Poemas sobre Enfermeira

Cerca de 49 poemas sobre Enfermeira

Um plano de saúde pode ser feito por médicos, mas a saúde é feita fundamentalmente de enfermagem.

Emerson Cardoso

Considera-se saúde e doença como um único processo que resulta da interação do homem consigo mesmo, com outros homens na sociedade e com elementos bióticos e abióticos do meio. Esta interação se desenvolve nos espaços social, psicológico e ecológico, e como processo tem dimensão histórica... A saúde é entendida como o estado dinâmico de adaptação mais perfeita possível ás condições de vida, em dada comunidade humana, num certo momento da escala histórica... A doença é considerada, então, como manifestação de distúrbios de função e estrutura decorrentes da falência dos mecanismos de adaptação, que se traduz em respostas inadequadas aos estímulos e pressões aos quais os indivíduos e grupos humanos estão continuamente submetidos nos espaços social, psicológico e ecológico.

Pain citando Silas no livro "A enfermagem na gestão em atenção primária à saúde

[...]eu lembro de mim largando minhas cavernas diárias para recolher a sujeira que a ventania espalhou nos abrigos alheios. Eu brinquei de esconde-esconde sem saber que havia uma luz que me guiava. E me descobria. E me amparava. Então eu voltei os olhos em direção à ela e descobri que havia muito mais caminho a percorrer quando para os homens o coração é dado por morto. Foi exatamente nesse momento que eu acreditei em mim, quando ninguém mais fez isso.

Ana Procópio

Nossos profissionais de saúde medicina e enfermagem pede apoio de uma política saúde organizada e estruturada para trabalhar com mais dignidade, menos sofrimento e adoecimento emocional. Selma Domingos de Oliveira

Liver

A Enfermagem é uma arte; e para realizá-la como arte, requer uma devoção tão exclusiva, um preparo tão rigoroso, quanto a obra de qualquer pintor ou escultor; pois o que é tratar da tela morta ou do frio mármore comparado ao tratar do corpo vivo, o templo do espírito de Deus? É uma das artes; poder-se-ia dizer, a mais bela das artes!

Florence Nightingale

ENFERMEIRA!!!
Enfermeira não fala, coordena vibrações nas cordas vocais,
Enfermeira não pensa, faz sinapse.
Enfermeira não toma susto, recebe respostas galvânicas incoerentes.
Enfermeira não chora, produz secreções lacrimais.
Enfermeira não espera retorno de e-mail, espera feed-back.
Enfermeira não perde energia, gasta ATP.
Enfermeira não divide, faz meiose.
Enfermeira não beija, permuta microorganismos.
Enfermeira não se olha no espelho, faz avaliação postural.
Enfermeira não respira, faz trocas gasosas.
Enfermeira não sente dor, tem estímulos nociceptivos.
Enfermeira não espreguiça, faz alongamento.
Enfermeira não tem estresse, tem arritmia sinusal...
Enfermeira não come, degusta.
Enfermeira não cheira, olfata.
Enfermeira não toca, tateia.
Enfermeira não respira, quebra carboidratos.
Enfermeira não elogia, descreve processos.
Enfermeira não tem reflexos, tem mensagens neuro-transmitidas involuntárias.
Enfermeira não facilita discussões, catalisa substratos.
Enfermeira não admite algo sem resposta, analisa o hereditário.
Enfermeira não se apaixona, tem comportamento de padrão motor ativado pelas reações químicas induzidas pelas respostas emocionais.
Ser Enfermeira é....uma arte!!!

Marcelo Fouquet Rosembrock

O Enfermeiro

Uma pessoa comum?
Creio que não.
Tem sentimentos comuns como frustrações, medo, alegrias, ressentimentos, solidão, tristeza, e dor...
Mas suas atitudes não são comuns.
Perseverança, prudência, heroísmo, coragem, eficiência, amor, o eleva, o transcende.
Seu carinho acalenta, seu sorriso acalma, seu entusiasmo alegra, seu vigor encoraja, sua palavra conforta.
Há momentos que são considerados carrascos, maus, cruéis, impiedoso, mas logo se reconhece... precisa ser feito, é para o seu bem.
Ele cuida, apóia e acolhe.
Chora, sorri e sofre com o sofrimento do outro.
Estuda, pesquisa, busca soluções.
Não se conforma, luta, e sua batalha é árdua.
Perde noites de sono, horas de almoço, momentos de lazer, sem nenhum pesar, pois sabe que o que vale é a satisfação do dever cumprido, isso sim, é recompensa de todas as suas perdas.
Conhece a imperfeição humana, apenas o ama... intensamente...sem cobranças.
Não espera, age, estende a mão antes que a peçam, pois sabe que da sua ação depende a vida!
Reconhece a importância do cuidar, que é o seu maior dom.
Sabe a importância do fruto que colhe.
E quando nada mais pode fazer, segura a mão e, apenas sorri...

