Manha

Cerca de 2166 frases e pensamentos: Manha

O domingo é um dia tão melancólico, pela manha então, é quase fúnebre.

Day Anne

O que tem para o café da manhã? - Perguntei, meio sarcástico. - O negativo ou AB positivo? - Bella mostrou a língua pra mim.

Stephenie Meyer - A saga Crepusculo - Amanhecer

Não trate como noite de sexta quem te trata como segunda de manhã!!!

Gino Sanches

CILADAS DA VIDA

Amo-te e nem sei porque
Como a brisa da manhã
Entra em nossas casas
Você entrou em meu coração
E nele fez morada.
Por que as coisas acontecem assim?
Sem esperarmos e sem razão.
A vida nos prega cada ciladas,
Mas sei que nada é por acaso
Se um dia cruzamos nossos olhares
E convivemos alguns momentos juntos
Seja ele qual for, é porque tinha que acontecer.
O difícil é entender o porque tão tarde,
Quem sabe um dia encontrarei a resposta.
O que hoje eu sei é que me apaixonei por ti
E isso é real dentro de mim.
Pena que não posso sentir teu abraço,
Nem o calor dos teus beijos.
Sei também que é um amor impossível,
Pois o amor que dedico a ti
Em teu coração não faz abrigo.
Como é inexplicáveis essas encruzilhadas da vida,
Mas tenho certeza que em algum lugar
Haveremos de nos encontrar,
E decifrar os enigmas dessa vida.

Luiz Carlos Rodrigues dos Santos

Crônica de Mim Mesma

A manhã despe-se à minha volta. Uma nesga de sol espreguiça-se no balouçar da cortina, tentando talvez aquecer o frio de uma ternura, que não se faz esquecida, mesmo no cansaço do olhar.

O calendário anuncia mais um outono. Há no peito um sentimento que farfalha, ignorando todas as estações. Na brisa do amanhecer, uma esperança qualquer, que não se despede do meu olhar, embora todas as impossibilidades acenem nãos e senões.

Em algum lugar dentro de mim, ainda mora um sonho, como se sobrevivesse para escrever outra vez, capítulos da minha história lavrada pela eloquência da realidade e pelos ditames da razão.

Não me chega o tempo da quietude. Deserdaram-me a serenidade e a pretensa calmaria, tão anunciada com o advento da tal maturidade. Meus passos nunca reconheceram o caminho que apenas impõe o seguir em frente. Já nem sei, se chegar era meu objetivo precípuo. O que há e o que se faz, quando se cruza a linha de chegada?

Empilha-se mais um troféu na prateleira das nossas conquistas? Onde ficam as tantas pequenas vitórias que se saboreiam no decorrer de cada percurso, mesmo quando não se vence, se nos ensinaram que apenas é ganhador aquele que chega primeiro? Como relatar ao mundo, o momento que me detive em meu trilhar, observando apenas o acariciar do vento nas pétalas de uma flor?

Como contabilizar isto em perda de tempo, se sequer imaginam os arrepios do meu olhar ou os sorrisos de prazer que aquela imagem me propiciou? Talvez, acusem-me de distraída e inadequada ao momento, que exigia que eu apenas continuasse e que subisse ao pódio. Era isto que esperavam de mim: vencer.

Outros ainda dirão que estou fora do padrão estabelecido pelas regras da sobrevivência. Ah, neste aspecto errei a vida inteira. Pequei sempre, quando preferi não tropeçar em meu sentir e escutei o pulsar do meu coração, não somente para constatar que eu vivia. Sempre fui amadora nestes rituais, em que se sacrificam as emoções. Onde a normalidade, quando se põe amarras no peito, calando o som de uma carícia?

Nunca compreendi histórias lineares, reações exatas ou gestos estudados. Bem que tentei aprender a disfarçar minha insegurança, o frio no estômago ou o rubor repentino, quando exposta ao espelho do cotidiano. Em quase todas as tentativas neste sentido, falhei. Talvez por isto, tenha me desencontrado muitas vezes de tantas pessoas.

Nunca amordacei minhas saudades, nem meu romantismo à flor da pele...sempre despi minhas máscaras, porque era em outro olhar, que eu desejava também encontrar-me e reconhecer-me. Mas meu olhar despido, vezes causou estranheza e constrangimento. Vezes, indiferença e tolos julgamentos.

