Poemas de Avô

Cerca de 129 poemas de Avô

Minha tristeza não tem pedigree,

já a minha vontade de alegria,

sua raiz vai ao meu mil avô.

Adélia Prado

Feliz, feliz Natal, a que faz que nos lembremos das ilusões de nossa infância, recorde-lhe ao avô as alegrias de sua juventude, e lhe transporte ao viajante a sua chaminé e a seu doce lar!

Charles Dickens

O brinquedo mais simples, aquele que qualquer menino é capaz de fazer funcionar chama-se avô.

Sam Stevenson

Há pais que não amam os filhos, mas não existe um só avó que não adore o neto.

Victor Hugo

Meu avô era pedófilo. Casou com minha avó quando ela contava apenas 16 anos.
Meu pai também era pedófilo. Casou-se com minha mãe quando ela contava apenas 15 anos.
E tal como meus pais e meus avós, muitas famílias no Brasil e no mundo (senão a maioria) possuem suas raízes na pedofilia. E por que?
Por que algum jurista mal formado considerou que o COSTUME que deveria fundamentar a LEI não deveria ser levado em consideração na hora de legislar, transformando assim nossos pais e nossos avós em criminosos e nós em filhos da contravenção...

Augusto Branco

Poema para Gabriel

Avó, nome mais doce que brigadeiro,
A segurança do abraço quente,
Do colo que aconchega,
Da certeza nos momentos de incerteza.
A conversa longa... Sem pressa;
Do olho no olho, sem julgar;
A compreensão do olhar aflito;
A estrada curta que leva ao infinito;
O beijo terno;
A bronca...
O olhar severo;
A mão segura de quem já viveu;
O prato certo na hora da fome;
A cama feita, quando o cansaço consome;
A benção certa no amanhecer;
A saudade na ida
E a pergunta da demora;
O amor, quase perfeito,
Que carrega no peito
O menor gesto
De quem agora cresce...
A criança doce,
Viva nas lembranças;
A sobremesa da vida,
Alguém disse.
Avó, o cheiro vindo da cozinha;
O pratinho quente;
A compreensão;
O silêncio.
Ninguém nasce avó;
Aprende-se a ser.
Aquela que ensina os primeiros passos;
Ajuda a ler o que é quase traço;
Brinca, corre junto
E vai no compasso
Deste amor uno
Que dele precisa
Quem na vida crê.

(Ednar Andrade).

EdnarAndrade

"A BICICLETA"

Me lembro, me lembro
foi depois do jantar, meu avô me chamou,
tinha um riso na cara, um riso de festa:

"- Guilherme, vou tapar seus olhos,
venha cá."

Os tios, os primos, os irmãos, na grande mesa redonda
ficaram rindo baixinho, estou ouvindo, estou ouvindo:

"- Abre os olhos, Guilherme!"

Estava na sala de jantar, junto da porta do corredor,
como uma santa irradiando, num altar,
como uma coroa na cabeça de um rei,
a bicicleta novinha, com lanterna, campainha, lustroso selim de couro,
tudo.

Me lembrei hoje da minha bicicleta
quando chegou a minha geladeira.

Mas faltou qualquer coisa à minha alegria,
talvez a mesa redonda, os tios, os primos rindo baixinho,

" – abre os olhos, Guilherme!"

Oh! Faltou qualquer coisa à minha alegria!

J. G. de Araújo Jorge

Minha avó começou a andar uma hora por dia quando tinha 60 anos.
Agora ela está com 95 e não temos a menor idéia
de onde ela foi parar.

Ellen Degeneria

-O pombo-
Vinícius de Moraes contava ter ouvido de uma sua tia-avó, senhora idosa muito boazinha, que um dia ela estava na sala de jantar, em sua casa do interior, quando um lindo pombo pousou na janela. A senhora foi se aproximando devagar e conseguiu pegar a ave. Viu então que em uma das patas havia um anel metálico onde estavam escritas umas coisas.
— Era um pombo-correio, titia. Pois é. Era muito bonitinho e mansinho mesmo. Eu gosto muito de pombo.
— E o que foi que a senhora fez?
A senhora olhou Vinícius com ar de surpresa, como se a pergunta lhe parecesse pueril:

— Comi, uai.

Rubem Braga (Recado de primavera)

Rimas engraçadas

A é a Ana, que voou numa cana.
B é o avô Batista, que tem a mania que é artista.
C é a Cristina, que pôe a mão dentro da terrina.
C é a Camila, que tem corpinho de gorila.
D é Daniela, que come um bolo de canela.
F é o Francisco, que na parede fez um risco.
I é a Inês, que dá beijinhos num chinês.
J é a João, que come o osso do cão.
J é a Janica, que não come, mas depenica.
J é a Janja, que não gosta de comer canja.
L é a Lara, que tem seis borbulhas na cara.
M é a Mafalda, que à noite usa fralda.
M é o Miguel, que come pedacinhos de papel.
M é a avó Maria, que dorme todo o dia.
M é a dona Milú, que vestiu o tutu.
P é o Paulo, que no pé tem um calo.
R é a Raquel, que se besunta com mel.
S é a Sónia, que bebe água de colónia.
T é a Teresa, que nunca põe a mesa.
X é a Xana, que escorregou na casca da banana.

Beatriz Andrade

Criado pela avó
ensinado pelas tias
amado pela mãe
quisto pelos amigos e traído pelos invejosos.
Mas ainda continuo gostando de trakinas.

Vinny Leal

Minha avó
Marieta Cardoso Joanol

Mulher de garra, mãe, amiga, avó, bisavó, esposa...
com dedicação criou seus filhos...
os ensinou a trilhar o caminho do bem...
e seus filhos tiveram filhos, e os filhos dos filhos também...
e todos sempre terão orgulho de falar
dessa mulher, que com muita garra
lutou, contra o tempo, contra a saudade,
contra a doença, contra o cansaço dos anos..
minha avó de cabelos alvos como a neve,
trazidos com a experiência da vida,
minha avó cheia de paciência, que a todos servia...
minha avó, mulher prendada, que cozinhava, que sorria...
Esta era minha avó, um pouco Isnardi, um pouco Cardoso
e com o passar do tempo, um pouco Joanol...

Vó descanse em paz ao lado do vô.

Paula Joanol

a minha avó

um dia parei para pensar
como será sem minha avó?
aquele arroz gostoso aonde vou comer?
seu cheiro sereno aonde vou sentir?
depois que ela se foi, pra longe de mim
o eco da sua voz ainda estou a ouvir
e em cada situações, vovó passa a existir

a minha avó ( Maria do Socorro Moreira in memorian)

a minha avó - Geraldo Neto Uiraúna PB

Vovô e Vovó!

Eternas figuras humanas
que hoje queremos homenagear,
contemplando com carinho os cabelos brancos,
o profundo olhar, as rugas na fronte e na face,
sinais da experiência e memória de tantos anos vividos.

Que bom poder formar uma roda
para ouvir com atenção
os sábios conselhos,
as palavras fartas,
indicadoras de novos horizontes em nossa vida.
Queremos tocar e sentir
a energia que suas abençoadas mãos transmitem,
e hoje, embora trêmulas,
ainda semeiam os frutos da experiência de vida.

Permita-nos, neste momento especial,
acompanhar com ternura seus passos lentos,
algumas vezes trôpegos,
mas cheios da sabedoria que a vida lhes ensinou.

Queremos abraçá-los e também aplaudi-los,
com muita emoção e ternura,
pedindo a Deus que os abençoe e lhes conserve a saúde.
A esperança nos leva a crer que
outros dias lindos acontecerão,
pois vocês são frutos da mais bela obra
que Deus colocou na nossa história.

Natália alves.. Nathy

Confusão é Pouco...

- O que é natal, papai?
- Natal é um dia santo, filho.
- Eu sei, pai. Dia do avô de Jesus.
- Avô de Jesus?
- Sim, do Papai Noel!

Francismar Prestes Leal

Na praça

Aquele homem distinto de olhar distante
Lembra meu avô
Que não ouvia
Só sentia
A vibração dos sons ecoantes
Aquele homem distinto
De olhar distante

Leninha Alves

Foi no silêncio que ele nos deixou o maior ensinamento.
Foi no silêncio e infelizmente no fim, que eu pude entender o que ele queria nos dizer.
A vida é bela para nos preocuparmos com coisas desnecessárias. Não é preciso ter uma casa bela, um simples cômodo já me acomoda muito bem.
É no silêncio que aprendi que nós enquanto estamos de passagem nesse mundo, não somos nada, e que não sabemos como e nem quando será o nosso último suspiro.
Foi com meu avô que aprendi a dor da perda. A dor de não poder ter dado o meu último adeus, mas também aprendi que devo valorizar cada segundo que tenho com as pessoas que tanto amo. Não preciso de muito para ser feliz, porque o que mais me satisfaz não tem preço. Porque dizer que se a gente soubesse a hora que iríamos partir, faríamos muitas coisas diferentes? Faça de cada momento o que mais lhe agrada, não faça inimigos, dê valor a quem está conosco, porque podemos dormir e acordar já com Deus. Que lindo foi ver meu avô soltando foguetes e dizendo que chegou bem ao seu novo lar. Ficam agora as boas lembranças. Te amo para todo o meu sempre! E mesmo não podendo te ver, sei que está sempre presente comigo, e com todas as pessoas que te ama, e, que agora, você também intercede por nós. Se eu puder escolher, que eu morra no silêncio de um belo sono. Sua benção olhe sempre por nós e descanse em seu novo lar!

Rafael Guimarães

Minha avó dizia: para ser feliz, a gente não precisa sair do lugar, a gente tem que ser o lugar.

Carpinejar

Uma avó, mãe duas vezes! sempre quando preciso, você me ajuda, e entende meu lado. Me dá a maior força para diminuir minhas fraquezas e fortificar o que existe de mais belo dentro de mim. Hoje, quando só penso por um segundo te perder, perco as pernas, e agradeço a Deus por ainda te ter, porque você é meu equilíbrio, que me segura ao andar, você é uma boa parte de mim. Quando respiro, sinto um alívio, porque tenho você, que me defende e acredita completamente em mim e nada mais!

Grazielle Araújo

O cadeira de balança embala o sono da avó. E junto com ela as historias que nos fazem ser. Vai e vem, você em mim.

Mel Fronckowiak