Metamorfose

Cerca de 154 frases e pensamentos: Metamorfose

Evoluir é uma necessidade, não vou dizer que sou apenas isso, por que sou realmente uma metamorfose ambulante e fico feliz por isso. Por saber que mudo de idéia todos os dias. Por saber que ser só uma não é interessante. Mudar é preciso para evoluir a alma...transformar carma em darma...

Zainne Melo

Somos borboletas de Deus! Passamos pelo apertado e sufocante casulo,mas a metamorfose nos transforma em seres ainda mais belos.

Day Anne

Penso ser uma borboleta em total metamorfose, oras estou em cores, oras me escondo...casulo ou asas?

Cecilia sfalsin

Metamorfose - I

É bossa nova o som que sua luz toca
Mescla os raios de sol ao puro vermelho
Que enaltece sua branca face em anseio
A confirmar meu juízo: é carioca

Mas não conclua agora nem muito pense:
Leves traços, mas seu olhar irradia
O poder de atrair com toda a ousadia
E assim me faz pensar: é brasiliense

É a moça que brinca com meus sentidos
É dentre todas, a mulher mais bela
É a dona dos tesouros escondidos

Onde o sol e o céu são somente dela
É a menina que faz sonhos partidos
E eu pergunto: afinal, quem é ela?

Petrônio Augusto Carvalho Olivieri Filho

Apesar das dores da metamorfose, é sempre enriquecedor nos "metamorfosiarmos".

Rosa Berg

METAMORFOSE


Lá vai a feia lagarta deslizando com seu jeito desengonçado por entre folhas e flores. Ela está sempre apressada, em busca de alimento. Não percebe o sol que a aquece, a brisa que a toca, nem as belezas que a cercam. De algum modo ela sabe que tem de ser rápida. Acumular energia, seu instinto a avisa que seu tempo é limitado, finito. Então sua forma flácida desloca-se sem parar.
Eu fico olhando-a, tomada de certa repulsa, controlando a vontade de jogá-la para longe de mim, ou, com a primitiva crueldade inerente a todo ser humano diante do feio, esmaga-la sob meus pés.
Mas algo em mim se contém. Ela é tão persistente! Repentinamente sinto-me tão parecida com ela. Penso na minha fase lagarta. É quando embrenho uma corrida desenfreada na selva do meu cotidiano, em busca de alimento que abastecerá meu EU. Fase egoísta onde se me é difícil olhar para o lado. Onde meus sentidos conduzem-me como autômato, em busca de acúmulo de energia estagnada, que torna meu espírito obeso. Mas definha minha capacidade de doar e torna anoréxica minha compreensão.
Tenho fome e tenho pressa! Mas não tenho uma meta, um objetivo ou um rumo. Nem consciência. Apenas existo.
Então, das entranhas da minha alma, sinto nascer uma nova necessidade. Eu não a compreendo a princípio. É também uma espécie de fome: falta-me um complemento. A pressa sai de mim e achegam-se às divagações, começam os questionamentos. E o mundo que antes era meu limite, torna-se cansativo.
Lá vou eu, feia lagarta, construir um casulo, onde, na escuridão permanecerei inerte.





Difícil decisão! Admitir que meu espírito é flácido, gelatinoso. Não gosto da forma que tenho, não suporto mais ser lagarta. No aconchegante escuro do casulo onde me encontro, readapto minha visão. Fecho os olhos, abro a percepção e olho para dentro.
Espio nas gôndolas da despensa de minha alma, avalio os alimentos ali estocados.
Quanta coisa que nunca consumirei! E quanta fonte de energia sadia!
Ei! Eu não preciso de tudo isso que guardei. Posso repartir, alimentar.
Olhando com mais atenção, vejo que na ânsia de abastecer-me, tornar robustas minhas certezas, muitas coisas perderam o prazo de validade:
Tornaram-se dúvidas.
Repentinamente o breu torna-se luz e posso ver com exatidão. Ela, a esperança, vem fazer-me companhia. Mas ainda sinto o frio da solidão.
Não posso mover meu corpo inferior, as pernas da minha força de vontade ainda estão atrofiadas. Começo uma longa sessão de exercícios, reeducarei meu instinto, alongarei minha bondade e estirarei ao máximo os músculos do amor incondicional. Então, depois de muito tempo sinto uma nova sensação. Ela sai de mim em forma de uma morna lágrima, deslizando silenciosa pela face resignada da honestidade para com minha condição.
Quero sair daqui, quero nascer de novo. Adquirirei uma nova forma.



