Poemas sobre Drogas

Cerca de 337 poemas sobre Drogas

Somos cúmplices de uma geração sem futuro

Não queremos que nossos filhos consumam as drogas ilícitas, mas compramos as drogas lícitas para eles consumirem em plena luz do dia, diante dos nossos olhos, no lar doce lar: cigarro, bebida, vídeo game, joguinhos, celular, computador, roupa de grife, cd de Valesca Popozuda, Anita, Snoop Dogg, "livro" de Bruna Surfistinha, DVD de funk, pagode, forró estilizado, sertanejo "burrocitário" e demais drogas alucinógenas e alienáveis.Pagamos um preço alto por estas drogas.Uma vez drogado, viciado é.

Iaponira Barros

☛❝O artista morreu. Provavelmente drogas. Novidade? Surpresa? Não.

Mais um à somar a lista de quem tinha quase tudo e só via o que lhe faltava...❞

❝✪❞
◣◥◣◥◣◥◣◥◣◥◣◥◣◥◤◢◤◢◤◢◤◢◤◢◤◢◤◢
❖ ∂ιηηнσ¹:
facebook.com/dinnho.1 ◕ @PereiraLimadp

Dinnho Beduzupo

Não entreguemos nossos filhos às drogas.
De todas as lutas está é a mais valiosa!
Do ventre ao fim, lutamos por vida.
Jamais permitam que algo seja maior e mais forte que o amor entre pais e filhos

silvana leite barros

Nada, ninguém, nem bebidas, drogas, o que for, vai me fazer esquecer alguém. Vai me fazer esquecer aquele abraço apertado que nós demos da última vez que nos vimos. Vai me fazer esquecer o seu cheiro. Vai me fazer esquecer o seu sorriso. Absolutamente, nada.
Toda vez que você sai na rua procurando um rosto novo, na verdade não é isso o que estás procurando, e sim, partes dela em outras pessoas, o modo em que elas mexem no cabelo, que andam, o que for.
E sabe por que não me quiseste? Pois, eu era totalmente diferente, totalmente fora do seu padrão.
Talvez, acho meio difícil, mas, talvez. Um dia vai acordar e pensar em mim. Em como fui sua e não percebeste, e na forma na qual rejeitou a maioria dos meus mimos. Talvez um dia, vai ver que já não queima mais a mesma coisa dentro de ti como antes. Ainda, vai acordar e pensar nela, passar a tarde pensando, até o anoitecer. Irá ver tudo o que perdeste. Mas, algo dentro de ti, irá esfriar, não irá mais pensar nela ou em mim. Isso até pode voltar a queimar, quando um novo sorriso, um novo rosto, um novo jeito chegar à ti de uma forma abrupta, que irá se assustar, mas com o tempo irá acostumar-se.
Sei que é difícil. Da mesma forma que quer esquecer ela, quero esquecer a ti.

Victória Del Vécchio

Os bosques são adoráveis, escuros e profundos; mas eu tenho promessas a cumprir, e milhas a percorrer antes de dormir.

Robert Frost

Eu sei que nada sei e fiquei
sabendo quando eu soube
que não sabia, pois se
soubesse eu não tava
sabendo.

Bécs'de J. R. P. T

J. R. P. T

Mundo do avesso

Hoje eu to aqui
Do mundo eu vou falar
Ta tudo errado
Tudo fora do lugar

Fé na humanidade
A minha ta acabando
Qual foi a desse mundo?
O que será que eles tão pensando?

Acham que tem esse direito
De destruir oque é do povo
Muitas pessoas lutando
Para ser feliz de novo

Famílias destruidas
Jovens na prisão
Crianças na sarjeta
E ninguém estende a mão

É tanto preconceito
Tanta gente sendo morta
Vivendo a ganância
Ignorando oque realmente importa

Drogas, dinheiro
Violência, traição...
Onde ficam os sentimentos
Neste mundo de discriminação?

E esses policiais
Que andam sempre armados
Abusando do poder
Só porque estão fardados

Eu não sei oque eles ganham
Praticando o racismo
Perdendo dignidade
Acumulando egoísmo

Quem ainda não entendeu
Agora preste atenção
Cor da pele é um detalhe
Oque vale é o coração

E aí eu te pergunto
E agora, oque fazer?
Será que tem solução?
Só Deus sabe responder

Joana Neves

Ahhh... Que momento psicodélico...
Voando, sonhando...
Tudo é flores...
Tudo é cores...

