Não me Iludo

Cerca de 58 frases e pensamentos: Não me Iludo

Para iludir a minha desgraça, estudo
Intimamente sei que não me iludo!

Augusto dos Anjos

(...) Mas não me importo. Não me iludo mais com promessas fáceis de amores eternos. A vida me mostrou, vez após vez, que nada do que vem correndo acaba por sossegar e se manter parado. Não existe essa possibilidade de amor sem história, sem derrotas, sem sangue pisado no coração, sem garganta trancada e nariz entupido de tanto chorar. Amar não é só bonito e, pra ser hora ou outra, é feio demais no caminho..."

Rani Ghazzaoui

"Para iludir minha desgraça, estudo.
Intimamente sei que não me iludo.
Para onde vou (o mundo inteiro o nota)
Nos meus olhares fúnebres, carrego
A indiferença estúpida de um cego
E o ar indolente de um chinês idiota!

A passagem dos séculos me assombra.
Para onde irá correndo minha sombra
Nesse cavalo de eletricidade?!
Caminho, e a mim pergunto, na vertigem:
— Quem sou? Para onde vou? Qual minha origem?
E parece-me um sonho a realidade.

Em vão com o grito do meu peito impreco!
Dos brados meus ouvindo apenas o eco,
Eu torço os braços numa angústia douda
E muita vez, à meia-noite, rio
Sinistramente, vendo o verme frio
Que há de comer a minha carne toda!

É a Morte — esta carnívora assanhada —
Serpente má de língua envenenada
Que tudo que acha no caminho, come...
— Faminta e atra mulher que, a 1 de janeiro,
Sai para assassinar o mundo inteiro,
E o mundo inteiro não lhe mata a fome!

Nesta sombria análise das cousas,
Corro. Arranco os cadáveres das lousas
E as suas partes podres examino. . .
Mas de repente, ouvindo um grande estrondo,
Na podridão daquele embrulho hediondo
Reconheço assombrado o meu Destino!

Surpreendo-me, sozinho, numa cova.
Então meu desvario se renova...
Como que, abrindo todos os jazigos,
A Morte, em trajos pretos e amarelos,
Levanta contra mim grandes cutelos
E as baionetas dos dragões antigos!

E quando vi que aquilo vinha vindo
Eu fui caindo como um sol caindo
De declínio em declínio; e de declínio
Em declínio, com a gula de uma fera,
Quis ver o que era, e quando vi o que era,
Vi que era pó, vi que era esterquilínio!

Chegou a tua vez, oh! Natureza!
Eu desafio agora essa grandeza,
Perante a qual meus olhos se extasiam...
Eu desafio, desta cova escura,
No histerismo danado da tortura
Todos os monstros que os teus peitos criam.

Tu não és minha mãe, velha nefasta!
Com o teu chicote frio de madrasta
Tu me açoitaste vinte e duas vezes...
Por tua causa apodreci nas cruzes,
Em que pregas os filhos que produzes
Durante os desgraçados nove meses!

Semeadora terrível de defuntos,
Contra a agressão dos teus contrastes juntos
A besta, que em mim dorme, acorda em berros
Acorda, e após gritar a última injúria,
Chocalha os dentes com medonha fúria
Como se fosse o atrito de dois ferros!

Pois bem! Chegou minha hora de vingança.
Tu mataste o meu tempo de criança
E de segunda-feira até domingo,
Amarrado no horror de tua rede,
Deste-me fogo quando eu tinha sede...
Deixa-te estar, canalha, que eu me vingo!
Súbito outra visão negra me espanta!
Estou em Roma. É Sexta-feira Santa.
A treva invade o obscuro orbe terrestre.
No Vaticano, em grupos prosternados,
Com as longas fardas rubras, os soldados
Guardam o corpo do Divino Mestre.

