Lembranças Infância

Cerca de 121 frases e pensamentos: Lembranças Infância

Meus brinquedos

De repente
Ao lembrar dos brinquedos queridos
Que ficaram esquecidos
Dentro do armário
Me bate uma saudade
Me bate uma vontade
De voltar no tempo
De voltar ao passado
Mas nada acontece
Nada parece acontecer
E eu choro
Choro como o bebê que fui
E a criança que quero voltar a ser
Não quero crescer!

Clarice Pacheco

Quando rever é reviver

Preciso reviver, eu bem sei,
mesmo que só na lembrança,
voltar à minha antiga casa,
rever a minha infância
e todos os momentos felizes que lá passei.

Clarice Pacheco

Não me lembro de nenhuma necessidade da infância tão grande quanto a necessidade da proteção de um PAI. (Em "O MAL ESTAR NA CIVILIZAÇÂO")

Sigmund Freud

"Ter um irmão é ter, pra sempre, uma infância lembrada com segurança em outro coração."

Tati Bernardi

AME. S2
Simplesmente ame. Ame a lembrança que se tem da infância, aqueles mil e um roxos nos joelhos e os primeiros passos de patins.
Ame quando você for criança e achar que seu pai é o homem mais grande desse mundo, mas ame mais quando você descobrir que ele é sim o mais importate. Ame o abraço de uma amiga verdadeira que você descobriu e que juntas vocês conquistaram o mundo apenas sentadas de baixo de uma árvore. Ame quando você descobrir que não existe só uma amizade assim, e que no decorrer da vida você descobre que cada pessoa passa por você na fase certa, fazendo disso ela única naquele momento. Ame um sorriso seu mas ame mais um sorriso pra você. Ame a primeira flor e bombons que você ganhar, guarde a caixa e suspire inúmeras vezes quando olha – lá . Ame aquela ligação de madrugada das suas amigas berrando e dizendo que amam você. Ame mais ainda aquela outra ligação, no começo da noite pra te desejar um “dorme bem”. Ame o abraço da sua mãe depois de uma longa conversa sobre amores e amigos. Ame aquele domingo em família. Ame todos seus aniversários. Ame as borboletas, mas ame mais quando elas voarem dentro de você e ai sim, ame. Ame e ame demais seu pai e sua mãe em todo o momento. Ame suas primas. Ame aquelas férias de uma semana a qual você conheceu pessoas eternas. Ame aquela velha e boa amiga do tempo de criança que diz “eu sempre torci por você” a cada derrota ou vitória sua. Ame a saudade mas ame mais ainda a hora de matar ela. Ame crianças e bagunça e cães é claro. Ame e festeje o pôr do sol mas ame mais ele nascendo. Ame o primeiro amor, e encontre o segundo para amar ainda mais. Ame uma festa até às seis da manhã, mas ame mais o dez que você tirou na prova que vinha na manhã seguinte. Ame sua sorte, seu cabelo e seu perfume. Ame o sol. Ame as suas músicas. Ame seus medos, ame o que passou o que está acontecendo e o que está por vir, apenas ame... E depois de um tempo que você amar, se amar... comece tudo denovo mas dessa vez, faça diferente, ensine alguém a amar... você! ;*

Desconhecido

Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro ter dado na infância

Oswaldo Montenegro

Minha Doce Criança

Ela tem um sorriso que parece e
Me faz lembrar de memórias da infância
De quando tudo era fresco
como o brilhante céu azul
Agora então, quando vejo seu rosto
Ela me leva para aquele lugar especial
E se eu olhasse muito
Provavelmente perderia o controle e choraria
Minha doce criança
Minha doce amada
Ela tem olhos do azul mais celestial
Como se eles pensassem na chuva
Eu odeio olhar naqueles olhos
E ver um traço de dor
Seus cabelos me lembram um lugar quente e seguro
Onde quando eu era criança eu me escondia
E rezava para o trovão e para a chuva
Calmamente passarem por mim
Minha doce criança
Meu doce amor
Para onde vamos?
Para onde vamos agora?
Para onde vamos?
Minha doce criança

Guns N' Roses

A lembrança da infância é o único sonho real que nos resta na fase madura da vida, os demais são meras utopias.

