Poema Menino

Cerca de 764 poema Menino

Não vamos imitar o homem da fábula que viu um menino se afogando e, imediatamente, lhe passou uma preleção a respeito da imprudência de ir para a água onde não mais dá pé. Não, não, vamos tirar o menino para a margem, secá-lo e vesti-lo, e então falar a ele que não deve mais fazer isso para que coisa pior não lhe aconteça.

C.H.Spurgeon

Fecho os olhos para esquecer. Dorme, menino, repito no escuro, o sono também salva. Ou adia.

Caio F.

O menino nunca mais chorou, e nunca se esqueceu do que aprendeu: que amar é destruir e que ser amado é ser destruído.

Cassandra Clare

Você pra sempre.Em todo espaço, em todo branco, em todo homem, você é o menino que não tiro do coração.

Tati Bernardi

"Dê ao menino o tempo e o espaço necessário para que possa agir com a razão e não por impulsão."

João Vitor Rocha

Minha paz é dançarina.
Acho que ela pegou carona no coração dançarino do menino e ficou assim, sem modos ou talvez tenha me tornado tão infinitamente leve, que não consigo me alcançar.

Renata Fagundes

Sempre fui um menino incomum, minha mãe me disse que eu tinha alma de camaleão.

Aislan Keeslen

" O menino então sorri e nem o inimigo mais feroz resistirá a esse sorriso de quem se oferece tão sem defeza." (Verão no aquário- Lygia Fagunges Telles).

Lygia Fagundes Telles

É um erro frequente em que caem os pais; ao nascer o menino, junto com as fraldas, eles lhe preparam um futuro. Não pensam que aquele filho é uma pessoa. Que terá seus sonhos próprios e suas ambições próprias. Parece que o mais prudente para o pai é não se antecipar. É comovente a revolta dos pais ante essa "desobediência", quando não seguem o que foi mandado, dos meninos, como se eles fossem obrigados a alimentar sonhos por conta dos sonhos paternos.

Rachel de Queiroz

Menino, vou te dizer uma coisa: Não se apaixone por mim. Definitivamente nem pense nisso! Não sou o tipo de nora que toda sogra sonha e não quero ter filhos. Não sou tão boazinha quanto aparento e odeio delicadezas. Então, não se apaixone por mim menino. Eu nunca fui a mais bonita da turma, não sou tão inteligente, odeio matemática e com certeza eu não perderia noites de sono pensando em você, aliás, acho que eu sequer pensaria em você. Você não pode se apaixonar por mim, não faça isso para o seu próprio bem. Eu falo alto, brigo por quase nada, me irrito com facilidade e sou o capeta em pessoa quando to de TPM. Menino, eu não seria a namorada dos seus sonhos, muito menos a princesa do seu castelo. Não. Definitivamente não se apaixone por mim. Não sei praticar esportes, não decoro regras, odeio filosofias de quinta, não sei cozinhar, lavar, engomar, gosto mesmo é da bagunça. Menino, minhas piadas são sem graça, não sei ser romântica, aliás, tudo isso me dá náuseas. Eu sou preguiçosa de mais, não sei dançar, não tenho paciência para ouvir os outros e sou estúpida de vez em sempre. Menino, eu não estou brincando, não sou diferente daquelas meninas que te fizeram sofrer, talvez eu seja até pior! Não se apaixone por mim, você não precisa se decepcionar para aprender, eu estou avisando.

Franciane Costa

Oito Anos

"A escola,
a igreja,
a casa do padre no jardim
e o menino bonito
sorrindo pra mim...
Cancela fechada,
trem passando,
vagões bêbados,
cambaleando sobre trilhos,
embalados em música
jamais esquecidas...
Na sala
Judite, Ilvia, meu irmão,
eu, o piano
e a professora...
No fim da rua
o rio,
rolando com a força das patas
de um animal selvagem...
Na volúpia das águas turbulentas
cantando loucos movimentos
jamais sentidos..."

Élide Baccelli Bianco

A sociedade que é mediócre a ponto de,
achar que menino e menina juntos,
não podem ser amigos,
não tem cultura do saber.

MyllenaAlencar

Tinha um menino no meu quintal desenterrando livros. Eu não sabia que tinham livros enterrados na terra lá de casa. E ele me ensinou.

​Perguntei qual livro ele queria encontrar. E ele disse: aquele em branco que cada um tem pra gente desenhar. Aquele cheio de páginas e de histórias ainda não contadas pra gente acreditar.

Pensei que o menino fosse um pouco cheio de sonhos. Pensei que os sonhos dele só faziam sentido no quintal pequeno das casas escuras. Mas aí lembrei que eu era um menino uma vez e tinha um quintal lá no fundo.

E eu desenhava nas terras quando chovia. E desenhava no muro quando fazia sol. Foi talvez por isso que eu tenha virado sozinho. E homem que acredita nos meninos arqueólogos de livros. E homem que desenha histórias que cheiram barro úmido de chuva de dentro.

Mel Fronckowiak

Se Nelson Rodrigues sentia-se como o menino
que via o amor pelo buraco da fechadura
Eu me sinto como aquela dona de casa
que lava a gola da camisa do marido manchada de batom
enquanto o verdureiro traz banana pra ela fazer doce
O amor ainda me fascina feito garoto safado
que esconde suas revistinhas embaixo da última gaveta

Josane Hodniki

Dois Bebês estavam sentados em seus berços, quando um deles disse ao outro:

“Você é menino ou menina?”

“Eu não sei” disse o outro Bebê, gesticulando com seus bracinhos.

“Eu não sei qual é a diferença.”

“Ah, mas eu sei”, disse o primeiro Bebê, animado.