Como as estalactites da caverna,
Cai no silêncio da Cidade Eterna
A água da chuva em largos fios grossos...
De Jesus Cristo resta unicamente
Um esqueleto; e a gente, vendo-o, a gente
Sente vontade de abraçar-lhe os ossos!

Não há ninguém na estrada da Ripetta.
Dentro da Igreja de São Pedro, quieta,
As luzes funerais arquejam fracas...
O vento entoa cânticos de morte.
Roma estremece! Além, num rumor forte,
Recomeça o barulho das matracas.

A desagregação da minha idéia
Aumenta. Como as chagas da morféa
O medo, o desalento e o desconforto
Paralisam-se os círculos motores.
Na Eternidade, os ventos gemedores
Estão dizendo que Jesus é morto!

Não! Jesus não morreu! Vive na serra
Da Borborema, no ar de minha terra,
Na molécula e no átomo... Resume
A espiritualidade da matéria
E ele é que embala o corpo da miséria
E faz da cloaca uma urna de perfume.

Na agonia de tantos pesadelos
Uma dor bruta puxa-me os cabelos,
Desperto. É tão vazia a minha vida!
No pensamento desconexo e falho
Trago as cartas confusas de um baralho
E um pedaço de cera derretida!

Dorme a casa. O céu dorme. A árvore dorme.
Eu, somente eu, com a minha dor enorme
Os olhos ensangüento na vigília!
E observo, enquanto o horror me corta a fala,
O aspecto sepulcral da austera sala
E a impassibilidade da mobília.

Meu coração, como um cristal, se quebre
O termômetro negue minha febre,
Torne-se gelo o sangue que me abrasa,
E eu me converta na cegonha triste
Que das ruínas duma casa assiste
Ao desmoronamento de outra casa!

Ao terminar este sentido poema
Onde vazei a minha dor suprema
Tenho os olhos em lágrimas imersos...
Rola-me na cabeça o cérebro oco.
Por ventura, meu Deus, estarei louco?!
Daqui por diante não farei mais versos."

Augusto dos Anjos

Eu me apaixono mesmo
Me iludo mesmo
Faço drama mesmo
Sofro muito mesmo

Oscilante, porém constante...
Eu vivo mesmo!

Fernanda Souza Watzko

Sigo triunfante em busca da felicidade
Sem ela não sou nada. Com ela, realidade.
Mas não me iludo, sei que para alcança-la,
Preciso ser forte, pois enfrentarei muitas coisas.
Poderei até ver na minha frente um abismo
Mas serei uma rocha, resistirei a tudo
Buscarei dentro de mim forças para superar obstáculos.
O impossível se tornará possível
E no fim, a recompensa desejada virá
E trará consigo algo a mais.
Quem sabe, O AMOR!
Pois sem ele a felicidade não estaria completa.

Juliele Nascimento

Não penso que estás me iludindo, penso que me iludo demais.
Não é culpa sua, pelo contrário é culpa minha. Eu que acredito que tudo vai ser ‘’azul’’ para sempre, por que acreditar se sei que não é assim? Ser sempre o bom, compensa?
Porque aquela sensação de que ‘outro’ pode fazer coisas que eu não fiz por ter sido bom? Às vezes acho que a vida é muito injusta comigo, fiz tudo certo (acho eu) e não entendo o porquê que não consigo as coisas também, o porquê que tudo é mais difícil para mim?
Não sei nenhuma das respostas para minhas perguntas, o que eu posso fazer é tentar e seguir em frente, em algum momento vou conseguir, tudo que quero e tudo que ‘preciso’, desistir não está em mim, mas também ser eternamente ‘’bonzinho’’ não garanto ser.

Alexandre oliveira

Eu não tenho dó, sempre fui só, sempre na pior,
Eu já sei de cor, não me iludo mais,
Pra mim, tanto faz, se falam por trás,
Tô em cena, preta, loira, ruiva, morena.