Que sensação boa
Meu corpo está relaxado.
Minha respiração calma
Isso afeta toda alma.

Melhor que o amor.
Melhor que a paixão.
Melhor que um beijo
Viver nessa alucinação.

Samanta Bernardi

Simples Assim

Aniquilou a consciência,
Tampou os ouvidos,
Esbravejou mais de meia duzia de palavrões,
Se fez de cego,
De desentendido,
Se fez impuro,
Agressivo,
Inconstante e chato,
Simples assim!

Suelen Accioly

Eu sou apenas uma criança


Olhando para os jovens dessa cidade
vejo como é bom ter liberdade
" para tudo "
É uma ilusão esta miragem
as pessoas parecem estar de sacanagem
estão destruindo meu mundo .

Eu quero saber a onde é que vamos chegar
e de minha infância o que vou lembrar
" esta tudo escuro "
não eu não vou olhar
meu caminho eu que vou desenhar
é o meu futuro .

Por isso não me fale de drogas
eu não quero jamais
Eu sou apenas uma criança
que precisa de paz .

Não me fale de drogas
eu não quero jamais
Eu sou apenas uma criança
e não sabe o que faz .

Por isso não me fale de drogas
eu não quero nem ver
Eu sou apenas uma criança
que precisa viver .

Não me fale de drogas
eu não quero nem ver
Eu sou apenas uma criança
e não quero sofrer .

baulandialucas@gmail.com

Lucas Antunes da Silva

Tema proposto: O crack

Crack a droga da Morte

Droga com poder tão devastador capaz de viciar o usuário logo na primeira vez. Proporciona sensações tão intensas que faz a pessoa que usa, querer repeti-las. Esse alto grau de viciosidade, o baixo custo e a facilidade de acesso. Tornou o crack um problema de saúde pública. A doença do século XXI.
Como lutar contra esse inimigo? Será que a saída é combater os sintomas ou as suas causas?
Cada vez mais o governo busca soluções que se mostrem práticas na repressão desse complexo problema social, a internação involuntária ou compulsória dos usuários. Estão, entre as medidas mais utilizadas nessa década. Contudo se mostram ineficientes e revelam a falta de comunicação e de estratégias entre as forças militares e auxiliares no controle das fronteiras.
Por isso surgiu na mesa de debate o seguinte dilema. Legalizar o uso de drogas para diminuir o poder dos traficantes protegendo assim os usuários.
Pode até parecer uma ideia ruim. Porém, a longo prazo, vem ganhando cada vez mais força. A sabedoria popular diz. Que se não pode com eles, junte-se a eles. E esse movimento de legalização do uso dessas substancias, cresce todavia que o Brasil não consegue encontrar meios que cessem esse crescimento temeroso da droga da morte. Que ainda não é a mais apreendida pela polícia mas vem cada vez mais sendo encontrada.
O usuário de crack, "nóia", viciado ou crackudo é o que mais volta para o traficante revelando não o poder desse entorpecente mas a fragilidade de todo um sistema.



Vanderson o Dutra.

Vanderson Dutra

Criamos um Deus e a Eternidade para acreditarmos
no Sempre e rejeitarmos a nós próprios.
De costas ao espelho do real.
O silêncio é a única música e os pensamentos a letra
compostos e regidos instantaneamente na Sinfonia Vida.
Só assim se é realidade.
Sem melodias que embalem;
sem drogas que entorpeçam;
sem trabalhos que distraiam;
sem doutrinas que confortem.
Basta apenas uma coragem sempre maior àquela que a natureza nos concedeu.
Queremos o Sempre e perdemos o Agora.

p.a.marangoni

O QUE ESPERAR DE UMA JUVENTUDE DESPROVIDA DE VALORES CULTURAIS E INCENTIVO A FORMAÇÃO ACADÊMICA?

Enquanto temos nas escolas professores desmotivados e desvalorizados, nossos jovens e adolescentes se "divertem", ou melhor se descaminham, com as únicas opções "culturais" que a cidade oferece: Shows e baladas automotivas, regada a drogas legalizadas mescladas com substancias proibidas. A carência de um projeto cultura transformador leva nossos jovens, em sua maioria, serem a geração da vodka, energético e narguilé. Apenas isso.

fernandooliveira

Benzoilmetilecgonina

Ben, com os
zói arregalado,
lentes de contato.
Metido a cheirar
Lec Lec Lec!
Agonia ao enrolar
Na folha de caderno
Um cano, pra inspirar.
Cocaína ou,
Ben,
zoi,
l,
meti,
lec,
goni,
na.

