Mensagens de Praia

Cerca de 413 mensagens de Praia

Bairro Praia das Gaivotas (ou Gaivotas)

É bom acordar-te sobre meus cílios, Gaivotas.
É bom sentir-te nos ventos mais rebeldes, Gaivotas.
É bom ouvir-te na mistura sinfônica de natureza e gente, Gaivotas.
É bom olhar-te no aguardo da espumas da praia, Gaivotas.

É bom, é bom, é bom, é bom , és tu...

Gaivotas, Gaivotas,
por mais quatro vezes
que te descreva
tê-la como minha
é o que importa.

Lucian Rodrigues Cardoso

Acordei hoje imaginando nos dois juntos na beira da praia a noite,a luz do luar,junto com a pessoa que eu quero passa o resto da vida.

KarlaRoberta

Vontade da praia,ficar sozinho olhando o mar,esquecer de tudo,sem preocupação,sem ninguem no pé,chorar,rir,achar o caminho certo e bola pra frente...

Fernanda dos Santos Joaquim

Eu olhava o mar

Fui à praia para tentar encontrar o meu amor.
Eu pensava que poderia encontrá-lo nas ondas do mar,nas estrelas,no vento,na areia.
Escrevi o nome dele nas alvas praias,onde bate o mar.
Olhando para as estrelas,fiz letras e soletrei.
Tudo isso numa bela noite ao mórbido luar.
As estrelas morreram;à água transubstancia-se e apaga o nome que estava escrito na areia.
Fiquei apavorada!
Descobrir que o seu nome foi apenas um sonho.Um sonho do passado;porque nem tudo o que busco encontro.
E nem tudo que encontro,eu amo.

Rosângela Santana Barbosa

Uma sardinha de óculos escuros tostada na praia não tem sentimentos." Herança (romance, 1992)

Hilda Gomes Dutra Magalhães

As vezes, um par de olhos são mais profundos do que qual quer horizonte em uma praia no por do sol...

JJr Couto

Andando pela praia
Sentindo a maciez da areia fofa
Cabelos ao vento
Olhos nos olhos
Olho em teus gestos
Comovo-me registrando seu semblante
Que carrego no retrato aqui comigo
De mãos dadas...ternuras ditas
Boca molhada...
As palavras secam na garganta.
Somente palavras ditas em silêncio
Ondas isoladas testemunham
O dia se fez pele...
Ihaaa!!!! Doce vida!!!
TU é CArinho!.

Yonne Moreno

Quando o peixe que é tanto terrestre como aquático
For levado por forte onda à praia,
Com sua forma estranha, lisa e terrível,
Do mar o inimigo logo alcança as paredes.

Nostradamus

A menina é uma loucura
Ela dirige um jipe
E mora na praia
Eu estou bem
Eu não vou brincar
Eu amo a atração
Assim como eu amo Salvador
O verão é tudo...

PLpl

Faz da orla da praia o big brother dos vermes
Pra espiar o turista sendo morto pelo moleque

Talibanvtds

Me desculpem os que amam praia, adoram o sol. Eu gosto da chuva. Tempo "feio" como dizem, tudo nublado, céu fechado, bem escurinho. Olho para janela e nesses raros momentos vejo que faço parte em alguma coisa desse mundo. O barulho da chuva, o cheiro de terra molhada que ela provoca são para mim de uma beleza e uma significação meio doida de explicar. Banho de chuva então? Liberdade total. Alma lavada. Acho que gosto tanto da chuva porque para mim é a representação do céu chorando. O sol, como já disse anteriormente em algum texto, não combina comigo. Já a chuva...Ah! a chuva. Sinto como se fossemos uma só. Lágrimas de dor e alegria por todos os lados. Celebração da autêntica solidão que os tempos nublados nos trazem. Eu gosto disso: Legitimidade.
Claro que o sol é lindo e legitima para mim uma alegria perfeita. Mas eu não sou perfeita, nem tão alegre assim. Entendo-me melhor com a chuva.

