Palavrões

Cerca de 60 frases e pensamentos: Palavrões

Poesia não se faz com palavrinhas, mas com palavrões

Paulo Leminski

O Direito do Palavrão

Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos extremamente válidos e criativos para prover nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade nossos mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo fazendo sua língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português vulgar que vingará plenamente um dia. Sem que isso signifique a "vulgarização" do idioma, mas apenas sua maior aproximação com a gente simples das ruas e dos escritórios, seus sentimentos, suas emoções, seu jeito, sua índole.
"Pra caralho", por exemplo. Qual expressão traduz melhor a idéia de muita quantidade do que "Pra caralho"? "Pra caralho" tende ao infinito, é quase uma expressão matemática. A Via-Láctea tem estrelas Pra caralho, o Sol é quente Pra caralho, o universo é antigo Pra caralho, eu gosto de cerveja Pra caralho, entende?
No gênero do "Pra caralho", mas, no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso "Nem fodendo!". O "Não, não e não!" e tampouco o nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade "Não, absolutamente não" o substituem. "Nem fodendo" é irretorquível, e liquida o assunto. Te libera, com a consciência tranqüila, para outras atividades de maior interesse em sua vida. Aquele filho pentelho de 17 anos te atormenta pedindo o carro pra ir surfar no litoral? Não perca tempo nem paciência. Solte logo um definitivo "Marquinhos, presta atenção, filho querido, NEM FODENDO!". O impertinente se manca na hora e vai pro Shopping se encontrar com a turma numa boa e você fecha os olhos e volta a curtir o CD do Lupicínio.
Por sua vez, o "porra nenhuma!" atendeu tão plenamente as situações onde nosso ego exigia não só a definição de uma negação, mas também o justo escárnio contra descarados blefes, que hoje é totalmente impossível imaginar que possamos viver sem ele em nosso cotidiano profissional. Como comentar a gravata daquele chefe idiota senão com um "é PhD porra nenhuma!", ou "ele redigiu aquele relatório sozinho porra nenhuma! . O "porra nenhuma", como vocês podem ver, nos provê sensações de incrível bem estar interior. É como se estivéssemos fazendo a tardia e justa denúncia pública de um canalha. São dessa mesma gênese os clássicos "aspone", "chepne", "repone" e, mais recentemente, o "prepone" - presidente de porra nenhuma.
Há outros palavrões igualmente clássicos. Pense na sonoridade de um "Puta-que-pariu!", ou seu correlato "Puta-que-o- pariu!", falados assim, cadenciadamente, sílaba por sílaba... Diante de uma notícia irritante qualquer um "puta-que-o- pariu!" dito assim te coloca outra vez em seu eixo. Seus neurônios têm o devido tempo e clima para se reorganizar e sacar a atitude que lhe permitirá dar um merecido troco ou o safar de maiores dores de cabeça.
E o que dizer de nosso famoso "vai tomar no cú!"? E sua maravilhosa e reforçadora derivação "vai tomar no olho do seu cú!". Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: "Chega! Vai tomar no olho do seu cú!". Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima. Desabotoa a camisa e saia à rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor-íntimo nos lábios.
E seria tremendamente injusto não registrar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar: "Fodeu!". E sua derivação mais avassaladora ainda: "Fodeu de vez!". Você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação? Expressão, inclusive, que uma vez proferida insere seu autor em todo um providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo assim como quando você está dirigindo bêbado, sem documentos do carro e sem carteira de habilitação e ouve uma sirene de polícia atrás de você mandando você parar: O que você fala? "Fodeu de vez!". Sem contar que o nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à quantidade de "foda-se!" que ela fala. Existe algo mais libertário do que o conceito do "foda-se!"? O "foda- se!" aumenta minha auto-estima, me torna uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Me liberta. "Não quer sair comigo? Então foda-se!". "Vai querer decidir essa merda sozinho(a) mesmo? Então foda-se!". O direito ao "foda-se!" deveria estar assegurado na Constituição Federal. Liberdade, igualdade, fraternidade e foda-se!.
Grosseiro, mas profundo... Pois se a língua é viva, inculta, bela e mal-criada, nem o Prof. Pasquale explicaria melhor. "Nem fodendo..."

Pedro Ivo Resende

Dionísio vira uma taça de vinho,
Grita uns três palavrões,
Beija algumas ninfas arrogantes.
Traga cigarros errantes,
Segue seu imfame caminho.

Sai de seus bacanais meio tonto,
Tropeçando pelo mundo,
Arma guardada na jaqueta,
Um gole num amargo gim,
Tudo isso em poucos segundos.

Corra Dionísio, estão atrás de você!
Corra e se esconda na sarjeta,
Afinal o alcool no seu hálito,
Tira qualquer gosto ruim.

Sua alma está envenenada?
Sua mente apaixonada,
Mas se ela não te quer,
Pra quer ir atrás dessa mulher?

Não se prenda a desejos mundanos,
Navegue nesse imenso oceanos,
Que é a sua insanidade,
Mostre a essa humanidade,
Que é o íncrível Baco!

Não perdoe os fracos,
Apague tudo que te incomoda,
Não deixe os idiotas te seguirem,
Não deixe que te façam de moda.

Eu sou Dionísio o rei da embriaguês,
Sempre pronto pra aloprar,
Sou filho de uma louca,
Com um assassino.

Vai lá mister Baco,
Seja feliz por nós dois,
Nesse corpo que compartilhamos,
Você é o lobo na pele de carneiro.

Procure quem nós amamos,
E os faça sentir dor,
Mas não qualquer dor,
O significado verdadeiro,
De ser ferido pelo amor!

