Lugar onde eu Moro

Cerca de 124 frases e pensamentos: Lugar onde eu Moro

Desistir é para os fracos? Nunca! Desistir é para os fortes, Só o fortes pode suportar a dor de perder algo que ame. “Prefere sofrer a se da à chance de ser feliz”

Denys Moro

Ritmo...

Impossível não pensar em uma tarde como essa o que o corpo e o coração desejam e não confrontar-me com o que a realidade e disponibilidade me dispõem.
Fico impassível, imóvel, respirando apenas o necessário p/ fazer-me valer da vida, para que aquiete meus pensamentos nesse redemoinho e tormenta.
E ele tranqüiliza-se...
Absorve a paz que rege a sua volta como se cedesse à ausência dos ventos, como se perdesse força e do redemoinho surgisse uma leve brisa tranqüilizadora e constante...
E impera o silêncio...
Impera a ponto de ouvir e sentir o ritmo de minha freqüência cardíaca.
Serena, constante...
O som me diz algo, os batimentos soam como sílabas separadas...
Reconheço o nome...
O seu nome...
E dessa respostas vejo o coração em disparada, acelerando abruptamente...
É você...
Minha paz, minha tormenta, meu sol...
Dona de meus momentos de aflição e destempero, dona de minhas palavras de carinho e amor.Motivo de meus sorrisos sinceros, embora tímidos, mas muito e acima de tudo sinceros.
Minha intempestividade, temporal de ventos sem nexo. Minha bonanza e meu furtivo sol das manhãs...
Se o fosse apenas um lado sem o viver e o criar dos contrastes não seria pleno, não seria repleto e único. Só é completo quem percorre os dois caminhos e muitas vezes mais que uma vez. Não seria esse comboio de emoções desordenadas, felizmente desordenadas e desse não nexo faço minhas surpresas e aprendizados, me entrego a esmo sem esperar o que me trazem os céus.
Escrevo hoje a mãos suadas, de onde molha-me o grafite por sobre o papel e borra-me algumas letras.
Talvez como o suor às letras, borre as pessoas à volta a forma como vejo...
Felizmente tenho luz e transparência para me iluminar, mesmo nessa tempestade que às vezes ronda-me.
E aí existe o milagre...
Na turbulência e na falta senso ou orientação abre-se o clarão e cessa-se a escuridão, nasce perante os ventos a paz e o caminho que necessito seguir, os ventos contra me são pró.
És um milagre...
Pura e simplesmente um milagre...
E no ritmo do batimento tenho saudades do que já vivemos e do que senti com a presença, porque o que sinto perdura...
Tenho saudades do toque, o carinho e o cheiro de mulher. Fruto único de meus anseios e desejos, sinto o coração ritmado, pulsante, como a um baile sem companhia, como a uma dança solo de onde me é permitido apenas meios passos...
Para que entendesse o ritmo precisaria apenas de uma parede e você levemente recostada...
Ora de frente, olhos nos olhos...
Ora de costas, mãos presas uma a parede para sua sustentação e outra entrelaçada por entre meus dedos, a sua cintura...submissão pura...presa e predador...
E nesse momento seria minha, pura e simplesmente minha e ali dançaríamos um enlace ao compasso de nossos batimentos, com a destreza e a sensualidade que a dança pedisse...
Seria um sonho...talvez o meu sonho, que para ser perfeito faltaria apenas aquele “beijo molhado”, hoje inspirador de minhas palavras...

Armando Moro

Palavras...
Força, expressão
Mais que força, atitude
Mais que expressão, explosão
Palavras...
Flechas disparadas
A corações esmos
Flechas de saudade
Amor, alegria, dor
Outras pura e simplesmente
Flechas certeiras...
O alvo?
Coração...
Embaraço da mente,
Perca de sentidos,
Cadê razão?
Sinceridade?
Quem a sente sabe
Em muitas vezes
Sinceridade, descompromisso,
Fuga, justificativa
Do que a ninguém
Se deve
Simplesmente a
Quem se destina
E das palavras
Se faz receio, dor
Onde deveria amor
Desabafo
De onde um poema
De sentimento puro...
Luz ao invés de sombras
Casulo onde liberdade...
Sinceridade...
Lança afiada
Se não conjunta
De sensibilidade...
Sinceridade pura
É dura, pedra
A ser lapidada
De valor confesso,
Mas ainda bruta
O tato, o sentir
Lapida e complementa,
Faz de palavras
Sinceras um
Caminho coeso,
Sem percalços
Sem marcas...
Não dá forma
As palavras de
Cicatrizes...
Cicatrizes profundas
Não torna de
Infinito amor
Dor sem supremacia...
Pura e simplesmente dor
Sem adjetivos...
Sem vida...
Pura e simplesmente assim
Sem palavras...