Parabéns Enfermeiro!
Feliz Dia do Enfermeiro.

Sandra Helena de O. Jauhar

O modo Enfermeira (o) de ser...

Enfermeira (o) não anda, DEAMBULA.
Não fuxica, FAZ ANAMNESE.
Não incha, tem EDEMA.
Não tem coceira, tem PRURIDO.
Não se apega, ESTABELECE VÍNCULOS.
Não fica doente, MANIFESTA SINAIS/SINTOMAS.
Não conversa, ESTABELECE COMUNICAÇÃO VERBAL.
Não é legal, é HUMANIZADA.
Não trabalha, EXECUTA HABILIDADE COGNITIVA TEÓRICO – PRÁTICA.
Não briga, DIVERGE COM FUNDAMENTAÇÃO.
Não ouve, AUSCULTA.
Não beija, COMPARTILHA MICROBIOTA DA CAVIDADE ORAL.
Não impõe, EXERCE LIDERANÇA.
Não bebe, faz INGESTA ETÍLICA.
Não encosta, CONTAMINA.
Não organiza, SISTEMATIZA.
Não arrota, apresenta ERUCTAÇÃO.
Não ampara, oferece SUPORTE EMOCIONAL.
Não dá remédios, ADMINISTRA MEDICAÇÕES.
Não joga fora, DESPREZA.
Não usa camisinha, usa MÉTODO CONTRACEPTIVO DE BARREIRA.
Não limpa com álcool, faz ANTISSEPSIA ou DESINFECÇÃO.
Não é saudável, MANTÉM HOMEOSTASIA CORPORAL.
Não trabalha junto, trabalha em EQUIPE.
Não trata, CUIDA.
Não gosta do que faz, AMA !!!

Desconhecido

Porque eu amo a ENFERMAGEM?

Porque cuidar vai muito além da profissão, tem que amar!!!

Adyl Carlos

A enfermeira

Passas na vida estranha, desconhecida,
Espalhando de mãos cheias a piedade.
Fostes talvez entre todas as escolhidas
Na sublime missão de caridade.

Es o anjo de amor e de bondade
Raios bendito e da felicidade
Aos que esperam um gesto de Jesus.

És a irma esposa e mãe no pensamento.
Dos que em ti confiam e esperam até
Suave balsamo , para seu tormento.

E o continuarás espargindo alento
Dando conforto, amor e muita fé.
Aos qe buscam a ti no sofrimento.


Ao meu querido e inesquecivel amor
uma simples lembrança do tempo em que andava na minha escola Ana Nery.

4 de Novembro de 1944

Leda Nogueira Vollger

Enfermeira do amor

Cuida do amor, como o jardineiro da flor
Cuida do bem, assim como ninguém.
Paciente e contente, sempre cuida da gente
Nos separa da dor, faz do ódio o amor
Cuida de mim, cura minha dor
Medicina do bem, enfermeira do amor.

Reff Carvalho

Existem pessoas que ñ precisam de um amor e sim de um bom enfermeiro. Elas não sabem amar e nem ser amadas, pois fazem do amor, um jogo, acha que são donas, brinca,usa. Geralmente são pessoas no fundo bem inseguras, são as que fazem cenas hilárias de ciúmes,são as que que tem inúmeros problemas tanto emocionais como fisicos tbm. E para meu espanto, percebo que qto maior for a idade, ao invés de amadurecerem, se tornam + e + inseguras. E com certeza, atrás de tdo isso, deve existir um lar tbm tdo desestruturado, onde mãe, filhos, pais, ninguém se
entendem. Essas mulheres realmente fazem do amor uma tortura mental. Não são capazes de viver e achar a beleza da vida que tdos os dias se mostra de graça para quem tem a sensibilidade de ver. Elas estão cegas, surdas e mudas.
O parceiro ñ é e nunca deve ser sua muleta, seu enfermeiro, sua bóia de salvação.
O amor é bem + que isso, ñ cabe num lugar tão pequeno, que deva ser um coração assim.
Amor que é amor ñ aprisiona, ñ desconfia, ñ manipula.
Amor que é amor, simplesmente confia e deixa o que tiver de ser...
Por isso, acho interessante, parar...pensar...e se perguntar, é amor o que vc sente...
Olhe bem seu lar, seus filhos, seus pais é lá que tdo começa. Olhe bem dentro de vc tbm, se tdo estiver bem estruturado, vc está pronta(o) para ter um companheiro(a) e não um enfermeiro(a)!

