Parabéns pelos 40 anos

Cerca de 545 frases e pensamentos: Parabéns pelos 40 anos

Nunca duvide: " Os que esperam no Senhor renovam suas forças " Is 40, 31
Deus sempre renova, nossa alma cansada, restaurando nossa capacidade de agir em situações mais diversas.
Saber apreciar os pequenos detalhes - É entrar em consonância com tudo aquilo que faz BEM.

Juliana Collato

Não tenho prática dos 40's (anos). Não tenho a menor experiência!Tudo o que vivi em nada se aplica... Vou ignorar!

Betty Rodriguez

Crise dos 20

Reflexão de hoje, 20 anos e sozinho. E de repente 40 e ainda sozinho e de repente mais 30 e você se da conta que venho ao mundo sozinho, passou pela vida fez algumas realizações e esta morrendo sozinho.

João Batista Barbosa Junior

O triste ¨¦ que, se temos uma religi0Š0o diferente, (ou nenhuma) op0Š40Š0o sexual, cor, etc.
as pessoas nos tratam como se fossemos menos dignos de amor e respeito.
As pessoas s0Š0o cru¨¦is, humilham os que s0Š0o diferentes deles.
Eu apoio a liberdade, o amor INCONDICIONAL.
Amar n0Š0o ¨¦ estabelecer regras/ padr0‹1es, ¨¦ sentir por todos o mesmo.
Quem ama n0Š0o tenta mudar, aceita e gosta do jeitinho que ¨¦.
Enquanto o preconceito for maior do que respeito pelo pr¨®ximo, vai existir pessoas sofrendo, se sentindo defeituosas, se destruindo aos poucos.
Religioso ou ateu, branco ou negro, hetero, gay ou bi, somos perfeitos justamente por ser o que somos: ¨²nicos!
N0Š0o tente mudar as pessoas, a ¨²nica mudan0Š4a necess¨¢ria ¨¦ em si mesmo.
Large preconceitos, sentimentos ruins, recicle id¨¦ias e fa0Š4a de tudo pra manter uma rela0Š40Š0o saud¨¢vel com as pessoas.
Dividimos um mesmo mundo e para que o convivio seja bom, voc¨º precisa ter consci¨ºncia de que ningu¨¦m ¨¦ ou pensa como voc¨º.

Aleff Lavoisier

Não cometa aos 40, ou aos 60, os mesmos erros que cometia aos 20 ou 30. Não combina mais.