Armando Moro

O destino malandro como é, carioca da gema, te jogou no meio do meu caminho me fez tropeçar em você , e agora ri da minha indecisão em não saber qual caminho tomar, esperando um golpe de loucura para construir um novo caminho.

Vivian Moro

Os sonhos existem para que possamos voar mais alto. Acredite que eles podem se tornar realidade.

Thais Moro

A arte de amar não é simplesmente dizer
amar é compreeender viver,
conviver,
entender,
se deixar levar sem magoar,
dar carinho fazer sorrir,
fazer feliz,
amar não é somente entre duas pessoas,
é também o coletivo de ser feliz!

Ana Tereza Moro

Tipo você é indecisa?
É?
Então nós somos?
Ou éramos?
Nem sei você continua sendo?
Ou não?
Você ainda gosta daquela pessoa?
Gosta?
É eu sei como ela não te da bola não é mesmo?
Ela te ignora ?
Ela finge não te conhecer e nem conhecer seus sentimentos sobre ela?
Será mesmo que o mundo da voltas ?
Aquela musica ainda faz lembra-lo?
Ou você finge ter esquecido?
Ele já não te responde mais não é mesmo?
Será essa sua nova rotina?
Correr atrás desse sonho incerto ?
Ou será que não é um sonho e sim uma ilusão?
Você está indeciso né?
Você ou nós?
As perguntas são várias não são?
Cada dia uma não é?
Ele parecia ser galinha mas ao mesmo instante era carinhoso não?
Ele te fazia se sentir feliz no começo né ?
Sempre te fazia sorrir?
Não é ?
É você fazia a mesma pergunta né ?
Será que ele me ama?
Ele sente algo por mim?
Ou só é ilusão?
Já percebeu que tudo é uma pergunta?
Mas e será que tudo tem resposta?
Ai você fica indeciso não é?(Risos)

Ana Tereza Moro

Bem que tentei,
Tentei ser feliz,
bem que tentei,
Tentei fazer feliz,
como tentei.
Foi inútil,
declaradamente.
Não consegui mudar
O ponteiro da vida
Que segue apenas
Em sentido único.
Como burro
De Tapa
Com o caminho à frente
Imposto e sem a
Possibilidade do que
Vive ao lado.
Esforço inútil,
tentativas frustradas,
sacrifício demasiado,
absurdo e
até a exaustão.
Perdi as forças,
os desejos se foram,
não há o que mudar,
porque ninguém quer mudar.
Como está, é bom.
Assim está legal.
Não mexe que está fluindo,
geralmente é assim.
Comodismo da rotina
Onde o morno
É quente para muitos
E o morno não me basta,
Quero o calor das chamas
A provocação intensa
De uma verdadeira paixão,
Um amor impiedoso
Intenso nos prós e
Tão intenso quanto nos contras.
Verdadeiro nos sentimentos
Mas tão verdadeiro quanto
No sofrimento,
Mas mesmo no misto
De sentimento,
Mesmo nessa louca
Montanha russa de humores
Nada tema, por que
O medo e a solidão existem apenas
Aos desprovidos
De uma cara metade
Na rudez, ou alma gêmea
No veludo das palavras.
O medo impede a mudança
O medo impede o caminhar
O medo impede o sorrir
Escancarado e o olhar
De desejo sem se importar
Que entendam ou não
E se algumas coisas
São realmente para serem sentidas
E não entendidas,
Somente quem as sente
Pode avaliar o porque
De algumas histórias
Pra mudar, precisa coragem,
precisa desejo,
precisa fibra,
acima de tudo
precisa amor.
Não dou mais ao mundo
Ou ao destino
Ou as pessoas
De alma negra,
Obscurecidas pela ausência
De tudo colocado
Nessas palavras
O direito
A poda ou a dizerem
O quando pode
O quanto vale
Ou o quanto medem
meus sentimentos.
Se acredito no infinito
Como limite esse será
Mesmo que em minha
Finita vida, mas
Infinita enquanto vida.
A prova do infinito
É o tema e o lema
Tentei no início
E não me convenço
De desistir no final
Dos versos
Porque a derrota
não está em mim
e a derrota não
faz parte da vida
das pessoas de alma
iluminada onde no meio
da escrita encontram
uma mística forma
de esperança e dela
a força para entender
que lutar, guerrear
quando preciso
é o que transforma
o tentei...
em tentarei novamente.

Armando Moro e Valentina Fraga a 4 mãos

“ Eu moro em Londres, uma cidade histórica, linda e vibrante, a qual eu amo morar. E você mora em Nova York que é super estimada.. como o Atlântico é largo demais para atravessar todos os dias, a nado, de barco ou avião, vamos decidir na moeda, mas se você não quiser aceitar isso, eu deixo Londres com todo o prazer, se você estiver me esperando do outro lado, porque a verdade Sophie, é que eu te amo, loucamente, profundamente, verdadeiramente e apaixonadamente. ”

Cartas para Julieta

Moro em minha propria casa,
Nunca imitei ninguém
E rio de todos os mestres
Que nunca riram de si.
(Escrito em cima de minha porta)

Nietzsche

No interior onde eu moro Nelson Rubens é fichinha. Aumentar e inventar é pouco.

Dani Leão

Às vezes, não moro em mim
Viajo sobre lindas rosas carmim
Não atendo quando me chamam.
Nem mesmo aos que me amam.

Rosalie Rose

Eu moro em mim mesmo!
Não faz mal que seja pequeno, assim eu tenho menos lugares para perder as minhas coisas e sonhos! Na verdade é um compartimento secreto onde só eu e meu Anjo temos acesso!
De vez em quando, eu vo lá e reescrevo novos sonhos...
Quando eu me distraio ou durmo, ai assim aparece meu Anjo para realizar aqueles sonhos que realmente me farão bem!
Bom, não sei definir sua feição se é mulher, criança ou uma luz, mas é o que me da felicidade, protege e me mantem solteiro!

Charlis

Não sei onde moro,
não sei para onde vou,
ando à deriva,
à deriva sem ti
perdida na serra,
perdida de ti,
ter asas e poder voar,
sentir o vento do norte,
abraça-me o solidão
deixa o meu coração,
ver os lírios do campo,
como são belos e perfumados,
vou dar-te o meu sentir,
os meus beijos, os desejos,
não sei onde moro,
se moro contigo,
não sei para onde vou,
se vou ter contigo.!

isabelRibeiroFonseca

Aqui... aqui onde eu não moro
Eu não pertenço a este lugar
Onde quem amo me sufoca,
Me sufoca de tanto esperar.

Aqui.. aqui onde o que sonho
Nada cabe mais em mim.
Vivo distante em pesadelos
Só esperando as horas do meu fim.

Aqui.. aqui onde visto-me ou dispo-me,
Onde cada minuto é dor ou despedida
Quando o vento calcula a dor
E passo a ser apenas alma sofrida.

Aqui... aqui onde presto ou não presto,
Onde cada um julga à seu ver.
Quando sempre faço verso
Dizem que é só algo mais que não posso ter.

Aqui... onde me despeço de tudo
Que eu não pude ser.
Grito, choro e esbravejo.
Assim vocês não vão me ter.

Nathália Borges

E lá,onde moro,é naqueles cafundó do judas sabé? mas tudo que você faz daí, também faço de lá. Lá só não têm esses arranha-céus medonhos de alto, mar também chegou lá não,nossas montanhas deixou não...

Eminerado

Porque não moro lá?
Porque lá não existe
Lá é continuação do aqui
Se não sei viver aqui, nunca saberei viver lá;

Robson Leão

Não sou de onde venho, não sou de onde moro,
sou de onde eu amo!


..

