Poema de Outono

Cerca de 421 poema de Outono

Estarei presente em toda primavera, verão, outono e inverno, fui moldado para ser eterno.

Apocalipse 16

Nessa noite clara de outono, pouco tempo depois da meia-noite, Noah sentiu por dentro um turbilhão e foi tomado de desejo e saudade.

Nicholas Sparks

E como no outono as folhas caem para se renovarem com as estações seguintes. Aqui estou eu, sem medos, só permitindo minhas folhas se libertarem para as próximas estações que vivenciarei.

Maya Bragança

Nada acontece por acaso, tudo tem um porque. Ou você acha que as folhas do outono caem porque querem ?

Deborah Evelyn

O outono escorregadio nos olhos de quem espera flores. Inverno quase quente. As folhas se soltam como numa leve partida. E se desprendem. Feito pensamento. Feito alegria oca. E explodem depois da frieza de Agosto. Na delicadeza chamada primavera

Ju Fuzetto

Sou uma árvore no outono, me sinto cada vez mais despido de uma imagem que com certeza não era minha, agora me sinto mais limpo e real... na próxima estação continuarei assim...

Zade Bretas

"Adão sempre aguardava ansiosamente pelo outono, a época em que as folhas caem"

Divino

Voam folhas de Outono nas frestas da chuva que lava os rios e deles nos faz ouvir um cântico novo...

Ana Coelho

Primavera,verão,outono,inverno...
Bom é ter alguém ao lado
Para colher as flores
Tomar banho de sol,
Olhar as folhas caídas no chão
E abraçar .
Aquecer o coração.

Vanessa Cony

Amor tem as formas de um outono,
tristeza tem aroma de janeiro,
saudade tem as cores de uma praça
e alegria tem gosto de brigadeiro.

A paixão é de todas as cores,
desilusão é preta e branca.
Inverno tem cheiro de abraço
e é docinho o sabor da esperança.

Karla Thayse

Não me abandone no fim do verão
pois o outono chegará como uma facada
o frio mostrará que estou só na estrada
e vou ter de continuar em meio a solidão.

TabuH

Ninho

Dentro do meu coração
existe uma cabana
Tecida com folhas de outono
Cheio de amor e carinho
Ao chegar não traga bagagem alguma
Entre soltando as amarras da prisão
Pousará em terra de sonhos
Em minha alma livre, fará morada
Ali é meu mundo, nele habito
É o além que posso tocar
Porque no mundo onde vivo
Não se dorme para descansar,
Dorme-se para sonhar.

Maria Vita Preira

Outono me faz lembrar que
mudo as minhas folhas, mas nunca
as minhas raízes.
Que passo por estações,
mas deixo as minhas sementes.
Que o vento que me balança
também espalha o meu perfume.

Joelma Rocha

Primavera

É outono quando acordo,
primavera vem.
Jurei, prometi não voltar.
Conhecendo os teus espinhos
no calor do teu abraço,
até o inverno acabar.
na tentativa de apresentar
meu céu, meu mar.
Tantos olhos verão
os fatos da vida
brincam num vem e vão.

Robson Viana

Folhas de Outono

Cada folha que cai na minha vida
É como se meu coração murchasse
Vivo cada minuto de forma sentida
Como se a vida jamais acabasse.

Olho à minha volta, e tudo o que vejo
Dá-me vontade de amar mais ainda
A todas as pessoas dar um terno beijo
Fazer do mundo, coisa rara e linda.

Viver o amor tão intensamente
Sentir-me feliz ao dar felicidade
Amar, amar tão perdidamente
Sonhando acordada com esta verdade.

Verdade que eu sonho, viver ao teu lado
Num futuro risonho e primaveril
Apesar do tempo que em mim é passado
Sonho e sonharei, primaveras mil.

Autoria:Arlet

Arlet

O OUTONO E NÓS, SERES OUTONAIS

Foi-se embora o espalhafatoso verão!

De dentro do eterno ciclo da natureza retornou o outono, sereno e calmo!

“La belle season” é como batizaram os franceses esta estação que nos descortina as renovadas-vestes-da-divindade presentes na natureza.

Outono é uma parábola de nós mesmos, seres outonais! Suas manhãs são mais poéticas e os seus crepúsculos são mais filosóficos. Aquelas são belas em sua melancolia. Estes são melancólicos em sua beleza. Assim, somos todos nós.

Creio que é no outono que entendemos melhor o ensinamento de Oscar Wilde: “ser como crianças, para não esquecermos o valor do vento no rosto e ser como velhos para que nunca tenhamos pressa".

Isso é sabedoria. E se nos tornarmos mais sábios, já não precisaremos mais ter medo de envelhecer. Afinal, a vida também é um eterno renascer.

Coisa que só o outono ensina. O resto são folhas mortas.

Carlos Alberto Rodrigues Alves

Menina Morena

O outono passou e o inverno chegou
As folhas secaram e o vendo levou
O frio carece a pele serena
Da pequena menina morena

O sol radia em tempo gelado
A menina morena quer ser aquecida pelos teus braços.

O outono passou e o inverno chegou
As folhas secaram e o vento levou
Menina morena quer ser protegida
Protegida por um verdadeiro amor.

O amor não é passageiro
O amor é a esperança
Que brota no rosto de uma criança
Menina morena menina morena.

Elainy Brito Palma

Se por enquanto estou no céu outono inverno, pouco importa. Meu coração está sempre aberto à luz que pode chegar... por isso nunca deixo a esperança, por mais grilos que saltem aos olhos.
Estou à espera do amor para ser estação definitiva dos meus passos. Muitos torcem para que minh´alma jamais receba esse dom... Para que a felicidade não seja definitiva nos domínios do que há de mais profundo e reservado em mim.
Serei feliz assim mesmo... Contra todas as previsões. Receberei essa graça numa hora inesperada. Quem olhar nos meus olhos verá flores... Os que duvidam de minha primavera... verão.

Demétrio Sena - Magé-RJ.

Passou o outono já, já torna o frio...
- Outono de seu riso magoado.
Álgido inverno! Oblíquo o sol, gelado...
- O sol, e as águas límpidas do rio.

Águas claras do rio! Águas do rio,
Fugindo sob o meu olhar cansado,
Para onde me levais meu vão cuidado?
Aonde vais, meu coração vazio?

Ficai, cabelos dela, flutuando,
E, debaixo das águas fugidias,
Os seus olhos abertos e cismando...

Onde ides a correr, melancolias?
- E, refratadas, longamente ondeando,
As suas mãos translúcidas e frias...

Camilo Pessanha

OUTONO... Como avivar tuas marcas impressas em cada página que escrevo? Em cada crepúsculo que desenha o teu, o meu adormecer?
Aqui o velho piano já não quebra mais o silêncio das horas, nem a tosca lareira abriga chamas de outrora... Restam-me apenas alguns poucos momentos congelados na memória - quadros mudos que não fazem história - e as cinzas...
Ali calçada molhada, transeuntes sem manto, folhas ao vento, natureza em pranto... Até quando? Não sei...
Tristeza? Não! Melancolia, talvez...
É... Mais um ciclo se fecha, adormecem as sementes de um novo amanhã...
Maria Aparecida Giacomini Dóro

Maria Aparecida Giacomini Dóro