Poemas de Amargura

Cerca de 356 poemas de Amargura

NOITE DE SAUDADE

"A noite vem poisando devagar
Sobre a Terra,que inunda de amargura...
E nem sequer a bênção do luar
A quis tornar divinamente pura...

Ninguém vem atrás dela a acompanhar
A sua dor que é cheia de tortura...
E eu oiço a Noite imensa soluçar!
E eu oiço soluçar a Noite escura!

Por que és assim tão'scura,assim tão triste?!
É que,talvez,o Noite,em ti existe
Uma saudade igual à que eu contenho!

Saudade que eu sei donde me vem...
Talvez de ti,ó Noite!...Ou de ninguém!...
Que eu nunca sei quem sou,nem o que tenho!!"

Florbela Espanca

“Dor não tem nada a ver com amargura.
Acho que tudo que acontece é feito pra gente aprender cada vez mais.
É pra ensinar a gente a viver.”

Adélia Prado

O conhecimento torna a alma jovem e diminui a amargura da velhice. Colhe, pois, a sabedoria. Armazena suavidade para o amanhã.

Leonardo da Vinci

“Dor não tem nada a ver com amargura. / Acho que tudo que acontece / é feito pra gente aprender cada vez mais, / é pra ensinar a gente a viver. Desdobrável. / Cada dia mais rica de humanidade”

Adélia Prado

Quem não conhece o poder da oração,
é porque não viveu as amarguras da vida!

Eça de Queiroz

"Dor não tem nada haver com amargura. Acho que tudo que acontece é feito pra gente aprender cada vez mais, é pra ensinar a gente a viver. Desdobrável. Cada dia mais rica de humanidade."

Adélia Prado

Mesmo não querendo,
eu sorrio sempre para
esconder as amarguras ,que
sinto no meu coração,
assim não darei aos maus
a alegria de me ver triste
e dou aos que me amam
a ilusão da minha felicidade...

mrcy

Não me culpe por não sentir amargura...
Isso não faz de mim menos intenso.
Tenho o amor como aliado
E dele, faço minhas revoluções.

E mergulho sempre profundo
Só que em águas limpas...

Outras armas...

As minhas disparam flores coloridas, vermelhas...
Que perfumam qualquer angústia.

Não me culpe...

Eu vejo a esperança de verde cor forte,
Eu acredito em céus azuis
E pássaros amarelos...

Deixe eu pintar o mundo com as minhas cores!
Quem sabe as borboletas renascem,
E o cinza brilha e se transforma em LUZ..."

Saulo Fernandes

Divina Música!

Filha da Alma e do Amor.
Cálice da amargura
e do Amor.
Sonho do coração humano,
fruto da tristeza.
Flor da alegria, fragrância
e desabrochar dos sentimentos.
Linguagem dos amantes,
confidenciadora de segredos.
Mãe das lágrimas do amor oculto.
Inspiradora de poetas, de compositores
e dos grandes realizadores.
Unidade de pensamento dentro dos fragmentos
das palavras.
Criadora do amor que se origina da beleza.
Vinho do coração
que exulta num mundo de sonhos.
Encorajadora dos guerreiros,
fortalecedora das almas.
Oceano de perdão e mar de ternura.
Ó música.
Em tuas profundezas
depositamos nossos corações e almas.
Tu nos ensinaste a ver com os ouvidos
e a ouvir com os corações.

Gibran Kahlil Gibran

CARTA DE UM AMARGURADO CORAÇÃO

Prezado Sentimento
Já há longa data, Vossa Senhoria tem batido sem permissão a minha porta e tirado meu sono, meu sossego. Pior que isto: tens me torturado e dado muito prazer ao mesmo tempo, como uma droga agindo sobre um viciado.Seus representantes - cupidos - já não me deixam em paz e, aliás, parecem ter escolhido a mim como "Vítima" principal, pois estou constantemente dominado pelo seu intrépido vírus.
Desde que começastes a me contaminar com sua volúpia maleficência, minha vida parece ter se transformado em um complexo quebra-cabeça, onde estão faltando as peças principais. E estas peças não se compram, nem se encontram simplesmente na rua. Às vezes, quando acho que as encontrei, percebo que fazem parte de outro jogo, não se encaixam no meu. Estas mesmas peças são seres que "catalisam" a ação de seu vírus. Seres imensuravelmente superiores em sua plenitude e beleza. Incomparáveis em sua forma e maneira de nos cativar e após, dominar completamente.

Enfim, prezado sentimento, chego a finalidade desta e lhe comunico extraordinariamente :
“- Amor, suspenda seus cupidos, guarde suas flechas: estou de férias por tempo indeterminado. Tempo suficiente para me recuperar e preparar-me para a próxima”.
Assim espero e não aguardo deferimento "
Amorosamente, Coração Desafortunado da Vida !

Desconhecido

Que todos os que se aproximarem de mim tenham vontade de cantar, esquecendo as amarguras da vida.

Paul Claudel

Devias estar aqui rente aos meus lábios para dividir contigo esta amargura dos meus dias partidos um a um (...)

Eugénio de Andrade

"Dor não tem nada a ver com amargura. Acho que tudo que acontece é feito pra gente aprender cada vez mais, é pra ensinar a gente a viver. Desdobrável. Cada dia mais rica de humanidade."

