que fizestes
Da minha compaixão.
Talvez, quem sabe outrora, consigas ver o que hoje seu ego parece cegar em tua visão,
Mas desta esperança não me alimentarei por que talvez esse dia nunca chegue não.

Noites mal dormidas,
Lágrimas vertidas,
Problema sem solução.

Dor que corrói minha alma,
Dor que tira minha calma,
Dor que quase me mata;
E você segue adiante sem a menor comoção.

Tento entender o que te leva a tanta altivez e pouca entrega,
Mas a minha razão nem mesmo acompanhada do meu coração
Chega a tal compreensão.

Só me resta lamentar este amor no qual tanto apostei
E que agora tenho que aceitar não ter diferente direção
Do que a de minha auto destruição.

Gleici Roxo Marques

És a filha dileta da noss´alma
Da noss´alma de sonho e de tristeza
Andas de roxo sempre, sempre calma
Doce filha da gente portuguesa!

Em toda a terra do meu Portugal
Te sinto e vejo, toda suavidade
Como nas folhas tristes dum missal
Se sente Deus! E tu és Deus, saudade!…

Andas nos olhos negros, magoados
Das frescas raparigas, Namorados
Conhecem-te também, meu doce ralo!

Também te trago n´alma dentro em mim,
E trazendo-te sempre, sempre assim,
É bem a pátria qu´rida que eu embalo!

Florbela Espanca

Manda-me verbena ou benjoim no próximo crescente, e um retalho roxo de seda alucinante, e mãos de prata ainda (se puderes). E se puderes mais, manda violetas (margaridas talvez, caso quiseres). Manda-me osíris no próximo crescente e um olho escancarado de loucura (em pentagrama, asas transparentes). Manda-me tudo pelo vento: envolto em nuvens, selado com estrelas, tingido de arco-iris, molhado de infinito (lacrado de oriente, se encontrares).

Caio Fernando Abreu

Que eu mergulhe no roxo deste vazio de amor de hoje e sempre e suporte o sol das cinco horas posteriores, e posteriores, e posteriores ainda.

Caio Fernando Abreu

"Por mais complicado que seja definir ou descrever o amor, algo é incontestável; sabe-se quando se está amando, sente-se quando se é amado"

Gleici Roxo Marques

MAJESTOSO IPÊ ROXO.
Márcio Souza.
Este lindo ipê roxo,
Que há anos vi nascer,
Hoje, em pleno mês de agosto,
Veio de novo a florescer.

Em plena seca escaldante,
Todo cheio de esplendor,
Não há quem não se encante,
Com a beleza de tuas flores

Obra prima da Natureza,
Com pétalas roxas aveludas,
Dando-nos a todos a certeza,
Pelas mãos de Deus foram pintadas.

Uns dizem que ser a cor do amor,
Outros que representa a paixão,
Pois tuas fortes e vivas flores,
Têm as cores do coração.

E ao olhar tua florada,
Cada vez mais eu me encanto,
Penso logo em minha amada,
A quem adoro e amo tanto.

Com tuas flores indo embora, derramadas pelo chão,
Sentirei doces saudades por não ver as tuas cores,
Mas as guardarei com certeza, dentro do meu coração,
Porque tu, meu Ipê Roxo, me despertaste o AMOR!
Márcio Souza.
Foto de Márcio Souza.

Márcio Souza

O mundo não é roxo , papai noel não existe, nem todo mundo é tão legal assim, as nuvens não são de algodão um sorriso nem sempre é verdadeiro, não é porque beijou que tá amando, você não pode voar, não é chorando que se resolve, você não mora numa bola de cristal, sonhos são ilusões e você não é imortal, acorda!

Autor desconhecido

Eu conheço um planeta onde há um homem vermelho, quase roxo. Nunca cheirou uma flor. Nunca olhou uma estrela. Nunca amou ninguém. Nunca fez outra coisa senão somas. E o dia todo repete como tu: "Eu sou um homem sério! Eu sou um homem sério!" e isso o faz inchar-se de orgulho. Mas ele não é um homem; é um cogumelo!