Gabriel Goldman

Preferiria acreditar em um mundo

Que todas pessoas se amassem
E o mal não existisse

Em que espinhos não ferissem

Onde sonhos não fossem abstratos.

E vidas jogadas ao relento das ruas
não existissem!

Nem que sorrisos escondessem dores

O mundo de todas as coisas
Irreais.

Jeff Thiago

Acredito que mesmo num mundo Sujo
Onde há depravação
E onde só pensam em matar
Ainda exista alguém...
Alguém que saiba o que é amar.

Kelwin Esechiel

Ter que se iludir ao se encontrar
Com mecanismos de uma bruta ilusão
E não sentir o que é real, o que é viver.

O que é ser, se já não sente
Se ser drogado é ânsia de não ter querer
P'ra que fugir
Se os problemas
Sempre vão amanhecer com você
E não tem fim

Droga, de só querer usar mais drogas
Há tanta coisa pra saber,
São tantos rumos pra tomar,
São tantas provas pra vencer,
Mas como se você
Em uma seringa precisar se esconder
Pra não enfrentar,
A covardia sempre vai te perturbar
Vai acabar com você.

O que é ser, se já não sente
Se ser drogado é ânsia de não ter querer
P'ra que fugir
Se os problemas
Sempre vão amanhecer com você
E não tem fim

Vai acabar com você.

Link: http://www.vagalume.com.br/catedral/drogas.html#ixzz2vVHlRiix

Banda Catedral

Ate quando....
Ate quando vou permanecer intacto com os braços cruzados diante os problemas das drogas
Ate quando irei passar para o vazio da esquerda, de modo a desviar dos drogados desamparados a minha direita
Ate quando permanecerei tomando como minha, a suposta razão de que não pertence a mim, os problemas alheios
Ate quando seguirei despencando para baixo, pensando estar evoluindo para cima
Ate quando o isso não é da minha conta, permanecera atravessado em minha garganta
Ate quando vou carregar como um troféu, a estúpida frase de que só por não usar drogas já estou fazendo a minha parte
Ate quando vou deixar de querer ter as coisas da vida, para de fato querer ser alguma coisa na vida
Ate quando conseguirei seguir enganando a mim mesmo me abstendo
Acho que... Ate quando entender que mesmo não usando drogas, minha condescendência diante a isso, tem sido uma droga

Julio Ramos da Cruz Neto

Mentiras ditas
Verdades cuspidas
Lagrimas em um rosto de uma menina
Que apenas se iludia
Branco era sua cor preferida
Chegava a usar todos os dias
Usou tanto que acabou com feridas
Ficou internada por sete dias

Perdeu uma vida
Quinze anos tinha
Infancia não teve morava sozinha
Teto, asfalto, chão, pontilhão sua moradia

Mais devia
A cor branca consumia
Fiado pedia
Em uma solução pensava ali aquela menina
Como pagar sua divida
No dia da cobrança pagou com sua vida.

Fabricio De Souza

A VIAGEM

cansado,
o veneno corre pelas minhas veias,
a fumaça que dissipa,
é a mesma que entorpece,
enlouquece,
não a mente,
a vida,
a vida se esvai a cada baforada,
a cada viagem,
segue-se um rumo que afasta o real,
aproxima o ilusório,
coisas novas surgem,
apenas em na mente,
um mundo mais colorido,
alegre,
todos falam com você,
até cachorros,
e no fim da viagem,
quando se aporta no idilico xangrilá,
nada existe,
apenas um vazio,
que a cada viagem,
se torna maior,
a cada viagem,
a ida se torna mais rapida,
o caminho de volta mais comprido,
tão comprido,
que os braços que desejam ajudar,
não mais podem segurar,
os chamados de volta,
são apenas vagos ecos de uma memoria destruida,
confusa, apática,
inerte,
a razão se confunde com o racional,
argumentos mais insanos,
são encontrados para justificar a insólita viagem,
que se tornam piadas,
para os lúcidos fora da viagem.
Mais uma baforada,
a fumaça sobe,
hora de ir,
para onde eu não sei,
sigo apenas a ilusória estrada de tijolos amarelos,
de ferrugem, não de ouro,
acompanho meus amigos,
montado em um elefante cor de rosa,
que voa livre entre os girassóis,
que acompanham a lua,
enquanto esta,
submersa em um mar de lágrimas,
sorri loucamente,
velando mais uma parte de uma memoria que se vai.

Wilson Fernandes Júnior