Renata Ferreira Santos

Perdi a Batalha,venci a guerra,
Trouxe de volta à praia meu navio naufragado...

paramore

Por um instante ele conseguiu imaginar-se passeando ao seu lado na praia todas as noites, em um futuro distante.

Nicholas Sparks

Assim como as ondas do mar
Vêm e vão na areia da praia
Eu vou e volto pra você
Hora mais forte, hora mais fraca
Mas sempre pra você.
Você é minha praia
E o sal do meu suor
Cura a ferida que deixei
Na última vez que te abandonei
Cada partícula de areia é minha
E eu conheço suas feridas
Que não cicatriza com
Outras meninas

Carla Oak

Maria que de tão magra não ia à praia
Tão feia que assustava
Não se dava bem com os homens
Somente um canteiro de obras a alegrava
Nem um silvo na rua
Muito menos uma olhada mal criada
Mulher maltratada!
Baixa, esguia, cabelo trançado... Tinha chulé
Ninguém queria Maria José

Um lápis ela encontrou.
Em uma folha amarelada escreveu

Meu deus, por que me fizestes tão feia?
Que mal eu fiz pra merecer?
Porque o homem diz: Mas que horror de mulher!

Um olhar atento a observar
Escrevendo... Como és linda!
Levo-me em direção a ela
Pernas trêmulas a andar

Uma mão em teus ombros tocou
Suas mãos ele acariciou
Em seu ouvido ele murmurou

As lágrimas escorreram
Eis que... Um beijo!
Não se arrependeram

Felizes viveram!

João Vitor Rocha

Os ingratos escrevem o bem recebido na areia da praia e as decepções e magoas sofridas na rocha.
O que se escreve na areia logo se apaga basta uma onda , um ventos mais forte ou uma simples chuva ,
O que se escreve na rocha enquanto ela existir lá estará escrito.
Te convido a fazer o contrario escreva as sua magoas , suas decepções na areia para que logo seja esquecida.
Escreva a sua gratidão,sua alegrias e tudo de bom que te acontece na rocha para que vc sempre se Lembre.

Roberto J. Silva

HÁ PESSOAS QUE SE COMPLETAM COMO O PRETO E O BRANCO, COMO A PRAIA E O MAR , COMO O SOL E O VERÃO , COMO O BEIJO E O SUSPIRO , COMO UM OLHAR E O SORRISO, COMO O SONHAR E O AMAR, SE COMPLETAM PORQUE NASCERAM PRA SE ENCONTRAR......( Poty )

silvanapoty

Barco encalhado
que morre perdido
atolado na praia,
molhado, saudoso ,
sozinho, amargurado
vivemos e morremos
como este barco encalhado
na praia na escuridão do vazio.!

MariaIsabelMoraisRF

1 As armas e os Barões assinalados
Que da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca de antes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados,
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo reino, que tanto sublimaram;

2 E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando,
E aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei da morte libertando:
Cantando espalharei por toda a parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.
(Os Lusíadas canto primeiro - 1 e 2))

Luís Vaz de Camões

Sou mulher leoa
Andando devagarinho nesta garoa
De praia, de mar, ilusão.

Sou mulher sem medo
Traindo seu próprio segredo
Com os pés descalços no chão.

Sou mulher caída
Aos olhos dos donos da vida
Colocada sempre de lado.

Sou mulher trazida a este mundo
Vivendo num sono profundo
Impossível de ser despertado.

Sou mulher-gato, independente
Sempre olhando para a frente
Com as garras no passado.

Sou mulher rica e pobre
Corpo vivo e alma nobre
Sirvo a todos de bom grado.

Sou mulher guerreira, amante
Não escondo o semblante
Marcado de dor.

Sou mulher única, servil
Sem deixar de ser gentil
Me alimento de amor.

Angela Natel