Manhã de Domingo

Cerca de 20 frases e pensamentos: Manhã de Domingo

Hj é domingo de manhã. Neste domingo de sol e de júpiter estou sozinha em casa. Dobrei-me de repente em dois e para frente como em profunda dor de parto- e vi que a menina em mim morria. Nunca esquecerei esse domingo sangrento. Para cicatrizar levara tempo. E eis-me aqui dura e silenciosa e heróica. Sem menina dentro de mim. Todas as vidas são vidas heróicas.

Clarice Lispector

MANHÃ DE DOMINGO

Os lençóis estão quentes, amarrotados, amassados, mas sinto frio. Espreguiço-me sem abrir os olhos. Reconheço, ao lado, o triste espaço vazio. Ao esfregar meu braço na cama, do lado, sinto o lençol gelado. Preferia muito mais quando acordava encolhida ou espremida.

O sol brilha entre as cortinas, fere-me a retina. Esfrego os meus olhos, não pela luz, mas por não acreditar que você não está mais aqui. Não me bastam só as memórias, preciso voltar aquele tempo. Olho pra dentro de mim buscando você, mas meu único resultado é um par de lágrimas.

Levanto-me em mais uma quinta ordinária. Caminho até o espelho e tudo parece vazio, não vejo você atras de mim no espelho. Não reclamaria mais dos seus pés gelados no meu, enquanto estou ao seu lado tentando dormir. Não reclamaria mais das cosquinhas na barriga e da força do teu abraço quando me beija, enquanto sem querer me borro com o batom por mera distração.

Hoje olho esse batom, abro a tampa e giro a embalagem. Uma lágrima cai em cima e escorre até borrar de vermelho a pia; borrada igual ficavam os meus lábios sempre quando você me dava um abraço e me beijava. Borrado também estão meus olhos, tentando conter inutilmente as lágrimas. Borrado também está meu coração, ferido e encolhido, não dando voz ou sentido a razão.

Esse choro me traz um arrepio e o arrepio me traz frio. Envergonho-me ao me olhar no espelho em um momento tão frágil e com os olhos tão inchados. Vou para o quarto e, no armário, busco uma camiseta.

Abro a gaveta. Procuro o que vestir e, lá no fundo. encontro a sua camisa. Pego-a com todo o carinho e novas lembranças me vêm. Ela ainda tem o seu cheiro. Só de senti-lo, fecho meus olhos, e já sinto sua pele quente na minha, juntamente com a minha vontade de devorar você.

E depois de tudo, você era meu alicerce. Não sou maior sem você, não sou melhor sem você.

Olho ao redor. Vejo meu quarto vazio. Vazio... Vazio... Vazio... Assim eu me encontro. Vazia!

VivianDelamo

PRECE DE DOMINGO
Senhor, nesta manhã de domingo, em que o sol reluz como sempre, ainda que encoberto pelas nuvens, venho lhe pedir proteção e saúde, durante todo o dia e na semana que se aproxima, para mim, para minha família e para meus amigos.
Rogo-lhe que renove nossas forças para prosseguirmos, com bondade, paz, alegria e amor e, assim, continuarmos o belo ciclo da vida. Amém.

Marcos Alves de Andrade

# Manhã de domingo.

# O entoar passeriforme
# Como sincronia
# Natureza nos mostra
# Transparência no bom dia
#

# As nuvens flutuam pelo ar
# Bailando um dançar
# Para qualquer pessoa ver
# E recitar seu parecer
#

# Paralisar olhando a beleza
# Todos os músculos em retenção
# Até os olhos se perdem nessa nobreza
#

# Que inspira os trovadores
# A registrar com o coração
# Esse momento de louvores.

Diony Peroli

O hoje se foi mais uma vez em segundos felizes, desta manha de domingo com uma situação um pouco arriscada e tensa, mais que depois do susto vejo graça, acredito no sentido da verdade compreendida apenas por nós, por isso nesta manha triste por sua despedida fugaz, caio em gargalhadas e me completo com sonhos de uma manha feliz de domingo!

