Poemas de Revolta

Cerca de 192 poemas de Revolta

A massa é regida por três instintos : caos, ignorância e ódio. Com is, dê ordens e terás uma revolta em marcha!

Thimer

A gente passa por diversas fases. Sentimos raiva, sentimos dor, sentimos revolta, sentimos desprezo, sentimos saudade, sentimos amor, sentimos medo de nunca mais esquecer, sentimos medo de gostar de novo, sentimos vergonha e receio em repetir os mesmos erros bobos.

Clarissa Corrêa

Entre dor e revolta, não sei o que fazer... Se mato, se morro, ou se finjo viver.

Karine Axer Oliveira e Silva

Sou assim... baixo astral, raiva, revolta, tristeza...Esses sentimentos não duram muito tempo em mim, não deixo que eles me afetem não, minha felicidade vale muito mais que tudo isso.

Mallu Moraes

Me revolta saber que não posso ser como quero para os outros e me alegro em saber que mesmo assim o sou!

Dircila

Os anos 2000 tiveram o experimentalismo dos 60, o fervor dos 70, a moda dos 80, a revolta dos 90 e os problemas de todas essas décadas juntas.

Leonardo Seródio

O amor proibido é uma dor que não sai do coração,porque a revolta é maior do que o modo de pensar.

Gabriela Santos

A revolta não esta no pressuposto
Das possibilidades descartadas
A revolta não está nas mentiras contadas
A revolta não está no passado

Está aqui
Para você
Em mim

NaNa Caê

Posso sentir...
Posso sentir a revolta nascer no fundo da gota
que cai solitária no mar de tudo que nos cerca...
Posso sentir o movimento minúsculo da areia
se remexendo sob a água que finge-se parada...
Há uma tormenta por vir..
Posso sentir...

Viviane Dick

A Revolta de um Eleitor

Depois de um assalto,
Na praça da liberdade,
Fico sem vontade de viver
Num mundo como este.
Que se encontra em estado de calamidade
Por falta de vergonha na cara
Daqueles que colocamos no poder.
Só de pensar,
Que eu vou ter que olhar
Para a cara deles nas épocas de eleições,
Me dá um ataque psicótico.
Como pode um dinheiro tão suado,
Estar na cueca de um safado,
Que quando eleito deputado
Pratica mensalão,
Se envolve com a corrupção.
Pra mim nem todo político é ladrão,
Mas existem muitas frutas podres.
Ah! Isso tem de montão,
Em meio ao senado,
Que tem baixaria pra todos os lados.
Em meio a câmara que vive,
Menos prezando nossos sentimentos,
De humildes eleitores.
Que nos deixamos
Corromper por safados,
Que se dizem políticos nobres,
Mas são somente pobres de espírito,
Que não querem ouvir o grito,
De uma comunidade que esta cheia de aflitos.
Querendo a segurança,
A paz e a esperança,
De colocar a cabeça no travesseiro,
E dormir com a certeza
De que no outro dia acordara
Sem se preocupar,
Com o problema secular
Chamado corrupção.

Pedro Padua

Revolta

Terra de Deus
Cidade dos poetas ocultos,
das injustiças, calunias
e das desinformações

Sonho em tiver independente
Descaso, exploração, migalhas
Por que esta realidade imposta?
Isto não mim agrada canalhas!

As noites são encantadas
Pacata quando é necessário
Onde o justo não tem salários

Futuro de um bon vivant
Sonhar é perigoso demais
Esta ela tua realidade Ibitupã.

Leandro Bahiah

“A decepção e a revolta surgem,
quando esperamos das pessoas
mais do que elas podem dar.
Tenha calma, ninguém é perfeito,
apenas tenha calma…”

Julio Cardoso (pkt)

Má sorte

Nego a sorte, de não ter o que não tive;
Quanta revolta, do quanto que não vivi;
Sempre de mim, bendita dor se escondeu;

Arrasto o porte, plo chão onde não estive;
Findo da vida, porquanto não existi;
Achar tentando, o que nunca se perdeu.

Jorge Ferreira dos Santos

Tenho as vezes uma revolta
Sei la...
Mas ainda acredito nas pessoas.
Estou certa disso?

Alessandra Tavares Ribeiro

Revolta!!!

Como nos dizia o nosso querido e saudoso amigo, Zeca Afonso. -"Eles comem tudo e não deixam nada!"... Como ele estava enganado! Finou-se sem se ter apercebido da dimensão! dos COMILÕES! que vieram depois daqueles a que se referia! Que se revezam e ainda lá se encontram!!!