Antoine de Saint-Exupéry

As pessoas são como um pássaro: Sentem-se melhor em liberdade, pois assim podem abrir suas asas e voar para o céu.
Um pássaro que voa para o céu é como alguém que desencarna e é livre da matéria
A matéria é como a gaiola do homem
As asas são o espírito do ser humano
E a reencarnação é o ninho do pássaro
Onde se volta a vida
E onde se cria uma nova

Ninja Roxo

O amor é como uma doença
Que se apodera do corpo
Que se apodera da mente
Que se apodera da alma

O amor é uma droga
Que se apodera dos seus atos
Que se apodera de suas ações
Que se apodera de seus pensamentos

O amor é uma doença: Incurável
O amor é uma droga: Viciante

Ninja Roxo

Eu paro e fico olhando as nuvens...
Vejo um coelho saltando, um tigre de pé, um rosto familiar, uma casquinha de sorvete, vejo formas geométricas, vejo formas imaginárias, pássaros "fofos" voando ao lado de reais.
Imagino como se eu pudesse voar! Como se toca-se as nuvens! Se num piscar de olhos e num passo de balé eu voo até la em cima... Brinco com o coelho, fujo do tigre, entro dentro de uma nuvem e dissolvo ela completamente, olho para baixo e vejo nosso planeta, nosso rios, nossa terra, nosso mar!
Sei que fisicamente é impossível eu voar sozinha, mas na minha imaginação eu posso! Mesmo estando no chão vou até o universo. Vou ate Paris ou Japão, o que define é os meus pensamentos, as minhas nuvens!


O meu mundo da lua não tem limite...

blog Quarto Roxo

Ainda me lembro do dia que o vi.....

Eram 10 horas, na quadra do colégio onde eu estudo, estava chovendo, não muito forte mas a calçada estava escorregadia, era um domingo e eu estava vindo da casa de uma amiga. A rua estava deserta, até que quando eu atravessei a rua e comecei a andar pela calçada do colégio vi ele virando a esquina e começando a andar na minha mesma calçada, só que no sentido oposto.

Nossos olhos se encontraram no mesmo momento, e enquanto nós caminhávamos eles não se desgrudavam, íamos chegando mais perto um do outro, e mais perto, até que bem em frente ao portão do colégio, quando ele ia passar do meu lado, eu escorreguei na calçada. Mas no mesmo instante ele soltou seu guarda chuva e pegou no meu braço antes que eu cai-se no chão, e me levantou.

-Obrigada. Foi o que eu consegui dizer olhando aqueles lindos olhos castanhos escuros. Ele sorriu, soltou meu braço, pegou seu guarda chuva no chão e seguiu andando...

No decorrer da semana quando eu ia a escola, torcia para velo de novo, toda vez que eu chegava ou saia da aula... até que no sábado eu fui ao super mercado, e quando estava na sessão de frutas eu o vi. Tinha uma mulher do lado dele, aparentava ter a idade da minha mãe, ela se virou para nós e veio em nossa direção junto com ele, nosso olhos se encontraram novamente, meu rosto ficou vermelho. A mulher era a mãe dele, e por incrível que pareça uma antiga amiga da minha mãe. Elas começaram a conversar, e nós dois não para não ficarmos de fora resolvemos entrar na conversa, mas sem contar que já nos conhecíamos.

A conversa foi rápida, mas minha mãe os convidou para almoçar no outro dia la em casa, e além se serem velhas amigas, meu pai e o pai dele já se conheciam...

blog Quarto Roxo

Aquela então não era a ultima lágrima. Nem a primeira. O vento não tinha conseguido leva-la, ainda permanecia parada debaixo do olho. Outras vinhas, algumas escorriam rapidamente, algumas faziam companhia para aquela primeira...




O vento frio continuava a sopra, mas os pensamentos, as lembranças não a deixavam parti...




Quando parecia que já estava indo e um brilho nos olhos começava a surgi, outra lágrima chegava. E ali permanecia por um tempo, um longo tempo, na esperança de surgi um brilho duradouro, pelo menos até o anoitecer, onde a lua consegue fazer esse papel para pedir: Querido sol volte a brilhar nesse frio...




Não são apenas lágrimas tristes.. são de saudade, percistência, desafios.....Todas esperando um novo brilho dos olhos...Um novo vento que a leve para longe...Uma luz para guiar no caminho... Um lindo Sol para brilhar no frio....




E chega esse dia!

