Poemas de Revolta

Cerca de 207 poemas de Revolta

Entre dor e revolta, não sei o que fazer... Se mato, se morro, ou se finjo viver.

Karine Axer Oliveira e Silva

Me revolta saber que não posso ser como quero para os outros e me alegro em saber que mesmo assim o sou!

Dircila

Os anos 2000 tiveram o experimentalismo dos 60, o fervor dos 70, a moda dos 80, a revolta dos 90 e os problemas de todas essas décadas juntas.

Leonardo Seródio

Sou assim... baixo astral, raiva, revolta, tristeza...Esses sentimentos não duram muito tempo em mim, não deixo que eles me afetem não, minha felicidade vale muito mais que tudo isso.

Mallu Moraes

Sem estresse, sem revolta... Tudo irá se regularizar, cada coisa ao seu tempo mesmo que complicado tudo se encaixa onde se deve, tudo se volta para quem merece, tudo se desfaz quando não é verdadeiro!

Manu Barbosa

O amor proibido é uma dor que não sai do coração,porque a revolta é maior do que o modo de pensar.

Gabriela Santos

Alguns homens anseiam pela revolução, mas quando você se revolta e constitui seu novo governo você descobre que o seu novo governo é ainda o velho papai de sempre, tendo colocado apenas uma nova máscara de papelão.

Charles Bukowski

A revolta não esta no pressuposto
Das possibilidades descartadas
A revolta não está nas mentiras contadas
A revolta não está no passado

Está aqui
Para você
Em mim

NaNa Caê

A revolta é porta aberta para o desencanto e outros sentimentos paralisantes.
Siga confiando. Afinal, retirar pedras e até montanhas do caminho faz parte do aprendizado.
Ninguém passa pela vida tendo somente satisfações e alegrias.

Mirna Rosa

REVOLTA NA SOLIDÃO




quero chorar de tantas saudades
correr na rua gritos de solidão
xingar a vida de pedaços de fel
marcar com sangue este papel


quebrar a cara que se faz o olhar
cego finge cer quando perto de mim
a revolta antes chama agora é fogo
pronta pra fazer você queimar


se perguntar não tenho respostas
explicação dar quem é culpado
no seu lugar é melhor se preparar
que a dor da mente pode até matar


na loucura de um pensamento
você pode ser suspeito assassino
não maltrata-me solidão
sozinha estou em depressão

Gaudrya Tonaco

Posso sentir...
Posso sentir a revolta nascer no fundo da gota
que cai solitária no mar de tudo que nos cerca...
Posso sentir o movimento minúsculo da areia
se remexendo sob a água que finge-se parada...
Há uma tormenta por vir..
Posso sentir...

Viviane Dick

Dificuldades

Recebe cada provação sem revolta nem desânimo.
Procura enxergar o outro lado da dificuldade, a traduzir
mensagens para o espírito.

Doença no corpo - pausa para meditação.
Problemas na família - oportunidade de reajuste.
Obstáculos naturais - exercício para a alma.

Toda dor tem seu lado positivo.
Não te deixes levar pelo desânimo e segue para frente.
O objetivo de toda dificuldade é renovar a alma,
a fim de elevar o ser às esferas maiores.

Amanhã, quando esta dor passar,
estarás mais forte e mais sensível,
compreendendo melhor o amor e a sabedoria!

Scheilla /Clayton B. Levy

Postado por Di..Resende

Scheilla Clayton B. Levy

Quase sempre, quem tenta ganhar uma discussão no grito, esconde a revolta muda da própria ignorância e do trato com o raciocínio lógico.
O uso correto da palavra pode levar opiniões divergentes a um denominador comum.
A gritaria só convence a todos que a presenciam, que a ignorância fala mais alto mas não tem força para garantir vitória.

Marinho Guzman

[Canção da Revolta]

...E se piedade vos sobrar,
tende piedade vossa
que não sois assim
tão poderoso.

Que vossos filhos
são degenerados, porque
não soubestes ser pai
e eles se perverteram.

Tende piedade vossa
que cometestes erro ainda maior:
Aprisionastes almas de poetas
em corpos de homens.

Tende piedade vossa
que os feitos à vossa semelhança
são vampiros insaciáveis.

Tende piedade vossa
que há gente com fome,
gente com medo,
gente com sede e frio,

e um dia essa fome se transforma em ódio,
esse medo vai se defender e atacar,
essa sede vai ser de vosso sagrado sangue,
esse frio vai querer se aquecer no calor da revolta.

E se mais piedade vos sobrar,
tende piedade vossa que não sois
o deus carinhoso com que eu sonhei
Que sois mal e vingativo,
que castigais quando devíeis perdoar.

E se piedade vos sobrar
tende piedade vossa,
que necessitais muito mais de pena
do que nós, míseros sofredores.

Lúcio Cardoso

[Poesia da Derrota na Revolta]

... E se piedade vos sobrar, Senhor
tende piedade de mim.
Tende que eu estou sozinho,
que eu vos recusei

como Judas que vos traiu.
Tende que eu sou cego
e levantei minha mão contra vós.