sonia solange da silveira ssolsevilha poetisa do cerrado

Estive analisando e me informando um pouco sobre política. Moro em uma cidade pequena desde que na nasci, então as coisas são terrivelmente complicadas aqui quando o assunto é política. eu descobri que antigamente, aqui na minha cidade, os votos para eleger um candidato eram na base da amizade. Não tinha toda essa coisa de compra de voto e tal. E hoje em dia as coisas são bem diferentes. O povo costuma falar mal do político, mas ele simplesmente não tem a coragem de se olhar no espelho e ver que ele também é um monte de lixo. Que me desculpem a grosseria, mas no momento estou fervendo de ira e preciso escrever o que eu realmente penso com toda sinceridade sobre tal assunto. E é isso que eu penso. O povo pensa que é santo, mas no final das contas somos todos uns capetas habitando esse inferno de mundo. O povo fala e fala mal dos políticos, que são ladrões e sei lá o que mais. Talvez sejam, não estou dizendo que não. Mas então, pensando por uns instantes, eu percebi que talvez os políticos nem estão tão errados. Na minha ira, sei que o que estou escrevendo pode ser um perigo e que talvez você pense coisas erradas sobre mim. Mas não me importo. Pois isso é só o que sabe fazer essa sociedade imunda. Falar mal dos outros e não se mexer pra nada! Falam mal dos políticos porque roubam. Agora me diz: quem foi que elegeu esses políticos? Quem foi que vendeu o voto pra esses políticos corruptos? Você não pensa que, talvez o dinheiro que esses políticos estão lhe roubando, seja também o dinheiro deles? O dinheiro que eles lhe deram quando você pediu dinheiro e vendeu o seu voto? Eu acredito que é assim que funcionam as coisas, meu caro. Confesso que não é bonito de se ver e que nem sou a favor de uma imundice dessas. Mas creio que os políticos não são exatamente o que o povo pinta. O povo, na minha opinião, também é capeta. Ninguém nesse mundo é santo. Então não pense que tem o direito de julgar qualquer outra pessoa, porque você também erra. Você já está errando simplesmente no fato de se achar melhor e de querer julgar alguém, seja ele quem for. Sobre a política, e em todos os outros assuntos, eu acredito na honestidade. Não devemos roubar, mas também não devemos pedir para ser roubados. Porque eu acho que é isso o que o povo faz. Eles simplesmente pedem para serem roubados a partir do momento em que vendem seus votos. Sei que nem todos são assim, e a esses eu digo meu muito obrigada, pois o mundo precisa urgentemente de gente assim. Sincera e honesta. Se as pessoas não fossem tão egoístas... Creio que nem é apenas uma questão de egoísmo, mas sim de burrice. É isso o que o povo é. Confesso, são burros porque o governo não investe em educação e porque o governo não quer mentes pensantes. Mas se um dia alguém do bem se candidatar, o povo deveria reconhecer isso. Alguém de bem deve estar á disposição e o povo deve saber votar direito. Quando esse milagre acontecer, e o poder não subir á cabeça de alguém do bem, então o povo estará á salvo. Então a paz e a justiça reinará neste mundo imundo.

Sabrina Niehues

Eu moro no quarto andar e ele no terceiro. Eu tenho quase um mês nesse prédio e ele parece ter nascido aqui. Eu vou ao banco, ao supermercado, volto do cinema e faço uns trabalhos da faculdade na casa da Fê. Ele loca uns filmes, aos sábados, na vídeo-locadora do seu Geraldo; lava o carro do pai na frente do prédio e sai com uns amigos da Zona Sul e tal. Mas a gente nunca se encontra e nunca se fala e nunca se olha e nem nada. Pra falar a verdade, ele nunca reparou em mim. E eu torço, assim, pra que do nada, a gente se esbarre na escada ou fique preso no elevador. Eu sei o nome dele. Quer dizer, eu ouvi a dona Luíza, a sindica do prédio, reclamar da última festa que ele deu e o chamou de Bernardo. Ele tem cara de festa e tem cara de Bernardo. Voltei pra casa nesse dia e fiquei pensando no nome dele antes de dormir e na cara de festa dele pra não dormir. E fiquei pensando como a mãe dele deve gritar o nome dele e como os outros meninos com cara de festa devem pronunciar o nome dele e como eu possivelmente falaria o nome dele, assim, num encontro repentino no metrô, numa tarde em uma confeitaria, numa despedida qualquer ou até mesmo pra reclamar da saudade. E fiquei pensando muito em como o nome da gente se combina e como a inicial do nome dele me lembra beijo e como isso e como aquilo. Mas aí depois eu lembrei que ele nunca reparou em mim. Nunca reparou que eu finjo falar ao celular só pra chamar atenção dele. Nunca reparou que eu o olho, pela canto dos olhos, enquanto ele está distraído no elevador. Nunca reparou que atrás das cortinas da janela do meu quarto tem uma sombra, que sou eu quem perde o sono pra vê-lo tocar violão nas madrugadas. Nunca percebeu que eu só apago as luzes do meu quarto quando ele apaga as do quarto dele também. Nunca deve ter sentido eu apertar o travesseiro e ouvido desejar boa noite. E ele não sabe que eu sei, mas eu conheço a marca da roupa que ele usa. Sei de cor o perfume, as cores e os endereços que frequenta. E sei que ele adora o All Star verde, mas aos domingos prefere calçar as Havaianas 42. E eu conheço tudo, tanto nele, tudo nele, sem nem conhecer. Porque ele não é só um cara do meu prédio, não é só um cara do terceiro andar, não é só um cara que calça Havaianas 42. Ele é aquela sensação de que pela primeira vez na vida alguma coisa pode dar certo. Ele é aquela sensação de friozinho na barriga que causa ansiedade. Ele é tudo o que eu quero hoje e até onde o pra sempre der.

Murilo Melo