Ele cuidadosamente se aproximou do bercinho do outro Bebê, levantou o cobertor e entrou debaixo dele… Depois de um minuto, ele reapareceu com um sorrisão no rosto.

“Você é uma menina, e eu sou um menino,” ele disse orgulhosamente.

”Oh, você é tão inteligente!” suspirou a Bebê,”mas como você sabe disso?”

“Ah, isso é moleza!!!” disse o Bebê.” Você tem sapatinhs rosa, e eu tenho sapatinhos azuis!”

Autor desconhecido

Por que choras, menino?

Por quê? Menino crescido
Menino criança
Na dor a lembrança
Do amor esquecido

Por quê? Menino talento
Nas ondas do vento a vida em risco
Riscos? Não! Um rosto, uma lágrima...
O grito! ...de apelo

Menino crescido não chores
A vida ...a morte em folhas caídas
Pois as marcas da dor
São também algemas rompidas

Maria Aparecida Giacomini Dóro

O Menino Que Carregava Água Na Peneira

Tenho um livro sobre águas e meninos.
Gostei mais de um menino
que carregava água na peneira.

A mãe disse que carregar água na peneira
era o mesmo que roubar um vento e sair
correndo com ele para mostrar aos irmãos.

A mãe disse que era o mesmo que
catar espinhos na água
O mesmo que criar peixes no bolso.

O menino era ligado em despropósitos.
Quis montar os alicerces de uma casa sobre orvalhos.
A mãe reparou que o menino
gostava mais do vazio
do que do cheio.
Falava que os vazios são maiores
e até infinitos.

Com o tempo aquele menino
que era cismado e esquisito
porque gostava de carregar água na peneira

Com o tempo descobriu que escrever seria
o mesmo que carregar água na peneira.

No escrever o menino viu
que era capaz de ser
noviça, monge ou mendigo
ao mesmo tempo.

O menino aprendeu a usar as palavras.
Viu que podia fazer peraltagens com as palavras.
E começou a fazer peraltagens.

Foi capaz de interromper o vôo de um pássaro
botando ponto final na frase.

Foi capaz de modificar a tarde botando uma chuva nela.

O menino fazia prodígios.
Até fez uma pedra dar flor!
A mãe reparava o menino com ternura.

A mãe falou:
Meu filho você vai ser poeta.
Você vai carregar água na peneira a vida toda.

Você vai encher os
vazios com as suas
peraltagens
e algumas pessoas
vão te amar por seus
despropósitos.

Manoel de Barros

O poderoso saber

Uma vez um menino que sabia de tudo encontrou um menino que não sabia de nada.
O que sabia tudo começou a falar de todas as maravilhas do mundo: de como era a ciência mais complexa, de todos os cálculos incalculáveis, de todos os seres existentes desde os visíveis até os não visíveis, porém com tanta precisão, esqueceu de sonhar; se perdendo em sua magnitude forjada. O menino que não sabia nada o olhava com ar de curiosidade, como se aquele menino fosse um novo Deus. Como saber tudo de tudo? Ir além do impossível? O que eles não sabiam é que as coisas mais importantes não são explicáveis, as palavras não são o bastante para entendê-las. Não importa quão conhecimento alguém tenha, ele sempre será limitado por nós mesmo. Afinal o verdadeiro conhecimento é a sabedoria e não o poder. Portanto não existem fronteiras entre pessoas, somos sempre insignificantes perante a vida, a mercê de um futuro que se torna real a cada instante.

Maria Berry

Uma força

A força do sonho menino.
É suor que aflora no seio da família.
Nasce também, na escola e na briga do jogo de bola.
A inspiração do Criador forjando seu espírito,
Despertando-lhe uma LUZ que lhe impulsiona a alma.
- Dirigi seus passos, meu Senhor!
Grita a mãe em oração...
E ELE revela as ferramentas certas à medida que a jornada avança.
As mãos,
Vão ganhando destreza e habilidade.
Os braços,
Finos, já mostram alguma musculosidade.
As pernas e o tronco,
Transformaram o menino de cabelo castanho,
Criando com o tempo, o primeiro fio branco.
A certeza do sonho, do ontem menino, empurra-o à frente,
Mostrando que as marcas da mão
Vão também no coração.
Os olhos,
Revelaram-lhe cores e dores de uma longa caminhada,
Do qual o menino de ontem e o homem de hoje,
Construíram juntos de um sonho,
A própria realidade.

Carlos Vitor dos Santos Mailart.'.

Richard era um menino indeciso, confuso, vivia se perguntando se o que fazia era certo ou errado. Havia momentos em sua vida que lhe eram horríveis, procurava as soluções das coisas, mas infelizmente não as encontrava. Vivia se perguntando qual eram suas razões de viver. Às vezes parecia-lhe que já estava morto. Amava dolorosamente, um amor que não voltava para si. Aquilo lhe doía, e doía muito. Durante algum tempo esperou, esperou por alguém que lhe amasse, mas esse alguém não chegava. Estava ficando cansado, estava quase desistindo de um mundo onde o dinheiro e a beleza eram o topo da hierarquia. Sua a fé em Deus era o que lhe mantinha vivo.
Meu Deus me tira desta solidão insuportável! – dizia. Sua esperança acabou, sua fé se esgotou. “Perdoa-me meu Deus por estar desistindo desta vida que me dera com tanto carinho”.........
No dia vinte e sete de junho do ano de dois mil e três fora encontrado o corpo de Richard Oliveira junto a um cartão que continha a seguinte frase:

“A voz do silêncio, aqui debaixo desta terra, onde os vermes saciam a fome com este corpo que fora rejeitado enquanto vivo, está sendo bem menos dolorosa do que minha espera por aquele alguém que nunca chegara até mim”.

Lucasoliver