O suor escorre de minha face enquanto rasgo o útero da minha segurança. Os soluços do choro que não pode ser contido umedecem as finas membranas que me farão adentrar num mundo novo e desconhecido.
E nasço de novo! Sinto dor. A dor de nascer e saber se impossível retroceder.
Movo os longos apêndices que saem de mim. São asas! Posso voar. No afã de recomeçar, recolho todos os meus pertences, quero subir, redescobrir.
Muito rapidamente percebo que não posso levar nenhum peso sobressalente. Então dou um emocionado abraço de despedida na parte de mim mesma que ficará para trás e o vento brando me leva sem rumo.
Provo o néctar doce da emoção, sinto o perfume da minha nova capacidade. Sou a persistência de levar a beleza. Sou a candura de ver um mundo encantado. Sou a poesia da renovação. Infinitamente mais frágil, mas serenamente mais sábia.
Meu íntimo avisa-me que este é meu último estágio, devo desviar-me dos ventos fortes das dificuldades, do peso sufocante do medo da altura. Embrenhar-me neste fascinante mundo do querer. Eu não tenho nenhum medo de errar.

Mommentum ad Infinitum

Somos o ser da metamorfose ininterrupta. Nossas transformações são mais alucinantes que de uma larva, que depois de virar borboleta, morre.

Kléber Novartes

Essência em mutação...



Estou como lagarta virando borboleta, em plena metamorfose.
Bebendo vinho com doses de ousadia...
Comendo do pão da intrepidez...
Configurando minha vida e dando forma as minhas roupas.
Roupas vívidas e otimistas.
Alinhando meus passos, desenhando e colorindo os meus sonhos.
Buscando ser inteira, sem sombra, sem mácula.

Ser a história lida, e bem resolvida.
Ser avenida movimentada, não gosto de ruas paradas!
Ser o curso concluído no meu currículo.
Fazer do meu corpo instrumento vivo, ativo...
Produzindo música...
Música essa, que me levará às portas da promessa.

Ser o presente bendito sem envolto algum, recebido com prazer, com gozo.
Gozo esse, que trará a cada dia, felicidade para minha existência,
em ligação direta com meu coração, sem indagação!

Horas poeta, horas artista.
Idealista, é o que eu sou!
Sigo na pista em busca da conquista...
Conquista da superação.
Superação do velho, do novo.
Do que está por vir sem rejeição!

Na aquarela do meu viver, pintar meus sonhos.
Na cidadela da minha alma, ser estrela sem limite de duração.
Ser água de dia, límpida, branda e fresquinha...
E que venha o fogo de noite, acender meus desejos e repor minhas energias.

Camila Senna

Cansei de mim, agora quero você. Cansei desses dias tão iguais, cansei dessa metamorfose que existe nesse nosso espaço, é o único em que podemos só falar, e não ouvir nada.
Cansei do tempo, quero o passado. Sabe, a estória paranoica de Alice, ela sonhava ou vivia? Confunde a cabeça, ela se refez, se propôs um novo começo, e fez assim. Começa no coração, e depois vai pra cabeça, e depois desse mais lá pra baixo. Eu quero entrar em sua casa, bagunçar a sua vida, remexer nas suas coisas e virar do avesso sua rotina. Eu quero deitar-te no chão gelado da sala, abanar seus cabelos, fazer do nada, um tudo. Eu quero parar de ser eu, e ser nós dois, eu quero deixar pra lá o que já está esquecido. Vamos fazer isso juntos, parar de tentar lembrar, porque querendo esquecer você se lembra ainda mais.
Vem cá, te conto estórias, e faço você dormir, vem cá, simplesmente vem. E deixe o depois pra depois, não pense no amanhã, viva hoje, e comigo. Seja a mais linda das flores, seja o que quiser, seja o que eu quero, me deixa pelo menos imaginar. Esse meu lado egoísta que carrego sempre comigo, as vezes disfarço mas você percebe, eu quero ser, então tenho que deixa-la ser também.