Nilson Matos F. Junior

LAURA
Era manha de domingo
Acordei cedo fui lê aquele velho livro ao som das águas do mar
Sempre lhe via passar, caminhando no calçadão de forma espojada, mas parecia estar com o raciocínio trabalhando constantemente... Passava ali naquele mesmo horário todos os dias eu já não ia, mas para lê e sim vê-la.
Nesse dia foi diferente
Hoje o livro por algum motivo que eu não me lembro qual, estava mais interessante por isso passei a prestar menos atenção, já que meus olhares diários não eram correspondidos
Até que ouvi um suntuoso: bom dia!
Escutei aquela voz que ousava me interromper na minha leitura diária e respondi: _ Bom dia!
Quando olho aquela menina, mulher de perto, estávamos tão próximas que meus sentidos ficaram atordoas diante daquela presença a qual desejava há tanto tempo ao meu lado
Seu olhar finalmente correspondeu ao meu e foi de uma intensidade inexplicável que me dizia mais do que ela mesma podia imaginar, me sorria de forma faceira e intrigante sabia o que causava em mim.
Os meus pensamentos todos os dias lhe deu um nome diferente, era ora de desvendar esse mistério
Então, quebrei o silêncio: qual o seu nome?
Sem desviar o olhar ela respondeu: LAURA
Oh! Laura foi assim que te conheci
Admirei-te tanto e por um tempo que será indeterminado
Laura me perdoe pela despedida que é tão dolorosa, mas é necessária
Não sei ser de uma só pessoa por muito tempo
Não me julgue! Te peço não me julgue
Não sabes a dor que é ser do jeito que sou
Laura, que nome lindo e como tu és bela
Me encanto toda vez que você sorrir pra mim dessa forma
LAURA: “_Você partiu meu coração!”
Não diga isso, quando te conheci não sabias o que era o amor
Hoje tens amor de sobra dentro de te
Hoje é por mim
Amanha será por outra pessoa
Minha queria não é o fim
Depois verás que não é o fim
Há muito mais lá fora do que podes imaginar
Te dei só um aperitivo
Agora vai e descobre onde estar tua sobremesa.

Lilaslm

O hoje se foi mais uma vez em segundos felizes, desta vez não foi em uma manhã de domingo com uma despedida fugaz e sim numa noite de domingo com à lua crescente e junto com esta lua cresce saudades deste momento único.

Nilson Matos F. Junior

Eu poderia ter colocado uma foto minha dormindo logo pela manhã de domingo, mas resolvi não fazer parte dessa jogatina.

Camila Bill

Existe coisa mais gostosa do que acordar numa manha de domingo, com seu amor trazendo um café da manha com aquela cara de: "Adorei a noite, somos muito felizes"...!!!! Pois é, voluntariamente, assim somos. Há em nós, silêncio num olhar ardente, na quentura do espaço deixamos bailar na nossa pele e na alma a delicadeza dos nossos sentimentos, desejos trocados, olhamos-nos naquele abraço inquieto e verdadeiro... sem transpirar pecado, pois, muito além tudo se faz em nós o proseguir da VIDA - Roswyta Ribeiro

Roswyta Ribeiro

Essa manhã de domingo serve pra muitas coisas,talvez pra recomeçar tudo que desisti de fazer anteriormente.Quantos gostariam de uma manhã de domingo pra recomeçar... Não falo de dietas,quero dizer VIDAS,DESTINOS,LÁGRIMAS,SORRISOS... DEUS

