Odeio Pessoas Falsas

Cerca de 36707 frases e pensamentos: Odeio Pessoas Falsas

Sempre notei que as pessoas falsas são sóbrias, e a grande moderação à mesa geralmente anuncia costumes dissimulados e almas duplas.

Jean-Jacques Rousseau

Muitas vezes as coisas que me pareceram verdadeiras quando comecei a concebê-las tornaram-se falsas quando quis colocá-las sobre o papel.

René Descartes

[As falsas Recordações]
Se a gente pudesse escolher a infância
que teria vivido, com enternecimento eu não
recordaria agora aquele velho tio de perna de pau,
que nunca existiu na familia, e aquele arroio que
nunca passou aos fundos do quintal,
e onde íamos pescar e sestear nas tardes de verão,
sob o zumbido inquietante dos besouros...

Mario Quintana

As religiões que chamamos de falsas já foram verdadeiras um dia.

Ralph Emerson

Não, eu não odeio as pessoas. Só prefiro quando elas não estão por perto.

Charles Bukowski

"Eu te odeio", disse ela para um homem cujo crime único era o de não amá-la. "Eu te odeio", disse muito apressada. Mas não sabia sequer como se fazia. Como cavar na terra até encontrar a água negra, como abrir passagem na terra dura e chegar jamais a si mesma?

Clarice Lispector

ODEIO ESTE TEXTO

"(...)Eu odeio que encostem o cotovelo, a bunda ou uma cerveja molhada em mim enquanto eu tento encontrar um espaço para dançar. Eu odeio que encostem em mim, odeio a pele de um desconhecido indesejado.
(...)Odeio homens que olham para bundas como se admirassem uma carne pendurada no açougue e odeio mais ainda quando fazem bico e aquele sim com a cabeça, tipo "concordo com o mundo que ela é muito gostosa". E se ele fizer aquela chupada pra dentro do tipo "hmmmmm delícia" já é algo que ultrapassa os limites do meu ódio.
(...)Odeio mau hálito e mais ainda o fato de que justamente as pessoas podres são aquelas que falam mais baixo e nos obrigam a ter que chegar perto. Eu odeio machismo, submissão e mais do que tudo isso ter que ser forte o tempo todo e não ter um ombro másculo para chorar até minha última gota desamparada.
(...)Odeio pessoas muito oleosas, muito peludas, muito suadas e acima de tudo meninas que cheiram a lavandas e gostam de adesivos de ursinho.
(...)Odeio quem comemora porque passou numa faculdade que meu primo de 8 anos passaria e quem diz "peguei a mina".
(...)Odeio os Estados Unidos mas odeio muito mais o fato de a gente ter sangue europeu mas ficar imitando esses estúpidos, que também têm sangue europeu mas são estúpidos por herança criada. Odeio a frase "eu vou no super, comprar umas cervas para o churras".
(...)Odeio quem passa o dia no shopping com a família, churrascaria com aquele desfile de bichinhos mortos, principalmente porque você está lá tranqüilamente comendo e vem alguém com um espeto (que é grosseiramente imposto ao seu lado), te espirra sangue, fala um nome idiota e você nunca sabe exatamente de que parte se trata.
(...)Odeio quem casa virgem, odeio quem chega em casa depois de uns malhos no carro e enfia o dedo no meio das pernas porque tava louca para dar mas "ele ia me achar muito fácil". Mas eu também odeio mulher que sai dando pra meio mundo e perde o mistério. Sei lá, essa coisa toda de dar vai ser sempre uma dúvida.
(...)Odeio meninas caçadoras de homens ricos mas odeio sair com um cara que está tentando começar um relacionamento e ter que rachar a conta, seria mais simpático me deixar pagar a conta toda. Rachar é péssimo.
(...)Dividir banheiro, pêlo alheio em sabonete, acordar cedo e meninas adolescentes peruas com voz de pato.
(...)Quando eu era criança sonhava todas as noites que arrancava os olhos de todo mundo e só eu podia enxergar o quanto era feio eu ser como sou."

Tati Bernardi

As vezes te odeio por quase um segundo
depois te amo mais
teus pelos teu gosto teu rosto tudo
tudo que não me deixa em paz
Quais são as cores e as coisas pra te prender
eu tive um sonho ruim e acordei chorando
por isso eu te liguei,
será que você ainda pensa em mim
será que você ainda pensa

Cazuza

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade.

Friedrich Nietzsche

Odeio e amo. Porque o faço, talvez perguntes. Não sei. Mas sinto que é assim, e sofro com isso.

Caio Catulo

Odeio o privilégio e o monopólio. Para mim, tudo o que não pode ser dividido com as multidões é tabu.

Mahatma Gandhi

Não me importa a mentira, mas odeio a imprecisão.

Samuel Butler

Eu preferiria ser um fracasso em algo que amo do que um sucesso em algo que odeio.

