Poemas sobre Frio

Cerca de 2215 poemas sobre Frio

Um dia frio....
Um bom lugar pra ler o livro....
Pensamento lá em você....
E sem você eu não vivo...!depoimento de um viciado.

Racionais MC's

A frente o desconhecido, tão escurecido em duvidas
quanto o céu antes do temporal,
a incerteza de minhas ações
gera descontentamento matinal.
queria seguir os pontos,
queria ligar os pontos,
adentrar a fortaleza e continuar os sonhos,
porém, a incerteza da felicidade
é que faz a mente virar.
Tudo vai ser perfeito
mesmo não sendo tudo aquilo que se planejou
tudo será intenso, assim como sempre foi,
pois nem o futuro pode apagar as marcas do passado.
As histórias são recontadas de tantas formas,
que chegará dias em que vamos até confundir
se foi no ano novo que nadamos pelados
ou se foi aquele ano que ficamos deitados
dando nome as estrelas até o sol ressurgir.
É tudo indefinido, está relativamente ligado
ao nosso incerto caminho.
Destino, acaso, desejo, talvez, não sei, tomara, futuro,
são pensamentos que geram atitudes
tão desvirtuadas e intrigantes
que é impossível não se atrair...
falar de futuro e sonhos é se mostrar na velhice,
mesmo não sendo tão real, as vezes ilegal,
entretanto sincero e verdadeiro.
É bom as vezes sentir medo,
É livre o arbítrio de ser quem quiser ser
e também pesado demais as consequências.
Todo livre paga caro por sua maneira de viver,
é raro ser entendido, compreendido e apoiado,
estreitando a linha da loucura e da lucidez
de desejos e desvirtuações,
de anseios e convicções.
A frente o desconhecido, tão escurecido em duvidas
quanto o céu antes do temporal.

Messias Junior

Carinho não compreende distâncias

Toca quem está longe, arrepia, encanta!

Mas se não está presente

pele pode tocar a pele,

apenas um frio súbito estremece.

Marcia Bandeira

Chuva, doce, fria, calmamente escorre pelo vidro da janela
Pássaros lá fora avisam o frio que se aproxima
Vizinhos chamam por suas crianças, que no entardecer soltam suas pipas
Chegara a noite, e ninguém lá fora se avista
Verão, outono, frio se despede encabuladamente
Flores lá fora avisam que sua prima logo chegará
Prima de muitas pétalas
Netas de inúmeras Veras
Dia e noite não se cansam de brotar
Flores e pétalas da mesma família
De sobrenome Primavera."

(Alexandre dos Reis)

Alexandre dos Reis

Faz frio.
Quisera eu agora
um mocaccino com cognac.
E beijos,
beijos incandescentes
para acordar
meus demônios.

Raniere Gonçalves

VIAJANTE
(Amor a Belo Horizonte)

Adeus
Estou indo embora, outrora pensava,
Temia.

Destino traçado, certo ou errado, sem parada obrigatória.
Pausa ao acaso, caso, descaso
E seguia.

Adeus
Estou indo embora, outrora pensava,
Temia.

Deslumbrei um Belo Horizonte, atraquei num Porto Seguro,
Bahia.
Fiquei inseguro e de Canoa Quebrada, pelo mar cheguei no Rio,
Tomei banho em Cabo Frio e em São Paulo, Santos
E Maresias.

Adeus
Estou indo embora, outrora pensava,
Temia.

Paraná, Santa Catarina; Ah!!! Como é linda essa ilha.
Enfim um Porto Alegre, vou visitar minha filha.

Adeus
Estou indo embora, outrora pensava,
Temia.

Dou meia volta, Volta Redonda,
regresso, uma nova trilha.
Cidade da minha infância, tios, primos e minha madrinha.

Adeus
Estou indo embora, outrora pensava,
Temia.

Sigo sem rumo à procura, de uma nova rima.
Um Por do Sol, meu Belo Horizonte.
O final de um grande dia.

