Peguei

Cerca de 353 frases e pensamentos: Peguei

Quem sou eu? Hoje me peguei a procura de frases que me definissem, mas definições só existem para quem se limita. Definição nos torna estáticos, nos param no tempo e espaço e nos restringem a sentimentos que não queremos ter (ou ser) para sempre. Por isso prefiro à dinâmica, de poder ter (ou ser) sentimentos e emoções que eu bem entender, sem precisar me justificar para ninguém. Prefiro a liberdade de poder me reinventar para o mundo e perceber que, mesmo que ele gire depressa, não conseguirá me acompanhar, pois sou turbilhão, sou como água corrente que passa depressa e não se deixa arrastar. Sou a vontade de mudar a cada dia, e de arrastar (e não ser arrastado) pela vida e pelo que ela impõe. Não me permito este tipo de emoção, e não serei passiva e me deixarei dominar. Serei ativa e reativa a tudo que me toca, a tudo que me afeta (para o bem e para o mal). E se não valer à pena, serei indiferente a tudo que não mereça à minha reação. Posso não ser a melhor companhia, mas sempre serei o melhor que posso oferecer. Posso não ser exemplo, mas sempre serei crescimento e evolução. Posso não ser o que você deseja e espera, mas com certeza sou muito mais do que você seja capaz de imaginar (ou alcançar).

Priscila Saraiva Déde Freire

De repente me peguei brigando comigo mesma:
O que foi isso garota ? Que mania de se apaixonar de repente é essa ?
Para de chorar, levanta essa cabeça, põe um vestido curto, um óculos escuro enorme e um salto maior ainda, e sai pelo mundo. Vai provar novos gostos, novas cores e vai procurar novos amores. Garota tu és linda. VAI VIVER !
E eu retrucava: Por Que o sorriso dele é tão lindo?

Camila Pereira

Hoje fui parar no hospital. Nossa, por quê? Peguei o onibus errado!

Abeçair

Foi no teu abraço que o meu coração se distraiu, e foi então que me peguei pensando em você ...

Camila Marinho

Sabe, a minha esperança foi esfaqueada, estrupada, assassinada e depois cremada... E eu peguei as cinzas dela, coloquei num potinho, e disse: VOCE AINDA EXISTE.

Bárbara Adriélle

Desisto. Peguei todo amor, guardei em um saquinho, depois na caixinha, coloquei no baú, tranquei e joguei a chave no poço sem fundo. Agora vou guardar o baú no coração para ele ficar maleável e vou viver intensamente com meus EXS. Eita coisa boa! Acho que vai me render alguns degraus nessa vida. Passos a frente.

Lêu Shaeéra

Peguei você pelo braço e te fiz dono dos meus medos, planos e sonhos. Peguei você pelo braço e pedi que nunca mais me abandone. Peguei você pelo braço e implorei que me fizesse feliz. Você sempre foi o dono dos meus medos e dos meus segredos mais obscuros. Te fiz dono dos meus sonhos impossíveis e do meu sorriso fechado. Te fiz criador das poesias, dos contos e algumas prosas. Te fiz encantador de todas as meninas que puderam saber de verdade quem realmente você era. Te criei para o mundo e para ser aquilo que gostaria.

Layla Péres

Olhei pro céu,caiu uma estrela e,rapidamente a peguei pra dá pra você guardar sempre no seu coração.

Sandra Ramos

Peguei o celular pra te mandar uma mensagem. Escrevi. Não mandei. Me magoei (..)

Larissa-Marques01

Me deitei, peguei lápis e um caderno e comecei a escrever. Lendo aqueles versos, achei que não faziam sentido. Apaguei. Resolvi escutar uma música, evitar pensar, sei lá. Por um momento olhei para o teto e sem nada entender comecei a chorar. É que toda vez que a gente conversa, isso acontece. Até quando vai esse capítulo? Quero esquecer, finalizar essa história. Penso em te evitar, mas pra que? De nada vai adiantar. Sua imagem reflete no meu pensamento, quando isso acontece me torno mais triste, faço da minha alma mais frágil, dos meus pensamentos o além (..) Já não quero mais viver com um sorriso falso durante o dia, e durante a noite, me afogar no meu próprio choro. Digo a um amigo que preciso de uma conversa, conto muito superficialmente o que está acontecendo, mas parace que não me entende, não me houve. A minha volta tudo escuro, tudo sombrio, vejo apenas nuvens negras, tempestades intensas. Estou caindo. E me pergunto: " quem me dará um abraço apertado? Quem segurará minha mão ? "
# texto escrito no dia 21-12-2012 as 1:02 da madrugada

Larissa-Marques01

O MÁGICO
Sidney Santos

Dei nó em pingo d’água
Peguei o vento na mão
Diminuí a língua de sogra
Fiz bolhas de pedra sabão

A ilha mudei pra lago
Do círculo fiz dois quadrados
Depois de todo esse estrago
Um cubo com cinco lados

Em toda essa ousadia
Não encontrei valor
Minha maior magia
Foi ganhar seu amor

Santos, ago 2008

Sidney Poeta Dos Sonhos

Joguei suas coisas fora, tudo que escrevi por você.
Peguei meu rumo "embora", Para tentar esquecer dos dias difíceis e noites que não dormi, Lembranças que fizeram
minha alma se ferir ...

Dailton Albuquerque

Jardim

Hoje eu acordei com saudade da minha infância
Peguei uma foto no álbum e sair
Sentei no banco da pracinha
Pra observar as crianças brincarrem
Que ali havia
Prestei atenção no canto dos pássaros
Novamente,
Veio em minha mente:
-ta aí o que me faz ter esperanças.
Do meu olhar tristonho, a lágrima veio à cair.
Aquela cena, o belo jardim,
Cheios de flores, folhas, borboletas e jasmim.
E voltei...
Queixo-me
Por que essa dor dentro de mim?

