Meu Filho Nasceu

Cerca de 4765 frases e pensamentos: Meu Filho Nasceu

Por que Natal ?

Jesus nasceu!
Os “herodes” modernos não conseguem entender os sinais das estrelas e continuam abandonando milhões de crianças pobres pelas ruas deste Brasil-Belém. Corações-hospedarias estão superlotados de ganância, ódio, egoísmo. Não há lugar para Jesus!
“Há rumores por toda parte...Onde está o Messias ?”Os reis e poderosos da Terra ainda fazem a mesma pergunta que fizeram na noite mais linda da humanidade: Onde está Jesus? E a história conta que Jesus dormia, terno e sereno, nas barbas do poder, mas Herodes não O encontrou. Estava cego. Os poderosos continuam cegos. A simplicidade do Rei do Universo confunde os homens.
Jesus Cristo está entre nós, simples, objetivo e real. Seu discurso já foi traduzido para nações e povos, todavia, ainda “há rumores por toda parte...”Os tratados de guerra se efetivam e as pessoas se destroem, porque o vírus do poder venceu a barreira dos séculos e chegou até aqui. Jesus é paz!
As estrelas falam para aqueles que se preparam para ouvi-las. Os Reis Magos continuam sua caminhada histórica na direção do Mestre, porque na verdade, eles representam a visita da humanidade: tão poucos... O presépio de Belém está aceso, apenas mudou-se de Belém para alguns corações dos habitantes da Terra. Onde está Jesus na sua vida?
Esteja preparado para que o Natal seja uma oportunidade de profunda reflexão sobre o momento atual.

Ivone Boechat

"O Filho do homem chegará quando ninguém mais estiver esperando"

Jesus Filho

A vida não se resume em quantas vezes você respirou, mas nos momentos que tiraram seu fôlego

Milton Filho

As vezes amamos profundamente sem saber direito porque. Isto é normal, pois o amor nasce no coração e se espalha por todo o corpo. A razão é a ultima a saber.

Barbosa Filho

O que sinto por Você
É inexplicável
Se não fosse inexplicável
Seria muito difícil dizer
Se não fosse difícil dizer
Não seria amor pra valer
E, se fosse fácil dizer
Seriam duas palavras
AMO VOCÊ.

Wellington Filho

Mulher: indescrítível criatura cuja incansável e inestimável força de viver nos torna insignificantes diante dela.

Barbosa Filho

Temos o poder de mudar vidas com simples ações. Por isso devemos pratica-las com discernimento, responsabilidade e, acima de tudo, muito AMOR.

Barbosa Filho

PAI
Presente, Atuante e Incentivador.
Protetor, Áustero e Imbativel;
Paciente, Apoiador e Insistente;
Parceiro, Amigo e Irmão;
Piegas, Admirador e Infantil;
Paixão, Amor e Idolatria

Muitos adjetivos cabem na definição de Pai;
E todos eles não bastam para descrevê-lo

Barbosa Filho

Uma vida só tem sentido quando nós colocamos sentido nela, ou entao ela vai virar uma coisa tão ruim que você vai desejar uma outra vida, ou pior ainda, vai desefar nunca ter nascido

Winston filho

AMOR DA AMIZADE

O amor da amizade.
È um amor que vai somando.
Começa na simplicidade.
E sempre vai aumentando.

Vai com sua força abençoada.
Todo afetivo e de humanidade.
É um amor Camarada.
É um amor de dignidade.

Abrange o universo inteiro.
Com sua luz sagrada.
É um amor Companheiro.
Nos faz a alma abençoada.

É um amor ideal.
Por nada deixa na mão.
Está junto no social.
Está junto contra a opressão.

É um amor Universal
Da total realização.
Da igualdade seu igual.
Da partilha e da comunhão.

