Muito Triste não poder Viver nosso Amor

Cerca de 187 frases e pensamentos: Muito Triste não poder Viver nosso Amor

Vida cigana

Oh, meu amor!
Não fique triste...
Saudade existe pra quem sabe ter,
Minha vida cigana me afastou de você,
Por algum tempo eu vou ter que viver por aqui, longe de você,
Longe do seu carinho...
E do seu olhar, que me acompanha tem muito tempo
Penso em você a cada momento
Sou água de rio que vai para o mar
Sou nuvem nova quem vem pra molhar essa noiva que é você
Para mim você é linda
A dona do meu coração
Que bate tanto quando te vê
É a verdade que me faz viver
O meu coração bate tanto quando te vê
É a verdade que me faz viver...

Ratto

O amor é feito flecha que atinge o alvo, não chora por perder um amor, mais triste seria se nunca tivesse encontrado um.
O amor brilha mais que o sol, um coração apaixonado.
Amor de criança inocente, amor de adolescente inconseqüente, amor maduro amor prudente que se mantêm sempre no coração da gente.
Mas o que mais quero é um sincero
"AMOR"

Ademar Augustinho Cornely (eu)

Minha boca diz:não ligo mais, mas ai meu coração diz: eu não aguento mais.

laecio brigido

ÚLTIMO 5 MINUTOS

Viverei além da poesia,
dos versos tristes
e da ausência de luz,
viverei além das fadas,
além dos fatos
que modificaram
minha alma,
viverei em rimas
alegres e de esperança,
viverei na intensa
força de criança,
viverei a imensa
forma do amor,
viverei a eterna
fórmula de viver.

Ricardo Mallerba

Nos conflitos que excitam a minha mente, me faz demente e, nessa estrada me encontro e me perco, nos sorrisos, lágrimas, apegos... de um amor talvez distante, vejo o bastante.. para querer viver e morrer, estando amargurado ao sorrir, e feliz ao entristecer, talvez eu queira assim, talvez eu queira sobreviver.

Rosane Oliveira- Rosanezane

E a triste partida aconteceu. Não me era justo viver mais daquela maneira. Estava cercada de medos, angustias e algo que não sabia bem ao certo o que era. Sabia que não me fazia bem, que eu não estava bem e que eu precisava admitir antes que fosse tarde para tal ocasião. Meus valores tinham mudado, minha saúde tinha evaporado. Tudo havia fugido pela culatra e a única coisa que me restava era esta carne que aqui vos escreve estas palavras frouxas, sem nexo, sem vinculo nenhum mais com a palavra, na verdade não queria mais nem ouvi-la tão cedo.
Aquela menina ria para todos que vivia que amava a felicidade tinha trocado de rumo e experimentado o que está com alguém, o que dedicar-se a alguém, criticar alguém e percebeu que algo já não estava mais ali: sua alta confiança. E quem poderia fazer algo por ela? Será que havia saída para tudo aquilo? O que seria isto? Amor?Apego?Dor?
Lamentação tinha-se bastante, força quase mais não se existia, mas enfim ela ouviu a voz que tanto a alertava... Enfrente os seus medos.

Gilige

Triste Lamento.

Te faço importante e você insiste em não me dar importância,
Te faço estrela brilhante, mas você sequer vê meu brilho.
Te faço a primeira e pra você sou zé ninguém.
Te trato com prioridade e você me tem como empecilho,
Te faço presente e você nem nota a minha ausência.
Te daria minha vida! E você por mim? Nenhum vintém.

Me faço palhaço para fazer você sorrir,
Me faço santo para te consolar,
Me faço herói para te defender!
Você não liga se eu chorar,
Eu estou triste e você nem aí!
Talvez nem se importe se eu vier a morrer.