Minhas palavras nunca souberam esconder o segredo de um amor, quando me habitava o corpo, a alma, o sonho. Nunca entendi, o porquê da grande maioria das pessoas entulharem tantos nós no coração. Se ainda fosse o pronome pessoal, mas não! Falo dos fios e, em alguns casos de verdadeiras cordas com amarrações complexas, que nem as próprias mãos sabem ou se dispõem a desatar.

E eu, com esta mania esquisita de falar do que sinto pelos lábios, mãos e olhares. E eu, com esta forma estranha de dar reconhecimento do que sinto e por quem sinto. Sempre foi inútil querer silenciar minhas confissões, mesmo se questionada sobre a certeza de um amor. Como se o amor tivesse que ser testado, discutido, dimensionado, adverbalizado e não apenas sentido.

Parece que saber de sua existência não basta. Tem que ter certificado de garantia, manual de instruções e, se bobear até posologia. Talvez seja por isto que grande parte de nós, sequer desconfie o que é viver um grande amor.

A noção mais próxima deste sentimento fica ladeando as histórias que nos contam, como as vividas por Abelardo e Heloísa, Tristão e Isolda e tantas outras ou nos livros de poemas que lemos no decorrer de nossas vidas.

De uma forma ou de outra, a expressão do que sinto fica meio desajeitada neste mundo. E como se não bastasse, ainda flagrei-me a poetisa. Mas quase sempre, a palavra ainda me parece pouca para compreender minha ignorância no universo da emoção.

Minha essência é mesmo desnuda. Coração exposto e sem labirintos. Ainda prefiro a minha ternura boba, um perfume de saudade em meu travesseiro, a minha voz entregue para as estrelas, do que viver desabitada de mim mesma.

Olimpia Souza

Hoje quando acordei pela manhã, ao abrir meus olhos vi um lindo anjo a minha frente a me guardar. E então resolvi fazer um pedido, sem saber se realmente seria ouvido e concebido meu desejo o anjo com a serenidade e expressão de felicidade olhou pra mim... Eu em silêncio apenas entendi o que seu doce olhar e sensibilidade passou naquele momento.Que não importa o tamanho de seus sonhos ,que não adianta quantas e quantas barreiras a vida vai colocar em seu caminho. E sim...Simplesmente basta você crer e acreditar em seus sonhos ,por mais pequenos que sejam para que eles se tornem a mais linda realidade.

Everaldo vieira

O canto dos passáros pela manhã e a oração de um coraçao contrito, é oxigenio pra alma.

Jane Leal

O PEQUENO SÁBIO E O HOMEM RICO


Era uma manhã de sol ardente naquela estrada longínqua de terra batida, onde assolava a poeira com o vento em forma de redemoinho. Um homem caminhava com os passos cadenciados sem se importar com a bravura das ventilações, seguindo na reflexão o fogo solar que ardia em seu rosto.

Adiante, encontrava-se um afortunado empresário com o seu veículo parado. Ao rever o homem, o empresário o chama.

-Hei! Não quer ganhar um dinheiro, trocando o pneu do meu automóvel?

O homem silenciando os passos deparou com a indagação, respondendo em seguida.

-Não. O que eu tenho guardado no meu pequeno bolso, é suficiente para a provisão do meu futuro.

Indignado o empresário inquire novamente.

-Então, você desfaz da minha oferta, renegando o meu dinheiro, além do meu status de maior empresário do mundo?

O homem responde.

-Somos da mesma massa anatômica, medimos a mesma força com o nosso sexo, e dispomos da inteligência com meta razão. Não será preciso um pedido ofertando aos meus olhos o que transparece à minha pessoa.

Indignado o empresário diz.

-Não vês que eu posso te dar mais do que precisas. Eu posso descer agora mesmo umas das minhas aeronaves para levar você aonde queiras sem cobrar absolutamente nada.