Acácia Lima

A GRANDE VIAGEM

João, em torno de 40 anos de idade, vendedor de roupas, mascate, muito conhecido em toda região, viajava noite e dia. Nunca negou ajudar ninguém. Boa praça, fazia muita gente feliz. Certa vez, chegou a usar todo o seu dinheiro para ajudar uma criança que necessitava de uma cirurgia. Nunca pediu nada a ninguém. Dizia ele: “Quem ajuda outrem, não está vendendo nem comprando nada, está sim, ensinando o caminho do Bem, do Amor e da Caridade. É a famosa lei do retorno. Retorna pra gente tudo aquilo que damos com carinho e afeto. Se nossa vida for regada no jardim do amor, da fraternidade e da caridade, as flores serão belas e perfumadas”.
Certo dia, em suas andanças pelas estradas da vida, como o destino lhe reservava, no quilômetro 33, na rodovia das Acácias, estrada ruim, com buracos em toda parte, como na maioria das estradas de nosso País, seu cavalo, já meio cansado, sol a pino, uma árvore como brinde. Apeia, tira o arreio, desce a tralha, solta o freio do alazão, deixa-o se esbaldar das pastagens que ali o esperavam. No radinho de pilha tenta achar uma estação de rádio, local longe das cidades mais próximas, baixa altitude, uma luta cruel com os botões do besouro barulhento, parecia trovões de nimbos.
No silêncio de tudo, o radinho já esquecido ali num canto, abandonado. Recostado nas tralhas que carregava, tentava um cochilo, era grande o seu cansaço. O lugar era conhecido, sempre passou por ali. Quase um deserto, pequenos arbustos, alegres pássaros, grilos e mosquitos;
Acorda assustado, um barulho forte vem em sua direção, vem do outro lado da ponte: "deve ser um caminhão, uma carreta", pensava ele. Era de seu conhecimento a passagem de grandes veículos naquela estrada. Ficou em alerta, o barulho cada vez mais perto, ficou à espera do baita caminhão, carreta, ainda não sabia o que era;
Sobre a ponte ele avista a grande máquina, uma carreta de 32 rodas, linda e elegante. "Que beleza, um dia ainda vou ter uma dessas", comentava;
Num golpe de azar e tristeza, a beleza se transformava em horror. Sem explicação terrena, a carreta sem pestanejar, sai da pista, tomba, como espiga de milho debulhada sobre, o antes, alegre viajante. Tudo se espalha como se um tornado por ali passasse. As tralhas, seus produtos de venda, o cavalo, tudo, até hoje, ninguém sabe onde estão;
Dias depois, a notícia corre por toda a redondeza. Fazia sua praça em umas trinta cidades circunvizinhas;
Nos bares, nas lojas, nas escolas, nas empresas, em todos os lugares só se ouvia falar sobre aquele grave acidente. Um dizia: "lembra-se do João, aquele mascate engraçado? pois é, sofreu um grave acidente. Não sei como está, mas a notícia é que ele não escapa dessa.", outro exclamava: “Nossa! Que coisa mais triste! O Sr. João! O homem que encantava a todos com suas belas mensagens!” Outros diziam: "Coitado! Não merecia essa desgraça. Homem bom estava ali.", e, por toda parte só se ouvia o lamento, o choro e a oração pela saúde e vida daquele pobre homem. Missas, cultos. Todas as divindades foram chamadas na ajuda pela recuperação do querido homem;
Dias e dias se passaram, nada de boas notícias. Os médicos, especialmente Dr. Fernando, não mediam esforços na tentativa de cura, até mesmo de um milagre;
Seus clientes e amigos começaram uma vigília no Hospital Municipal. “A cidade de São João Batista nunca teve tanta gente como agora”, comentava Dr. Salomão, o Prefeito da cidade. De velas a flores, de cânticos religiosos a orações, de tudo se via e ouvia ali;
Ninguém arredava o pé. Meses de espera e esperança. Tudo na mesma. Dr. Fernando não desanimava. Novas técnicas, novos livros, novas instruções. Como se uma força superior lhe mostrasse o caminho e a certeza da cura. Nada, nada tirava dele aquela fé e esperança;
Amigos de Dr. Fernando, Homens vestindo preto, todas as semanas passavam por ali. Ficavam por algumas horas e iam embora sem dizer nada. Eram o suporte de fé, coragem e ajuda espiritual ao dedicado médico. Não existia cansaço, não existia desânimo. Dizia ele: “Tenho fome e sede, a laranja está bem no alto do pé. Ou subo para colhê-la e saciar-me, ou, por preguiça, medo ou falta de coragem, preferir-me a fome e a sede. Somente eu tenho a escolha a fazer. Mesmo com alguns arranhões causados pelos espinhos ávidos a esperta-me, minha escolha é apanhar a mais bela laranja, no mais alto galho.” Ele nunca desistiu;
O tempo era a esperança, a alegria, a Certeza, a dúvida e a desesperança. Cinco meses de passaram. Nenhuma boa notícia. Os amigos do Sr. João não tinham nenhuma informação, acreditavam no pior. Dr. Fernando, ao contrário, ninguém sabe como, mas ele enxergava além da capacidade humana, via nas entrelinhas da alma, penetrava nas profundezas infinitas do coração de João. Sabia, só ele sabia, que a qualquer momento seu querido-amigo-paciente estaria sorrindo novamente.
O povo continuava ali. Todos queriam notícias. A cada momento novas informações, boas, ruins, uma eterna dúvida;
Um burburinho começou no corredor. Todos ficaram alerta. “O que aconteceu?”. Era a pergunta geral;
Uma notícia deixou todos estupefatos. Como num passo de mágica, uma ajuda dos céus, um milagre, uma mágica. Sr. João sai do coma;
Gritos e mais gritos de alegria. O choro era a comunicação nesse momento. As lágrimas brilhavam nas faces de homens, mulheres e crianças. Dr. Fernando, mesmo com todo treino, não segurava suas lágrimas de mel. No Hospital tudo era festa e choro. Os médicos que acompanharam todo o processo de luta na recuperação do Sr. João, não acreditavam no que viam. “É um milagre”, dizia o provedor, Dr. Iran, “É uma força Divina”, dizia Madre Tereza;
Todos queriam vê-lo. Escutar sua voz fraca e doce. “Mais alguns dias de repouso e acompanhamento médico. Logo ele deverá ter alta”, dizia o enfermeiro Joaquim.