Luana Rodrigues.

metamorfose - meta amor fase

Enquanto alguns
pensam em estratégias
de sedução para as borboletas,
penso que seria
para mim mais interessante
me tornar uma delas.

Milena Palladino

Eu sou assim, essa metamorfose ambulante, menina que não sabe amar. Eu me dou, juro que sim! Se entrego com todos os mais verdadeiros sentimentos. Mas é difícil admitir que não sei amar. Talvez seja pelas inúmeras vezes que o AMOR me machucou. Sei que um dia vai aparecer um cara legal, com sentimentos legais e chegará pra me amar de verdade. Estou cheia desses caras que acham que sabem aar, porem no fundo só existe um coração vazio e uma necessidade de um corpo colado junto ao dele . Muitas vezes as necessidades físicas dos homens falam mais alto. Mas com certeza existe alguém que queira realmente ser amado e amar incondicionalmente alguém

Ana Bell

Chuva que cai, que limpa, que suja, que refresca, que vitaliza e que evapora, és metamorfose. Saudades suas, da preguiça, do murmúrio dos respingos, da lama no sapato, do dormir acobertado. Sejas bem-vinda novamente e que tragas boas novas nessas secas vidas.

Ricardo Fonseca

tem horas que se faz necessário mudar evoluir corrigir,fazer uma metamorfose e so assim poderemos nos livrar de tudo que nos fez mal e abriremos nossa mente e coração para coisas novas que seja bem vindo se é pra minha felicidade

Maria A Alcântara

Metamorfose

Meus poemas
são borboletas...
Que voam...
Em buscar de néctar.
Nos corações de quem os leem.

Dayse Sene

Paixão, é uma metamorfose incerta, onde à mudança pode vir a transformar em amor ou não.

Amaury Caíque

Hoje somos a metamorfose do conhecimento e a incógnita do ser racional...!!!

Vítor Santos

CAMINHADA LENTA

A caminhada quando inicia de forma lenta
Se dá em metamorfose em desfechos bruscos e tenebrosos!
Consolidados na tragédia de membros e na forma de pensar sufocada pela ingratidão do tempo, que não espera decisões tardias.
No tempo, os ventos sopram de forma gélida, saídos de nuvens negras e pesadas de negatividade, que agridem histórias e histórias.
Reagentes, pesticidas
Bactérias, homicidas
Vírus, suicidas.
As mesmas formas, que um dia são diferentes, tornam-se iguais as formas iniciais.
O que um dia mostrou-se findar tragicamente e funestamente
Sucumbe a insignificância de uma esperança ao deparar-se com a lentidão de leitos úmidos sobrecarregados de lágrimas.
Agora paradas leves para brisas leves.
Nuvens espessas e rostos distantes e sem emoção perdidos no vazio do nada e sem recordação.
Aqui jaz um sentido.
Que outrora houve melancólica vida
Somente o nada sem fim, e não mais o cárcere frio da solidão.
Aqui jaz um eu, um seu, um meu
Aqui jaz uma ilusão.

Tatiana Sobreira

METAMORFOSE

Minha vida consiste agora
De idas e vindas
Partidas e chegadas
Chegou a hora
Mudança, transformação
Ao alcance da minha mão
É só eu querer
Deixar acontecer
Vou me arriscar, tentar
Sem medo de fracassar
Não olharei para trás
E se eu vier a chorar
Não será por covardia
Minha noite enfim, tornar-se-á dia

Cláudia Banegas

Metamorfose

Minha poesia é um
mapa aberto em alusões,
onde minha identidade é trocada.
Nela saio de mim
e ultrapasso meus limites,
num ritual que sempre
celebro o avesso.

Rosemary Chaia

O ser humano não pode prosseguir nessa metamorfose distorcida e vertiginosa rumo a um abismo sem escrúpulos.

Josemar Bosi