Rogerio Dutra

Nesta noite fria...
Fiquei a gelar sem ti....
Senti-me vazia...
Pressa na escuridão...
A falta do teu calor...
Do toque das tuas mãos...
Que me leva a viajar para longe...
Escuto uma melodia doce da chuva...
Embalando-me e levando-me em direção a ti..!!!

IsabelMoraisRibeiro

Grandes mistérios se escondem na noite fria onde vago, e
um deles se esconde dentro do meu ser,
e sempre ele espreita pelas janelas que são meus olhos.

Yoman Ceifeiro

"Sentidos vagando em dispersão,
Olhos abertos apenas para ver,
Te ler feito um livro,
Ouvir tua doce voz e crer que tornei-te minha dimensão.

Desgovernada mergulho em planos incertos,
Incerta me desgoverno.
A relação desse agora sem méritos,
Me aquecendo no frio do teu inverno."

Thaylla Cavalcante

Arrependimento
É aqui eu me encontro de novo pensando nos bons momentos lembrando de quando eu era frio e sem sentimentos apenas fazia oque devia fazer sem emoções pra me aborrecer não sei porque tanto falam que amar e tão bom agora que amo so ando olhando pro chão não sei se errei na escolha ou tenho um jeito diferente de viver mas a minha alma gêmea com certeza não é você, do que adianta ter alguém pra amar se quando você se deita não sente vontade de acordar, dês que comecei amar desaprendir a viver tudo que eu faço e pensando em você, sinto saudades de ser Durão fazer tudo em alta concentração.

o depoimento de alguém arrependido

Rafael Luciano

Triste

Todo o corpo frio
Apenas na face
O sol se poe
Um pouco por vez

Rouba o brilho do mar
E nesta forma agora
O vento pode levar

Corpo agora vazio
Vestido de tempo
Enroupado de rio

Segue seu curso
Rompe seus muros
Deságua seguro

Enide Santos 05/02/15

Releitura:
O corpo frio de tristeza e em sua face sente o calor como o do sol em forma de lágrima que por sua vez são gotas como as do mar leves para que o vento possa levar.
Sentimento de perda ainda prossegue, mas agora assume uma postura como a do rio, apenas segue

Enide Santos

Um cais

Quem pode sentir
o calor de uma abraço
a qualquer momento

Não entendo
o frio que faz
viver sozinho
sem um cais.

18/12/13

Enide Santos

Ai que friozinho na barriga!
Há alguns dias atrás, sua mãe e seu pai foram lá, sua mãe cheia de medos e anseios e até com dores. As dores não transpareciam, pois as preocupações eram maiores. Seu pai estava mudando de cor, friozinho na barriga, medo anseio. Ele nem sabia se merecia ou se ia dar conta, mas não era mais escolha dele... Pronto... Você nasceu... e nem precisa falar o quanto deu trabalho até este ponto!

Depois de um tempo, você sentiu a mesma sensação, friozinho na barriga, só porque foi deixado em uma escola, cheia de gente estranha, e o portão atrás de você se fechou. Mas você foi para sua sala, estudou, se enturmou, fez amigos, e identificou os inimigos. Localizou-se.

Na reta final daquele ano, começou o tal friozinho na barriga novamente, só porque suas notas eram boas, mas a tal resposta de aprovado ainda iria vir... Ah, não importa como, você chegou à outra série, outro ano, outros amigos, outros friozinhos...

E o primeiro amor? Lembra-se dele? Estou falando dele, o friozinho na barriga... é, ele sempre vêm e não muda nada, sempre acontece o que iria acontecer mesmo sem ele...
Hoje você tem até família? Nossa, imagino quantos friozinhos, e até sensações como a dos seus pais.... sim, naquela época você nem sabia que se perde a fome e o sono por causa de um tal "friozinho na barriga".

