Poemas de Prima para Primo

Cerca de 25 poema Poemas de Prima para Primo

Falar besteiras e brigar.
Amor de amigos amor de primo, diferenças e inconclusões.
É isso que eu chamo amor

Mirela Cristina Sanchez

Teu familiar já quando comenta na tua foto:

Bem lindo esse meu primo,te amo muito.

Teu comentário: PRIMA É DE FAMÍLIA VOCÊ JÁ SABE.também te amo bwes

It always happen Goddamn it -.-''

Hermógenes Constantino

Quando o sangue escorre e diz adeus.
Outro primo surge em seu lugar.
Coisas que não farão sentido para o leitor.
Analistas tentaram.
Não se apresse, não é um desafio.
Sim, eu espero a minha vez de ser imortalizado.
Preciso ler para relembrar, algo acontece.
Canso o corpo, mantenho a mente acordada.
Olho para direita e só vejo, ouço e escrevo letras antiga.

USDL

Sem apego, nem mesmo por este primo, a árvore morta fala muito para quem esperava
ouvir um poema.
O pensamento quer levar a razão para longe da virtude, quem vive sobriamente morre em duas
décadas.

USDL

Sou amigo da solidão
Primo da ilusão
E pai da poesia
Minha filha não é bonita
Não disperta nem arrebata
É apenas poesia

Uilton Dutra

- Você tem algum melhor amigo imaginário ? - falou a menina ao seu primo de cinco anos.
- O que é isso?
- Eu tinha um quando era pequena, é tipo uma pessoas que só você ver, é como se fosse um amigo para você, ele conversa contigo, e te protege ... - explicou a menina
- Ah, eu tenho um !
- E onde ele mora ?
- Ele mora bem longe minha mãe disse.
- E como ele se chama ? -perguntou a menina.
- Meu pai disse que o nome dele era Papai, mas minha mãe chama ele de Deus, já eu prefiro chamá-lo de 'melhor amigo'.

Duda Carvalho

Bom dia primo Sebastião Pires de Lacerda,
Hoje não é dia comum,
É um especial,
Por tratar-se do seu,
Aniversário, parabéns,
Seja muito feliz,

Hoje, amanha, para Sempre,
Porque tens ao seu lado,
A flor que Jesus te deu,
Ela é a prima Mirlene Ventura,
Que sempre irá estar,
A te amar, viver, completar,

Pois seu amor,
Me fez confissão,
De que não há comparação,
Portanto primão,
Cuide bem da sua flor, do seu amor,
Porque, amor, na dor, no sorriso,

É para ser compartilhado,
Não deixe que o Mundo,
Nem coisas vãs, o pecado,
Qualquer que seja o motivo,
Não venha jamais abalar,
Este enlace, e que ele seja eterno e frutífero,

Poeta matuto, Francisco Júnior Da Silva Fernandes, Semeador da Palavra de Deus, Júnior Bom Sucesso, PATOS, PB -20.01.014.

FRANCISCO JÚNIOR

em memória de meu primo que descansou no senhor...02/02/05
ausência
é verão...ao final da tarde,mais uma vez,a chuva embebeda a terra
pessoas artificialmente morenas,salgadas,cheirando á maresia
a alegria das crianças em uma pipa estendida no céu
o futebol durante as tardes de domingo
amigos que se reencontram,parentes se aproximam,amizades se desenham

posso ,quem sabe,tirarde letra a ausência
afogar a saudade no oceano do esquecimento,ou ainda,
em lembranças mergulhar a tristeza

sei que um momento,seja um segundo que passe,jamais voltará a cena
a vida, em sua realidade,é dura e cruel...quando no olhar,
se esboça o que já não se pode contemplar
e a angústia,em forma de lágrima,desce á face...

doce é acreditar que os mortos viverão-seu trabalho consumado
seu destino definido-
e quanto aos que permanecem na batalha de cada dia,
o que pensar??????
amarga ilusão é ter que esperar

danigoncalves

Título: Eu primo por ti.

De tudo ao nada límpido,
o quão magnífico,
seja teu exorbitante.

E não muito distante,
são válvulas de versos,
em poemas de cor,
na qual há um sol,
no ápice ardor.

E no quadro de teus seios,
encosto a teu rosto,
e me afeto em mar profundo.

Suntuosa audácia fora,
a natureza épica de ser,
que em teu saber,
o meu nascera.

No ápice de teu riso,
em chamas de abrigo,
túrbido teu.

E o amor de tal inexorável,
a que me tenha abraço,
num ar de inteiro inexpugnável.

Daniel Muzitano

Título: Alacridade em cabelos.

Primo por um suntuoso grau exíguo;
pela falta de objetividade idolatrada,
no mesmo instante que a exprimo.