Me dei por inteiro e você nem metade quis ser pra mim.
Enquanto eu queimava de paixão, você era gelo na indiferença,
Uma pedra fria inerte que repousa calmamente na vaidade.
Outras vidas, outros amores, outra alegria e outra presença,
Hoje é outra flor que enfeita seu vasto e frio jardim,
Mais um que se ilude por te amar de verdade!

Mas sou forte e um dia tomo vergonha na cara
E de você nem guardarei uma pequena lembrança,
Te arrancarei da minha vida e da minha memória.
Não guardo mágoa e nem guardo esperança.
E essa dor? Quem sabe um dia, ela sara
E apago de vez, essa triste história!

Rodrigo Cordeiro

Quem diria que a vida iria me deixar assim, feliz por te encontrar e triste por não te ter aqui.

Parece que é sina minha viver e morrer de saudade, porque o meu amor teve que ir pra outra cidade?

Mas continuo assim, vagando pelo mundo, tentando achar alguém que cuide desse nobre vagabundo.

E eu encontro alguém que me faça sorrir, mas não consigo encontrar aquela me faz feliz.

Ei moça, esse nobre vagabundo continuará vagando, girando pelo mundo, com a esperança de encontra-la nem que seja por apenas 1 minuto.

Porque nesse mundo de cão o nobre vagabundo parece perdido na razão do coração.

Mas a moça consegue enxergar uma alma carente, que ama, perdoa e que sente.

Que precisa de um amor, que traga afeto e carinho e que diga em um tom bem baixinho : -'eu estou aqui e não vou te deixar sozinho'!

Amadurecencia

Não me perguntes.....não perguntes.....
Como me sinto......amor....
Só sei que estou triste ....e cansada....
Preciso de espaço......de tempo....
Do silêncio......do nosso quarto .......
Das janelas.....fechadas.....sem sombras....
De lugar vazio na noite...
De palavras mudas.....
Onde bebi um copo de vinho azedo......
Mas queria beber contigo.....
Uma taça de vinho doce...doce...
Como o nosso amor....
Colher-te.... agora no meu regaço....
Um silêncio reconfortante....
Lençol de linho macio no nosso recanto......
Eu dou-me inteira....e quero-te...
Quero-te por inteiro....
Corpo todo meu.....cama desfeita em paixão......
Na penumbra da tua ausência....
Memória do teu rosto.....
Não quero meios abraços.....afagos.....
verdades......ou beijos...
Quero tudo amor....não me perguntes.....
Porque....tu já sabes amor..!!

Isabel MoraisRibeiro

"Como deve ser triste viver assim, sufocando a si mesmo, escondendo-se, amando e sofrendo em silêncio. Por que, Senhor, as pessoas ainda não compreenderam tuas lições, tão simples e roteiros tão seguros para nossa felicidade? Por que ainda vivem julgando umas as outras e impondo cadeias e gaiolas de conceitos vazios onde sofrem e até enlouquecem? Por que não aceitam, vivem e deixam os outros viverem conforme sua necessidade e capacidade naquele momento? Não, ainda são rígidas, orgulhosas e sei eu mais quanta coisa."

JOSÉ ANTÔNIOAna Cristina Vargas - O Bispo Amor e sexualidade face a face

Te amar foi sempre a parte mais fácil, difícil é aprender a viver sem você. Te amo mais que tudo, se eu pudesse seria parte de você. Seria seu coração e quem sabe assim você machucaria menos o meu.

Joseh Silva

Foste meu amor...Partiste...
Sem ti fiquei...amargurada e triste
Tu não me ouves,eu quero ser ouvida!

Fiquei só...sinto-me abandonada
Como uma flor no deserto
Como o pôr do sol a desaparecer
nas águas do oceano...

Estou só...sinto-me só
Sigo um caminho difícil
um rastro de amor e de dor

Daqueles que nunca se esquecem
Pois o amor e o respeito ..
que temos um pelo outro é grande...
Então nascerá o dia e ...juntos o abraçaremos...
Tu...Eu...Para a eternidade, só nós dois meu amor. !!

