Pedras

Cerca de 1278 frases e pensamentos: Pedras

Pense nisso !!!


Com as pedras que te jogarem,
construas uma fortaleza
que te faça cada vez maior,
mais sábio e imbatível...
Mas lembre-se:
não devolvas as pedras
para que o oponente
também não se beneficie...
Aprenda a calar
para que o outro sinta-se vencedor.
Mais tarde, quando tudo passar,
serás tu que o aconselhará
com humildade e grandeza...

Pense nisso !!!

Angela Lara

O pedreiro quebra pedras
O medico medica
O ator atua... ;)

andyh ..

Obrigado Por Akeles Que Me Jogaram Pedras....
Pois Foi Com Elas Que Construi O Meu Castelo....

lucas

" Uma casa é feita de pedras e madeiras... e um lar... de Amor, carinho, cuidado, respeito, lealdade, bondade, ajuda mútua, apoio, atenção, boa vontade, prazer e alegria, coraçao aberto e muita entrega."

Belkis Braz

Por que é que os planetas não tem outra forma que não a redonda, seria o mesmo caso das pedras do fundo dos rios?

Janicelio

Se você precisa de ouro e a vida hoje só te oferece pedras, agradeça e aproveite, pois nunca se sabe, amanhã essas mesmas pedras te ajudarão a trilhar um caminho desconhecido, no qual você encontre o que precisava.

Danielle Duarte

se jogarem pedras em seu caminho,e VC a encontra-las! junte-as mais não para mostrar seus erros. mais sim para levantar o seu castelo.

rhds

É fácil seguir o seu caminho, vá juntando todas as pedras que encontrar no seu caminho.

Adelmar marques marinho

Ele não te ama e fala que você é uma pedra no caminho... eu
atravessaria o caminho das pedras, para falar que te amo.

Guibson Medeiros

Não foram as pedras que me derrubaram em meu caminho, foram minhas lagrimas de tristeza que tornaram o chão escorregadio...

Jefferson Borges

O menino na janela ,
Atirava pedras.
O poeta na rua
Tirava das pedras , poesia.

Bruno Belini

Se você esta no deserto,se a sua vida esta cheia de pedras pelo caminho.
FLORESÇA!
Não permita que as dificuldades matem as suas sementes.

Helenice Augusta da Cunha

In media res


No meio das coisas, as coisas do meio:
As pedras, o caminho, o vento...
O vazio que preenche e desconforma
A não-forma conformada em toda sua eloquência
O movimento dos passos, descompassados
O eco ressonante das coisas ao caírem
A simplificação que reduz, o reducionismo
As falas descabidas, fora de contexto
O pensamento divagante, distante de sua origem de nascença
No meio do caminho, o meio termo:
Entre equilíbrio e perfeição
Pretensão e receio
Entre ser o último ou ser o primeiro.
Em meio ao caos de hoje...
Toda abrangência de um abraço inesperado:
A recusa inicial
O olhar desconfiado
Depois o aceite...
E os braços desconhecidos são chamados ao abraço
que ao ser aceito, segue galgando espaço pelo corpo
envolvendo lentamente o pescoço
toma também o peito e o ombro para si
Num movimento ritmado, pomposo, quase cerimonial.
E de repente... No meio do abraço, um beijo!
Um sorriso, um até logo.

J.W.Papa

O [A]CÚMULO

Quebra-se entre as pedras, espumando pela areia
Este é o tipo de amor que vive em meu peito
Algo estranho demais para decifrar assim, usando meu pijama

Em dias como este sinto uma dor imensa envolver meu peito
Sinto seu perfume pelas avenidas e meu coração dispara
Olho para os lados e não há ninguém. Nem eu estou ali

Um passo de cada vez
Mãos caladas dentro dos bolsos
A solidão me acompanha
O coração engasgado com alguns dizeres
A mente fria congela meus sonhos
E tudo a minha volta para, de repente
Outra vez estou sozinho numa multidão

Uma xícara de café para aquecer o tempo nebuloso
Conformações que me afastam de mim
Entre o som da ópera ao fundo, ouço o barulho dos gelos num copo de uísque

Sobrevêm o sabor do fim numa angustiante sensação de morbidez
O silêncio falava sincero de coisas guardadas pelos anos
Hoje tão tolos veem qualquer coisa apenas para enxergar

Está tão difícil levantar com o peso dos anos
Aqui, parece que já não sinto
Talvez me acostumei com a dor
Caminho lento chutando os pensamentos
Curvado sobre devaneios que enchem meus olhos de lágrimas
Os mesmos que antes eram cheios de desejo

E tudo o que consigo fazer, é num fôlego só gritar dentro de mim...