Que em teus caprichosos traços condecorados do que há de mais belo,
sejas sorrir a tal;
para um profundo demasiado incerto.

E que revigoremos a transparência aclarada na lágrima que tende a risos.
Frases feitas não são sábias,
inenarrável é tua filosofia em abrigo.

Quero berrar o mundo,
o silêncio que aprofundo.
Pretendo beijar teu sal,
como em lágrimas de Portugal.

Pretendo a que me tenha,
são pétalas que transfiguram,
num teatro de resenha,
posto na literatura que exulto.

Como fostes benigno o desejo de teus beijos,
são arquejos de menino,
que escrevem em teus seios.

Ó chave mestra na qual achei teu amor em segundos;
cálices que representaram,
a poesia em teu rascunho.

Daniel Muzitano

Quem nunca foi visitar uma tia só para ver o primo bonitão, não sabe o que ter segundas intenções.

Vanessa Pimentel

Bons tempos aqueles, hem primo! Agora, o tempo passou e com ele, data venia, veio aquele barrigão, isso é, no meu caso. Abraços fraternos.

Luiz Maria Borges dos Reis

Gostar de um primo é tão dificil.
Mas você Walter é meu amor eu te quero pra min e nao deixa os fofoqueiros estragar nossa historia

Plincesa mirim

O ser humano é ímpar, mas não é 'primo', aquele só divisível por um e por ele mesmo.

Petrus Falcin

- “Está falando comigo?”. - Não. Ele não estava falando com o primo. Tão pouco falava sozinho. O garoto falava com o celular, ainda aberto na mensagem mais recente de sua paixão. Aquela que ele nem ao menos conhecia, senão dos poucos momentos em que acordado sonhava. Mas que ama e tem mais próxima do que qualquer outra pessoa que lhe possa dar bom dia e vê-lo sorrir. Dissipava suas horas e mais horas. Relia as mesmas mensagens que chegava até decorá-las. Se alguém se aproximasse curioso, ele inventava uma desculpa qualquer. - “Mensagem de operadora”. - Como se fosse fácil acreditar que créditos expirados pudessem causar tanta alegria. Um sorriso timidamente falso que sempre escondeu no canto dos lábios um único segredo. Ele jamais falou de amor, de paixão, de romantismo. Nem ousaria. Mas sempre falou “dela”. Mas ela ainda está longe. Não importa o quão perto venham as certezas, tudo é muito inalcançável. É como se uma dor, cruel e ao mesmo tempo gentil, se mesclasse a um sentimento tão bonito. - “Isto é amor?”

Pedro Vinicius Wee.

Desencontros...nunca estamos preparados para ele...
Irmão do desencanto, primo do desamor, cristal rachado jamais será colado.

Jane Esteves

Ricardo' de Sá primo lindo q adoro de montão.
Ele ser muito essencial na minha vidinha! Te dolo muito

Dãný Õlivèér

amigo ou não. parente talvez um filho um pai.um primo ou inimigo.não sei que serão no futuro de mim descordarão só sei te dizer sou ruim de roer.mas se quer um amigo ou abrigo desde que sejas verdadeiro terás guarita sem discórdia de terceiros.

jô vieira

Se estamos em atividade, o trabalho é irmão do tempo e primo da alegria, mas se a preguiça toma conta, a vida é só tristeza e a mãe da velhice.
(http://www.boscodonordeste.recantodasletras.com.br)

Boscodonordeste

O homem, animal feroz, primo do gorila, partiu da noite profunda do instinto animal para chegar à luz do espírito, o que explica de uma maneira completamente natural todas as suas divagações passadas e nos consola em parte de seus erros presentes. Ele partiu da escravidão animal, e atravessando a escravidão divina, termo transitório entre sua animalidade e sua humanidade, caminha hoje rumo à conquista e à realização da liberdade humana. Resulta daí que a antiguidade de uma crença, de uma ideia, longe de provar alguma coisa em seu favor, deve, ao contrário, torná-la suspeita para nós. Isto porque atrás de nós está nossa animalidade, e diante de nós nossa humanidade; a luz humana, a única que pode nos aquecer e nos iluminar, a única que nos pode emancipar, tornar-nos dignos, livres, felizes, e realizar a fraternidade entre nós, jamais está no princípio, mas, relativamente, na época em que se vive, e sempre no fim da história. Não olhemos jamais para trás, olhemos sempre para a frente; à frente está nosso sol, nossa salvação; se nos é permitido, se é mesmo útil, necessário nos virarmos para o estudo de nosso passado, é apenas para constatar o que fomos e o que não devemos mais ser, o que acreditamos e pensamos, e o que não devemos mais acreditar nem pensar, o que fizemos e o que nunca mais deveremos fazer.

Bakunin