Poemas que falam de Indignação Social

Cerca de 11 poemas que falam de Indignação Social

Observo hoje uma falta de indignação coletiva. Os valores morais que alicerçavam a sociedade mudaram ou fomos nós que mudamos ao nos tornamos indiferentes ?

Plinio Lopes Jr

De que pode servir ter lido três mil livros,/Quando já velho se é indigno do amor do povo?

Tran Dan

Um dia, e esse está próximo,
todos os corruptos serão afogados
na onda da indignação do povo.

Miral Pereira dos santos

No "Circo BraZil", os palhaços não atuam no picadeiro. Eles aplaudem ou se indignam na platéia.

Rutra Larama

Indignado com que lê pelas redes sociais e por ai afora?
A diferença está exatamente aí.
Uns tentando fazer a diferença enquanto outros criticando nos bastidores sem tomar atitude alguma.

Paulo Ursaia

As redes sociais estão aí para que possamos manifestar nossa indignação. E tudo pode mudar sim. É só cada um fazer sua parte nas redes... SEM MEDO... com post's que denunciem toda essa bandalheira que aí está . Vivemos numa Nação democrática. Isso aqui não é Irã nem Síria, Mas o POVO acha que é e ACEITA TUDO. Todo mundo tem medo de manifestar o que pensa. Pensem bem nisso. Eu jamais estarei envolvido com política.Salvo para manifestação da minha livre liberdade de expressão e pensamento.

Thiago 06/08/2012

Thiago Augusto

Eu fico indignada com tanta gente deixando de ser feliz para viver nos padrões da sociedade.

Arii Thaine

O homem sem bens, é um sujeito indigno de si mesmo, e a sociedade ele só mais um. Léo Lima.

Léo Lima

Quem disse que a ira é de todo maléfica? Dela depende a indignação e sem esta a sociedade sucumbe!

Reinaldo Ribeiro - O Poeta do Amor

Estou em mutação.Rebelo-me.Me indigno com a discrepância social e com os abutres que sobrevoam a política brasileira transformando a educação em mercadoria.

Ricardo Gomes

O papel da imprensa deve ser o papel da indignação, da cobrança por soluções, da informação criteriosa e discutida, da parceria com a sociedade, da exigência, da perseguição dos resultados, da defesa das leis, da crítica às leis, do processo construtivo de uma organização social aprimorada..., e não o papel medíocre, passivo, abestalhado, desinformante e irritante que se traduz em lançar sobre cada cidadão todas as mazelas pútridas dos governos e dos criminosos comuns, sem ao menos um manifesto de amparo, de apoio à boa sociedade. A imprensa brasileira é como um vento que vira as páginas de um livro antes que se possa interpretar, traduzir e criticar o que nelas está escrito.

koppe