É o Amor do Mestre Senhor.
O amor de amar como irmão.
D e pelo próximo AMOR.
De Misericórdia e Comunhão.
Azuir

Azuir Filho

As vezes damos valor demais a quem não merece, e quem merece, muitas vezes é esquecido.

Zé Filho

A melhor forma de observarmos o tempo que passou é através daquilo que construimos, das lições que aprendemos e das amizades que fizemos.

Barbosa Filho

O verdadeiro amor não traz consigo sofrimento, egoísmo, ciúmes ou orgulho. Amar é dar o melhor de si pela pessoa amada, sem necessidade de propriedade ou retribuições. Quem ama confia, respeita e perdoa."

Barbosa Filho

Porque te dá um medo filho da puta: ser feliz, medo de amar, medo de ser bom. Tudo que faz bem pra gente, a gente tem medo.

Cazuza

O parto

Três dias de parto e o filho não saía:
— Tá preso. O negrinho tá preso — disse o homem.
Ele vinha de um rancho perdido nos campos,
E o medico foi até lá.
Maleta na mão, debaixo do sol do meio-dia, o médico andou até aquela longidão, aquela solidão, onde tudo parece coisa do destino feroz; e chegou e viu.
Depois, contou para Glória Galván:
— A mulher estava nas últimas, mas ainda arfava e suava e estava com os olhos muito abertos. Eu não tinha experiência nessas coisas. Eu tremia, estava sem nenhuma idéia. E nisso, quando levantei a coberta, vi um braço pequeninho aparecendo entre as pernas abertas da mulher.
O médico percebeu que o homem tinha estado puxando. O bracinho estava esfolado e sem vida, um penduricalho sujo de sangue seco, e o médico pensou: Não se pode fazer mais nada.
E mesmo assim, sabe-se lá por quê, acariciou o bracinho. Roçou com o dedo aquela coisa inerte e ao chegar à mãozinha, de repente a mãozinha se fechou e apertou seu dedo com força.
Então o médico pediu que alguém fervesse água, e arregaçou as mangas da camisa.

p. 222

Ressurreições / 2

Eram os tempos da ditadura militar no Brasil.
Os generais deixaram-no entrar para que morresse em sua própria terra. Darcy Ribeiro chegou do exílio e uma ambulância, que o esperava ao pé do avião, levou-o diretamente ao hospital.
Darcy sabia que estava com câncer, e que o câncer tinha devorado pelo menos um de seus pulmões, mas estava alegre de alegria por estar na sua terra e sentir que ela estava tão sempre-viva e dançadoura.
O irmão de Darcy chegou da cidade de Montes Claros. Vinha para se despedir. Sentado ao lado de Darcy no hospital, olhava os próprios pés. Estava choroso e sombrio e Darcy tratava de levantar-lhe o ânimo. O cirurgião tomou Darcy pelo braço e levou-o para caminhar pelo corredor:
— Não quero desanimá-lo — disse —, mas acho que o senhor deve preparar-se para o pior. Se o seu irmão sair vivo, será um milagre.
Darcy não pôde conter o riso, e o médico não entendeu.
No dia seguinte, foi operado. Darcy despertou com um pulmão a menos. Como tem tantos, nem percebeu.

p. 223

As formigas

Tracey Hill era menina num povoado de Connecticut, e se divertia com diversões próprias de sua idade, como qualquer outro doce anjinho de Deus no estado de Connecticut ou em qualquer outro lugar deste planeta.
Um dia, junto a seus companheirinhos de escola, Tracey se pôs a atirar fósforos acesos num formigueiro. Todos desfrutaram muito daquele sadio entretenimento infantil; Tracey, porém, ficou impressionada com uma coisa que os outros não viram, ou fizeram como se não vissem, mas que deixou-a paralisada e deixou nela, para sempre, um sinal na memória: frente ao fogo, frente ao perigo, as formigas separavam-se em casais e assim, de duas em duas, bem juntinhas, esperavam a morte.

p.231

Eduardo Galeano