Jorge Ferreira dos Santos

Um poeta se inspira na tristeza,
Na indignação de uma revolta
Na ausencia misteriosa de uma certeza
Quando se sente abrir uma porta
Quando se está feliz
Com o coração mordaz e acrescido
Não tortura sua cicatriz
Pois o amor o tem vencido
Ao acabar a inspiração
Pelo excesso de alegria
Sabemos que é rápida a empolgação
Pois não haverá constância todos os dias
Mas a falta de constância
Fomentará ainda mais a razão
Para darmos toda a importância
Aos sentimentos do coração
Quando se está triste
não hesitamos em usar o vc
Porém é interpretativo o sentido
E depende de quem vai ler
Mas levo comigo
O meu eu lírico
Demasiadamente angustiante
Mas no fim se aprenderá uma experiência
E não a nada mais estimulante.
È difícil passar pra um poema, tudo que eu sinto
Até mesmo porquê,eu quero rimar
Mas espero que saiba que eu não minto
As palavras parecem pouco pra quem escuta
Mas nesse momento é a unica saída para o escritor
E a minha razão para escrever isso
È saber que você sentiu de novo sua alegria
E deixou de lado sua dor
Eu ainda não posso dizer daqueles nossos momentos
Que na integra ainda nem existiram
Mas posso falar de nossos diálogos
Que de maneira inesperada fluíram
Os dias passam e parece que aumenta mais
A expectativa e uma confiança
Que geram uma ansiedade angustiante
Porém é algo bom que trouxe mudança
E agora não sou a mesma de antes

Fernandes Asi

REVOLTA
(A morte do meu amigo André em acidente de trânsito)

Se entre homens, existe canalha
E vive sempre, e vive sempre ativo
Rasgai agora, esta vil mortalha
Nem que tu vivas entre morto vivo.

Já que amigo te levou a morte
Já que bem longe se avista erguida
A feia cruz do vergel da sorte
Que representa o ritual da vida.

Enxuga o sangue que nódoa o rosto
Arranques do teu peito a cruz
Ponha uma pedra sobre teu desgosto
Condena o homem que te diz Jesus.

Na ânsia louca deste teu delírio
Quebras a tampa deste vil caixão
Deixas que um dia este teu martírio
Te arranques deste imundo chão.

Seja na morte um exemplo vivo
Seja em vida um leão voraz
Se sé em morte um micróbio ativo
Seres em vida um canalha a mais.

Leva contigo um terror profundo
Do homem, essa amarga dor
Condena agora este acre fruto
Da vida, que se diz amor.

Já que não posso dar-te milhões em flores
Que sobre o sangue se enterre contigo
Dar-te-ei afetos, do meu peito as dores
Dar-te-ei lagrimas, a suspirar amigo.

Edilson Alves

Eu, sendo

Da revolta de mim
acendi um estopim.
Ex(plo)di!
Caí em mim...
Longe, no meu confim.

Lá me conheci e descobri
que não posso decretar o meu fim.
Lá, eu me refiz e voltei
eu, senhor de mim.

Charles Canela

REVOLTA NA SOLIDÃO




quero chorar de tantas saudades
correr na rua gritos de solidão
xingar a vida de pedaços de fel
marcar com sangue este papel


quebrar a cara que se faz o olhar
cego finge cer quando perto de mim
a revolta antes chama agora é fogo
pronta pra fazer você queimar


se perguntar não tenho respostas
explicação dar quem é culpado
no seu lugar é melhor se preparar
que a dor da mente pode até matar


na loucura de um pensamento
você pode ser suspeito assassino
não maltrata-me solidão
sozinha estou em depressão

Gaudrya Tonaco

Revolta

Talvez não sejamos livres
E quem sabe nossa liberdade
Seja controlada e vendida
A preço de comédia,
Que tanto tento não acreditar.
Rousseau já dizia:
O homem nasce livre e em toda parte encontra-se a ferros,

Talvez não sejamos o que pensamos
Ou não sejamos o que realmente somos.
A realidade nos desfigurou
E no lugar pôs uma máscara,
Máscara que nem sei se somos humanos
Ou simples marionetes.

Muitos abusam do poder,
Enquanto outros não têm nem um simples ter.
Poucos comem bem,
Enquanto outros choram por um simples pedaço de pão.

Vemos crianças carregando crianças,
Crianças amamentando crianças,
Adultos sendo pequenos,
Adultos não sendo o que são.

Vivemos sob o signo regido pela metamorfose,
Pelo rompimento de paradigmas,
Por verdades que se retorcem,
Em versos que se destorcem
A cada fluir de um novo dia.


O tempo revela feridas antigas,
Porém resta uma solução,
Que aos poucos é difundida
Com um simples refletir da razão,
Na qual se encontra verdade única
E certamente faz parte do que é seu,
Onde existe opinião unida
Denominado Deus.

Contudo nós podemos ser donos de si,
Donos de nossos próprios destinos,
Olhando os erros do passado,
Caminhando no presente e
Com um leve pensar do futuro
Rumo a um novo dia.

Raul Lennon