Poemas sobre Frio

Cerca de 1847 poemas sobre Frio

SOBRE MIM

não importa a dimensão nem a intensidade do frio la fora, toda a correria do dia morre aqui,
me esquento onde esqueço da hora de dormir e acordar.
ela aperta seus próprios braços na tenta tiva de apertar os meus.
suas mãos se perdem sobre meu enorme peito, sou gigante e você fragil, mas mesmo os gigantes, dependem da fragilidade de que os faltam.
sou gigante, sou menino ao ter você sobre mim

GEOVANEpe

" Malditos, Malditos dos meus pensamentos
Que a um lugar me leva , estranho e frio sem voce
Me levando a um sonho estranho de se ver
Frio e escuro sem voce
Sem voce
Sem voce
Onde nao quero mais viver
Malditos,Malditos dos meus pensamentos."

Franciele Ammy

Mais um dia frio
Mais um dia sem você
O mundo parece vazio
Na solidão sem te ver


O sol brilha na rua
Mas sem toda intensidade
Pois do meu lado o nada
Na minha mente a saudade


Os dias que se passam
Não fazem mais sentido
Não têm a mesma força
De quando estou contigo


É dificil de aguentar
Mais um dia sem você
Tento me superar
Pra poder sobreviver.

Rafael Chavez

No frio do silêncio, sinto falta de você...
E sonho na esperança, de um dia eu lhe rever...
Passam os dias, vêm às noites, e com elas a solidão. Quando os astros me anunciam lá veem solidão...
De saudade estou morrendo, ‘tô’ querendo te reencontrar, e das noites mais bonitas, você é o meu luar.
Nos meus sonhos a lembrança, de que existe um grande amor, e agora, no desespero, te peço, por favor: perdoe-me se por acaso eu te magoei, se alguma coisa errada eu lhe falei, é que eu não sou um bom romântico! Peço-te que entenda o meu amor, ele é puro e simples como uma flor, eu te amo tanto!
Choro a cada dia, em cada amanhecer...
Eu não sabia que a falta de um grande amor machucava tanto o coração!
Por isso, choro de saudades, ‘tô’ querendo te reencontrar, e pela porta do meu peito sofrimento quer entrar. Já não sei o que é que eu faço com essa triste solidão, sofrimento tá matando, castigando meu coração.
De saudade estou morrendo, ‘tô’ querendo te reencontrar, e das noites mais bonitas, você é o meu luar.
Nos meus sonhos a lembrança, de que existe um grande amor, e agora, no desespero, te peço, por favor...
Volta pra mim, volta pra mim...

Jailson Freitas de Oliveira

PRETINHA

Minha mão soa frio sob a difusão do arrepio.
Meu coração gela por ela, universo do meu mundo, contração de todo meu verso, minha Miss Favela.
Premonições envolvem vidas a se re-erguer...
Você não foi uma premonição do destino, mais me ensinou a viver.
Ao que vejo e não gostaria de ver, são instantes ininterruptos do abominavel estinto feminino indomável.
Te quero, te querendo o que queira sem era nem beira, de segunda a segunda-feira, pretinha do sorriso indomável.
As lágrimas das flores brisam a lentidão do ar puro.
Seja em mim, o amanhã o agora, o hoje, o presente e o futuro.
Seja pra mim a fresta de luz que me tira do escuro.
Seu sorriso de pedra lapidada me faz perceber que pro mundo você é tudo, e eu não sou nada.
Preta da pele semelhante a minha, tua voz arranha meus ouvidos e ecoa sobre os horizontes.
Sorria, sob o sol da liberdade...
Seu sorriso é o motivo da minha felicidade.
O perfume mais saboroso que pude inalar por tantos anos frios.
Seus cabelos longos me embolam e me enrolam fio por fio.
Nossas madrugadas sobre uma cama congelada visando sua pele de " Flor de lotos "
Mesmo com uma cama congelada, o amor faz de um vulcão em destintas erupções em nossos corpos.
Você me aquece, abomina o que aparece não se lamenta.
Comparece na minha vida, pequenina, mulher-menina ciumenta.
Pretinha do sorriso lapidado pelo destino obrigado por fazer um homem ser um menino.
Na verdade sinto saudade, daquela que transformou um menino, em um homem de verdade.

Walace Miguel

Sentir na espinha o frio que vai meu peito aquecer;
E se este abstrato sonho não acontecer, sei que os que me amam o farão por
mim.

Por que, sobretudo, a morte não é inevitavelmente o fim.
Se eu morresse amanhã, não deixaria aqui um rastro de saudade,
Deixando uma história pela metade.
E se fiz sofrer a quem tanto queria,
Perdoe esta que nada fez por covardia.
Deixem que leve comigo o carinho recebido,
E, sobretudo sorriam por que de tudo o que vivi nada será esquecido.