Então uma nova lágrima surgi, mas essa é de amor, felicidade...

blog Quarto Roxo

Ter fé que vamos realizar nossos sonhos não é fácil, as dificuldades, as pessoas, e até nós mesmo, fazem com que eles desapareçam sem ao menos se levantarem direito, pensamos, decidimos, mas não agimos, deixamos para outro dia, esperamos a coragem...

Desde os meus catorze anos queria fazer um blog, mas só depois de quase dois anos fiz um. Demorei para fazer, mas fiz. E só me arrependo de ter demorado muito, mas eu não desisti!

O que devemos é não desistir nunca, uma frase que meu irmão sempre diz é " Nunca pare de lutar", então temos que lutar pelos nossos sonhos, nossos objetivos, não importa o quão difíceis são! Se que ir pra faculdade, estude e preste o vestibular ou enem, mesmo que você não veio da melhor escola, acredite em você mesmo pois assim será o ou a melhor... se quer se juiz, atriz, professor, campeã olímpica ou fotografa, não importa, crê em Deus que vai conseguir, tenha fé e atitude de quem vai conseguir.

blog Quarto Roxo

Saudade, sinto saudade de ti, de quando procuravas a minha vós, o meu afago, o meu carinho, de te fazer bem! Daquele sorriso arrancado pelas minhas maneiras desastradas. Fazer-te bem faz-me bem! Porque não deixas? Porque me afastas assim? Saudade de adormecer com a tua vóz depois de horas ao telefone, de rir, da cumplicidade, de dormir "agarradinho", de uma mensagem TUA fofiiinha :) não reconheço essa frieza...esses comentários depressiativos que, embora não demonstre para não criar problemas, me destroem por dentro aos poucos e poucos fazendo-me perder a vontade de te ver...
Não entendo que fiz para te fechares assim para mim. Os dias passam e vão passando, semanas, meses...um ano?! e essa dúvida aumenta na mesma medida da tua frieza... My sweet Pit...vivo na esperança de reencontrar o meu Pedrinho, que um dia acordes com a certeza de que sou a mulher da tua vida e me ames como te amo...estejas lá para mim como tento estar SEMPRE para ti, sentir-te perto mesmo quando estas longe, sentir que ESTAMOS JUNTOS, que JUNTOS fazemos um do outro alguém melhor ainda e ter certeza que assim vai continuar. AMO-TE...sinto saudade Pedro, demasiada saudade! Quero respeitar essa distância que nos imposeste sem saber explicar porquê, mas quanto mais tempo passa, maior a minha auto-destruição. Perco-me de mim, afasto-me, volto com forças renovadas, começa tudo de novo...

SINTO TANTO A TUA FALTA! ...take YOUR time!
sabes como me encontrar...

Ana Rita Santos Roxo

"Jamais devo julgar-me dono da verdade absoluta, mesmo que inconsciente, pois ela denota arrogância e pura falta de bom senso."

Márcio Roxo

Sob meus pés

Muito menos
Areia de praia
Flores de ipê caídas
Grama fresca
Amarelinhas
Caminhos de volta

Muito mais
Terra firme
Folhas secas
Asfalto quente
Tons de cinzas
Caminhos de ida

Não estou cansado
Apenas caminhando

Vladimir Wingler

A Cidade do Poeta

"Sob o sol do Sul, um ipê se aproximava
do andarilho com seus cães. Mas, metralhadoras
na favela...
Ainda assim,
o artista libertou os domesticados:
bem se escondeu; mal correu — desacorrentado.

Pródigo, o ipê ofertava ao poeta
seu raro amarelo nítido: ensinava
que o belo é meio, não um fim, ao infinito.
Mas, metralhadoras numa vilela...

De longe, saltitantes, bem e mal
retornaram às coleiras imaginárias
do consagrador de palavras,
mas o amarelo inovador com gravidade
foi ferido
no cantarejar das metralhadoras
na viela:
um pequeno lusíada mestiço,
num beco brincando com a vida,
morreu — sem saída."

Ramiro Conceição Nascimento

Um beijo de destinos tortos
vendo a fonte fluir nossos encantamentos
sobre um pé de ipê, delirando com os nossos olhares
enviando-nos a primavera
saudando-nos com suas flores, por entre nossos corpos.

Roberto Auad