Malu

Pode parar enfermeiro e médico, que o hospital continua a funcionar, mas se os téc de enfermagem parar, o hospital não funciona.

Yasmiim Will

Enfermagem é a arte de cuidar incondicionalmente, é cuidar de alguém que você nunca viu na vida, mas mesmo assim, ajudar e fazer o melhor por ela. Não se pode fazer isso apenas por dinheiro...Isso se faz por e com amor!

Angélica Tavares

Mais belas que as palavras de um médico é o carinho de uma enfermeira, que tem que amar por um curto tempo acostumando-se com as perdas.

Matheus Chaves

O que eu mais quero em minha profissão na enfermagem é evitar a morte e acelerar o processo de cura usando o CUIDADOxAMOR!!!

Marcelo Souza

Quando você tiver que escolher entre a loira, a morena ou a ruiva. Escolha a enfermeira!

Mauricio Pereira de Moura

Enfermagem a Lâmpada do Amor

Olho para mim e posso sentir o seu reflexo,
posso sentir que sua dor dilacera a alma,
ficamos frágeis.
Posso sentir sua tristeza sua busca de identidade,
Seus olhos perdidos no vazio da insegurança,
não desista, estou com você ,fale, eu posso ouvi-lo.
Posso sentir que apenas um sorriso meu
lhe transcende a alma Que mágico !!!
sinto sua dor com olhos do amor,
do amor incondicional.
Eu passo energias de esperanças para você,
eu posso sou seu “anjo,“
dos céus foi me confiado esta missão
e comigo trago a lâmpada do amor para ilumina-lo.
Sinto nossas emoções se misturando,
você com toda sua essência e eu com a minha,
sim estamos conectados pelo laço da fraternidade.

Autoria: wilma Paiva (extraído do livro Reflexões de um
técnico de Enfermagem)
Wilma Paiva

wilma Paiva

Alberto Pereira - nasceu em 1970 na cidade de Lisboa; licenciado em enfermagem, participou em diversas antologias, tendo obtido, em 2008, o 1.º Prêmio de Poesia "Ora, vejamos".
A 6 de Dezembro de 2008 foi apresentado em Lisboa, a obra poética "O Áspero Hálito do Amanhã" de Alberto Pereira, com prefácio de Xavier Zarco.
Obra e autor foram apresentados pelo emérito poeta Firmino Mendes. O prefaciador e o apresentador foram distinguidos com o prêmio Vítor Matos e Sá, da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Alberto Pereira

Armando ficou parado olhando com atenção a enfermeira Patrícia colocar a estrela no alto da arvore de Natal.
Foi com muita alegria que recebeu o convite dela para ajudar na arrumação do símbolo. Era bom se sentir útil de novo. E assim colaborou. Bola por bola. Estrela por estrela, até que terminaram.
Patrícia, então, equilibrou o objeto, olhou para Armando com um sorriso e disse:
- Pronto "Seu" Armando, acabamos.
Armando não respondeu. Continuou alí parado olhando para a arvore. Patrícia que há anos trabalhava no asilo, conhecia a realidade de cada um interno e o quê a data representava. No caso de Armando, era a solidão. Foi internado há dois anos e desde então só recebera duas visitas do filho, um famoso médico da cidade. Não ousava tentar vislumbrar as muitas lembranças que passavam como um filme na mente do octogenário.
Até que...
- Seu Armando! - Chamou com um pouco mais de energia.
Ele, ainda, não atendeu.
Ela desceu da pequena escada e segurou o braço dele.
Foi quando Armando olhou e disse-lhe:
- Muito obrigado minha filha. Obrigado mesmo. Sabe? lembrei-me dos tempos em que tinha minha família e que fazia da arrumação da Arvore de Natal, um evento especial. Mas com o tempo, tudo passou e depois de todos estes anos, você me proporcionou viver de novo algo especial. Arrumar mais uma vez uma Arvore, foi uma experiência que me trouxe muitas recordações. Muito Obrigado e Feliz Natal!
Armando terminou a fala limpando os olhos das lágrimas que insistiam em molhar seu rosto, enquanto virava o velho corpo e se dirigia ao seu quarto. Patrícia não conseguiu responder. Sorriu um sorriso de choro em meio a emoção de também viver um... Feliz Natal.

Ubirajara Oliveira