Poema Concreto a Chuva e o Vento

Cerca de 6378 poema Concreto a Chuva e o Vento

O mar diz que ama o sol....
O sol nasce e diz que ama o vento
O vento diz que ama a chuva
A chuva que eu tanto amo
Esconde as nossas lágrimas de amor
De saudade e de dor..
Deixando o aroma suave da natureza
Terra molhada e seca onde andam os nossos pés
Por caminhos, trilhos,
ruas estreitas da nossa dor e amor.!!

MariaIsabelMoraisRF

Se quiseres encontrar-me ...
e não souberes...
procura-me na chuva....no vento
que acaricia-te e beija-te na face.!

MariaIsabelMoraisRF

Como eu tive medo de me apaixonar. E o seu amor foi assim: Como o tempo, que usa a chuva e o vento pra moldar rochas, tecendo novas paisagens.

Hoje tudo que eu tenho é frio, e essa madrugada de solstício que se perdura por mil anos (...)

- Apenas Sendo

Apenas Sendo

A seca.

A seca trás sofrimento
a chuva nem piedade
o verde se foi no vento
e o gado deixou saudade
aqui se falta alimento
mas sobra dignidade

Guibson Medeiros

Palavras ditas, não ditas, escritas
nos dias silenciosos, à chuva ao vento
onde partimos as correntes de ninguém
alguém perdido, esquecido no tempo.!!

IsabelMoraisRibeiro

Danço com o rio, com o mar, com as estrelas com o luar
danço com a chuva, com o vento... em pensamento.
Danço sorrindo, chorando, lembrando
danço com a saudade, com a tristeza, com alegria.
Danço vivendo, revivendo, me inventando, me recriando
danço me procurando, me descobrindo, me encontrando.
Danço com o sofrimento, com a felicidade, com a maldade,
danço com os amores vividos não vividos, pensados.
Danço com os sonhos, com o real, com a fantasia.
Danço com a noite, danço com o dia,
danço com o desejo, com as ilusões, na monotonia.
Danço com o verde, com o mato, com as flores,
danço com os com os desafetos, com os desamores
danço com a tarde, com madrugadas frias.
Danço com verdades, com brincadeiras,
danço com a escada, com a ladeira.
Danço com a procura, com a entrega,
danço com sua voz, com seu olhar, seu cantar
danço com a vontade de amar, de me dar.
Danço...toque !

Leônia Teixeira

Queria voar
Nas asas do vento
Sentir na pele
As lágrimas da chuva
Queria ver-me
No espelho do lago
Sentir a brisa
Nas árvores do campo
Afago a dor
No perfume das flores
Tiro a solidão
No céu estrelado
Tu és o meu arco-íris
E eu as suas cores.!

isabelRibeiroFonseca

No silêncio da noite vazia,
É donde vem a inspiração.
Ouço apenas os sons do vento,
Da chuva que bate na janela
Hoje vivo no silêncio das fragas
Gastadas por lágrimas de dor
Invadidas pelo musgo do tempo
Nas lembranças que insistem em ficar
No silêncio da noite vazia,
Ouço apenas os sons do vento.!

isabelRibeiroFonseca

Domingo cinzento
Dia nublado
Tarde de chuva
Pela janela passa o vento
E a melancolia mora ao lado

Marcus Patrick Pens

Título:
Amar é ....

Amar é enfrentar o mundo... as distâncias ...a chuva..o vento, o sol... as tempestades.

Amar é ...enfrentar as diferenças...as tradições ..as religiões...as discriminações....para estar e ficar ao lado de quem nos ama e a quem amamos tambem!!
Amar é.....simplesmente amar e ser feliz !
è isso ...simples e real, basta querer , lutar e amar !
Autor:
Gilberto Braga

Gilberto Braga, cerimonialista, celebrante de caasamentos,locutor..

A chuva pode ser calma
Assim como o vento é intenso
O mar pode ser profundo
Assim como deserto é imenso
O horizonte pode ser distante
Assim como o céu é infinito
Mas no coração de quem sonha
Só uma existência não é o bastante
Eu quero viver muito mais que uma vida
Nessa mesma vida

Marcus Patrick Pens

A lua brilhar
O vento refresca
As estrelas confessão que você é perfeita
O barulho da chuva entre raios e trovões,servem para trazer inspirações

A os galhos secos que caí das árvores
Das manhãs frias,das tardes quentes,
das noites belas...
me fazem lembrar você!
Um carinho a tantos sorrisos,
a tantos beijos e abraços apertados

Entre o sol e a terra
Entre a lua e o mar
me fazem sonhar..