MariaIsabelMoraisRF

É triste uma mesa sem pão, porém é trágica e pobre uma alma sem fé, pois não passa de vida sem sonhos!

Reinaldo Ribeiro - O Poeta do Amor

Triste sina

Triste sina está minha,
de viver sem ter amor.
Esperança ingênua tinha,
de encontrar o meu tutor.

Retraído e em segredo,
o destino me confessou.
Fez da vida um brinquedo,
e a minha sorte, extraviou.

Crueldade para comigo,
que tanto busco por ardor.
Até parece que é castigo,
perdurar sem meu amor.

Minh’alma triste e sofrida,
do sonho se desencantou.
Agora vaguei pela vida,
Remoendo o que restou.

Enide Santos 23/04/14

Enide Santos

AMOR

O amor que aqui existe
não nasceu para ser triste
por viver cada segundo
não tem como descrever
o que sinto por você
é o maior amor do mundo!

Guibson Medeiros

Sou a realidade que o amor existe

Ele já pude viver

Não há nada que possa me fazer triste

Desde que conheci você

Bruna Abrantes

Que eu possa demonstrar o meu amor enquanto eu viver.
Porque não há nada mais triste do que nascer...
crescer e morrer sem nunca ter aprendido a amar.

Anna L Ramos

É triste tarde sem sol,
É triste noite sem lua,
É triste viver no mundo,
Sem ter noticias suas!!!