Eu vou chorar, mas não vou suspirar
Eu vou tentar, mas jamais conseguir
Eu vou mentir, mas nunca me enganar
Eu vou sonhar, sorrir, cantar, calar
Mas sem você aqui, eu não vou existir

O que farei com mais esta noite?
Esta fuga que me persegue?
Eu tento…
Mas, é tão difícil quando não se sabe quem ser

Como não me perder neste rumo infindo e arenoso?
Parar essa angústia fugaz?
Eu tento…
Mas, nessa avenida, por essa avenida, não sei em qual direção meu lar está

Ouço minha voz susurrar e choro escondido num canto qualquer
O cheiro que as rosas exalam me lembram a morte, agora
Em cada detalhe dos lugares por onde passaríamos, vejo seu sorriso e nada mais

Seria um herói, se pelo menos fosse uma boa companhia nas tardes de domingo
Mas, a solidão, a solitude e o abismo foram sempre a razão do artista
Ou do aspirante à plenitude. São as palavras do poeta, as notas do compositor

Não posso ser todo errado, se sempre tento fazer o certo
Porque me sinto tão confuso, quando era para ser tão quieto?
O barulho das folhas é tudo que ouço
Só entendo aquilo que tive tempo de contestar
E dentre as poucas coisas que experimentei
Deflagro-me numa invenção dos teus olhos

Se soubesse o quanto orei, se soubesse tudo que fiz para não sucumbir
Pergunto porque não veio. Acaso não acreditara como sempre fiz
Tento asfixiar em omissão o que sinto e o tempo passa, apenas

Enquanto a chuva cai e molha meu jeans, essa nostalgia apetece os sentidos
Fadigada carne, pulsante e intransigente quanto a lucidez inconstante
Adormece por instantes como se transcendesse o existencial para existir

E tudo o que consigo fazer é tentar num fôlego gritar tudo de mim...

Eu vou mudar, mas você permanecerá latente
Eu vou sangrar, mas não vai adiantar, sobreviverei
Eu vou resistir, mas não sairá de mim
Eu vou negar, seguir, enlouquecer, acreditar
Mas, sem você, amor, eu não vou existir

Responda, o que eu farei assim, tão perdido?
Para onde poderia fugir e me encontrar?
Eu tento…
Tento ser diferente desse alguém que não pode se apaixonar

Diga, onde você está, porque não vem me resgatar deste alguém ilimitado?
Será que não sente também, que essa distância pode nos matar?
Eu tento…
Tento não desistir… Tento sorrir, quase sempre verdadeiro. Tento acreditar, ainda

Respiro e o oxigênio parece não me conceder fôlego
Estou confuso sobre amores para desamar
O que sei é pouco ante ao muito que cruelmente interrogo

Não quero provocar a razão, apenas temo ser ela a corrupção daquilo que é puro
Libidinosa, vaidosa, arbitrária: teima em querer aquilo que finge ansiar
Na verdade, deturpa a experiência de ser, ao prostituir o erro vicioso de viver

Levanto os olhos os céus e pingam estrelas refletidas neles
Elas insistem em iluminar minha peregrinação
Logo esse trecho acabará, e minha boca permanecerá cerrada
Em minha frente não há nada além de sombras
Esse quadro parece tão íntimo, agora
É o mesmo que sinto aqui, por não saber onde você está

Se para ressurgir das cinzas é preciso se consumir em fogo
Responda, para que serve a covardia em queimar-se? Queimo os medos, então

Gabriel Moreira de Santana

No meu caminho...
Existem pedras.
Têm obstáculos.
Ocorrem buracos.
Acontecem vácuos.

No meu caminho...
Existem feridas.
Têm desvios.
Ocorrem imprevistos.
Acontecem desvarios.

No meu caminho...
Existem dúvidas.
Têm questionamentos.
Ocorrem desânimos.
Acontecem tormentos.

No meu caminho...
Existem tristezas.
Têm solidões.
Ocorrem angústias.
Acontecem desilusões.

No meu caminho...
Existem espinhos,
mas são as rosas
que me cativam.

gilberto angelo begiato

Pessoas boas são como pedras preciosas!
é raro, mas de vez em quando aparecem
na nossa vida no meio de tantas outras durezas;
para provar que não existe somente corações
de pedra bruta!

Sueli E. Santo

Histórias se cruzam e transformam a vida da gente. As pedras rolam e se encontram. Quando é destino, acontece.

Rosicarmen Xavier

Depois que o vento trazer pedras
para enterrar as saudades tuas
e a chuva lavar o meu pensamento
e braquear o meu sentimento
mesmo a assim vou dizer AMO VOCE

Augusto Mendes

De repente a gente percebe que valeu a pena...
Apesar das pedras no caminho, das barreiras e da dor... Valeu a pena!
De repente a gente vê que evoluiu e isso por si só já é um bom final feliz.

Jandira Karine Diniz