Nada como um dia Apos o outro

Cerca de 1336 frases e pensamentos: Nada como um dia Apos o outro

E é tão bom ver seu sorriso após um beijo. Ah… É bom te abraçar forte e não sentir vontade de soltar mais. É, é tão bom, mas tão bom, ficar perto de você.

Maria Eduarda Gonçalves

"Após deixar-me naufragar nas profundas águas melódicas de cada nota musical, naveguei para uma realidade que não conhecia. Nessa outra realidade, chovia; eu era o oceano e, a chuva, as notas musicais que vinham do céu de encontro a mim, e quando as gostas da chuva chocavam-se com o oceano, nos uniamos em um só."

Rodrigo Felipe

Geralmente uma boa oportunidade se abre após sofrermos uma grande decepção, tristeza persistente pode causar derrota, tristeza passageira tem grandes chances de se converter em boas idéias.

Rodolfo Sperling

Nada como um dia após o outro para sabermos o que realmente sentimos né verdade? Hoje eu acordei com uma luz tão forte em meu rosto, e quando abri os olhos não conseguia ver nada, a não ser a imagem de seu rosto sorrindo pra mim. Parece até brincadeira ou mentira, mas o que eu posso fazer se eu só penso em você? Bom, eu não sei seus pensamentos, mas os meus não conseguem de jeito nenhum entender o que está acontecendo. E eu te faço essa pergunta: Se amar é tão bom, porque nos machucamos? Pergunta sem respota! E mais um lembrete. Antes que você me esqueça lembre-se do nosso primeiro beijo, aquele que nunca será substituído

Larissa Nola

Não é que seja ruim, apenas é normal...inevitavel, como ter de acordar após um sonho perfeito, no fim a realidade nos chama. Foi assim que percebi que jamais iria te ter do meu lado, não importa por quanto tempo eu, e talvez até mesmo você achou que podia ser, no fim a realidade nos chama e temos de acordar, tive de perceber que teria de passar a vida te vendo de longe, e nunca te tendo como num filme onde meu papel é de mera telespectadora, no fim acabei por me adaptar à ideia de só poder assistir e bater palmas ou chorar, como já disse não é que seja ruim, é simplismente normal, inevitavel!

Anike Cordeiro

O despertar
É tão difícil ter de despertar após um sonho bom, perceber que tudo foi sua imaginação é tão cruel porque foi seu próprio cérebro que lhe traiu... os olhos sempre levam um tempo para se abrirem totalmente, e se acostumarem com a luz da verdade, de que tudo foi ilusão... é obvio que em uma manobra desesperada tentamos voltar para o mesmo sonho, mas dificilmente conseguimos, pois não existe mais tempo de sonhar.. A vida insiste em continuar, o mundo não para pra que você se recupere, como sempre é a vida que novamente lhe cobra ações e atitudes, e você, mesmo que as vezes parecendo um sonâmbulo, imerso num limbo que fica entre um sonho e a realidade... você tem de continuar em frente!

Anike Cordeiro

A conquista é adquirida após diversos obstáculos ..

Vinicius Prates

"Nada melhor do que vários dias após o outro".

Djsouzza

Após nos decepcionarmos, sempre dizemos que nunca mais iremos nos apaixonar, que nunca mais iremos amar alguém. Mas então lá estamos nós, toda hora com alguém em mente, imaginando o que a pessoa está fazendo, se está bem, se está pensando em você, não suporta a espera para vê-la. E isso meu caro, é estar apaixonado. Mesmo que não seja recíproco, mesmo que algo impeça, não importa. É a vida. Podemos nos decepcionar mil vezes, mas sempre voltaremos ao início novamente, mesmo que não estejamos à procura, alguém sempre acaba nos encontrando.

Nana Calorina

O mundo pisa, naqueles que após cair , permanecem no chão.

Danielle Gomez

[parte 10]

Após ter dado a maior desculpa esfarrapada do ano, o nosso “mocinho” enfim foi tomar o seu café da manhã. Já não adiantava mais ter pressa pra nada. Ele ainda tinha 4 dias pela frente, no mínimo. “Isso tudo é ridículo” repetiu mentalmente várias vezes. Mas o “estrago” estava feito. Restava agora deixar o famoso “tempo” cuidar das coisas. E como a fazenda era grande, cheia de empregados, de moradores...ele ia se aproveitar disso e ficar ao máximo longe da menina.

