Medo de se Apaixonar

Cerca de 95 frases e pensamentos: Medo de se Apaixonar

Muitas vezes Não é medo de se apaixonar novamente, é só o Anti - Virus avisando ao coração que pode ser mais um Cavalo de Tróia.

Tati Bernardi

"Você tem medo de se apaixonar. Medo de sofrer o que não está acostumada. Medo de se conhecer e esquecer outra vez. Medo de sacrificar a amizade. Medo de perder a vontade de trabalhar, de aguardar que alguma coisa mude de repente, de alterar o trajeto para apressar encontros. Medo se o telefone toca, se o telefone não toca. Medo da curiosidade, de ouvir o nome dele em qualquer conversa. Medo de inventar desculpa para se ver livre do medo. Medo de se sentir observada em excesso, de descobrir que a nudez ainda é pouca perto de um olhar insistente. Não suportar ser olhada com esmero e devoção. Nem os anjos, nem Deus agüentam uma reza por mais de duas horas. Medo de ser engolida como se fosse líquido, de ser beijada como se fosse líquen, de ser tragada como se fosse leve. Você tem medo de se apaixonar por si mesma logo agora que tinha desistido de sua vida. Medo de enfrentar a infância, o seio que criou para aquecer as mãos quando criança, medo de ser a última a vir para a mesa, a última a voltar da rua, a última a chorar. Você tem medo de se apaixonar e não prever o que pode sumir, o que pode desaparecer. Medo de se roubar para dar a ele, de ser roubada e pedir de volta. Medo de que ele seja um canalha, medo de que seja um poeta, medo de que seja amoroso, medo de que seja um pilantra, incerta do que realmente quer, talvez todos em um único homem, todos um pouco por dia. Medo do imprevisível que foi planejado. Medo de que ele morda os lábios e prove o seu sangue. Você tem medo de oferecer o lado mais fraco do corpo. O corpo mais lado da fraqueza. Medo de que ele seja o homem certo na hora errada, a hora certa para o homem errado. Medo de se ultrapassar e se esperar por anos, até que você antes disso e você depois disso possam se coincidir novamente. Medo de largar o tédio, afinal você e o tédio enfim se entendiam. Medo de que ele inspire a violência da posse, a violência do egoísmo, que não queira repartir ele com mais ninguém, nem com seu passado. Medo de que não queira se repartir com mais ninguém, além dele. Medo de que ele seja melhor do que suas respostas, pior do que as suas dúvidas. Medo de que ele não seja vulgar para escorraçar mas deliciosamente rude para chamar, que ele se vire para não dormir, que ele se acorde ao escutar sua voz. Medo de ser sugada como se fosse pólen, soprada como se fosse brasa, recolhida como se fosse paz. Medo de ser destruída, aniquilada, devastada e não reclamar da beleza das ruínas. Medo de ser antecipada e ficar sem ter o que dizer. Medo de não ser interessante o suficiente para prender sua atenção. Medo da independência dele, de sua algazarra, de sua facilidade em fazer amigas. Medo de que ele não precise de você. Medo de ser uma brincadeira dele quando fala sério ou que banque o sério quando faz uma brincadeira. Medo do cheiro dos travesseiros. Medo do cheiro das roupas. Medo do cheiro nos cabelos. Medo de não respirar sem recuar. Medo de que o medo de entrar no medo seja maior do que o medo de sair do medo. Medo de que a alegria seja apreensão, de que o contentamento seja ansiedade. Medo de não soltar as pernas das pernas dele. Medo de convidá-lo a entrar, medo de deixá-lo ir. Medo da vergonha que vem junto da sinceridade. Medo da perfeição que não interessa. Medo de machucar, ferir, agredir para não ser machucada, ferida, agredida. Medo de estragar a felicidade por não merecê-la. Medo de não mastigar a felicidade por respeito. Medo de passar pela felicidade sem reconhecê-la. Medo do cansaço de parecer inteligente quando não há o que opinar. Medo de interromper o que recém iniciou, de começar o que terminou. Medo de faltar as aulas e mentir como foram. Medo do aniversário sem ele por perto, dos bares e das baladas sem ele por perto, do convívio sem alguém para se mostrar. Medo de enlouquecer sozinha. Não há nada mais triste do que enlouquecer sozinha. Você tem medo de já estar apaixonada."