Meu nome tem significado divino,
E eu sou a loucura em pessoa,
Dionísio das farras,
Das palas e dos risos.

Não tente compreender Baco,
Ele não tem ponto fraco,
É a insanidade em pessoa,
E até que tem uma alma boa.

Mas seu coração foi destroçado,
Por um mundo fracassado!
Vai Dionísio, tenha sua vingança.

Mate cada triste lembrança,
Que incomoda você,
Não se torne um suicida,
Acabe com todas as vidas,
Que tiraram sua alegria.

E se ainda tiver um tempinho,
Beba um gole de vinho,
Destroçe alguns corações,
Viva sempre nossas emoções.

Bruno M. Tôp

Sou feita de doçuras, mas também de palavrões
Sou arruaça, mas preservo um silêncio antipático. Sou afeto e um monte de preguiça para intolerância. Sou atalho para as preocupações e a invenção de planos sem limitações. Sou o amor que quase deu certo e o calor de uma paixão escondida. Sou a tentativa do caminho e as malas prontas para o acaso. No meu sonho, sou a urgência do quase tudo e insatisfação do quase nada.

Ita Portugal

Esses palavrões por banalidades não fazem parte do meu vocabulário e não espere me ver histérica fazendo uma ceninha de ciúmes. Definitivamente esqueça isso. Mas apesar de tudo eu também amo, assim como os fortes também choram!

Franciane Costa

Jaá fingi um sorriso... . Jaá falei palavrões... . Já xinguei e já briguei... .
Mas nunca disse um “eu te amo” dá boca pra fora.
Eu posso fazer o que for, mas jamais vou iludir uma pessoa com falsas palavras, porque sei quanto isso machuca o coração...
falta de respeito ée Dizer " EU TE AMO " com a boca cheia de mentiras...

Rafinha Alves

Ha uma grande diferença entre brigar e discutir. Em Brigas há sempre a troca de ofensas e palavrões. Já em discussões há sempre a troca de opiniões e ponto de vistas.

Paulo Batista dos Santos

Eu ja errei,Ja Fingi um sorriso,Ja falei palavrões,ja xinguei e ja briguei,Mas Nunca disse um "Eu Te Amo" Da boca pra fora,Eu posso fazer o que for mais jamais vou iludir Uma pessoa com falsas palavras porque seei o quanto machuca.

BrunaGata134

OS DOIS PIORES PALAVRÕES NO BRASIL
'Meritíssimo' e 'Vossa Excelência'

Augusto Branco

O amor? Palavras antes, palavrinhas enquanto dura, palavrões depois.

E. Pailleron

Briga.

Palavrões?
São pequenos.
Maior é o silêncio.

Francismar Prestes Leal

Os palavrões são a raiva contida da poesia não escrita. Camões jamais teria escrito "vá se ferrar", mas deixaria claro suas intenções com as mais belas palavras.

Milk7Shake

Um dia vou falar todos os palavrões possíveis, ainda irei aprender a falar palavrões,sem ofensas mas libertadores , assim como vejo aquele rapaz rústico da esquina gritar aos berros como um louco, ainda não consigo , mas to ouvindo , to aprendendo, ele parece ser muito , mas muito rústico, dizia palavrões horríveis, hoje fiquei reparando, pensando bem, ele gritava tantos nomes variados, que tornou-se meio comum ouvir sabe ,vou fazer uma lista um dia desses, parecia bem libertador...!

D'Urso Claudia

O povo pode falar palavrões, mas os santos devem pronunciar conversas na santidade do Senhor.

Helgir Girodo

Jovens e adultos que adoram palavrões bebem o veneno da própria língua.

Helgir Girodo

Todos têm aquele dia cinza. O dia em que tudo dá errado e no meio dos palavrões mais uma má notícia bate à porta, mais uma plano dá errado, mais um desencontro... Dá até medo de atender o celular não é?
E, pra esse dia, cada um tem seu tipo de reação. Uns se calam e guartam a tempestade pra si; outros precisam apenas de um ouvido pra falar e falar e falar, na esperança de que junto com as palavras saia a nuvem de dissabores; e ainda existem os que machucam seus adjacentes, ou pelo menos os mais próximos.
Pros calados o aviso de perigo, um dia você pode explodir, mas exploda sem machucar ninguém. Aos falantes a compreensão, você deposita confiança em seu ouvinte e ele tem a oportunidade de manifestar amor por meio da disponibilidade. E, por fim, aos egoístas, pensem bem... Palavras são como penas jogadas do alto de um abismo: você jamais poderá juntá-las novamente.

Leonardo Beraldi

Pode ser difícil de acreditar, mas esta garota amarga e fria que tanto xinga palavrões e é grossa com qualquer desconhecido que tenta intrometer sua vida simplesmente ama silenciosamente demais e não sabe lhe-dar com isso.

Andrezza Freitas

Eu mostro a língua, falo palavrões...
Eu vivo pra ser feliz, e nao pra ser normal!

D!id!i

Sou menina mais falo palavrões, prefiro usar tênis, não gosto de usar maquiagem, não gosto de usar saia, meu cabelo tá sempre despenteado, prefiro ficar em casa do que sair com os meus amigos, sou fria, mais ainda sim sou uma menina como qualquer outra. Mais agora estou pronta para julgamentos sociedade, estou aberta a críticas e elogios, desde que venham de alguém inteligente.

Rayanne Martins

Algumas vezes descontrair com assuntos irrelevantes ajuda a segurar sonoros palavrões.

Angelzavi