Seus familiares, da cidade de São Pedro, cuidavam da documentação. “Como vamos pagar o hospital, o médico?”, dizia o pai. “Como vamos conseguir dinheiro para cobrir todas as despesas?”, dizia o irmão mais velho. Esses eram os comentários de seus pais e irmãos. Seu tio Barrica, era muito rico, mas ninguém tinha coragem de pedir a ele a ajuda necessária. Era sovina de pai e mãe;
Até aquele momento ninguém sabia seu nome verdadeiro. Era conhecido apenas de Sr. João. Em sua certidão de nascimento estava escrito: “João de Deus dos Milagres, nascido na cidade de São Pedro, no dia 20 de agosto, filho de Maria dos Milagres e José de Arimateia dos Milagres, solteiro, e, uma namoradinha em cada cidade que passava”;
Alguns dias se passaram. Já era chegada a hora de Sr. João Ver a luz do sol. Sua alta se aproximava. No dia “D”, pouco antes de Sr. João deixar os aposentos, surge, na esquina da rua das Flores, um carro vermelho, novinho em folha, para em frente ao Hospital. Uma bela Senhora, bem vestida, cabelos longos, alta, aparentando uns trinta e cinco anos, desce pela porta de trás do belo automóvel. Com toda elegância sobe as escadarias do Hospital. Seu nome era Sara. Não conversa com ninguém, apenas cochicha com o Dr. Fernando. Seguem rumo ao escritório do Hospital. De longe, percebia-se que ela emitia um cheque, entregando-o ao gerente da tesouraria;
Até aquele momento ninguém estava entendendo nada. Imaginava-se que seria uma sócia do Hospital ou mesmo uma obra de caridade, porque o Hospital sempre recebia esses donativos. Mas algo chamava a atenção, era diferente. As indagações começaram a sondar cada espaço. Pelos corredores funcionários e clientes conversavam sobre o mesmo assunto;
A bela senhora deixa o Hospital e retorna pelo mesmo caminho.
Surpresos, todos. Era um novo capítulo de uma nova novela. Todos se perguntavam o que havia acontecido. Mas, eis que surge a verdade. A enfermeira Isis, amiga da família, leva a boa notícia. Neste momento, Sr. João já estava com toda a família reunida. Disse ela: “Sr. João, pode ir para casa tranquilo, dormir com todos os anjos, os que o acompanharam sempre, você não deve nada ao Hospital.” “Mas como?” perguntou ele. O que ela respondeu: “Dona Sara, aquela bela senhora que há pouco veio ao Hospital, acredito ser parente próxima de Dr. Fernando, também não sei a razão, mas ela pagou toda a sua conta.” Com um grito muito fraco Sr. João, sem entender nada diz: “Mais um anjo em minha vida! O que fiz para merecer tanto carinho, tanta graça!? Qual a razão disto? Será que Dr. Fernando pediu a ela?”. Sr João, sua família, funcionários, médicos e amigos não entendiam o que se passava. “Como pode uma estranha pagar uma conta tão grande?”, dizia o irmão mais novo. “Por que será que ela pagou?”, dizia a mãe. Essa era a pergunta geral;
Sr. João se preparava para sair. A multidão o esperava lá fora. Fogos de artifício estouravam de alegria. Os olhos de cada um eram como o brilho de um cristal. Tudo era festa.
Em um instante tudo ficou em silêncio. Para na porta do Hospital, novamente, o belo carro, desce dele a linda Senhora juntamente com o Dr. Fernando. Adentram ao Hospital. Mais surpresa, tudo volta à estaca zero. O que estava ficando claro, agora, novamente, se enrola nos fios da incerteza. O que era certeza virou dúvida, O que era dúvida virou mais dúvida ainda. Todos em estranha sensação. Sr. João, sentado no sofá, aguardava as ordens para a partida;
Eis que surge à sua frente Dr. Fernando, ainda acompanhado da bela Senhora. Tira do bolso um papel branco, escrito à caneta, entrega-o ao Sr. João. Ele calmamente o lê. Aos poucos as lágrimas, como nascente de um grande rio, se esbaldam e brilham na face do pobre homem. Seu coração dispara, seus batimentos sobem rapidamente. Recosta no sofá. Suspira lentamente. A cor de sua pele clara altera rapidamente. Dr. Fernando se assusta, pede que todos se afastem, pede a maca, leva-o ao primeiro quarto que avista. Suas mãos antes calmas, firmes e afinadas, agora tremem desafinadas como vara verde. O silêncio novamente se codifica na linguagem momentânea. Mas os anjos de Sr. João não desistem. Uma força que vem não se sabe de onde o faz reagir e, ainda pálido e fraco, com a ajuda do grande mestre Dr. Fernando, levanta-se com dificuldade. Seu coração aos poucos se equilibra no ritmo das lágrimas de do estimado Doutor. Uma voz uníssona se houve lá de fora. São seus amigos a gritar seu nome. Uma só voz;
Todos que presenciavam a cena pensavam e perguntavam o acontecia. Era estranho, sublime. A emoção tomava conta de todos. Novamente, o chão encharcava de lágrimas. Dr. Fernando, com sua simpatia e gentileza, toma Sr. João pelos braços, leva-o ao seu peito. Abraça-o. O choro é a linguagem codificada. Não queriam largar mais um do outro, parecia que os dois eram apenas um. A felicidade tomava conta. Tudo era tudo e não era nada. Tudo se explicava e nada explicava. Era certeza e dúvida, pântano e lírio, ostra e lodo, morte e vida;
Até aquele momento nenhuma palavra era pronunciada. A voz embargada não tinha força para soltar o grito da vontade. Anos de procura, anos à espera da verdade, anos à espera da concretização do sonho. O sagrado se fez presente e um presente se fez sagrado. Chegava ali o final feliz de uma busca incessante;
Os braços se soltam das costas um do outro. As mãos continuam dadas, firmes, olhos nos olhos. Uma Luz desce entre a fenda que se abre no telhado. Um suspiro, outro suspiro. Dr. Fernando, em lágrimas, grita, a voz quase não sai. “Pai. O Senhor é meu Pai!”. Sr. João quase não aguenta, cai sobre o sofá. Com uma voz oca, roca, pede um abraço, beija-o.
Inicia-se uma nova vida. Saem juntos para um novo amanhecer...
ÉlcioJose