Assim completa o pequeno homem:

- Tudo tu podes, mais não poderás abreviar e nem prolongar o tempo, e nem socorrer dessas horas em que dependemos de uma ajuda. Nem mesmo o dinheiro, a luxúria e o poder serão capazes de se aproximarem dessa ocasião, e satisfazer as suas necessidades. Verás que toda a tua riqueza não te acompanha, e todo o saber adquirido torna-se inexperiente. Compreendas, que nem mesmo o teu poder que possuis nas gestões empresariais se apressa em prestar auxílio. Saibas que o homem natural é o caminho de todas as virtudes, sem laborar em proveito próprio.

Surpreso com as reprimendas, o empresário alega:

-Como pode um homem simples empregar as mais sólidas artimanhas da sabedoria? Onde aprendeu? Em que Escola te ensinou tal aprendizado? Você já ouviu falar do gigante do petróleo no mundo. Pois saiba que eu sou "Philosophum Doctore em química, e tais argumentos me surpreendem.

Sorrir o pequeno homem, afirmando:

-Aprendi na escola da vida, e estudei observando com a luz dos meus olhos a natureza e todo o cósmico, no maior berço da sabedoria do homem. Todavia, você com tão honroso doutoramento na tese em que defendes, não fora capaz de entender o ciclo das necessidades, baseando-se em sua mente apenas a estratificação social, que insurge com a financeira que deténs.

Abrigando as sinalizações propostas, o empresário confirma:

-É verdade tudo o que me dizes. Ah! Como eu gostaria de caminhar por estas estradas com o sol ardente, observando a poeira que se desenvolve em cada curva neste desfiladeiro. Mas, a minha situação não me permite. Sou um homem com bilhões de dólares. Você que não me conhece, eu tenho propriedades imobiliárias no Afeganistão que se perderam com a guerra, na África, em Acra, tenho a maior mineradora do mundo, além de várias ilhas exóticas no pacífico sul, onde jamais os meus pés cruzaram àquele destino. E olho para você, e vejo que és feliz sem ter um micro da minha riqueza. Por isso, não posso conversar com as pessoas, não posso andar pelas ruas e avenidas por não ter o sossego que tens. Vivo às escondidas, mudando constantemente de um trajeto a outro sem a paz que labora em teus pés.

Ouvindo atentamente, o pequeno homem intenta novos argumentos:

-A ganância é a alma genitora de todas as atribulações que convive com o homem. Verás que as tuas palavras em perguntar por quanto eu trocasse o pneu do seu belo automóvel, não justificaria as nossas posições na sociedade neste local ermo. A ajuda e a compreensão das necessidades são fatores intrínsecos e extrínsecos do homem natural sem medir valias. Um auxílio frente às suas necessidades, não iria me custar nada, somente aumentaria a minha auto-estima em ter feito uma boa ação. Acaso, oferecesse ao término da troca do pneu apenas um dólar, eu receberia com muita gratidão.

Sorriu o empresário, dizendo:

-Compreendo as suas boas considerações de um homem alinhado. E hoje, vou refletir os novos caminhos da minha vida. Pois, nem mesmo o dinheiro tem tanto valor como a hombridade de um simples homem honesto.

O homem sorrindo com o coração aberto, assevera, recebendo o abraço do mega empresário.

-Agora, eu vou trocar o seu pneu pela nossa amizade. E ficarei feliz se mudares os seus tratos com os homens de pouca gratidão.