Mag

Com a ponta dos dedos
Traço mil caminhos
Alongo os minutos
Iludo os segundos
Traço círculos de fogo
Sussurros gemidos loucos e sentidos
Pedaço de mim envolve os sentidos
Devaneio insano que me seduz e extasia
A nudez do teu corpo encosta no meu
Onde a minha imaginação caminha
Campo de fantasia sonho e magia
Esse teu corpo que é um pecado
De luxúria e amor
Tu és um mistério solto pelo ar
Que me prende e fascina
És o meu prazer a loucura sem nexo
Sensações, movimentos, corpos em desalinho
Na cama no chão tudo é permitido
Sussurros ao ouvido molhando os caminhos..
Na pele, minha e tua a língua desenha desejos
Até ao meu mais íntimo suspiro,
Como descrever os teus olhos sem pensar em pecar..
Como falar do teu corpo sem o querer amar..
Sombras são vestígios da noite que me perseguem durante o dia
Nas certezas das incertezas com ou sem afinidades com destreza.
Gemidos e suspiros, enquanto as nossas bocas se exploram como loucas
Não mais há lugar para o pudor...
Fecha-me os olhos com teus beijos, faz-me sonhar com teus desejos...
Juntos deciframos cada movimento cada pensamento
Lambemos as palavras que se formam nos nossos lábios.

Divine

Não me iludo, nem me deslumbro... Apenas sonho! Roube-me tudo, menos meu mundo...

Renata Crisan

Ainda me iludo ao relembrar de você dizendo tais palavras, falsas, irônicas, irreais. Porém mesmo sabendo de tudo o que me fez passar, mesmo sabendo que é sua culpa eu não poder dormir, sabendo que existem diversas pessoas como você e que um dia isso vai acabar; Não consigo parar de pensar na possibilidade de tudo o que ainda sinto por você, ser para sempre, e que você é a única pessoa que pode me ajudar.

Camylla Gonçalves Cantanheide

Iludo a nós dois
E com isso apenas uma intenção
A infeliz idéia de dar tempo ao coração

Fernando R. Couto

Não iludo com palavras mas provo com atitude

Romario Oliveira

É Incrível!
Como eu me iludo com os fatos,
Ja não sei mais me controlar
Parece que a vontade de ser feliz,
tira a minha cabeça do lugar.

Quando tudo parece certo,
Quando parece que nada mais pode tirar essa felicidade de mim,
o vento sopra,E quando ele sopra,
ele leva todas as minhas Esperanças.

Me deixando apenas, a certeza de que não foi desta vez.

Victor Augusto

Não me iludo com o futuro da humanidade, o homem degenera a cada dia, voltará ao seu estado original.

Evan do carmo

Não me iludo com palavras bonitas,
Me iludo com jóias caras e presentes valiosos...
Então se quer me enganar se empenhe nisto.

Marcello Thadeu

Por um lado PALAVRAS bonitas
por outro FALTA de atitudes,
não sei se acredito e me iludo nas
suas palavras ou se te enxergo de
VERDADE.

Cristiano Herbert

Eu me entrego, eu me iludo
Te faço o que quiser!
Se te tenho, eu me perco
Desejo o que vier!
Porque... Deve ser seu abraço,a melhor sensação!!!

Vinícius Lôbo

É sempre assim eu me iludo e me decepciono, acho que é por pensar de dessa vez vai ser diferente, pois toda dedicação a uma pessoa não adianta de nada elas nunca reconhecem nada.

Felipe Gonzatto

Sempre acabo sofrendo, pois me iludo e crio expectativas nas pessoas erradas, pessoas que não dão valor ao meu amor, a minha dedicação e ainda dizem ''EU TE AMO"

Felipe Gonzatto

'Não me venha com falsas promessas, meu se liga ! Eu não me iludo com presentes caros. Não, eu não estou à venda. Eu não quero saber onde você mora. Desde que você saiba o caminho da minha casa. Eu não quero saber quanto você ganha.Obviamente não. Eu realmente só quero saber se ganha o dia quando está comigo.

Gabby Chanell