Nem tudo é como Gostariamos

Cerca de 146 frases e pensamentos: Nem tudo é como Gostariamos

As pessoas devem ser o que são,não o que gostaríamos que elas fossem.

Karoline Soutullo

A gente que se 'ilude' com as pessoas e transformamos elas no que gostariamos que elas fossem, pra pelo menos assim, no nosso ver, serem pessoas legais. Nós só vemos, o que queremos ver.

kerolmuller

Nunca devemos desejar que Deus faça algo na vida de alguém que não gostaríamos que ele fizesse na nossa.

Marcelo Bernardo

Não é que as pessoas nunca mudam , elas apenas não mudam o que nos gostariamos que elas mudassem.

Ana Line

A saudade é uma felicidade passada, que gostariamos de ter no presente e sempre reencontrar no futuro

André de Moraes

A palavra amigo, se parece mais com a palavra inimigo,do que gostaríamos e da qual muitas vezes nos resta o amargo sabor.

Marinho Guzman

As palavras certas vezes não sabem expressar aquilo que gostaríamos de dizer, por isso nos calamos ficando no silêncio.

Lucas Kieling

O desejo também é a manifestação daquilo que gostaríamos de ser ou de ter por natureza.

Michell J. Santana

Creio que duas coisas nós sabemos...A primeira que tipo de Vida gostaríamos de levar e a outra como gostaríamos de Morrer....Uma seria boa com fartura em todos os sentidos, incluindo a saúde, a segunda de forma rápida sem sofrimentos....O ser Humano é assim...Por nós, já nasceríamos anjos e morreríamos Deuses.

Cassal Machado Brum

É fácil agradar as pessoas,agradar nós mesmos,é só fazer e expressar da forma que gostaríamos receber.
Tudo fica más fácil e gostoso!!!!
Experimentemos colocar-nós no lugar do outro!
Simples assim!
By Brydah!

Lilián Freire Bechi

São muitas e em diversos sentidos, mas gostaríamos de apenas enfocar uma grande vantagem que consideramos muito importante.
Sabermos em nosso íntimo, por experiência própria, e por estarmos bem instruídos pelo Espírito Santo quanto a um adequado conhecimento da Palavra revelada, sobre o modo como Deus lida com pecadores, nos ajuda a ser longânimos e misericordiosos para com todos, especialmente para com aqueles que apesar de errados, não amam o erro.
É evidente que um Deus perfeitamente justo e santo não pode de modo algum amar ou aprovar qualquer forma de erro, todavia Ele é também longânimo, paciente, amoroso, misericordioso, perdoador, e tem por isso, prazer em trabalhar em vasos imperfeitos como nós, até que possamos atingir a plena perfeição que nos será concedida quando chegarmos ao céu.
A grande prova deste trabalho paciente e amoroso que Deus tem realizado em nós através do Espírito Santo são as grandes transformações operadas em todos aqueles que se convertem a Cristo, sobretudo no que diz respeito ao caráter dos mesmos.
São transformações progressivas, e em muitos casos, sofrem até recuos motivados por apostasias ocasionais, mas de todas elas somos curados pelo Senhor quando há em nós um amor verdadeiro pela Sua santidade.
Se aspiramos ser como Ele é, se admitimos que temos uma natureza corrompida pelo pecado que pode nos levar a agir e a pensar de modo contrário à nova natureza que recebemos pela fé em Jesus Cristo, e se humildemente aguardamos com paciência pelo socorro de Deus para que sejamos purificados e conduzidos a fazer o que é aprovado por Ele, é certo que continuaremos privando do Seu amor e bondade, que se manifestarão na concessão da Sua graça para que possamos ser fortalecidos em nosso espírito.
Conhecendo todas estas coisas poderemos ser efetivamente mais úteis para o nosso próximo. Não julgaremos e não condenaremos os que são fracos na fé, antes nos compadeceremos e intercederemos junto ao Senhor para que lhes conduza à verdade, olhando por nós mesmos, porque afinal estamos sujeitos às mesmas fraquezas.
Jesus, que não tinha qualquer pecado, a ninguém condenou quando aqui caminhou, e mesmo agora, estando glorificado em espírito em Seu trono celestial, a ninguém tem condenado na presente dispensação da graça.
Na Sua morte na cruz abriu-se uma porta maravilhosa de graça e amor para a recepção de todo e qualquer pecador que se arrependa, e Ele manifestará a Sua longanimidade para com todos aqueles que adentrarem por ela, e os amará, a par de todos os erros que possam ainda vir a praticar, porque lhes conduzirá, pelo Seu próprio poder, à plena perfeição na glória celestial.
Estas palavras não configuram um apologia ao erro ou ao errado, mas a mais pura revelação bíblica da graça que está sendo oferecida por Deus a todos os pecadores, desde que Jesus Cristo morreu no nosso lugar na cruz do Calvário.
Que ninguém se sinta entretanto encorajado a permanecer no erro, ao contrário, deve detestar esta natureza corrompida pelo pecado que ainda carregamos conosco aqui embaixo.
Todavia, se alguém pecar, como afirma o apóstolo João, não se desespere pelo pensamento de perder definitivamente a comunhão com Deus, pois temos um Advogado de defesa junto a Deus Pai, para interceder em nosso favor, confirmando que de fato podemos ser perdoados, se tão somente confessarmos o nosso pecado, porque Ele já sofreu em nosso lugar o castigo relativo a todas as nossas ofensas passadas, presentes e futuras.