Apesar da fome que sentia, ele sentou desanimado na grande mesa de madeira, que ficava na sala de jantar. A tia exagerou. Três tipos diferentes de bolo, pães dos mais variados formatos, sucos, geléias, frutas, ovos mexidos, leite, cereais, queijos e até uma torta salgada. Era comida para um batalhão. E naquele momento só estava ele e a tia ali. Enquanto ele partia lentamente (e com má vontade) um pão, a tia começou a compartilhar tudo o que havia planejado pra ele pelos próximos dias. Coitada. Ela estava empolgadíssima por ele ter retornado à fazenda, depois de tantos anos. E queria fazê-lo relembrar dos bons momentos que viveu ali, além de mostrar tudo o que mudou por lá. Ele não queria nada disso. O plano inicial era ficar deitado numa rede, lendo livros e dormindo a maior parte do tempo. Foi assim que ele planejou, foi assim que ele imaginou e foi por isso que ele resolveu ir pra lá. A tia falava, falava, falava e ele só conseguia responder com um sorrisinho daqueles bem falsos, bem forçado. Não ia contrariá-la, não ia estragar a animação dela. Mas no fundo ele nem estava prestando atenção direito no que ela dizia.

Enquanto isso a nossa ‘heroína’ estava lá, no mesmo lugar, ao lado do buraco. Chorou tudo o que quis. Chorou de soluçar. Já nem sabia mais o motivo exato. Tristeza? Vergonha? Mágoa? Sentimento de rejeição, abandono? Amor? Olhou para o diário e pensou: “Não adianta mais enterrar isso aqui. Vou ver o que faço com ele depois. Talvez eu coloque fogo...”. E com o pobre do caderninho nas mãos, ela saiu um direção à casa. Entrou, como a mesma sutileza de um gato, na ponta dos pés e quando ia em direção ao seu quarto, a tia chamou: “Vem aqui tomar café com a gente, menina!” Maldito assoalho de madeira!

Ela então apareceu na porta da sala de jantar e olhando fixamente pra tia (e só pra tia, porque sim... ela viu que ele estava lá, sentado na mesa), respondeu:

“Tia, eu não tô com fome e tenho que...”

“Ah, menina! Deixa de ser sem educação e senta aqui com a gente! Teu amigo veio aqui te visitar (!!!!!) e vocês nem tiveram a oportunidade de conversar direito e nada (!!!!!!!!!!!!). Vem aqui sentar com a gente, mandei fazer a torta salgada que você ama...”

Ele, que até então estava olhando fixamente para o prato cheio de migalhas de pão, a encarou. Lá estava ela: a doida, a lunática, a escritora, a apaixonada, a ‘linda’, com seu caderninho na mão. Visivelmente desconsertada, ela o encarou também, mas logo desviou o olhar e se sentou ao lado da tia. Pegou uma xícara de café (e ela sabia o quanto aquele café era forte) e começou a tomá-lo, sem açúcar. Que diferença fazia? Sua vida estava amarga também.

“Então...como eu estava falando pro nosso ‘carioca sumido’ aqui, tem muita coisa legal na fazenda que ele não conhece. E eu escolhi você, minha querida, pra mostrar tudo, afinal ninguém melhor do que você pra fazer isso”.

O café amargo, que até então estava sendo ingerido em pequenos goles, desceu garganta abaixo numa golada só. “O QUE? ISSO SÓ PODE SER BRINCADEIRA!” pensou. Ele, por sua vez, voltou a olhar para o prato cheio de migalhas e deu um sorriso do tipo: “quando eu acho que nada podia piorar a situação me vem mais essa!”.

Que cena mais cômica! (pra não dizer trágica). Os dois, imersos em seus pensamentos, depois de tudo aquilo que aconteceu, teriam que passar mais alguns momentos juntos e.... sozinhos! “Ótimo, ainda bem que deixei o buraco aberto, porque depois que acabar esse café estou indo lá me jogar dentro” pensou a pobrezinha.

“E aí, meninos?! Vocês estão muito quietos! O que me dizem? Já tenho até um lugar pra vocês irem agora mesmo. Hein? O que acham disso?”