Yohan Nambar

Poeta não é só aquele que escreve poesia
Poeta faz da chuva, do vento
Da tristeza da alegria
Da noite e do dia
Uma eterna poesia

Marcus Patrick Pens

Ao lado do vento caminha a chuva
Dois amigos passeando pela rua
Naquela tarde de inverno
Nesse dia cinzento
Passeia a chuva e o vento

Marcus Patrick Pens

Ele passou a tarde lendo 'A Sombra do Vento'
E na rua chovia com gosto,
gosto de chuva e cheiro de terra molhada
Ao lado um copo de café, seu camarada
Ele passou a tarde lendo um bom livro
Quem diria...
Seu melhor amigo!

Marcus Patrick Pens

Chuva fina que cai, vento frio que vem...
Mas eu estou tão inteira
em minha total alegria
que o cenário que pinto
é de um poema ao sol

Sou eu sorrindo pra vida,
a vida sorrindo pra mim
É minha alma em festa,
que contempla e contempla
a sinfonia vagueante
_ de chuva mais frio _
trepidante e barulhenta,
mas chã, deixando a todo vapor
minha vida alagada
de esperanças e de amanhãs.

Rosemary Chaia

Que o nosso lar seja um ninho de amor..
de respeito e confiança.!
A chuva e o vento sejam a nossa esperança...
O cheiro do perfume das flores seja o nosso viver.!
Os grãos de areia sejam como os passos da nossa vida.!
Que nunca tenhamos medo de voar bem alto.!
Que as gotas do orvalho sejam a nossa brisa ao amanhecer.!
O nosso amor seja o canto da nossa canção.....
ao ouvir as ondas do mar.!
Os filhos são como as flores na nossa vida.....
eles são a benção de Deus!!

isabelRibeiroFonseca

Ainda espero pela chuva...
Ainda espero pela chuva caindo no telhado enquanto eu durmo, pelo vento frio que entra pela janela me forçando a tirar do armário o meu velho cobertor e pela ilusória sensação de estar sendo abraçado enquanto tento me aquecer de alguma forma.
Ainda espero pelas unhas vermelhas suavemente deslizando pelas minhas costas enquanto permaneço de olhos fechados viajando em meus distantes devaneios sem rumo nenhum.
Espero ainda por um olhar misterioso , um olhar capaz de anular todos os meus pensamentos e movimentos capaz de transformar segundos em horas e transformar o tempo em um mero estudo cientifico ainda sem conclusão...
Espero ainda pela melodia perfeita, inspirada pelo mais lindo sorriso,capaz de me fazer sorrir junto mesmo nos dias mais estressantes, um sorriso capaz de transformar o meu dia em algo positivamente inesperado...
Ainda espero pelos beijos capazes de alterar a minha respiração, beijos capazes de fazer a minha unica vontade ser a de continuar sentido-os pelo tempo que for necessário e sendo assim beijos capazes de me fazer escapar da realidade nem que seja por alguns minutos. Esquecer de tudo e de todos...
Ainda espero pelo abraço mais sincero e acolhedor que ja recebi. Um abraço que faça desaparecer todos os problemas e preocupações existentes ali no exato momento em que ele acontecer.
Espero ainda pelos olhos mais brilhantes que eu ja vi, pelos olhos capazes de refletir toda uma vida em seu brilho, olhos com a vontade de conhecer o mundo, sem medo de nada, olhos que abrigam mistérios que despertem a minha curiosidade de ve-los o mais perto possível...
Ainda espero pelo mais marcante dos perfumes, pela essência que me faça lembrar .através dela, de todos os instantes em que eu a senti...
Por fim, ainda espero pelo dia em que acordarei de um sonho em minha cama onde o vento frio e a chuva no telhado sejam juntamente com a luz da lua, ao menos uma noite ,parte do cenário ao lado dela...

Paul Gambler

Hoje eu acordei assim no meio da chuva no meio do frio no meio
Do vento
Deixei minha cama vazia para encarar São Paulo
Passei minha manha sem escuta um canto de um pássaro
Não vir o brilho do sol não senti o aroma da mata
Não vi o desabrochar das flores
Não ouvir o lati dos cachorros
Não ouvir as crianças a brincar

Anoiteceu a lua desceu, mas ela não apareceu por quê?
No meio da chuva são Paulo não deixa a lua dançar
O sol cantar os pássaros assobiar
Os cachorros passear
As crianças brincar
Isso é vida sem luar?

Na minha terra do lado de lá
Os pássaros cantam
O sol se levanta
A lua convida os amigos na praça a senta-se a ela admirar
Os casais a namorar
A serenata tocar

Vou dormi
Quem sabe amanha vou sorrir?
Quem sabe amanha o sol vai brilhar?
Quem sabe os pássaros vão cantar?
Quem sabe as flores vão se abrir?
Quem sabe pela noite a lua me convida
Com ela a senta-me?
Com ela conversar?

Quem sabe?

Tinho

"E bem que viu o bem-te-vi
A sabiá sabia já
A lua só olhou pro sol
A chuva abençoou
O vento diz "ele é feliz"
A águia quis saber
Por que, por que, por qual será..."

Natércia Rocha