Meninos de Rua

Cerca de 1440 frases e pensamentos: Meninos de Rua

A "Moral" é uma velha caolha e corcunda,que adora incitar meninos a morrerem em guerras, mas acha um escândalo uma ereção!

Roberto Axe

Lembrete
“Busque alegria nos sonhos meninos,
Nas tardes de chuva que escurecem o dia,
São nas horas de silêncio e vazio
Que mergulhamos n’alguma fantasia.

Busque a alegria no olhar perdido
Que busca o céu sem se mover,
Naquele momento de riso escondido
Que o corpo não sente, mas anima o viver.” (Ely)

Ely Antonio

Não são apenas 4 meninos, não é apenas uma banda, é uma família. Cada premio, cada show, cada fã, cada conquista, foi merecimento ! Este é apenas o ínicio de uma careira cheia de surpresas. Podem vaiar, falar mal, xingar, mais não poderão nunca tirar o que é de vocês, seja as conquistas ou os fãs verdadeiros. O tempo vai passar, e nós veremos quem realmente são os fãs de verdade. Eu escolhi ser fã de voces e dessa escolha eu nunca vou abrir mão ♥_♥

“Se isso não é amor, o que mais pode ser ?”

juNiicolau

Saudade da Infância

A infância em que não se tinha problemas em misturar meninas com meninos no mesmo dormitório.

A infância em que a internet não podia substituir o contato com os amigos.

A infância em que a briga entre amigos durava apenas 1 dia.

A infância em que a novidade da semana era o novo colega de sala.

A infância em que a grande conquista era completar o álbum de figurinhas.

A infância em que tínhamos raiva por não entender o comportamento das pessoas que se comportavam como eu e você nos comportamos hoje.

Paulo Henrique Antunes de Almeida Moura

"Eu não construo equipes do campeonato, eu construo os meninos do campeonato."

Larry Gelwix

SOFREGUIDÃO

Amaram-se meninos
O amor ainda não tinha nome...
Veio o punhal do destino
Atravessou a garganta do tempo
Fez o “nó” costumeiros dos nós!!!
Feriu o primeiro...
Matou o segundo
E finalmente...
Um sobreviveu.
O que vaga nos prados
O que ainda procura
O sentimento
O mistério
A magia esquecida!!!

Dilean de Bragança

Lembrei de todos os meninos que souberam dessa história de escrever durante um ano. O meu ex namorado foi contra, o meu ex ficante também e resolveu ir embora, e eu não fiz nenhum esforço para ir atrás. Escrever causa certo medo. Estraguei meus relacionamentos por escrever para alguém que havia ido embora sem ao menos se despedir, sem ao menos dizer pela última vez que como desejava me abraçar. Estraguei meus relacionamentos por medo de me envolver e te deixar. Mas com o tempo isso não foi o suficiente.

Layla Péres

Escrevo milhares de frases apaixonadas e nem imaginam que eu faço meninos sofrerem. Escrevo milhares de frases de pessoa bem resolvida, mas mal imaginam que sou a pior pessoa do mundo para tomar qualquer decisão. Daí eu fico naquela dúvida de quem eu sou de verdade, o que eu quero e o que realmente preciso.

Layla Péres

Desculpem meninos mas eu só aprendi a correr atras de pipa e caminhão de sorvete.

Camila Godoy

Deve ser você.Agora eu entendo pq vc sempre rouba o coração dos outros meninos,porque você é a perfeição humana!A União de todas as qualidades existentes que ficam à mostra e ocultam qualquer defeito, faz nossos olhos brilharem e faz até o mais canalha dos homens pensar em coisas bonitas,nesse momento eu ainda nem sei o que eu estou sentindo ou o que está acontecendo comigo!Nos meus pensamentos eu só vejo uma pessoa.Você!É a pessoa que me deixa bem humorado só pelo fato de estar proxima,aquela que quando eu não estou perto eu sonho em ficar perto,e quando eu finalmente fico por perto eu desejo faze-la feliz como vc faz comigo quando está junto!!!

Junior Loureiro

Meninos choram derramando lágrimas no chão, esperando esperanças ou que as ame até mesmo pela a imperfeição;
Não esperam pena com rosas mortas, pois querem um amor afinado e memorável para sentir na pele para tocar o coração;
Não esqueça o amanhã, pois não haverá um passado para construir um futuro;

Julio Aukay

“Questão da Maioridade”

Os meninos assumindo,
Sumindo,
Mentindo
Os horrores da vida.

Que se propagam em gemidos
Nos papéis que não vivem
E geram grande discussão
Que o problema está na chamada exclusão.

E pergunto à Lei:
De onde você veio?
E de triste diz: “Eu não sei,
Talvez foi de um imenso devaneio,
De uma classe imbuída,
De fascinante instrução,
De papéis que não ensinaram
O horror da ilusão”.

