Morte

Cerca de 5685 frases e pensamentos: Morte

A velhice é uma tirania que proíbe, sob pena de morte, todos os prazeres da juventude.

François La Rochefoucauld

Arrepender-se do passado, aborrecer-se no presente, temer o futuro: assim é a vida. Só a morte, a quem está confiada a renovação sagrada das coisas, me promete a paz.

Ugo Foscolo

A morte é sempre e em todas as circunstâncias uma tragédia, pois, se não o é, quer dizer que a própria vida passou a ser uma tragédia.

Theodore Roosevelt

A vida anuncia que renuncia a morte.

O Teatro Mágico

A vida é o princípio da morte. A vida só existe em função da morte. A morte é acabar e começar ao mesmo tempo, separação e união mais estreita consigo mesmo.

Friedrich Novalis

A morte de uma organização acontece quando os de baixo já não querem e os de cima já não podem.

Lênin

O homem livre, no que pensa menos é na morte, e a sua sabedoria é uma meditação, não da morte, mas da vida.

Baruch Espinoza

Nada é mais certo neste mundo do que a morte e os impostos.

Benjamin Franklin

Depois da morte não há nada e a morte também não é nada.

Sêneca

Quando chega a morte, não é da nossa ternura que nos arrependemos: é da nossa severidade.

George Eliot

A morte é de fato o fim, no entanto não é a finalidade da vida.

Michel de Montaigne

Acontece com a velhice o mesmo que com a morte. Alguns enfrentam-nas com indiferença, não porque tenham mais coragem do que os outros, mas porque têm menos imaginação.

Marcel Proust

O ócio sem estudos é como a morte e a sepultura do homem vivo.

Sêneca

Devemos chorar as pessoas à nascença, e não aquando da sua morte.

Barão de Montesquieu

Sabe-se que enquanto vivemos estamos mais ou menos expostos à inveja, mas depois da nossa morte os nossos inimigos deixam de nos odiar.

Demóstenes

Pessoas vivendo intensamente não têm medo da morte.

Anaïs Nin

A nossa natureza consiste em movimento; o repouso completo é a morte.

Blaise Pascal

Do viver que é uma corrida para a morte.

Dante Alighieri

Não é da morte que temos medo, mas de pensar nela.

Sêneca

As sem-razões do amor

Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade