Poemas Cinetico de Millôr Fernandes

Cerca de 2735 poemas Cinetico de Millôr Fernandes

Meu coração é tão humano,
Nem se conforma em ti perder
Di certo, minha vida continua
Mesmo sem você me ter.

Seu nome vejo nos letreiros
Por todo carro que me passa.
Um sentimento derradeiro,
Atravessa minha estrada.

Não sei o que fazer,
Com esse meu coração.
Que bate por bater,
No entoar dessa canção.

Fico triste nesses dias,
Com chuva, ensolarada.
Como se faz nessa agonia,
De ter a vida retomada.

Segue em frente seu caminho,
Como tudo tem de ser
Nem toda flor tem espinho
Me feri foi por você.

Renilmar Fernandes

Você não deixa, mas a morte vem e te beija.
Essa é a questão, impossível de negar...
Pode ser fatal, também pode ser que não.
Pois nem sempre ela te beija para matar.

Renilmar Fernandes

Escrevendo coisas, ouvindo música.
Pensando na vida e cuidando das pessoas.
Assim tudo acontece.

Renilmar Fernandes

-Pois é...
-Quem não sabe inventa, quem inventa tenta
-E quem tenta erra
-E quem erra aprende
-E quem aprende foi burro um dia

Jorge Fernandes

Para mim é dada a hora de fechar os olhos e adormecer
Descansar meu corpo, e a minha alma.
Pois o tempo de vigília está passando e o dia alvorecendo.
No mais profundo sono me reencontro com meus sonhos.

Renilmar Fernandes

Me sinto presa por seus braços
Me sinto segura longe de ti
Mais nada me faz esquecer teu olhar
Onde me sinto feliz .. só por te ver sorrir ...

Raah Fernandes

Não vou dizer o que as pessoas querem ouvir, vou falar das coisas que elas tem mais medo.

Não preciso de ajuda, necessito de um milagre.

Não podemos dar mais do que somos.

Renilmar Fernandes

Não sei o que fazer.
Não sei como fazer.
Só sei que agora tudo parece errado.
Diante dos meus olhos molhados não posso ver.
Eu só queria saber as respostas, mas agora, nem as perguntas eu sei.
Tenho razões para ficar e para ir, mas que delado devo seguir?
Amo o jeito que me sinto agora, detesto o jeito que me olha.
Como se em um piscar de olhos todos os sentimentos tivessem desaparecido.
Isso não existe, mão existe.
Mas o que posso fazer? Não paro de pensar em você.

Isabel Fernandes

Você sabe o que é ser enganada, sem nem ter tempo de perceber? Quando tudo está diante de você, a única coisa que resta a fazer é se esticar para alcançar.
E quando você faz, com um toque tudo desaparece como se nunca tivesse existido.
Tudo passou, Ttudo mudou.
É assim que é, é assim que sempre será.
A vida não é feita de sonhos, nem tudo é verdadeiro.
Alguma hora você vai acabar se machucando.
Aproveite enquanto dura, porque depois que acaba, não tem como voltar.

Isabel Fernandes

A vida é tão estranha que não conseguimos diferenciar o real do irreal.
Me perco em meus sonhos sem vontade de acordar. Qunaod acordada pareço estar em um pesadelo sem fim,
tão distante da minha mente tento fugir
mas não há saída
O único jeito é tentar mudar, superar

Isabel Fernandes

Eu sonhei um sonho perfeito.
Há noites que isso me tira o sono,
Fico feliz que as vezes o cansaço ainda pode vencer.
E nisso eu encontro a paz.
No meio do quarto, vigilhando uma vida sem poder tocar.
Você sente que dedicou todo seu tempo e ainda sim tem medo da sentença.
Que ainda não foi suficientemente pesada.
Querendo ter forças para aguentar apenas mais essa decepção.
O não saber me assusta.
Atentamente olho para os lados e não vejo meus amigos. Sei que estão pelo mundo. Tento me apegar a isso. Mas necessito das minhas mãos para andar no escuro e elas não são o suficiente. Seria fácil se não fosse impossível. Por isso é um sonho perfeito demais para se realizar.

Renilmar Fernandes

" Acabo de olhar o meu celular, e adivinha? Uma mensagem dele. Um ex casinho que eu tive há algum tempo, e que faz dois dias que anda desesperado me ligando e mandando sms no meu celular, me pedindo para voltar, dizendo que está com saudades dos tempos em que ficamos juntos...
Tempos bons, confesso, mas que não voltam mais.
Eu poderia decidir voltar com ele, afinal, ele sim, sabe como me fazer feliz, e pouparia todos os meus dias tentando encontrar aquele alguém especial, buscando encontrá-lo em meio a tantas outras pessoas. "

Gabriele Fernandes

Fixo o olhar na tela do meu celular e leio mais uma vez aquela mensagem tão bem escrita, com sua promessas de me fazer feliz outra vez... Entre responder ou excluir a mensagem, decido excluí-la. E não só apenas essa, mas todas, uma a uma. É melhor ignorar também as suas ligações...
Não quero ser protagonista de um filme que já assistira tantas vezes, por tantos anos. Com suas falas e cenas repetidas.
Texto decorado, filme decadente. Personagens que já não se combinam mais.
Portanto, prefiro ficar na minha, só minha, solidão. "