Parece que vivemos sob a égide de sombras,
Formas, formatos, contornos...
Que pouco explicam os pingos vermelhos da dor,
Agonia, angústia, aflição...
Onde rostos pequenos estão perdidos
E se perdem beira ao abismo
Das drogas das drogas, da violência,
Do terrorismo, da hipocrisia...

A política decodifica a verdade
Transformando em mentira,
Assustando a sociedade
Que se assusta nessa pseudo-realidade
E vira escrava do medo.

De longe é possível ver a situação,
Bramidos de perdão,
Onde se pedem ao menos educação,
Mas esse “pedir” parece surdos gritos,
Que não ouvem por não querer ouvir,
Vivendo em um mundo bastante rude,
Onde nem sequer o Estado traz saúde.

É o calibre das crianças.
É o tiro dos adolescentes.
São os gritos de uma esperança
Que a política as faz dormentes.

Enquanto soa a música lá fora,
Lá foram soam ruídos
Que se silenciam em eterna espera
De alguma melhoria,
Na qual nem o outono, inverno ou primavera
Irão progredir a vida
Que morre lentamente.

Muitos vivem ainda em fragmentos,
Em ilusões.
O homem cria contos de fadas e magos,
Talvez ele não queira a realidade,
Teme a realidade,
Odeiam ver os jovens reduzidos,
Seduzidos,
Por alienações,
Onde a magia escura,
Corporifica-se em artigos obsoletos,
Letras mortas assim como muitas outras.

O problema não está na Lei,
Está na lealdade governamental, política e até social
E o preço pela traição quem paga é o jovem
Que são reduzidos em papel
A apavorante dor de meras letras.

Raul Lennon

UM CONTO ZEN - OS DOIS MENINOS
Osho

Havia dois mosteiros vizinhos cujos mestres tinham meninos de recados.
Os dois meninos costumavam ir ao mercado, buscar legumes ou outras coisas para os mestres.

Esses mosteiros eram antagônicos entre si, mas meninos são meninos.
Esqueciam-se de suas doutrinas e encontravam-se no caminho para conversar e se divertir juntos.
Estavam proibidos de conversar, pois os mosteiros eram inimigos.

Um dia, o menino do primeiro mosteiro disse a seu mestre:

"Estou confuso; estava indo ao mercado quando vi o menino do outro mosteiro e lhe perguntei: Aonde você está indo? Ele me respondeu: Para onde o vento soprar. Fiquei sem saber o que dizer; ele me confundiu."

O mestre então disse:

"Ninguém do nosso mosteiro foi alguma vez derrotado por alguém do outro, nem mesmo um empregado; portanto você tem de acertar as contas com esse menino. Amanhã pergunte novamente aonde ele está indo. Quando ele disser: Para onde o vento soprar, você dirá: E se não tiver vento?"

O menino não conseguiu dormir a noite toda, pensando no que aconteceria no dia seguinte.
Ficou ensaiando muitas vezes como falaria com o outro garoto.

No dia seguinte esperou à beira da estrada e quando o outro menino chegou, ele logo lhe perguntou:

"Aonde você está indo?"

O garoto respondeu: "Aonde meus pés me levarem."

O primeiro menino ficou novamente sem saber o que dizer. Sua resposta estava preparada.
Mas a realidade é imprevisível. Ele voltou muito triste e disse ao mestre:

"Aquele menino não é digno de confiança. Ele mudou e eu fiquei sem saber o que fazer."

Então o mestre disse: "Da próxima vez quando ele responder : Aonde meus pés me levarem você dirá: E se você ficar aleijado, ou se suas pernas forem cortadas?"

Novamente o menino não pôde dormir.
De manhã cedo, foi esperar o outro na estrada.
Quando ele chegou, o primeiro perguntou:

"Aonde você está indo?"

E o menino respondeu: "Buscar legumes no mercado."

O primeiro menino ficou atrapalhado e foi dizer ao mestre:

"Esse menino é impossível! Está sempre mudando!"

A vida é aquele menino.
A realidade não é um fenômeno fixo.
Você tem de estar presente nela espontaneamente, só então a resposta será real.
Se sua resposta é preparada de antemão, você já está morto.

Então virá o amanhã, mas você não existirá mais.
Estará preso no ontem, no que passou.

Todas as mente muito verbais são fixas. (...)

Essa é a diferença entre um homem de sabedoria e um homem de conhecimento.

O homem de conhecimento tem respostas prontas - você pergunta a resposta já está lá. (...)

Se você vai a um homem de sabedoria ele não tem respostas para você.

Não tem nada pronto.
Ele está aberto; é silencioso.

Ele responderá mas primeiro sua pergunta irá ressonar no seu Ser e não na sua memória.
Ninguém pode predizer qual será sua resposta.

OSHO em Raízes e Asas

Osho

Todos somos meninas e meninos,
até que nos sintamos velhos demais
para brincar,sorrir e aprender...