Silvio Dutra

É Nosso ou do Senhor?

Quantas vezes nos deparamos com reações e ações que gostaríamos de não ter porque elas nos ferem e a outros também.
Se somos cristãos, se somos sinceros em nosso desejo de agradar a Deus, por que então estas coisas sucedem conosco?
Afinal não temos procurado ser amorosos, longânimos, pacificadores, mansos, misericordiosos, perdoadores, pacientes e tolerantes?
Lemos as nossas bíblias, aceitamos que suas ordenanças são verdadeiras e nos dispomos a nos submeter a elas, e nos empenhamos para atingir este alvo, mas por que então quando algo de extraordinário acontece, quando somos provocados por alguém, ou quando surgem situações em que não conseguimos discernir que estamos sendo provados por Deus, reagimos exatamente do modo oposto daquele que temos aprendido na Bíblia?
Como isto pode suceder uma vez que temos de fato amadurecido nestas virtudes cristãs que acabamos de citar, e que são componentes do amor de Deus?
Será por que temos confiado na nossa longanimidade, paciência, misericórdia, etc, em vez de confiarmos em Cristo para ativar tais virtudes em nós, especialmente quando delas necessitamos?
Afinal, estas virtudes são nossas ou do Senhor atuando em nós?
Se são do Senhor, então dependemos de estar em verdadeira comunhão com Ele, a qual é ativada por nossas orações, e por caminharmos humildemente perante Ele, reconhecendo que nada somos ou podemos fazer em relação a pensamentos, palavras, ações, reações, especialmente no nosso relacionamento com o nosso próximo, quando somos tentados ou provocados.
O amor de Deus não é provocado facilmente, como se lê em I Cor 13.
Mas o nosso amor natural quanto é provocado facilmente!
É o amor de Deus em nós que nos habilita a suportar ofensas sem que nos magoemos ou fiquemos ressentidos, e continuemos amando e perdoando aqueles que nos ofendem.
Mas isto não existe em nossa natureza terrena. Dependemos de recebê-lo diretamente do Senhor.
Mágoas, ressentimentos, iras, falta de perdão, de mansidão, e de tudo o mais que nos incapacita de amarmos como Deus ama, nos domina quando confiamos em nossa própria virtude e poder, e não dependemos de Deus para sermos preservados de todas estas coisas citadas.

Silvio Dutra

Ah, o sonho é o mesmo que estar viajando em situações que no fundo gostaríamos de estar ou viver...

Djalma Pinheiro

Não reclame!

Quando uma coisa não está de acordo com aquilo que gostaríamos que estivesse, não reclame.
A energia da reclamação faz com que as situações fiquem ainda mais desfavoráveis.
Use essa energia a seu favor, ela estará dentro de você, mas a transmute, ore e peça a Deus para que te auxilie.
Conseguindo mudar o hábito de reclamar das coisas, você verá como muitas coisas em sua vida irão mudar.

Angela de Assis

Nunca se esqueça
De que as pessoas nem sempre são como gostariamos
Mas na maioria das vezes elas nos dizem muito sobre nós
Pois refletem o que somos pra elas.

Davi Silva

Longe o bastante? Não existe tal lugar quando nossa mente nos leva para onde mais gostaríamos de ir - o pior lugar em que poderíamos estar.

Camila Orleans