Erasmo Shallkytton

Já fingi que estava doente para faltar à aula e assistir televisão durante a manhã inteira, pixei muros, quebrei janelas de vizinhos e corri pra de baixo da cama. Dancei em aniversários de 15 anos e curti à beça. Tive várias crises de bronquite na infância, com a mesma freqüência com que amei e "desamei" meus amores imaginários. Fugi de casa e voltei antes do meu programa favorito começar. Dei os nomes para os oito cachorros e os dois papagaios que tive e que ficaram comigo menos de um mês cada. Cantei durante tardes inteiras as mesmas músicas. E senti uma felicidade intensa quando ouvi minha sobrinha pronunciar meu nome pela primeira vez. Já fui mandado para fora da sala sem ter culpa de nada e tendo culpa também (e essas foram muitas). Tirei nota baixa e levei "bomba". Discuti com minha professora de matemática porque achava ela uma chata, mas hoje percebo que eu não fui tão legal quanto pensei que tivesse sido. Eu falei: "tipo assim", "então" e "né" em cada frase pronunciada. Me apaixonei por minha melhor amiga do parquinho e acho que ela também se apaixonou por mim e ambos nos apaixonamos pelos personagens do filme Um amor para recordar (foi um barato!). Curti "pakas" Legião urbana, chorei com minha turma ouvindo Vento no litoral, Giz e Hoje a noite não tem luar e pulei ao som de Vamos fazer um filme, Faroeste caboclo e Eduardo e Mônica. Já quis aprender a tocar violão, piano, sax e bateria. Já quis aprender a falar inglês, espanhol e alemão e essa fase ainda não passou, mas decidi primeiro rodar um pião, soltar uma pipa e encher um pote de bolinhas de gude. Vivi a emoção de passar no vestibular e a frustração de não conseguir enfrentar até o fim a facu. Senti falta da velha escola. Fiz a lista do primeiro dia do ano, aquela das cem coisas que você não pode deixar de fazer, refleti sobre a vida em meus aniversários. Já decidi meu futuro pelo menos umas mil vezes. Tentei mudar, acho até que melhorei, mas eu sou assim. Escrevi um livro. Plantei uma árvore. Perdi a chave de casa, perdi amigos, oportunidades, perdi a vontade de tudo! Mas logo em seguida dormi e quando acordei quase tudo pareceu estar no mesmo lugar. Passei noites inteiras navegando na internet e assistindo filmes sem graça, daqueles que quando terminam você diz: - Não acredito! Decidi conquistar a garota dos meus sonhos, eram quase quatro da manhã, liguei para dizer que te amo - eu disse - mas acho que ela não me ouviu. Já quis fazer uma tatuagem e já morei sozinho. Já senti aquele frio na barriga. Esperei o telefone tocar. Caí na gargalhada no ônibus, em reuniões e em outros lugares muito impróprios lembrando de situações vividas. Já passei pelo mico de estar no cinema com duas amigas e ouvir um monte de "psiu" e "silêncio, por favor," eram para elas chorarem mais baixo. Ganhei uma farda, parei com a bola. Ouvi uma música e li uma frase e pensei em alguém. Já tive um grande amor, e por amor eu sorri, chorei, zanguei, dei o meu melhor, por amor eu abri mão. E depois tive que começar tudo do zero, de novo. Virei um dia no bar, chega fiquei mole, era bebida pra lá e pra cá, mas esse bico de garçom definitivamente não era pra mim. Fiz melhores amigos. Conheci novos lugares, novos estilos musicais, novas maneiras de ver a vida. Arrumei um emprego, abri minha própria empresa e decidi ganhar menos para dar mais as pessoas que estão ao meu lado. Fiquei triste por descobrir que uma pessoa não acreditou em mim, mas tudo bem, eu também não acredito em todo mundo. Tentei aprender a cozinhar e é claro minhas visitas adoram quando eu ligo para pedir pizza ou qualquer coisa que já venha pronta. Tentei ler um jornal inteiro, mas fiquei entediado. Fui acampar em turma, viajei só, vi o pôr-do-sol e percebi quanto tempo perdi apenas admirando a lua. Vi uma estrela cadente e consegui fazer um pedido. Já apostei a última ficha e perdi e isso aconteceu mais de uma vez. Me arrependi de coisas que fiz e de tantas outras que eu devia ter feito. Estive em situações nas quais agi e me senti um idiota, um burro. Um dia acordei me achando o homem mais lindo do mundo, mas ai olhei no espelho e percebi, que bobagem! Não tentei muitas coisas por medo de não conseguir e já tentei outras até demais. A razão sempre foi minha única esposa até eu descobrir que a vida é curta demais para casar-se com uma só. E quase sempre quando vou fazer a limpeza do meu quarto, coisa que eu quase nunca faço encontro rascunhos de sonhos e projetos que por um ou outro motivo foram deixados pra trás, então com coragem e entusiasmo os levo para minha oficina da realidade. E quando me perguntam se eu passaria por tudo isso de novo, respondo: - Não desistiria da casa na árvore.

Kléber Novartes

Quero brotar da espiga da conciência, do homem novo que luta por sua manhã e proclama seu tempo azul...

