Olhando o Mar

Cerca de 578 frases e pensamentos: Olhando o Mar

Olhos verdes e a cor do mar, o que ambos têm em comum? Eu sei. Mas, por hora, nada direi. Direi apenas quando for preciso.

Poeta do Século XXI

Vejo o mar
Estou a sonhar
Forrezeando
Me lembro do seu olhar
Quero te chamegar
E no ir e vir do mar
Quero contigo dançar
Te beijar
E a vida comemorar
Celebrar o que o coração já sabe.
Quando penso em você ?
Penso em você a todo momento.

Chris Borges

Um belo pôr do sol aponta perante aos meus olhos para mais um belo céu, azul como mar, estrelado como seu olhar. As lembranças veem surgindo a cada estrela que aparece. Afinal uma constelação descreve a nossa história...

Hellane Medeiros

Venho de algum lugar
para mergulhar no teu
doce mar e conhecer
o infinito do teu olhar,
são águas doces
querendo me beijar
um beijo do mar.

Renato Cleiton

Vejo o sol, sinto o mar quando querendo esbarro em você, quando pra alimentar meus sonhos te olho sem disfarce. Sou assim, não disfarço meus desejos nem minhas vontades.

Leônia Teixeira

OLHOS AO MAR

Demétrio Sena, Magé - RJ.

A discreta e profunda paixão daquele homem eram os olhos daquela mulher. Não era o corpo, já proibido mesmo pra ele, nem mesmo a alma, igualmente proibida, e sim, as janelas. Ele adorava ser olhado por aqueles olhos. Pelo menos ter a impressão de que o era. Embora devotasse grande amizade pela proprietária dos olhos e não tivesse qualquer intenção de pular os muros daquele afeto, aquele homem queria ser cada vez mais olhado. Ser a passarela, o pasto, a passagem obrigatória dos olhos daquela mulher.
Em nome dassa impressão - possibilidade mais próxima -, o escravo daqueles olhos passou a fazer empenhos para conquistar mais olhares. Passeios mais intensos. Incursões mais profundas e curiosas. Começou a disponibilizar imagens outrora escondidas entre os panos descuidados. Doravante, cuidadosamente mais descuidados. Abriu caminhos para visões bem secretas, paisagens bem escondidas e atalhos que apontavam para destinos que permaneceriam lá, em nome da probidade; ou do bom senso restante; ou do seu temor de perder até mesmo aqueles olhares do início, tão discretos e velados. Queria ser um roteiro turístico levemente mais radical, para se oferecer aos olhos que nunca saíam de seus olhos nem de seu pensamento.
Aquilo não era uma perversão. Não havia mesmo intenções ocultas ou escusas. Aquele homem não desejava tocar, possuir, ter prazeres palpáveis com aquela mulher, até porque isso quebraria o encanto, além de ferir a probidade ou a lei dos laços que já formalizaram outros contextos. A troca dos mesmos obrigaria um processo doloroso por algo inviável, previamente quebrado, e por isso mesmo vencido. Validade vencida já no começo. Sua culpa não tinha dolo. Era culpa sincera. Culpa inocente. Não seria capaz de qualquer ato que gerasse uma exposição além daquela, entre a dona dos olhos e seus empenhos. Nem à consumação do crime ou pecado, por mais seguro que parecesse. Sabia conter qualquer arroubo.
Com o tempo, a dona daqueles olhos pareceu decidir que já era tempo de retirá-los de cena. De cenário. De pasto. De passarela e roteiro. Delicada e sensível, teve o zelo de fazer isso lentamente. Não queria causar de uma só vez todos os ferimentos emocionais que sabia inevitáveis. Ela só não sabia que os olhos daquele homem não sabiam viver sem ver seus olhos. Eram dependentes dos passeios, das curiosidades, incursões discretas e delicadas daqueles olhos. Com a retirada, o pobre homem sofreu profundamente, chorou fontes, rios, mares, e quando a dor de não ver os olhos daquela mulher sobre ele não era mais suportável, resolveu não ter olhos.
Foi assim que os mares, criação final do choro dos olhos daquele homem tiveram a companhia de nada menos que aqueles olhos. Agoniados e deprimidos olhos, que se uniram na dor eterna e profunda - mais profunda que os próprios mares - de saberem que nunca mais o seu dono seria mapa; roteiro turístico... nem o simples pasto e a passarela dos olhos daquela mulher.

Demétrio Sena - Magé-RJ.

Se desvencilhe de tuas batalhas, João.
Olha pro lado, vê o azul? O nome disso é mar.
Tua dúvida é por quê não o via, não é?
Teu cinza tampava o mar, João.