Neide Orágio

Frio e medo, é uma sensação e um sentimento que sinto agora, para começar o dia com o pé esquerdo.
Nariz escorre, vontade de ir ao banheiro, sede e novamente o medo.
Porque estou aqui? Quero minha casa, minha cama, ó sagrada cama, te trocarão por outra, será um baque, mas superarei.
Ó doce vida, doce tédio. Quero ler e fico perdendo o meu precioso tempo na noite.
Tenho que parar, pensar e chagar a conclusão de que devo refazer meu caminho, com novas amizades, novos pensamentos e lugares.
Briga comigo mente insana. Me corrija. Não me deixe errar. Lhe peço e imploro. Sejas leal comigo.

Ana Paula Barros

A carne dessa mulher me seduz;
Sinto seu corpo pesando sobre o meu.
Achas que sou frio sendo o'que sou?
Você tenta me seduzir como o sol nos seduz ao renascer do dia;
resisto, pois sei que não devo ceder aos meus impulsos;
não consigo ceder ao seu corpo mais você provoca;
seu pescoço me chama ao tocar dos meus lábios que te desejam;
a minha mordida faz os seus desejos mais profundos serem exposto.

Santiago Junior

te seguirei , mesmo quando chover , ou o sol atingir os 40 graus , ou até mesmo quando o frio estiver congelante la fora .
Poucos consigarão entender a emoção ao te ver passar , e quase ngm comprenderá as sensações que sinto ao te ouvir cantar , mas sei que esse amor é só teu isso NGM jamais vai mudar ... confesso que nao quis versar , mas até mesmo só de falar de ti , as melodias são formadas em minha mente sem perceber .
Como eu te amo . te amo , cada vez que você vem e passa com suas belas cores , te amo toda vez que canta , e ao cantar uma comunidade inteira transmite em uma só voz , a alegria do carnaval , mas amo-te mais , quando vem com toda a sua garra , e acredita na vitoria ... tú representa , cada metro quadrado desse bairro , e ao representar , está representando tbm , o coração de cada morador , residente daqui .. mas do que amor , é paixão .. é loucura ... é SEM PALAVRAAAS !
Me ensinas-tes o que é paciencia , aprendi contigo , a verdadeira admiração á um pavilhão , e com você estarei sempre ... mesmo quando nada mais der certo , ou as noites tú me roubastes , estarei contigo assim ... bem grudadinha , cantando e gritando até o ultimo segundo de vida :
EU SOOOOOOOOOOOOOOOOU VILA MAAARIA !!!!

Viviane Martinez

Ainda estava frio e com aquele clima de inicio de manhã. Nas ruas ainda poucas pessoas a seguirem seus rumos ignorados.
Mas lá estava ela... Sim.
Com os olhos bem abertos. Atenta a tudo, a todos.
Desconfio desse olhar alheio, deste perfume, desta atenção.
Essa vontade de tudo perscrutar e tudo videar com olhos estranhos.
Temo que o silêncio da madrugada afogue os soluços dos ébrios vagabundos.
Temo que o olhar silencioso videi a vida vadia da via que sigo... Os olhos sempre abertos.
Há algo semelhante ao ladrão no olhos da madrugada, na vida noturna dos gatos nos telhados e no vigilante barulhento, neste olhar delirante e delinqüente.
Há nas esquinas o velho truque do fingir que não está lá, do se fazer de morto, na espreita, na estreita passagem para a rua de baixo... Ou de cima.
Sempre com o velho silêncio, a velha neblina e a velha negrura... Nos olhos, nas sombras, nas mãos e nos pés.
***
Na pirâmide de passagem estreita um totem a dois passos da morte em breve encontrarás.
***
Na via, na vida, na passagem, o corpo treme e se aquece... Os homens de grande altura os frutos do alto fácil lhe são a apanhadura.
***
O olho na testa o vazio ver e as mãos se fecham: nada posso fazer.

Otávio Vieira

Oh! Fúria do calor,suor,frio
Tudo ao mesmo tempo
O meu corpo não obedece
Apenas cede a uma conspiração
Amar você.

Thiago Siqueira

PSICOPATIA



Que seja o vento frio da madrugada
nos pés e mãos e membros e o todo.

É quando indiferente e gélido,
o medo percorre a espinha,
assalta os sentidos primazes,
corre frente à confusão mental
que breve, forma-se e verte-se
em vértices de habilidade tácita
da acida maldade que rompe,
arranca, destrói e esmaga.

Que seja o que for, isto ou aquilo;
do desejo insano da vingança vã
a inveja carregada de amor e de ódio.

Às vezes, paixão!
Ídolo e divindade.
Tão diferente, tão indulgente...
Tão com-pe-ten-te!
Autenticidade protegida contra copias.

Outras, que de tanto admirar
sem poder reproduzir ou esboçar
movimentos, atitudes, obras ou sinais,
dantescamente, decompõem o, amar.