Maria giullya

São seis horas da manhã e eu tenho que lhe contar algo. Sério, você não vai acreditar no que eu tenho para lhe dizer. Está chovendo forte, tem um vento frio que traz os pingos gelados para perto da gente. Eu abri a janela para espiar e o barulho da água rolando no telhado ficou mais alto, muito mais alto, tão alto que fiquei com medo. Sabe aquela chuva que vem com força, parecendo querer lavar a cidade? Então. Está um pouco mais forte que isso. Ainda não amanheceu, acho que esse tempo molhado atrasará a claridade do dia. Eu fiquei olhando para o céu por alguns minutos e me deu uma vontade louca de sair na rua e ser lavado por essa água congelante. Está frio, muito frio. Mas eu fui. Sério, eu fui. Eu abri a porta e saí de casa. É, eu disse que você não acreditaria. Eu sou louco, mas você sabe disso. Você me conhece tão bem sem nem ao menos saber da minha existência. Lá fora, o vento levou meus cabelos para trás e eu fechei os olhos resmungando. Meu rosto estava completamente molhado, senti como se estivesse colocando a cabeça dentro de um congelador. Eu fiquei parado ali perto da grade que fica na frente do quintal olhando para o calçamento da rua que parecia estar resvalando. Sei lá, deu vontade de abrir o portão e dar uma volta. A água vinda dos céus continuava mantendo a temperatura do meu corpo um pouco baixa me fazendo tremer. Você acredita que eu saí portão à fora? Sim, eu saí. Estava escuro, estava chovendo e o frio deixava minha boca roxa. Eu fui até a esquina que tem aqui perto e sentei naquele degrau que eu costumava sentar sozinho há alguns anos atrás. Eu me senti tão sozinho. Minhas roupas estavam totalmente encharcadas e eu continuava tremendo. Não havia nada na rua, nem carros, nem pessoas. Estava tudo deserto. Foi nessa hora que eu fechei meus olhos e pensei em você. Eu não lembro muito bem o que veio à mente, parecia que eu havia me desligado do mundo e entrado na inconsciência. Eu estava com tanto medo. Medo de ficar assim por muito tempo, medo de ser engolida por essa solidão sombria que se perdia no escuro chuvoso da noite. Mas eu vi o seu sorriso. Eu juro que vi. Eu gritei o seu nome na minha mente e você sorriu. Você sorriu para mim. Acho que eu sorri também. Não sei, não lembro, não tenho muita certeza, mas eu senti uma gota quente escorrer pelo meu rosto em meio a água da chuva que me banhava. Sabe, eu senti um aperto no coração. Dá para acreditar? Eu sempre fiz de tudo para ser forte e vencer o meu maior medo sem precisar de ninguém, mas agora eu me encontrei preso em uma gaiola feita de um material muito brusco e forte, eu me encontrei aqui chamando o seu nome. Eu sinto minhas forças irem embora e eu finalmente estou precisando de alguém. Mas não é um alguém qualquer. É você. Eu acho que fiquei ali sentado por uns dez minutos olhando para o nada e ouvindo a sua voz cantando para mim dentro da minha cabeça. Você cantava a nossa música, aquela que me acalma, aquela que você sabe que pode ser usada como antídoto. Você sabia o que cantar porque você me conhece. Você me conhece tão bem sem nem ao menos saber da minha existência. Você me conhece porque nós dois somos um só. O vento aumentou sua velocidade me despertando da fantasia e me forçando a mover meus pés de volta para casa. Demorei um pouco para entrar, fiquei no quintal, perto da minha janela, pensando um pouco mais em nada. Acho que era disso o que eu precisava: viver o irreal. Eu não sei por que eu saí de casa, nunca me dera essas crises loucas antes, eu posso ter pego um resfriado, sei lá, daqui a pouco vou começar a tossir. Mas a chuva, a água que congelava meu corpo, era amena. A água que limpava a cidade, escorria pelo meu corpo tentando levar toda a dor que me habita. Era irreal. Eu juro para você que era. Parecia algo do além, algo curável. O banho quente que eu tomei depois foi como um choque no meu sistema. Eu acordei. Não foi nem um pouco parecido com o momento em que o vento acelerou e me fez voltar para casa, foi algo muito mais que isso. Eu acordei do irreal. Daquela chuva, daquele frio, daquela coisa do além que supostamente tentou levar minha dor embora. Sua voz sumiu da minha mente. Você não cantava mais, você não estava aqui. Eu fiquei sozinho e assustado de novo. Eu continuo precisando de você, eu me rendi, eu admiti que não sou forte, eu gritei. Eu fiz o que pude. Você não ouviu, não me notou. Talvez você fique tão espantada com tamanha loucura que eu obtive de sair por aí sozinho e não se convença. Mas eu disse lá no início que você não iria acreditar no que eu tinha para lhe dizer. São seis e dez da manhã e o céu continua escuro, o barulho da chuva ainda está alto e a janela continua aberta. Eu olho para a água caindo lá de cima e lembro da sensação estranha que eu senti há trinta e cinco minutos atrás quando as gotas bateram no meu corpo e eu estava sozinho pensando em você. Você é minha única saída, é a única pessoa que pode me ajudar. Você está com o pouco de força que ainda me resta. Você pode desacreditar disso também, mas só você pode espantar o medo e a dor que habitam meu coração.

Leonardo Romanelli Guimarães

Triste mesmo é quando não amamos a nós mesmos.
É, pois as vezes chamamos de amor aquilo que acreditamos sentir pelos outros. Não por nós mesmos.
Aquilo que muitas vezes, ou quase sempre, egoísta, impomos ao outro. Como parte daquilo que chamamos também de entrega.
E cobramos.
Chamamos de amor aquela parte que achamos que estamos doando, mas apenas emprestamos a prazo. As vezes, com juros.
Triste mesmo, é vomitar doçuras, escrever purezas e na vida, na rua, no olho, emitir desprezo, amargura, egoísmo.
Triste mesmo é achar que amor é ensinar. Quando quase sempre, é aprender.
Triste é quando buscamos amor naquilo que não é nosso, e nunca será. Quando tudo que nos pertence, escolhemos ignorar.
Triste é não ver o amor transbordando ao nosso redor. Para valorizar aquele amor minguado, quase implorado daqueles ou daquilo que não ha nunca de nos afagar.
Triste. E o amor, não deveria ser triste.

Fabia Homobono