Rodriggo Souza

Você foi planejado, desejado. Amado desde o momento em que peguei aquele teste de farmácia e vi uma listrinha rosa aparecendo. Um rosa tão fraquinho que me deixou com dúvida e me fez pensar: 'Será que eu tô grávida mesmo, gente?'.

Pois é, mas eu estava grávida MESMO. E de alguém que não seria nada sutil como aquela listrinha rosa. A tua chegada já foi diferente. Ficamos assustados, você não respirou direito, mal te vi. Tudo o que aprendemos com teu irmão não serviu pra você. E com o passar dos meses, por mais que estivéssemos te cercando de amor e de cuidados, sentíamos que havia algo 'errado'. Suspeitas de problemas neurológicos, medo, insegurança, exames, esperas, atrasos... e o pior de tudo: a culpa por te rotular, te achar diferente...ou sendo mais sincera...fora do normal.

Sabe de uma coisa, filho? Anormais somos nós. Que não cumprimentamos as pessoas, não dizemos com um sorriso no rosto um 'Oi, tudo bem?' para estranhos na rua. Que desperdiçamos nosso tempo com bobagens ao invés de gastá-lo em abraços. Anormais somos nós que não dançamos todas as manhãs e não fazemos festa quando a chuva cai. Anormais somos nós que não vemos graça em guarda-chuva e que não gastamos horas dando risadas dos nossos próprios tombos em uma cama elástica.

Anormais somos nós.
Obrigada por me mostrar isso todos os dias, meu piolho =)

Tainah Ferreira

Hoje me peguei distraído pensando na minha infância, e cheguei a uma conclusão de que os anos 90 talvez tenham sido a ultima das décadas em que uma criança de fato era uma criança. Onde assistíamos desenhos de criança, brincávamos com brinquedos de criança e também brincadeiras de criança, afinal celulares eram coisas de adultos, assim como os computadores, tablets? Nem se quer imaginávamos com isso, as roupas eram de criança, já hoje as roupas são as mesmas dos adultos apenas menores. O mundo evoluiu pena que a infância também evoluiu junto com o mundo.
Será que um dia as crianças voltarão a serem crianças?

Romulo Santos

Peguei um pedaço de papel, comecei a rabiscar, a escrever sem rumo, ía escrevendo enquanto meus olhos deixavam cair gotas da saudade. Ía escrevendo sem perceber, e em cada pedaço havia muita tristeza, dor, angustia tentando ser decifrada através daqueles rabiscos. Quando terminei, percebi que em cada palavra encontrava um pocuo de você, que em cada parágrafo colocava aquelas palavras que um dia seu coração mostrou pra mim.

Letícia Silva

E pelas estradas da vida...
Aprendi a me perder
E me perdendo me encontrei
Peguei a estrada errada...errada?
Digo a certa
E "sem querer querendo"
me encontrei me perdendo...

Marcella Macedo

último romance

Peguei aquelas mensagens e fui relendo aguando a saudade confusa que eu sinto quase sempre ou de vez em nunca. A gente tem que entender onde começa e onde termina tudo. E eu que não entendia, reparei. Naquele meio beijo, naquela meia verdade, naquele meio cheiro, naquela meia dor. Nada de meio, nem meio final. E tudo é, e tudo não é. Nunca fui aquele tipo que acerta o tiro, tenho um olhar vesgo, mas sei o que eu quero, disso eu sempre soube. E eu quis a ponto de não querer outra coisa. Quis muito ir fundo, ir onde ninguém foi. Mas minha engrenagem não funcionou. A gente não desiste, a gente só abre mão. Uma hora a coisa toda cansa de sofrer, cansa de doer, e a gente quer a calma da cura. Isso existe sim, eu li nos livros. Minha Vó sempre me disse para acreditar nos livros. A gente também não escolhe quem amar ora. A vida tem um jeito doido e minucioso de nos mostrar as coisas. Que quem perde tempo tentando entender, perde na verdade, o tempo de viver. E se eu pequei na vontade de ter um amor de verdade, agora me vejo pegando o barco e remando para um outro mar, meu bem. E a gente não sabe onde vai parar. Nunca sabemos. E explicar já não faz sentido, ao certo, uma vez. Chorei. Esmaguei aquela parte que despertou umas cinco vezes enquanto meu corpo agonizava por falta do que nunca foi. Por saudade de um beijo que eu nem se quer provei. Tudo e nada se misturavam enquanto eu via a porta sendo aberta e fechada na minha frente. Então é isso. Deixo ir. Não há forma mais sincera de guardar alguém dentro de si, do que deixa-la ir. Deixo sem culpa, sem rancor, sem ódio, só um pouco da óbvia dor que eu sempre soube que sentiria. Natural. Eu que não sei deixar ninguém sair da minha zona de proteção, estou deixando. Sem despedidas. Já que deixar ir é apenas uma metáfora para aquilo que não podemos mais tocar. E eu sou horrível em metáforas. Mas aprendi. Como tantas outras coisas que aprendi com você, moreno. Bonitas, grandes e puras. E ainda aprendo. Não acabou por aqui, só estamos abrindo outra porta e o que está por trás desta, espero que seja o melhor para nós.

Chaiene Nascimento

Mais uma vez, peguei meus papéis, caneta, e cá estou, tentando expressar com palavras o que não sai da minha mente. Não entendo o por quê de tanta dificuldade, conheço quatro simples letrinhas capazes de descrever por completo tudo o que penso, "você".

Larissa Broggio