Tende,- chega de eu mesmo tentar me tapear –
que eu preciso realmente
de piedade, que não sou forte.
Que sou apenas um perdido

vos procurando, curioso e ansioso.
Tende piedade que me separei de meus irmãos
e já não compreendo mais sua linguagem.
Mas... tu me entendes, Senhor?!

Lúcio Cardoso

Revolta

Talvez não sejamos livres
E quem sabe nossa liberdade
Seja controlada e vendida
A preço de comédia,
Que tanto tento não acreditar.
Rousseau já dizia:
O homem nasce livre e em toda parte encontra-se a ferros,

Talvez não sejamos o que pensamos
Ou não sejamos o que realmente somos.
A realidade nos desfigurou
E no lugar pôs uma máscara,
Máscara que nem sei se somos humanos
Ou simples marionetes.

Muitos abusam do poder,
Enquanto outros não têm nem um simples ter.
Poucos comem bem,
Enquanto outros choram por um simples pedaço de pão.

Vemos crianças carregando crianças,
Crianças amamentando crianças,
Adultos sendo pequenos,
Adultos não sendo o que são.

Vivemos sob o signo regido pela metamorfose,
Pelo rompimento de paradigmas,
Por verdades que se retorcem,
Em versos que se destorcem
A cada fluir de um novo dia.


O tempo revela feridas antigas,
Porém resta uma solução,
Que aos poucos é difundida
Com um simples refletir da razão,
Na qual se encontra verdade única
E certamente faz parte do que é seu,
Onde existe opinião unida
Denominado Deus.

Contudo nós podemos ser donos de si,
Donos de nossos próprios destinos,
Olhando os erros do passado,
Caminhando no presente e
Com um leve pensar do futuro
Rumo a um novo dia.

Raul Lennon

A Revolta de um Eleitor

Depois de um assalto,
Na praça da liberdade,
Fico sem vontade de viver
Num mundo como este.
Que se encontra em estado de calamidade
Por falta de vergonha na cara
Daqueles que colocamos no poder.
Só de pensar,
Que eu vou ter que olhar
Para a cara deles nas épocas de eleições,
Me dá um ataque psicótico.
Como pode um dinheiro tão suado,
Estar na cueca de um safado,
Que quando eleito deputado
Pratica mensalão,
Se envolve com a corrupção.
Pra mim nem todo político é ladrão,
Mas existem muitas frutas podres.
Ah! Isso tem de montão,
Em meio ao senado,
Que tem baixaria pra todos os lados.
Em meio a câmara que vive,
Menos prezando nossos sentimentos,
De humildes eleitores.
Que nos deixamos
Corromper por safados,
Que se dizem políticos nobres,
Mas são somente pobres de espírito,
Que não querem ouvir o grito,
De uma comunidade que esta cheia de aflitos.
Querendo a segurança,
A paz e a esperança,
De colocar a cabeça no travesseiro,
E dormir com a certeza
De que no outro dia acordara
Sem se preocupar,
Com o problema secular
Chamado corrupção.

Pedro Padua

ontem
Houve um dia em que eu quis parar, um dia onde minha revolta se voltou pra mim;
Houve um dia em que eu quis deixar de ser verdade, deixar de ser pro-ativa ,deixar de ser emoção;
Houve um dia que eu questionei meus princípios,onde eu abri mão;
Nesse dia em que o sentido se fez ausente,surgiram as palavras mais doces, e as poesias mais coerentes,surgiram também saudosas fantasias de um mundo paralelo e relatos irônicos sobre a autenticidade de meus desejos;
Nesse dia a dúvida se fez autoridade, o medo se fez amigo e a vontade obrigação;
Houve um dia em que eu quis parar de ser momento,parar de ser faísca,parar de ser tudo isso que sou;
Houve um dia em que eu quis ser a metade ,ser menos verdade e mais sorrisos ,ser somente solidão;
Houve um dia em que eu deixei o lápis, amassei o papel, apaguei as luzes e guardei tudo dentro de mim;
Nesse dia surgiram as palavras mais doces, nesse dia eu desisti.

daimones

A ultima revolta me trouxe conseqüência
Dei uma trégua
Espero esta assim sempre
Mais o mundo da muitas voltas
To em fase de mudança
Estou entre o bem e o mal
To descobrindo muitas coisas
Sobre a vida
Pessoas
Liberdade
Trabalho
Limites
Amor

Roberto Pereira Jr

Tédio

Acho que devo me recompor
E vestir-me com minha loucura
E revolta novamente
Ando acomodada de mais ultimamente.
Eu quero desafios,
Quero obstáculos,
Quero um novo combustivel
E alguém do meu lado
Para vencer comigo.
Quero gosto de sangue na boca
E medo de que tudo dê errado
Para que quando tudo finalmente der certo
Eu possa ter orgulho
De uma grande vitória
E não de apenas mais uma mediocre e tediosa
História onde "todos vivem felizes para sempre".
A realidade é amarga
E no fundo no fundo eu gosto disso
Porque quando em raros momentos
Experimentamos o doce
Ele se torna mais do que fantastico
Se torna perfeito.

Jéssica Baluarte