Fabrício Carpinejar

MEDO DE SE APAIXONAR
Fabrício Carpinejar

Você tem medo de se apaixonar. Medo de sofrer o que não está acostumada. Medo de se conhecer e esquecer outra vez. Medo de sacrificar a amizade. Medo de perder a vontade de trabalhar, de aguardar que alguma coisa mude de repente, de alterar o trajeto para apressar encontros. Medo se o telefone toca, se o telefone não toca. Medo da curiosidade, de ouvir o nome dele em qualquer conversa. Medo de inventar desculpa para se ver livre do medo. Medo de se sentir observada em excesso, de descobrir que a nudez ainda é pouca perto de um olhar insistente. Não suportar ser olhada com esmero e devoção. Nem os anjos, nem Deus agüentam uma reza por mais de duas horas. Medo de ser engolida como se fosse líquido, de ser beijada como se fosse líquen, de ser tragada como se fosse leve. Você tem medo de se apaixonar por si mesma logo agora que tinha desistido de sua vida. Medo de enfrentar a infância, o seio que criou para aquecer as mãos quando criança, medo de ser a última a vir para a mesa, a última a voltar da rua, a última a chorar. Você tem medo de se apaixonar e não prever o que pode sumir, o que pode desaparecer. Medo de se roubar para dar a ele, de ser roubada e pedir de volta. Medo de que ele seja um canalha, medo de que seja um poeta, medo de que seja amoroso, medo de que seja um pilantra, incerta do que realmente quer, talvez todos em um único homem, todos um pouco por dia. Medo do imprevisível que foi planejado. Medo de que ele morda os lábios e prove o seu sangue. Você tem medo de oferecer o lado mais fraco do corpo. O corpo mais lado da fraqueza. Medo de que ele seja o homem certo na hora errada, a hora certa para o homem errado. Medo de se ultrapassar e se esperar por anos, até que você antes disso e você depois disso possam se coincidir novamente. Medo de largar o tédio, afinal você e o tédio enfim se entendiam. Medo de que ele inspire a violência da posse, a violência do egoísmo, que não queira repartir ele com mais ninguém, nem com seu passado. Medo de que não queira se repartir com mais ninguém, além dele. Medo de que ele seja melhor do que suas respostas, pior do que as suas dúvidas. Medo de que ele não seja vulgar para escorraçar mas deliciosamente rude para chamar, que ele se vire para não dormir, que ele se acorde ao escutar sua voz. Medo de ser sugada como se fosse pólen, soprada como se fosse brasa, recolhida como se fosse paz. Medo de ser destruída, aniquilada, devastada e não reclamar da beleza das ruínas. Medo de ser antecipada e ficar sem ter o que dizer. Medo de não ser interessante o suficiente para prender sua atenção. Medo da independência dele, de sua algazarra, de sua facilidade em fazer amigas. Medo de que ele não precise de você. Medo de ser uma brincadeira dele quando fala sério ou que banque o sério quando faz uma brincadeira. Medo do cheiro dos travesseiros. Medo do cheiro das roupas. Medo do cheiro nos cabelos. Medo de não respirar sem recuar. Medo de que o medo de entrar no medo seja maior do que o medo de sair do medo. Medo de não ser convincente na cama, persuasiva no silêncio, carente no fôlego. Medo de que a alegria seja apreensão, de que o contentamento seja ansiedade. Medo de não soltar as pernas das pernas dele. Medo de soltar as pernas das pernas dele. Medo de convidá-lo a entrar, medo de deixá-lo ir. Medo da vergonha que vem junto da sinceridade. Medo da perfeição que não interessa. Medo de machucar, ferir, agredir para não ser machucada, ferida, agredida. Medo de estragar a felicidade por não merecê-la. Medo de não mastigar a felicidade por respeito. Medo de passar pela felicidade sem reconhecê-la. Medo do cansaço de parecer inteligente quando não há o que opinar. Medo de interromper o que recém iniciou, de começar o que terminou. Medo de faltar as aulas e mentir como foram. Medo do aniversário sem ele por perto, dos bares e das baladas sem ele por perto, do convívio sem alguém para se mostrar. Medo de enlouquecer sozinha. Não há nada mais triste do que enlouquecer sozinha. Você tem medo de já estar apaixonada.