ElcioJose

Eu amo que você sinta o calor quando faz 40 Graus lá fora e você fica tristinha com calor. Amo que você leve uma eternidade pra saber se quer ou não mais no fim tentar fazer o certo. Eu amo a ruguinha que você faz no nariz quando está olhando pra mim como se eu fosse maluca. Amo que, depois de ter passado o dia com você, eu possa continuar sentindo como se meu coração fosse com você. Eu amo quando você passa a Mao no meu rosto tentando esconder o meu olhar que te ama. Eu amo quando você sorrir e fica com vergonha de demonstrar isso. Eu amo sentir tua respiração quando ta se sentindo confortável comigo. Eu amo quando você me abraça como se eu fosse o teu caixa forte e mina proteção seria a única. Eu amo escutar sua gargalhada e logo seguida suas mãos em seu rosto e você dizendo “ai meu deus” . Eu amo quando você brinca comigo e mesmo as vezes acreditando você só ta se sentindo confortável comigo. Eu amo quando você fica com ciúmes e demonstra mesmo não querendo e depois nega. Eu amo saber que você me olha com um olhar de amor e ao mesmo tempo de esperança que seja verdade. E amo que você seja a última pessoa com quem eu quero falar antes de dormir à noite. E não é porque estou sozinha, todos estão indo pra rua e eu aqui só.. e sim porque tenho algo a sentir por você. Eu vim aqui esta noite porque quando você descobre que quer passar o resto da sua vida com alguém, você deseja que o resto de sua vida comece o mais rápido possível. Acho que te amo!

Thaís Vaz

Mineração
Vale diz que cortes nos custos impulsionaram resultado pela 1ª vez em 40 trimestres


Nas palavras do presidente da Vale, Murilo Ferreira (na foto), a “vedete do trimestre”, que permitiu à empresa ter, em 2013, o segundo melhor resultado de sua história para um primeiro trimestre, foi a melhora do desempenho operacional, com destaque para os cortes nos custos.
Em teleconferência com analistas, para comentar os resultados da mineradora entre janeiro e março, Ferreira afirmou que, até agora, os resultados da Vale eram puxados pelos negócios, em função do preço do minério de ferro. “Pela primeira vez, em 40 trimestres, a redução de custos e despesas foi o principal motivador do resultado”, afirmou o executivo.
No primeiro trimestre, as despesas operacionais e pré-operacionais da Vale tiveram queda de 60,4% em relação ao trimestre anterior, e de 25,8% na comparação com o mesmo período em 2012. Já os custos e despesas gerais caíram 27,3% sobre o trimestre anterior e 11,5% sobre o primeiro trimestre de 2012.
Segundo Ferreira, a “expressiva redução de custos e despesas não foi um evento isolado”, e tendem a continuar se repetindo nos próximos trimestres. O executivo explicou que a empresa procura operações com melhores retornos, permitindo racionalização das despesas. Além disso, a Vale reviu contratos, processos e sua relação com os fornecedores. “Algumas operações que não estavam trabalhando com rentabilidade foram desativadas”, afirmou.