Clarice Lispector

Solidão é lava
Que cobre tudo
Amargura em minha boca
Sorri seus dentes de chumbo...

Solidão, palavra
Cavada no coração
Resignado e mudo
No compasso da desilusão...

Viu!
Desilusão, desilusão
Danço eu, dança você
Na dança da solidão...(2x)

Camélia ficou viúva,
Joana se apaixonou,
Maria tentou a morte,
Por causa do seu amor...

Meu pai sempre me dizia:
Meu filho tome cuidado,
Quando eu penso no futuro,
Não esqueço o meu passado
Oh!...

Desilusão, desilusão
Danço eu, dança você
Na dança da solidão
Viu!
Desilusão, desilusão
Danço eu, dança você
Na dança da solidão...

Quando vem a madrugada
Meu pensamento vagueia
Corro os dedos na viola
Contemplando a lua cheia...

Apesar de tudo existe
Uma fonte de água pura
Quem beber daquela água
Não terá mais amargura
Oh!...

Desilusão, desilusão
Danço eu, dança você
Na dança da solidão
Viu!
Desilusão, desilusão
Danço eu, dança você
Na dança da solidão...

Danço eu, dança você
Na dança da solidão...(2x)

Paulinho da Viola

Um café e um amor… Quentes, por favor!
Sem excessos de doçura ou amargura.
Forte
Doce…
Que ambos façam meu coração acelerar.
Que me mantenham vivo.

Um café e um amor… Quentes, por favor!
E que de nenhum deles eu sofra de vício,
Mas que de ambos,
Eu possa me dar ao luxo do hábito


Um café e um amor… Quentes por favor!
Pra ter calma nos dias frios.
Pra dar colo
Quando as coisas estiverem por um fio.

E que eles nunca tenham gosto de ontem
Nem anseiem pelo amanhã
Que me façam feliz nesse agora,
Que me abracem pela manhã.

Caio Fernando Abreu

Pra curar sua paixão, beba pinga com limão;

Pra curar sua amargura, beba pinga sem mistura;

Contra dor de cotovelo, beba cachaça com gelo;

Contra falta de carinho: cachaça, cerveja e vinho!

Se brigar com a namorada, beba pinga misturada;

Se brigar com a mulher, beba pinga na colher;

Quem dá amor e não recebe, mistura todas e bebe;

E se alguém te faz sofrer, beba para esquecer!!!

Pra curar seu sofrimento, beba pinga com fermento;

Pra esquecer um falso amor, beba pinga com licor;

Pra acalmar seu coração, beba até cair no chão;

E se a vida não tem graça, encha a cara de cachaça!!!

Pra você ganhar no bicho, beba uma no capricho;

Pra ganhar na loteria, beba pinga na bacia;

Pra viver sempre feliz, beba pinga com raiz;

E se você não tem sorte... beba pinga ate a morte!!!

Se essa vida de cão só te faz sofrer...

.....o remédio é beber...

Desconhecido

É de novo você quem me procura
e é você quem me surge, como que,
entendendo de longe esta amargura,
sente a falta que sinto de você.

Você chega silente e ninguém vê,
e às minhas ânsias logo se misturam,
fixando-se em mim, feito ternura,
na hora em que preciso de você.

Você me foge, às vezes, se esconde
no tempo em que a procuro não sei onde,
você desaparece, ninguém vê.

Mas, derepente, volta a ser presença
e vai entrando sem pedir licença
na hora em que preciso de você.

Ronaldo Cunha Lima

Livrai-me de toda amargura, dessa ferrugem que embaça os sentimentos e limita a abertura dos sorrisos.
Livrai-me da angustia que sufoca a alma e entristece o olhar.
Livrai-me também do ódio, esse câncer que corrói e apaga a minha Centelha Divina.
Mas principalmente, livrai-me do egoísmo que me impede de olhar para as necessidades do meu próximo como se fossem as minhas.

Erick Tozzo

Anjo sem asas

Sou anjo caído na estrada
Ajoelhado, com as asas quebradas
Nos olhos a amargura da solidão
Uma flecha pontiaguda atravessou o meu coração!

Meus dias estão incertos
Eu danifiquei a máscara
Meu rosto está descoberto
Como voltar para casa?

Eu sou um vento frio!
Um pote vazio
Chuva gelada
Caminhos tortuosos na estrada

Quem passa não me vê
E quem me vê só quer me esquecer
Eu sou predestinado à solidão
Guardo os meus segredos no coração

Eu sou a canção que ninguém cantou
Restos do amor que se acabou
Eu sou a lágrima do humilhado
Um espírito cansado

Eu sou como a porta do cemitério
Todos os que entram nela, temem ir para o inferno
Eu sou o mistério que lhe tira o sono
Sou a angústia do abandono!

Anjo que não consegue e não quer voar
Sem as asas onde estão os motivos para sonhar?
A noite cai e as estrelas sumiram do céu, escureceu!
Esqueceram de mim e este destino é só meu!

Janete Sales (Dany)

Olhar
A Lua me olha assim
Como se eu tivesse culpa
A Lua me olha assim
Com inveja e amargura
A Lua me olha assim
Como se eu fosse culpada de ser assim
Mais bela do que ela.

Lariana Nunes Oliveira