Rafaela Büttner

A beleza do seu olhar,não está somente em seus
lindos olhos que são como um mar calmo
e o sabor doce de sua boca, me leva à
Knock-out como quando
se é atingido por um forte golpe no queixo.
sua beleza está bem
além dos desenhos presentes
nas curvas do seu corpo...
diante de ti perco o controle,pois você consegue
realmente e muito
atiçar todos os meus sentidos...

CAIO CAMARA CESAR

Mar


A primeira vez que ti vi
Na verdade, não sei
Se vi, senti ou sequer olhei
Mas notei
Um mar dentro do próprio mar.

Como o mar
Prender a respiração
não faz o menor sentido
Pra quem quer senti-lo.

E você?
Quero te respirar
Te tocar
Te abraçar
Te amar

Mas como o próprio mar
Indomável por si só
Imutável como você
Me fez afogar.

Altomar

Os teus lindos olhos verdes cor de mar
Trouxeram-me essa paixão estrangeira,
Que hoje bagunça o meu coração,
Revirando as minhas vontades,
Espalhando os meus sonhos no chão dessa solidão.

Daiana Calixto

Ele pode salva-lo se o conhecê-lo..., porem, alguém tapou meus olhos desta luz e me jogou neste mar das sombras, essa verdade está se tornando tão escura como a cor destas águas...não há como retornar...todos foram embora...não tenho forças para subir, acho que estou ficando inconsciente, esta luz está se apagando a cada segundo, o frio já congelou meu coração...não consigo mais alcança-los...

Paulo Victor Gaia

Quando vejo o mar sinto teus olhos
Quando olho as ondas, vem teu cheiro
Quando falo com as flores
Escuto tua voz,
Quando abraço o vento
Tu me beija
Quando toca música
Viajo ao céu,
Quando a chuva cai
Rola saudade
Quando lembro
De ti
Me dar vontade...
Se envolver,
Se entregar.
Sei lá,
Só sei que dá.

Leônia Teixeira

tento me olhar num mar de solidão,
neste momento sinto o ódio tomar formas...
abalando meus sentimentos...
devorando pouco a pouco até ver um monstro faminto...
tento ocupar minha mente mais o destino me consome,
então devo cumprir minhas perversões...
quando sinto respirar ainda minhas vontades
então sinto desejos assumem o controle...
seu olhar morto e inerte deixa o pavor de minhas obsessões.
são clara na minha mente perturbada...
pequenas fagulhas são uma fogueira de vaidades...
que pulsa ate borbulha na corrente sanguina...
neste momento o coração parece explodir...
mundo para tudo toma um formado engraçado...
mesmo quando minhas decepções seja parte do pacto
que deixou sua vida em minhas mãos sangrando...
assim me sinto vivo... entre tantas lamentações...
dou risada da morte... pois ainda estou vivo,
mesmo diante tanta dor ainda respiro...
não choro por lamentações nem pelo que não vivi...
mas choro pelo tempo que perdi sentido amor.

Celso Roberto Nadilo

EU E O MAR

Gosto de olhar o mar defronte
Parece que a vida da gente
se estende até o horizonte...
Parece que as ondas trazem
nossos mais íntimos pedidos
Parece que as ondas levam
nossos pecados cometidos...

mel - ((*_*)) 15/4/15

melanialudwig

Teu amor
é cardume de memórias
a nadar num mar de histórias
a jorrar dos olhos meus.

Desconhecido

Todo verde tem teus olhos, todo azul é meu mar
Se flores nascem no campo, perfume exala no ar
Se a verdade não pode ser vivida, escrevo.
Mais forte que eu são meus pensamentos
Sonho, vivo...canto, pássaros voam além
De mim saem rabiscos e letras,
Voz que fica muda, cala.
Olhar, que viaja sem destino
Que acampa em qualquer lugar.
Sem medos sigo, para onde ?
Só o tempo e o vento, dirá.

Leônia Teixeira

Em teus olhos vejo as ondas correndo para o mar, em tua voz viajo além dos horizontes...em você, me entrego !

Leônia Teixeira

Vem dividir comigo este mar...

Admirar os céus azuis unindo nossos olhares
E de mãos dadas sorrindo junto corrermos na praia...
Vamos voar como pássaros num júbilo entorpecido...

Se vieres... Será a lágrima doce
Que me escorre na face... E que molha meus lábios...
Existem muitos anseios em minha alma...

Quero muito mais que te ver!
Eu te quero sentir... Todos os dias...
Seguir teus passos
Como se eu fora a tua majestosa sombra...!

Vem... Abraça-me como se fosses o vento...
Liberta-me desta longa espera...
Para depois amarmo-nos loucamente neste divino momento!

Celina Vasques

Em qual mar azulado você mergulhou para esses olhos lindos ser tingidos por esta cor?
Me diga onde, que não vou pensar duas vezes para pular...

gil

Achava teus olhos cor de jambo, tua pele cor do mar...achava tua voz uma música, teu olhar canção. Pois é, agora...continuo achando.

Leônia Teixeira