Vilma Galvão

No metrô, os seis guardas expulsavam o pouco que sobrou de criança dentro de quatro meninos de 8 ou 9 anos, talvez tivessem 11, porém a desnutrição deve lhes ter assistido desde de sempre. Os meninos já têm cara e jeito de marginais. Que tipo de lar, comunidade, país permite que suas crianças tenham cara e jeito de marginais?

Kléber Novartes

JUGO DESIGUAL

Muitos meninos e meninas já levaram um “fora” ouvindo a seguinte sentença: “A luz não pode se misturar com as trevas.” Ou seja, teoricamente os que pronunciam esta declaração seriam a luz enquanto os que a ouvem seriam as trevas. Diferentemente do que acreditamos, isso acontece não só entre um cristão e um não-cristão, até mesmo um simples contraste na denominação já é motivo para o famoso jugo desigual.

Nessa linha, a salvação pelo "crer" já não é o bastante, o pretendente necessariamente teria de ser da mesma religião, da mesma denominação e se possível, ambos, congregarem sob o olhar de um mesmo líder. Tudo isso é teorizado a partir de uma declaração que Paulo fez aos coríntios. Entretanto, quando o apóstolo se referira a jugo desigual não criara um mandamento, muito menos fazia alusão entre crente "x" e "y”, mas sim ao fato de que muitos judeus e pagãos tentavam persuadir os recém-cristãos a abandonarem a fé.

Essa incapacidade de interpretação textual e contextual tem levado milhares de pessoas a viverem um “Romeu e Julieta religioso.” Guiados por líderes que pretendem isolar seu rebanho de qualquer idéia que não comungue com suas análises, estes instauram uma espécie de intervenção governamental na vida do fiel e freqüentemente metem a colher onde não deveriam. Não compreendem que o amor quando verdadeiro só pode vir de uma única fonte, Deus. Não existe “amor das trevas”. O Amor é uma virtude que procede singularmente do Senhor.

Ora, se me considero luz por que haveria de temer as trevas? Por acaso a luz não dissipa a escuridão? Por acaso a verdade não prevalece contra a mentira? Por acaso o bem não sobrepuja o mal? Pelo que saiba a luz permeia qualquer negrume e nele faz clarão.

Considero sim que para uma relação ser sólida um e outro devem propor subir o mesmo monte. Isso não implica que ambas devem compartilhar exatamente os mesmos credos, mas sim fome e sede de um sentimento inalterável. As equalizações entre os jugos não devem acontecer nos contextos institucionais. Logo, todo lugar que é pisado por homens está sujeito a variáveis tipos de negatividade como a inveja, o ciúme e os preconceitos. A relação deve constituir-se no âmbito da suma mensagem do Cristo, o Amor!

Cabe aos discípulos selecionarem seus companheiros pelas lentes registradas em Mateus, Marcos, Lucas e João e não pela intromissão dos Mateus, dos Marcos, dos Lucas e dos Joãos. Leia e releia o evangelho, compreenda a mensagem de Jesus e busque no seu pretendente as virtudes cristãs não as crendices cristãs. Não crie dentro de si um ambiente de preconceito religioso, mas analise o coração. Pois o amor sempre há de prevalecer sobre as diferenças e a luz de triunfar sobre as trevas.

MGT

Era uma vez um menino, assim como centenas de outros meninos. De tanto observar as pessoas e ler livros tomou medo do mundo e da vida.
Entretanto, como as necessidades cotidianas o faziam sair de sua casa decidiu que ia se refugiar dentro de uma caixa. Tentou impermeabiliza-la, mas sem sucesso desistiu. Apesar disso, dentro da caixa ainda havia proteção, segurança e conforto suficientes.
Para cada ocasião o menino tinha uma caixa diferente. Cores variadas, estampas para dias ensolarados.
Era tudo perfeito, quando regressava ao seu lar ele saía da caixa, mas foi aos poucos se acostumando, afinal era mais prático ficar lá dentro. Aprisionado, porém seguro.
O tempo, inimigo dos mortais, passou e num dia qualquer ele viu uma menina de grandes pupilas escuras, que lhe olhou de soslaio e mesmo assim o enxergou dentro da caixa.
Como aqueles olhos eram enigmáticos para o menino. Ele quase perdeu o medo, ele quase se mostrou. Quase!
Depois disso ele experimentou uma inquietação violenta, que o fazia sufocar em seu quarto, a ponto de leva-lo a sair da caixa e se olhar no espelho. Pobre menino, tentava encontrar no reflexo o brilho dos olhos da pequena. O miserável menino, sentiu o coração bater forte quando não pode mais reconhecer sua imagem refletida.
Quem era aquela pessoa pálida que revelara o espelho?
Ele já não sabia mais. Voltou para a caixa e foi dormir.
Talvez seja esse o mito da caverna invertido e moderno.
Gente que se esconde em carapaças por tanto tempo que já não sabe mais quem é.

Mirian Machado Mendes

Meninos desejam chamar atenção , Homens causam respeito e pronto.

MGT

Existem homens, e existem meninos, eu já cansei dos meninos.

Luana Barbosa