Micaelle Pereira

Deus de bondade, Pai misericordioso, nessa manhã de #domingo venho te agradecer por todo bem que realizas na minha vida. Obrigada por me proteger, por iluminar meu caminho e me livrar de todo mal. Obrigada pelo ar que respiro, pelo pão que me alimenta, pela coberta que me esquenta. Obrigada pela casa que me abriga, pela vida das pessoas que amo e por me conceder uma vida abençoada debaixo das suas asas. Obrigada pela tua mão amiga que me sustenta e me levanta todas as manhãs me dando a chance de recomeçar. Obrigada pelo Teu amor incondicional, que aquece meu coração e me faz compreender que: ainda que tudo esteja escuro sempre há uma saida e uma luz, eu só preciso acreditar e crer que em Ti eu tudo posso. Conceda-nos Pai Amado, uma semana próspera e frutifera, abençoa abundatemente nossas vidas e esteja com cada um dos seus filhos, é o que eu te peço em nome de Jesus Cristo, amém! (Priscilla Rodighiero )

Priscilla Rodighiero

Domingo

Numa bela manhã de domingo, pela janela do meu quarto escuto os pássaros na mangueira fazendo barulho dando vida ao belo dia que hoje se encontra. Paro e penso e me lembro de quando era criança, das brincadeiras , dos amigos, dos vizinhos, de todo barulho que fazia a criançada reunida.
Domingo, dia de reunir a família, fazer o churrasco , preparar a mesa onde todos irão rir ou chorar, se abraçar ou dançar.
Lembro-me do bom domingo com meus avós, ainda pequena segurava em suas mãos e gostava do cheiro que seus corpos exalavam.
Saudades do domingo , saudades da família , saudades da minha família .
O tempo passa mais não apaga as lembranças de um bom e velho domingo.

isabela lima

JANELA PARA O MUNDO.
Dia chuvoso nesta manhã de domingo.
O Céu esconde seu azul e o brilho do sol fugindo
Melancolia no olhar que contempla a paisagem na janela
Pingos de chuva deixam o chão encharcado
Brincam de bola os meninos da favela
Pensei quão bom é ser criança.
De seus barracos saem à chuva, brincam no barro e alguns se machucam.
Mas não perdem o sorriso nos seus rostos e eu aqui já sem esperança.
Como queria voltar a minha infância
Por que na época da inocência ainda guardo a vaga lembrança
Que tudo era bom, mas transformou-se conforme o tempo avança
Nisso eu aprendo o porquê é bom ser criança
Não são os problemas que deixam de existir.
Mas sim a inocência de uma consciência livre pra sorrir
Não é preso pela ganância e nem pela maldade
Não existe arrogância e nem saudade
Livre infância, inocente criança vive doce a fase que eu já vivi.
Tenho saudades não vou mentir daquele coração puro quando era guri.
Mas na verdade eu já cresci, amanhã já é segunda e a responsabilidade recai sobre mim
Tenho que ganhar o mundo dia a dia. Vejo com olhos cansado quão árduo é o meu fardo
E descanso minha mente quando recordo daquele coração inocente
Mas renasce em minha a força a cada dia, no olhar de meu filho que contempla o mundo perfeito.
Por isso, mostro-me forte escondo o que sinto no peito
Que Deus me dê sorte para que ele não veja o mundo e seus defeitos
Que seu futuro seja promissor, para quando ele olhar de sua janela não veja paisagem da favela.
Que ele não se espelhe em mim como professor, Mas que vença o mundo e veja a vida bela.
Quando ele estiver adulto admirando o mundo de sua janela

Flares Venerio Junior

Eu quero sentir todos os dias a paz de uma manhã de domingo,sem o barulho dos sentimentos fúteis do ego de um mundo imundo !

Giovanni Dulor Chagas

Na noite de sábado todo sentimento é profundo e eterno... Até a manhã de domingo"

fabiorb

Nostalgia de uma manhã de domingo

Quando se é criança, as simples coisas, deixam de ser simples e passa maravilhosamente coisa, me lembro dos sentimentos do lindo. Com as coisas simples e sem beleza alguma para crescidos sem sentimento nostálgico da casa de vó. Na casa da minha vó, via o sol nascer entre as arestas do telhado e eu achava lindo, via borboletas a voar mas pedras do quintal aquilo era belo e via a minha vó a cozer para seus netos e eu ainda acho lindo. Devemos viver com os olhos de uma criança, que com uma simples coisas elas as transformam em maravilhosamente coisas. O belo, o simples são maravilhosas dádivas de uma eterna criança encantada.