Gabriele Fernandes

" Sentada na beira da cama, eu pensei, ou melhor, desejei o colo de alguém (não um alguém qualquer, e sim aquele alguém especial que eu ainda não conheço, ou talvez conheça e só não tenha me dado conta)...
Desejando que ele me faça sentir, aconchegada em seus braços, uma sensação e uma certeza de que se o mundo acabasse naquele exato instante, eu morreria feliz. Com uma paz que há muito tempo, (ou talvez nunca), tenha sentido.
Sensações, divagações, sentimentos. Uma vontade. Vontade que nasce e se aloja em meu sentir. Vontade que traz saudades, desejos, exatidões. Que me faz sonhar. Desejar o indesejado. Fazer do impossível, possível. Vontade louca daquele beijo inesperado. Do toque de suas mãos. De fazer amor, de tomar banho na chuva, na cachoeira, de mergulhar juntos nas ondas do mar, numa praia lindíssima... Vontade de coisas simples, de viver momentos singelos que se tornarão grandes lembranças para relembrar sempre que eu quiser ter a certeza de que a felicidade existe, e que está nos momentos simples da vida... Naqueles momentos que são os melhores. Que nos fazem sentir vivos. Que quebram todas as incrustações, que derretem o gelo dos nossos corações, tornando-lhes a bater como outrora, livres e desimpedidos de tudo o que lhes tornava granito, gelo, um inceberg em meio ao oceano. Fazendo com que se apaixonem mais uma vez. "

Gabriele Fernandes

Acabei de ler um texto num site de uma escritora que gosto muito... Ele me fez lembrar de você, sabia?
Do seu sorriso torto que de um modo louco fazia o meu coração bater disparado só faltando saltar pela boca. Foi como se eu pudesse te ver sorrindo, mesmo que sarcasticamente zombando de mim por eu ser tão piegas, por eu demonstrar tanto o meu amor por você de um modo que todos soubessem. Era só observarem a fisionomia do meu rosto, quando você estava por perto, para que se dessem conta de que eu estava te amando...
Será que ficamos tão tolos quando estamos apaixonados? Com que cara ficamos? Cara de palhaço, pateta? Ou seria débil-mentais?

Gabriele Fernandes

Que beleza de esplendor,
Que loucura de sentimento,
Vejo o sol com bons olhos,
E até ouço o som do vento.

Concentro-me em você,
Desconcentro minha razão,
Você é pura e gloriosa,
Envolveu-me de paixão.

Olho o sol, o esplendor,
Sinto agora, o vento,
Seu encanto, seu amor,
Trouxe a minha vida alento.

Animou-me o seu calor,
Enebriou-me com seu perfume,
Ofuscou-me com sua luz,
Ó sol, ó esplendor!

Lázaro Fernandes

O João viajou,
Mas Joana ficou em casa,
Seu cachorro ele levou,
Mas deixou sua amada,

Sua amada que o amava,
Hoje não o ama mais,
E o cachorro que levara,
Já o deixou para trás,

Desprezado e sem ninguém,
Via a miséria acometê-lo,
Tinha fome de leão,
E da noite tinha medo,

Foi um ato sem motivo,
O acaso o desterrou,
Por um mísero cruzeiro,
Um senhor ele matou,

Já não era mais o mesmo,
Já não vivia pelo bem,
Os valores que antes tinha,
Forem-se,
Hoje é João-ninguém.

Lázaro Fernandes

Sinto-me bem,
Mas demonstro-me mal,
O corpo já não concorda,
Com uma alma sã,
Revigoro-me a cada dia,
Mas o corpo ainda é puro afã,

Numa manhã tão bonita,
Procuro me alegrar,
Desanuviar essa vida,
Que a tanto vinha a me desalentar,

Preciso que o corpo siga,
O que a alma a ele propõe,
Mas é como dizer a um tolo:
-Não coloque! E ele o põe,
É ter vida de amargura,
Convivendo com histriões,

Então ficou assim,
Desta forma viverei,
Da tristeza de meu corpo,
Uma alegria soboreei,
Uma alma tão feliz,
Como a que jamais terei.

Lázaro Fernandes

Estou me preparando para a velhice.
Não tenho medo das rugas e nem dos cabelos brancos.
O que me preocupa e poder envelhecer com dignidade.
Ao lado da minha família, filhos e netos.
Envelhecer feliz...

Leocádia Fernandes

É chegada a hora de partir.
Desligar o telefone e não dizer para onde ir.
Chove frio, mas não molha.
É inverno para quem vai embora.
Aderbal Galvão as vezes me dava razão.
O que me comove é que sempre foi assim.
O mesmo sorriso e não estou contente.
As ruas com um brilho diferente,
Esse que só a noite, a solidão pode mostrar.
No aconchego dos lares à vida passa.
E nem sempre é noite feliz.

Renilmar Fernandes