Murilo Tavares

Coisas que a vida ensina depois dos 40

Amor não se implora, não se pede não se espera...
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para
mostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina.
Deus é o maior poeta de todos os tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que
abrem portas para uma vida melhor
O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos,
cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente...
Artur da Távola

Artur de Tavola

Aos 20 anos és popular entre todos; aos 30 és popular para os de 20 anos; aos 40 anos só és popular para os de 50 anos; aos 50 anos ainda tem uma pequena popularidade para os de 60 anos; e aos 60 é que a coisa fica boa....sua popularidade aumenta novamente...em grupos de terceira idade, hospitais e agências funerárias.

Marcello Thadeu

Para a Oficina de Fanzines estava tudo separado: Colas, tesouras, 500 Folhas d sulfite coloridas, 40 Revistas, algumas tantas imagens impressas em cima da questão Bullying. As crianças na EE Chácara Sta Maria - Pq. Independência ficaram ansiosas para saber o que era um fanzine. Mas devido o pouco tempo, não conseguiria desenvolver todo o processo.

Decidi somente usar as xerox do zine original. Distribui para cada um deles e passo a passo fomos dobrando, vincando, falando sobre o processo de criação, das margens, as formas e conceitos que o fanzinato faz na vida de quem quer se deixar aventurar. Como o tema Bullying já estava sendo falado através de vídeo, palestra, teatro, cartaz, rap, pintura de rosto e baloes de gás, me atentei em mostrar a arte de fazer fanzines.

Minutos depois, estávamos todos com seus zines em mãos. Antes somente uma folha sulfite impressa, agora um lindo zine de bolso formato revista, que num tempo de 2 a 5 minutos de leitura termina. Foi uma experiencia mui gratificante.

Agradeço ao Pda Sampa Sul, Cidadania Ativa, Visão Mundial, a Escola, o Coletivo de Artes Sarau Comics Edition e a Cartoon Network. Que Papai vos abençoem grandemente.

Um forte Abraço.
Paxxx Ao Fronte!

Roger BeatJesus

Durante minha carreira tive mais de 40 empresas e aproximadamente 30 mil empregados, convivi com eles como se fossem meus amigos e companheiros, não me lembro de ter tido nenhuma greve.

Olacyr de Moraes

Pode ser num calor de 40ºC
ou num frio de -0ºC...
Pra tomar um belo chimarrão,
não tem hora e nem lugar!

Tere Marcellino

Aos 40 ainda acho que devíamos poder ter mais 20 anos, para poder decidir se queremos ter filhos ou não, casar ou não. Estabilizar ou não. Ter 30 e estar com esse problema, é ainda mais grave.

Betty Rodriguez

Não me fale de fervura no grau 40, pois posso ebulir com grau 30.

Charles Canela

Deus levantou 40 profetas para trazer a paz à Terra, mas um só se tornou o vencedor de todos os povos, Jesus Cristo.

Helgir Girodo

Gente que esta solteira mas precisa cuspir 30 fotos de balada e 40 textos da Tati Bernadi por dia pra mostrar pro ex que superou e tá feliz.

Annynha Rodrigues

Existem pessoas com 40 que tem a mente de 10. Existem também jovens de 15 com a mente de 30. Idade, pra mim, não define moralidade.

Sabrina Niehues

17/5/2015/18/5/2015 13;12

16/5/2015 23;40

PORTANTO CONFIE EM DEUS,

MESMO QUE NO FINAL NÃO DE NADA CERTO...

NÃO ADIANTAR TENHA CERTEZA QUE VC...

TENTOU CONFIAR EM DEUS ....

E FEZ O MÁXIMO POR ISSO....

W.M

16/5/2015 23;40

PORTANTO CONFIE EM DEUS,

MESMO QUE NO FINAL NÃO DE NADA CERTO...

NÃO ADIANTAR TENHA CERTEZA QUE VC...

TENTOU E FEZ O MÁXIMO POR ISSO...

W.M