Fabrício Carpinejar

Tenho medo de me apaixonar outra vez.
Tenho medo de me perder em seus braços.
Tenho medo de encontrar seu olhar.
Tenho medo de amar.
Tenho medo me me iludir por você.
Tenho medo de pensar em voce.
Tenho medo de sentir o que ja senti.
Tenho medo de me apegar demais em voce.
Tenho medo de sofrer.
Ja tenho medo da dor de te perder.
Tenho tanto medo de gostar de voce.
Que acabo gostando de voce...

RayanaCris...

Sou do tipo que não gosta de se apaixonar. Na verdade, eu tenho medo de me apaixonar. Tanto medo que quando sinto um apertozinho no peito, chego a pedir que seja um infarto e não amor.

Carolina Bensino

Coração apaixonado só quer amor
Nao tem medo de nada
Não sabe o que é certo
Não sabe o que é errado
Só quer amor

Jorge e Mateus

"Só tive medo uma vez na vida, quando me apaixonei..."

Felipe Guedes

EU TENHO TANTO MEDO DE FALAR
QUE POR VOCÊ OUSEI ME APAIXONAR
POR ISSO EU SOFRO TANTO COM ESSE MEDO,
O MEU SILÊNCIO, ME FAZ CHORAR.

É TÃO GOSTOSO CHORAR POR AMOR
MAS ISSO UM DIA PODE MACHUCAR
E PRA ACABAR DE VEZ COM ESSA DOR
SÓ TEM UM JEITO EU VOU ME DECLARAR.

EU SEMPRE QUIS ALGUÉM PRA ME AMAR
FIQUEI TODO ESSE TEMPO A ESPERAR
POR DENTRO A SOLIDÃO ME CORROÍA
MAS NÃO CANSAVA DE PROCURAR

UM DIA A TRISTEZA ME VENCEU
NÃO TINHA MAIS MOTIVOS PRA SORRIR
FOI QUANDO O SEU OLHAR CRUZOU O MEU
MEU SONHO COMEÇOU A RESSURGIR

COMO O SOL QUE ILUMINA O DIA
TAMBÉM O TEU SORRISO VEM ME ILUMINAR.
COMO O ENCANTO DOCE DA SEREIA
ASSIM TAMBÉM ME ENCANTOU O SEU OLHAR.

MINHA ALMA SENTE O TEU PERFUME
SEU FEITIÇO JÁ ME ENLAÇOU
SE VOCÊ VIVE SÓ PRA ME FAZER AMAR
POR VOCÊ EU VOU MORRER DE AMOR.

SÓ DEUS SABE O TANTO QUE EU PRECISO DE VOCÊ
É TANTO TANTO TANTO QUE NÃO DÁ NEM PRA DIZER.
MODÉSTIA À PARTE HOJE EU SOU QUEM MAIS AMA VOCÊ,
POSSO PROVAR, VOCÊ VAI VER.

SE VOCÊ ACHA QUE NÃO É VERDADE
VENHA INTERROGAR MEU CORAÇÃO
POIS SE ALGUÉM NO MUNDO FALAR QUE É MENTIRA
ELE VAI PROVAR QUE NÃO É NÃO.

Samir Querino

Medo?
Medo eu tenho de conhecer alguém, de me apaixonar, de me entregar e deixar que se entreguem sem pensar no que pode ou não acontecer em relação ao futuro da relação.
Medo eu tenho de não me entregar, de não me permitir e acabar assim ficando sozinha, vivendo no certo mas sofrendo com o incerto...
Penso demais e acabo não agindo tanto...
Sinto demais e acabo não demonstrando tanto...
Quero demais mas não faço nada para cessar o desejo...
Mas do que mais tenho medo é que um dia esses extremos se acabem e eu viva por uma só...

Renata Gomes

Eu não tenho medo de me apaixonar, eu tenho medo do que acontece quando a paixão acaba.

Carolina Bensino

"E quem disse que tenho medo de chuva, tempestade ou paixão? Ah moço....venha apaixonar-se por mim, que eu te mostro o que é uma tempestade de verdade, sem medo."

(Flávia Abib)

Flávia Abib

Se você está se apaixonando não pare, faz bem se apaixonar, não é treta, você está aprendendo amar.
Conhecendo o interior das pessoas, seus passos, seus medos, desejos e sentimentos até encontrar sua cara metade.

Wemerson Santos

O medo dele de sofrer era maior que sua vontade de se apaixonar. Tinha medo do amor. Se escondia dentro de si mesmo!