Diego Nascimento

Um último adeus
Havia D. Neide, numa manhã de domingo, acordado às pressas. Já havia perdido a hora de sair para a missa do padre Zezinho, que pregava na igreja a poucos quarteirões de sua casa. Rapidamente tomou um banho e como num piscar de olhos, estava em sua sala pronta para partir. Ela sempre havia se arrumado muito bem para ir à igreja, mas não por vaidade. Cheirosa como sempre, só usava perfumes fortes e de doce odor, perfumes que havia ganhado de sua filha, Isabel. Suas roupas sempre foram muito bem passadas e bonitas.
Ela era uma mulher um pouco conformista e orgulhosa por causa de sua formação muito religiosa. Tinha um pensar mais antigo e não suportava os tempos atuais.
Morava só. Seu marido, Olavo, já havia falecido deixando seu salário Almirante da Frota de Guerra da Marinha para ela e sua única filha. Filha está que, havia sido expulsa pela mãe de casa, por causa de uma escolha que fez em sua vida. O fato de preferir gostar de meninas a meninos.
Já na porta da igreja, já iniciada a celebração, parou na porta ao escutar de dentro de sua bolsa o toque de seu celular. Ao ver que era um número desconhecido resolveu atender, pois poderia ser algo grave:
-D. Neide! D. Neide! Sua filha Isabel... – mas a voz fraquejada foi cortada por Neide. Ela havia desligado, pois não suportava o fato de ter que ouvir as pessoas falando de sua filha. Assim, sem mais de longas, entrou na missa, já um pouco atrasada, e sentou – se. Padre Zezinho já havia começado sua pregação.
Com uma voz forte e grave começou a falar da misericórdia divina e o quanto Deus havia amado o mundo que nos deu seu filho único por nós. Falou também do quanto devíamos ter compaixão uns com outros e que deveríamos sempre perdoar as pessoas assim como Deus nos perdoa.
Ao final da missa, Neide ligou o celular, havia esquecido seu relógio em casa, pelo fato de seu atraso e correria. O celular notificou 12 ligações perdidas. Mas sem externar preocupação, guardou – o, e se despediu de seus amigos que na porta estavam e foi embora. Havia dito que não iria ficar para o grupo do círculo bíblico, pois relatara que sentia em seu peito durante a missa uma pequena dor.
Ao caminhar pela calçada de sua casa, deparou - se com uma menina. Jovem. Com olhos vermelhos, como se já chorasse durante dias e mais dias, e com a aparência abatida e sorriso entristecido.
A menina olhou para Neide e com muita educação, mas não deixando de manifestar seu estado emocional, falou com a voz um pouco trêmula:
- Olá D. Neide, sou Samanta, amiga de sua filha, Isabel.
Mas Neide não era nenhuma boba. Já imaginava que aquela menina não era apenas só amiga de sua Isabel, pois já havia recebido notícias delas antes, mas que tentava não ouvir ninguém falando sobre. No entanto, não falou nada com Samanta. Não obtendo resposta alguma, Samanta disse:
- Por favor D. Neide sua filha não está bem. Ela me pediu para que eu viesse procurá-la e que a levasse até ela. Me disse que precisa contar-lhe uma coisa, mas que nunca lhe havia tomado coragem, pelo fato de você não aceitar a opção que ela escolheu.
Neide replicou:
- Se ela quisesse falar comigo ela não havia saído de casa para ficar com outra menina. Nem tinha mandando outra pessoa vir me procurar para mandar recado por ela.
Samanta ficou mais abatida em saber que D. Neide ainda não aceitava o fato de sua filha gostar de uma menina, no caso ela. Mas mesmo assim Samanta não deixou de tentar mais uma vez:
- O fato de ela gostar ou não de outras meninas, não muda o fato de ela ser sua filha, que está passando por um momento de dificuldade. E que quer falar com você.
Mas Neide com um sorriso sarcástico no rosto respondeu:
- Nos momentos de dificuldade ela sabe me procurar, não é?! Lembro – me bem que minha irmã havia me dito que ela não estava conseguindo muito bem manter o aluguel altíssimo de seu apartamento no Bairro Alto. E minha irmã tentou me convencer a ajudar – lá com algumas despesas até ela se estabelecer.
Mas Samanta já não tinha mais argumentos, pois já havia previsto que Neide seria cabeça dura com ela. Então, enxugando as lágrimas dos olhos, levantou o rosto e olhou fixamente nos olhos de Neide e gritou:
- Onde está sua compaixão por sua filha? Em que momento da sua vida você irá perceber... – Mas quase que no mesmo instante foi interrompida por uma voz fraquejada, que quase não se ouviu pelo fato de Samanta estar gritando, e que vinha por de trás dela dizendo:
- Samanta, não perca a cabeça. Não grite com a mamãe assim. – falou a voz fraquejada, que saíra de dentro de um carro parado à beira da calçada.
D. Neide não demonstrou nenhum tipo de reação, mas seus olhos ficaram trêmulos de surpresa.
- Já chega! Vamos embora Samanta. Não quero trazer problemas para a mamãe. – Disse Isabel.
Neide fechou a cara novamente, como se o orgulho tomasse conta de seu corpo, ao mesmo tempo que não acreditava ver sua a filha ali lhe chamando de mamãe depois de tanto tempo. Também não podia mudar o modo de ver sua filha se relacionando com uma outra mulher. Samanta no entanto não iria deixar aquilo preso à garganta:
- Não entendo o fato de você, D. Neide, não gostar ver sua filha se relacionando com uma outra menina. Quando Isabel me contava sobre você, eu a via como uma grande mãe. Aquela que estava sempre na vida dela. Aquela que sempre estava na escola para saber seus desempenhos. Aquela que sempre levava a na igreja, onde ela me contava que era o lugar mais legal do mundo que você a levava. Digo mais, mesmo depois de ter deixado a sua casa, ela nunca havia deixado de ir a uma missa no domingo se quer. Mas acima de tudo ela dizia que... - Mas a conversa foi interrompida, no mesmo instante, por uma forte tosse de Isabel, que estava muito fraca devido ao câncer no seio.
Sua tosse logo após a primeira foi seguida de sangue. A toalhinha que estava em sua mão já estava bastante suja e tanto Samanta como Isabel, já sabiam que não havia mais jeito para o câncer, já estava chegando sua hora. Neide vendo aquilo tremeu. Sentiu um forte calafrio de medo dominar seu corpo. Seu rosto já não demonstrava raiva, mas seu orgulho não a deixava se aproximar de sua filha. Ela achava que sua filha deveria ser como ela. Ter um marido, e uma família correta perante a Deus. Como são as famílias tradicionais. Por isso ela não conseguia abrir mão de sua filha, a quem ela criou, ser de um jeito que ela ache errado. Neide havia chegado a pensar em que momento de sua vida ela havia errado com sua filha para ela gostar de outra menina.
Mas Samanta logo assim que viu Isabel tossir correu para abraçar – lá e dar - lhe um beijo em sua testa. Ela via que para Isabel já estava chegando a hora e que mais nada poderia ajudar – lá. Mas mesmo assim resolveu ficar ali com ela por perto de sua mãe, afim de que mesmo com todas as brigas e desavenças, elas pudessem se falar e se despedirem uma das outras. Isabel já não tinha mais forças para falar. Pediu para que Samanta abrisse a porta do carro e a segurasse. Neide vendo aquilo disse com orgulho:
- Se tivesse sido que nem eu, correta, não teria acontecido isso com você. Você teria se casado com um homem e hoje em dia não estaria passando pelo o que está passando agora. Mas você se deixou levar pelas perdições do nosso mundo.
Mas Isabel do mesmo instante reuniu suas últimas forças e disse bem baixinho:
- Se eu tivesse sido como você poderia até ser que eu tivesse descoberto minha doença um pouco antes, afinal você tinha uma tamanha preocupação comigo, qualquer coisa que eu tivesse já estávamos nós duas do no hospital. Poderia até ter tido condições de me tratar antes da doença me desarmar. Mas se você não tivesse sido você, e tivesse me aceitado como sou, talvez tivesse sido melhor ainda, pois assim teríamos a Samanta para nos ajudar a vencer toda essa dificuldade também, pois eu a amo e isso iria me ajudar bastante, mas sozinha nós não conseguiríamos. Não com o fato de você não me aceitar como sou.
Agora sim, Neide já não conseguira impedir mais que fosse tomada pelo o que uma mãe sente pelo seu filho em momentos abstrusos, amor. Afinal ela já havia escutado as palavras de padre Zezinho sobre a compaixão uns com os outros e que deveríamos perdoar para sermos perdoados. Neide sabia muito bem a dor que tivera sentido durante e depois da missa em seu peito. Naquele instante já não via sua filha como perdida no mundo, pois seu coração havia amolecido pelo sofrimento de Isabel.
Como criança correndo para abraçar sua mãe que esteve fora o dia todo trabalhando, assim foi que Neide correu para sua filha. Abraçou - a lhe tão forte que Isabel havia lhe tossiu sangue em suas roupas, mas ela nem ligara para aquilo. Só queria dar o último abraço em sua filha, afinal ela estava partindo. Quando ela sentiu a vontade de novamente dizer o que estava entalado em sua garganta a tanto tempo, já era tarde. Sua filha havia morrido em seus braços e com um sorriso no rosto, um sorriso que a fez se afogar em um dilúvio de lágrimas. Mas fez Neide sentir uma das piores dores no peito que ela tivesse tido. Samanta amparou Neide com um abraço, sem que ela soltasse sua filha. Deixou - se levar pelo acolhimento de Samanta, com quem ela já não tinha mais preconceito, mas que por ela já sentia o agradecimento enorme por ter passado tudo o que ela, como mãe, não havia passado com sua Isabel. E Neide, que novamente abraçou forte Isabel, que já havia perdido o sorriso no rosto, disse com a voz um pouco rouca por causa de seu choro:
- Você morreu em meus braços e eu nem tive a oportunidade de chamá-la novamente de “minha filha”. Antes eu tivesse pedido a Deus que me mostrasse o que minha escolha iria resultar. Tivesse pedido a Ele uma cabeça mais compreensiva. Aquela que nunca mais tive a oportunidade ver e que ao menos antes de morrer pude pedir perdão. Aquela que eu não tive a oportunidade de dizer um adeus...

João Pedro França

"Que nessa manhã de domingo, ninguém interrompa o teu silêncio, a tua paz, que o sussurrar do vento leve para bem longe, as tuas lágrimas, as tuas tristezas e as aflições do teu coração. Que as chamas do amor de Deus, acalma as tuas tempestades, refrigera a tua alma, que você possa adorar a Deus e que adorando a Deus, você consiga vencer o mundo e que vencendo o mundo, tudo possa ser restaurado em sua vida. Você é livre, o caminho estará sempre aberto para a tua determinada vitória. O melhor de Deus é invisível aos teus olhos, poucas pessoas conseguem enxergar, mas são esses que Jesus amam e guarda para sempre em seu coração."

(Filho não se abala,
Jesus te ama)

Clecio Music