George Burns

Odeio esse acidental arrependimento que vem com a idade.

Michel de Montaigne

"Criava as mais falsas dificuldades para aquela coisa clandestina que era a felicidade."

Clarice Lispector

Em relação a bobagem, bobagem daquelas memoráveis, daquelas que juntam falsas promessas com tudo mais, você precisa dar o braço a torcer pra religião. Nem precisa comparar com outra, não tem competição, a religião é imbatível. A religião é a maior lorota de todos os tempos. Pense um pouco. A religião conseguiu convencer milhões de pessoas que existe um homem invisível que mora no céu e consegue ver TODAS as coisas que TODOS os homens e mulheres estão fazendo a QUALQUER momento. E esse homem invisível tem uma lista especial com 10 coisas que você não deve fazer. E se você fizer qualquer uma dessas coisas que constam na lista, ele tem um lugar especial pra você ir, cheio de fogo e fumaça e coisas queimando e tortura, ele vai te mandar pra esse lugar pra você viver e sofrer e queimar e engasgar e gritar e chorar pra sempre. Pra todo o sempre. Até o fim dos tempos.

Mas esse homem te ama! Ele te ama... e precisa de dinheiro. Ele SEMPRE precisa de dinheiro. Ele é o todo poderoso, todo perfeito, sabe tudo, conhece tudo, mas por algum motivo, não sabe lidar com o próprio dinheiro, precisa de um homem de vestido ou um engravatado pra servir de contador. A religião é uma indústria de bilhões de dólares, não pagam impostos e sempre precisam de um pouco mais. Agora você me apresenta uma lorota maior que essa! Puta merda.

Mas eu quero que você aprenda uma coisa, estou sendo sincero, EU QUERO que você saiba de uma coisa, em relação a acreditar em Deus, eu tentei, realmente tentei, tentei mesmo. Eu tentei acreditar que existe um Deus, que criou cada um de nós a sua imagem e semelhança, ama cada um de nós e fica observando tudo 24 horas, eu realmente tentei acreditar nisso, mas eu preciso ser sincero, quanto mais você vive, mais você olha em volta e mais você se da conta... tem alguma coisa errada.

Tem alguma coisa errada aqui. Guerra, doenças, mortes, destruição, fome, sujeira, pobreza, torturas, crimes, corrupção e até a porra da camada de ozônio. Definitivamente tem alguma coisa errada. Isso não é um bom trabalho. Se isso é o melhor que um Deus pode fazer, eu não estou impressionado. Resultados como esse não devem pertencer a um currículo de um ser supremo. Isso é o tipo de trabalho que você espera de um estagiário de uma agencia de publicidade.

George Carlin

“A diferença entre as lembranças falsas e as
verdadeiras é a mesma que existe entre as jóias:
as falsas sempre parecem mais brilhantes e
reais”.

Salvador Dalí

Quando amo
Eu devoro
Todo o meu coração
Eu odeio
Eu adoro
Numa mesma oração

Chico Buarque

"Mas a verdade é que eu odeio o equilíbrio. Porra, se eu tô puta, eu tô puta! Se eu tô com ciúme, não vou sorrir amarelo e mostrar controle porque preciso parecer forte e bem resolvida."

Tati Bernardi

Não sei bem o que dizer sobre mim. Não me sinto uma mulher como as outras. Por exemplo, odeio falar sobre crianças, empregadas e liquidações. Tenho vontade de cometer haraquiri quando me convidam para um chá de fraldas e me sinto esquisita à beça usando um lencinho amarrado no pescoço. Mas segui todos os mandamentos de uma boa menina: brinquei de boneca, tive medo do escuro e fiquei nervosa com o primeiro beijo. Quem me vê caminhando na rua, de salto alto e delineador, jura que sou tão feminina quanto as outras: ninguém desconfia do meu anti socialismo interno.

Adoro massas cinzentas, detesto cor-de-rosa. Penso como um homem, mas sinto como mulher. Não me considero vítima de nada. Sou autoritária, teimosa, impulsiva e um verdadeiro desastre na cozinha. Peça para eu arrumar uma cama e estrague meu dia. Vida doméstica é para os gatos.

Tenho um cérebro masculino, como lhe disse, mas isso não interfere na minha sexualidade, que é bem ortodoxa. Já o coração sempre foi gelatinoso, me deixa com as pernas frouxas diante de qualquer um que me convide para um chope. Faz eu dizer tudo ao contrário do que penso: nessas horas não sei onde vão parar minhas idéias viris. Afino a voz, uso cinta-liga, faço strip-tease. Basta me segurar pela nuca e eu derreto, viro pão com manteiga, sirva-se.

Sou tantas que mal consigo me distinguir. Sou estrategista, batalhadora, porém traída pela comoção. Num piscar de olhos fico terna, delicada. Acho que sou promíscua. São muitas mulheres numa só, e alguns homens também."

Martha Medeiros