Ezequias Clarindo

Seemann
A angústia, assim como uma despedida de um marinheiro, que dá um beijo apaixonado em sua amada e parte para o horizonte é como me sinto. Mas sou um marinheiro fantasma, que nunca partiu e tem apenas a esperança de um dia achar sua amada, a qual o fará voltar a vida, ao sentimento de antes da partida. Mas enquanto não chega, ele vaga solitariamente e derruba suas lágrimas misturando-as com a água do mar. Tentando desesperadamente, que essa mistura de destino (água) + lágrimas (sentimento) culmine na direção certa de sua amada.
E é assim, aonde alguém nos ama é para onde devemos retornar.

Gilson Miranda Junior

Obsessão (de um apaixonado)
O mundo possui mais de sete bilhões de pessoas, porem eu só consigo pensar em uma... você.

FCdeLima

Ele: Oi de onde você é?
Ela: sou de SC é vc?
Ele: Sou de DF... Você tem quantos anos?
Ela: 13 é você?
Ele: 16, você tem namorado?
Ela: Não, sou feia, ninguém me quer!
Ele: Mentira! você num é feia...

2 Semanas depois...

Ele: Oi amor, como vai você minha namorada?
Ela: Vou bem amor.. é você meu gato?
Ele: vou bem. Novidades?
Ela: Sim... ah que eu te amo, te amo, te amo muito.
Ele: Nossa também te amo!!!

3 meses depois

Ela: Amorrrrrrrrrrrrrr....................
(Ela chama a atemção)
Ele: O queeeeeeeeeeee???
Ela: Fala comigo? cadé você???
Ele: Af'z to ocupado...
Ela: Te amo, amor, muito...
Ele: hum... pera vou sair depois eu volto!!!
Ela: ti amo... :'(
Ele: ta xau...

(Ele saiu da conversa)


4 Meses depois...

Ele: Amor. oii
Ela: Oi.
Ele: Como vai você, vc esta linda...
Ela: vlw
Ele: Ti amo sabe...
Ela: Hum.. que bom... eu to namorando...
Ele: Amor eu sou louco por você, não paro de pensa em você, eu te quero...
Ela: Desculpe...
Ele: Amor eu te amo, eu sei que você ainda me ama...
Ela: Af'z Não enche por favor. to ocupada...
Ele: Amor... volta comigo por favor...
Ela: Não... eu ja te amei tanto, é você não me deu valor, preferiu ficar com as meninas da ii. agora ja era..
Ele: Amor eu te amo, me da uma chance...
Ela: eu ja sofri por você, lenbra, quando você terminou comigo, eu chorei, passei noites é noites chorando, eu era fraca, eu era uma bebe, eu tinha ninguem para me consolar, meu MSN num tinha ninguem, eu te amava, é vc não deu valor, agora eu não amo mais você...
Ele: Amor eu te amo, muito, muito, muito mesmo...
Ela: Desculpe...
Ele: Amor...
Ela: To ocupada, depois nois tc, ok...
Ele: Fala comigo... por favor...
Ela: Af'z... xau... to ocupada, não sabe ler...
Ele: Ti quero... Cade você???.. amor?? fala comigo por favor...
(Ela esta em ausente)

Filipe Wesleny

As vezes com medo de sofrer, acabamos ignorando as chances que a vida nos dar de ser feliz!

Filipe Wesleny

Antes de lhe conhecer meu mundo era em preto e branco, agora que lhe conheci, meu mundo ficou colorido e em 3D.

Filipe Wesleny

Quero um dia poder falar para meus netos que aproveitei a vida ao máximo sem medo de errar, que lutei com todas as minhas forças por aquilo que almejava, que não possuo me arrepender de coisas que deixei de fazer, e sim briguei por elas até o final, pois eu ACREDITEI que um dia poderia dar certo, além de poder dar-lhes muitos e muitos de conselhos, de como ser alguém romântico a moda antiga. Depois de ter ensinado bastante, poderei descansar em paz!

Guilherme Fernandez, Louco Apaixonado

Tenho tanto medo de me apaixonar, que me bloqueio.
Tenho medo do que as dores deste sentimento podem me causar.
Tenho medo porque já me apaixonei, já me desiludi, já sofri, já acreditei.
Tenho medo do meu medo de me entregar a alguém...

Aline Pinheiro