Agora você está tocando sua vida, seu próprio negócio... e todo fim de mês, todo fim de ano, lá vem ele de novo... né verdade? Tantos anos, e você sentindo como se fosse o primeiro...
Friozinho na barriga!!
Então o deixe aí, e vai vencer, até porque ele vai voltar por outros motivos!! Afinal, ele marca os momentos mais importantes, ele é importante, e antes de tudo que tanto desejamos, sempre ele vem...
O friozinho na barriga!!
(Leomir Luciano)

Leomir Luciano

O insano

Junte o útil ao agradável,
O infiel e o profano,
A moral e a ética,
O amor e o humano.

Se fosse simples não mais seria bonito,
O amor mensurável não serve,
Não eleva nem agrada ao espírito.

Não peço-te permissão,
Nem te digo que foi escolha.
É mais uma imposição do destino que nos entreolha.
Sinto-te distante,
Como um grito no vazio.
Vozes oscilantes, de uma mente inerte em meio ao frio.

Se sob a penumbra cinzenta recai a noite,
Me faria eu desnecessária.
Colmada por súplicas infiéis e de glória empavesada.
Num sóbrio recanto me conduz
A paisagem já atravessada.
Gestos secos e sem luz.
Alma distante, intocada.

O contraste ideal existente.
Olhos negros estes teus,
Fariam estrelas terem inveja deste tal brilho fosco.
Apenas sigo a linha do horizonte, ignorando vertentes.
Meras súplicas abandonadas,
Pudor inexistente,
Vidas separadas.

Colecionador de amor tu és.
Obra de vidas passadas.
Colecionador de dor tu és.
Portador de histórias equivocadas.

Afundo-me em teus males, mergulho em teus receios,
Bebo da fonte dos teus medos.
Jogo-me por inteiro.

Ainda que louca, desvairada,
Entendo-te um pouco.
Vives para os outros,
Pensas nos outros.
Ah meu bem, pense em mim!

Thaylla Cavalcante

Morte, você é meu doce amor,
venha e me dê o seu abraço frio ...

Envolva seus braços em volta de mim,
me abrace, me beije até que eu morra ...

Deixe-me sentir a sua pele fria,
sentir a morte da minha carne ...

Solte a minha alma a partir desta agonia,
dá-me liberdade, deixe-me morrer ...

Matteo Cohen

corre menino

corre menino que a fome vem corre do risco que esse mora ao lado
corre do frio que o verão não é mais quente
foge do morro que ele não é mais no alto
vai para o mar que aqui não se respira
corre pra lua que aqui não é mais o mundo

Gustavo Guza

E se eu me tornar uma sombra e esquecer como era estar na luz?
E se minha vida se tornar tão complicada que o desespero possa parecer uma saída?
E se eu passar a sentir calor mesmo quando estiver sozinho no frio?

sohoma

Sou isso que você vê, sou isso que mostro-te. Não escondo-me mas, não jogo-me aos teus pés. Não serei azul porque você o ama, serei o vermelho que destoa o teu azul. Sou tempestade que se forma da saudade, da vontade, sou tempo aberto que ao certo, se nomeia paixão! Não sou meio termo no meio do desejo, ou sou suave ou intensa. Não fico no meio do caminho, ou cravo-me no sol ou mesclo-me no temporal do que sinto.
Sou isso que você vê, sou isso que mostro-te, jamais serei tuas projeções, jamais deixarei de ser eu mesma pra te agradar. Sou os extremos do nada, vou aos extremos do tudo.

Flávia Abib

Flávia Abib

A vida muita das vezes é amarga e fria como uma chicara de café sem açúcar e esquecida na mesa que irá te deixar para baixo sem avisar.
Força a alguém dentro de nós gritar uma voz com um alto conhecimento sobre a vida, principalmente sobre nós mesmos.
Aparece em momentos estranhos e certeiros. Deixa muitas perguntas, muitas respostas. Não é fácil entender seus puxões de orelha.
Mas o principal, nos protege e ensina muita coisa quando a escutamos, principalmente a transformar as coisas ruins em açúcar para adoçar nosso café amargo e frio, sempre estará lá ... nossa alma.

Waltenne Carvalho

Noite fria
Eu sofro e bebo poesia
Para não passar frio
No calor das tuas palavras vazias

Alex Biondo