De repente, ao mesmo tempo, como se tivesse sido combinado, os dois olharam um para o outro. Olho no olho novamente. E olhando fixamente pra ela, ele respondeu à tia:

“Será um prazer...”

(continua...)

Tainah Ferreira

Podemos dizer que o fogo após apagado será água? Da mesma forma em relação da vida após a morte...Um é oposto do outro!

Renato S. Araújo

As serenatas rompem os silêncios !
É madrugada , Varela e Castro Alves ,
Líricos , após tragos e mais taças
De cervejas vão abraçados com

Duas donzelas ! Byronismo é lâmpada
De postes nas ruelas ! A Veneza
É um mundo à parte , eles estão
Na comarca de São Paulo , garoa

Bastante e nessa graça ambos os gênios
Declamam os versos na orla da cidade
Adormecida, ao sabor de Baco !

Os trôpegos passos, as mentes lúcidas!
Nos ocidentes, os faróis dos mares
Ascendem idéias na mocidade !!!

Cláudio J. Morais

Caiu, levanta! Faz dessa queda um passo de dança e logo após descansa. A sua dor não é eterna. Vai passar. E se não passar agora, ora e não chora, levanta e continua a dançar.

Mychele Magalhães Velloso

Se reerguer após ser derrotado no amor é como tentar andar sem ter visão.

Bruno Felipe

Primeiro veio a ausência sonora, de repente não conseguia mais escutar qualquer som! E, logo após perdi a noção do espaço, simplesmente não conseguia ter qualquer noção de distância! O que houve com o tempo?! Tudo ao meu redor estava andando mais devagar! Por mais que eu pensasse, não conseguia entender como todas as leis da física estavam se quebrando na minha frente naquele momento! Por mais que eu tentasse, não pude lutar contra aquela força magnética que atraía brutamente a minha atenção e o meu olhar para aquela perfeita imagem... para aquela linda moça que estava a caminhar.

Paulo Henrique Alcântara

Sonho genealógico

Era uma noite de verão, estava quente e eu dormia.
Alguns instantes após comecei a sonhar e o que sonhei agora relato.
No sonho eu estava em minha própria casa revirando compartimentos e gavetas em busca de documentos que me permitissem convergir para o meu passado.
Queria descobrir o nome de meus bisavôs e trisavôs, etc. Contudo todo meu esforço era vão. Subitamente minha mãe apareceu no sonho e explicou-me que os papéis aos quais eu anelava estavam na antiga casa de meus avôs, naquele sitio onde passávamos todos os anos-novos.
Despedi-me da minha mãe e corri com afinco e esperança para a casa mencionada; enfim eu desbravaria minhas origens. Naquela paisagem onírica a casa estava tão bela quanto era na realidade - claro que minha mente usara minhas antigas lembranças para arquitetar aquele sonho - e toda uma atmosfera nostálgica pairava por sobre as arvores, a casa e os animais. Quando atravessei os umbrais da casa deparei-me com uma montanha de papéis amarelecidos atirados sobre os cômodos e o chão enquanto outros estavam fixados ao teto, como se a casa já estivesse a minha espera.
De repente ajoelhei-me sobre aqueles documentos e no primeiro que pus as mãos li o nome e o sobrenome do meu bisavô materno. Meus olhos pareciam não acreditar no que estavam lendo, parecia um sonho dentro de outro sonho. Eu descobriria tudo, tudo o que sempre ansiara para descobrir.
Tomado de euforia e já rascunhando e esquematizando minha arvore genealógica senti com se meus sentidos estivessem me abandonando, suave e perversamente eu acordava chocando-me com a realidade, a triste realidade onde estou perdido em um emaranhado de dúvidas que se conectam a outras dúvidas numa teia infinitamente colossal.
O golpe de misericórdia veio quando recobrei a consciência e lembrei-me que eu jamais encontraria essas respostas na casa de meus avôs, porque ela não passava de cinzas. Em futuro algum eu decifraria meu passado.
Minhas raízes sempre desapareceriam um pouco além dos meus pais, como se minha família tivesse surgido a pouco mais de cem anos nesta terra anciã, consumidora de vidas, algoz de todos os séculos.
Somente os sonhos trazem o que a realidade se nega a revelar.

Idenir Ramos

Quem ama verdadeiramente tem o hábito de conquistar a pessoa amada dia após dia.

Phillipe Khrys