Violeta Parra

O Perdão

Ela se chamava Mega e tinha uma chefe terrível. Quando Mega chegava pela manhã e falava "bom dia", a chefe respondia com uma pergunta: "por que não chegou mais cedo?"

Se chegasse antes da hora, a chefe não estava lá, mas ficava sabendo e lhe perguntava se ela não sabia qual o horário do expediente, mesmo depois de trabalhar ali há tantos anos.

Era uma mulher má. Implicava com tudo. Até que um dia Mega se cansou e decidiu se demitir.

"Vou sair, mas antes vou dizer tudo o que tenho vontade", foi o que pensou.

Exatamente naquele dia ela estava almoçando quando encontrou a dra. Casarjian que a convidou para assistir a um treinamento, naquela tarde.

"Não posso", foi a sua resposta. "tenho expediente a cumprir."

"Por que não?"

Mega falou sobre a chefe que vivia implicando com ela e a dra. Casarjian lembrou que pior a situação não poderia ficar.

Além do que, se a chefe lhe desse uma bronca por faltar ao trabalho, naquela tarde, ao menos teria motivo.

Mega lembrou que no dia seguinte iria se demitir, por isso resolveu ir ao encontro. Ali ouviu referências a respeito do perdão. "O perdão é bom para você", falava a Dra. "Se você perdoar alguém que o ofendeu ele continua do mesmo jeito mas você se sentirá bem."

"Se você perdoar o mentiroso, ele continuará mentiroso mas você não se sentirá mal por causa das mentiras dele." Ao final do treinamento, Mega concluiu que a sua chefe estava muito doente e tirou-a da cabeça.

No dia seguinte, tomou uma resolução: "não vou deixar que ela me atormente mais. E nem vou abandonar o trabalho que eu gosto."

Mega chegou e cumprimentou: "olá."

A chefe foi logo lhe perguntando o que tinha acontecido. Ela estava diferente. Mega falou que havia participado de um treinamento e que estava bem consigo mesma e até convidou a chefe para tomar chá, ao final da tarde.

A reação veio logo: "você está me convidando só para eu não reclamar de você?"

"Pode reclamar, até mandar descontar as minhas horas. Mas eu insisto no chá."

E foram. Durante o chá, a chefe falou da sua surpresa em ter sido convidada para aquele chá. Ela sabia que era intratável. Também falou da sua emoção. Nunca ninguém a convidara para um lanche, um café.

Acabou por falar das suas dores. O marido lhe batia, o filho vivia no mundo das drogas. Por isso ela odiava as pessoas. Era infeliz e agredia.

Semanas depois, era a própria chefe que comparecia ao novo treinamento da Dra. Casarjian a respeito do perdão.

...............................

Akiire M.

Que a cada manha aja um sorriso para afogar as nossas amarguras.

Aduzinda

A manhã mim ensina a caminhar
A tarde mim ensina a refletir
A noite mim ensina a descansar
E o amanhecer mim ensina a seguir

Fabio blest

Que sejas meu universo, que sejas tudo o que sinto e o que penso, que de manha seja o primeiro pensamento e a luz em minha janela...

Hugo Pessôa

Veio de manhã molhar os pés na primeira onda. Abriu os braços devagar e se entregou ao vento...

Teatro Mágico

Deixe-me pensar: eu era a mesma quando me levantei essa manhã? Tenho uma ligeira lembrança de que me senti um bocadinho diferente. Mas, se não sou a mesma, a próxima pergunta é: Afinal de contas quem eu sou? Ah, este é o grande enigma!

Alice no país das maravilhas Lewis Carroll

A sua vida começa, no início da manhã, ao abrir os olhos, onde sua mente o liberta da imaginação, para viver a realidade.

Mauro Henrique

Senhoras e senhores, aconteceu algo incrível hoje de manhã: eu acordei.

(O lado "mágico" da vida está naqueles mínimos detalhes que muitas vezes nem valorizamos).

Tainah Ferreira

Tão linda e tão fria. Como uma manhã de primavera que ainda traz o frio do inverno.

Andre Wade

"E que o vento alem da leve brisa da manhã, também traga a leve calma para o resto do dia."

Maíra Martim