Siomara Reis Teixeira

SEJA O QUE DEUS QUISER

Faz frio. O frio me aquece as palavras. Arrepia saudade. Doem vontades. Baixa a névoa das lembranças. De branco e cinza pinta meu coração. Congela o tempo. Umedece sentimentos Bate do lado de fora e de dentro de mim. Não vejo o horizonte e minhas asas estão molhadas, mas levanto vôo mesmo assim em busca de sol. E nesse vôo cego, rego os meus sonhos, rego o meu dia. O meu céu não é um lugar qualquer. Mesmo quando não tem sol, tem perfume no ar. Perfume que faço questão de carregar. Voar é supersônico. Tem vantagens. Não é preciso contar passos, nem as horas do momento. Muito menos de saber aonde vai se chegar. Não importa mesmo onde o vôo vai dar. Por isso, seja o que Deus quiser, o tempo frio abre as portas da gaiola da realidade para os vôos. Sem medo, abro minhas asas e me concedo total e irrestrita liberdade. Não me questiono. Apenas vôo.

Rosa Berg

Você estará lá…

Quando eu cair?

Você estará lá…

Quando o meu coração se torna frio?

Você estará lá…

Quando eu cair…

Para o fundo do poço

Você estará lá…

Para me tirar?

E quando eu estiver…

Lá…

Você descerá…

Para me salvar?

Você estará lá?

Estará?

Berneiva

Passou o outono já, já torna o frio...
- Outono de seu riso magoado.
Álgido inverno! Oblíquo o sol, gelado...
- O sol, e as águas límpidas do rio.

Águas claras do rio! Águas do rio,
Fugindo sob o meu olhar cansado,
Para onde me levais meu vão cuidado?
Aonde vais, meu coração vazio?

Ficai, cabelos dela, flutuando,
E, debaixo das águas fugidias,
Os seus olhos abertos e cismando...

Onde ides a correr, melancolias?
- E, refratadas, longamente ondeando,
As suas mãos translúcidas e frias...

Camilo Pessanha

“LOBO SOLITARIO”



Seis da tarde...
A paisagem passa depressa...
Um vento frio a açoitar meu corpo...
Já não há mais nada que me interessa!!!

Acelero um pouco mais...
Tentando encurtar o caminho...
Ou talvez tentando esquecer o que ficou para traz...
Em busca de um novo destino!!!

O vento frio não é meu inimigo...
Apenas castiga meu corpo quando me atiro contra ele...
Mas já vou parar, achar um abrigo...
Agora eu posso tudo, não tem quem me espere!!!

Um banho quente, um colchão macio...
Uma noite de sono depois de uma sopa quente...
O cavalo de aço sou eu quem dirijo...
Quando estamos juntos eu fico contente!!!

Ah grande paisagem...
Soltei as amarras do passado...
Acelero fundo em busca da liberdade...
Comendo poeira e engolindo asfalto!!!

Sou um lobo solitário...
Daqueles que não deixou nada por fazer...
Hoje curto minha vida não tenho horários...
Vivo minha vida como eu quero viver!!!

Edson Milton Ribeiro Paes

Faz tanto frio aqui, e me perco em palavras que eu tento escrever, as horas não passam e o dia termina devagar...
Tudo esta tão lento...
Mais o mundo não para de girar.

Marcus Patrick Pens

Parece um dia legal, sem surpresas sem frio e sem o inútel cansaço.
Ligo meu fone coloco através dos ouvidos, e me sinto resusitada e tranquila do cansaço.
Meu olhos se fecham , suspiro uma alerta, e infelizmente algo acontece, eu sem motivos para resolver , rezo enquanto dê tempo, para que tudo se resolva e minha enêrgia volte ao normal.
Sem reação proucuro um lugar aconchegante e tranquilo aonde os meus pés recebem sol, e meu corpo descance tranquilamente.
Infelizmente segunda-feira chega ! Meus olhos sonolentos se abrem devargamente , e lá vou eu tomar café com um preguiça imensa, arrumo minhas tralhas e vou me banhar o com aguá quente que cai do chuveiro , e ameniza meu cansaço.
Pego minha mochila pesada como se tivesse 1 tonelada de livros dentro dela, e lá vou eu caminhando, e pensando -Será que vou ter que viver alguns anos assim: Fazendo a mesma coisa a todo tempo.- Sim temos que vencer cada obstacûlo que passa por nossa vida.


Autora: Gabriela Rodrigues

Gabriela Rodrigues Official

Aprendi que o amar, é agora. Não tem fase. Não tem dia.
Talvez seja em um dia frio, ou talvez em um dia de sol.
Do ano de mil e novecentos ou de dois mil e dez.
Talvez seja em novembro, ou talvez em janeiro.
Pode ser no dia quinze ou o vinte e três.
Eu só sei que o meu amar, é agora. E que se for a tal fase, que seja por muito tempo.
E que seja pra sempre você.

Camila Vicent