IGdeOL

Lembranças da infância




Ainda lembro do cheiro da chuva,
Das brincadeiras com as amigas
Do cheiro da comida,
Nas panelas que minha mãe preparava enquanto eu estudava.
Dos sonhos de voar de mãos dadas com Peter pan.
Da tentação da lama em me sujar.
De fingir que estava dormindo pra ver se via papai Noel,
Entrando em casa pra me deixar presente de natal.
De abraçar uma amiga que caiu e se machucou.
Das brigas com a irmã pelo pedaço maior do doce!
Do vento da balança em meu rosto!
De correr pra cama da mãe após um pesadelo e achar que
Somente ali nunca mais teria pesadelo!
De pensar que minha vida seria sempre uma eterna infância e
Que eu nunca perderia meu mundo de sonhos e refugio!
De falar pra minha amiga que nada nos separaria e acreditar
Que isso seria verdade!
De achar que todos falavam a verdade por que isso seria o certo
Porque foi isso que meus pais me ensinaram!
Ficar triste quando uma amiga vai embora para outra cidade, sem saber
Que essa sensação ira se repetir milhares e milhares de vezes em minha vida!
De pedir para que sua mãe beije um machucado seu por que acha que beijos
De mãe cura qualquer dor e acreditar que a dor passou!
Brigar com sua irmã, falar que ela é a pessoa mais insuportável do mundo
Mas ficar furiosa quando alguém a magoa e defende-la com unhas e dentes!
Sonhar que quando crescer encontrara um mundo La fora que nem a casinha
De doce do João e Maria.
Achar que o seu príncipe encantado será seu maior defensor e herói.
De chorar em publico sem vergonha de demonstrar sua decepção!
De expressar suas idéias sem medo de critica, e achar que elas seriam assim
Para o resto da vida, sem saber que mudaria de idéia varias vezes em minha
Vida!
Mas o que mais recordo e não consigo ter de volta, é a sensação de viver sem
Medo de ser feliz!

Adriana Poschi

Eu criança

Lembro-me da minha infância!
Da minha vida de menino....
da minha doce inocência!
Brincava de caubói e de bandido...
cantava , chorava e ria!
Infância querida!
Pra ti não volto mais!
Inocência perdida!
Que não encontro jamais!

Itamar Sarto

Sou feita de gavetas...
lembranças amassadas, vestígios de infância, peças ousadas,
dobradas, perfumadas, bagunçadas, profundas, escuras, trancadas.

Renata Fagundes

Tem amigo que a gente lembra
do quanto conseguíamos ser radicais:
apostando corridas perigosíssimas
de velotrol em nossos quintais.

Sarah Magalhães, em Amizade (d)e infância

A mera lembrança da infância assombra

A mera lembrança da infância assombra

procuro entender como me transformei no que sou hoje

como mudei tanto

a tal ponto de não reconhecer a mim mesmo

será esse mundo que transforma

será que minha mente se expandiu tanto que ampliou meus horizontes

será as companhias da qual tive nessa longa vida

será o ambiente da qual tive oportunidade de ser

será as coisas da qual presenciei que chocaram marcando minha alma como cicatrizes de uma ferida aberta

será que perdi algo nesse longo percurso que me marcou

algo que possa recuperar, ou um pouco que possa chegar próximo do que era antes

minhas origens chegam a mim ainda em memórias como pequenos flashes

como um vulto instantâneo que aparece e desaparece repentinamente

hoje existem várias massas de moldar por aí

massas ambulantes que estão em plena metamorfose que mudaram tanto que a capacidade de consciência está em cheque

sendo estes ficando cada vez mais dependentes de suas necessidades

agindo se de maneira qualquer sem ter noção das consequências de suas próprias ações

A capacidade de questionar está se despencando quase virando ruínas

extintas são mentes abertas que não se entorpeceram com as ações externas

vejo hoje um lua torta, um sol torto, uma terra torta,

com bilhões e bilhões de arvores tortas em plena ruína e em seu pleno desgaste.

eddiespectrum

Hoje passei o dia relembrando e sorrindo à toa, lembrei de ter conhecido o primo da minha amiga que virou meu melhor amigo e companheiro de viagens, lembrei de um dia inesquecível no shopping do Rio de Janeiro, lembrei de dividir meus quilos de ovos de páscoas ganhos com os amigos chegados, lembrei daquela amiga carioca petrolina que converso no mínimo 87 minutos ao telefone numa ligação ddd, e lembro dos amigos sobrinhos, amigos irmãos e amigos afilhados e comadres que a vida nos uniu ainda mais.

Lembro dos colegas de trabalho que viraram amigos, são poucos e ótimos e da chefe que virou vice-mãe, lembro das risadas e choros e dos desabafos do cds palco de infinitas amizades, lembro da Dani e da Tati, do recanto de amigas e dos pitacos nosso de cada dia, lembro de troca de e-mails, lembro de ainda não mães que ou estão grávidas ou estão com recém-nascidos, lembro dos amigos de infância, dos melhores amigos que caíram posições mas que continuam amigos, lembro de nunca ter tido só um melhor amigo e sim vários, lembro que a vida me afastou de alguns e me agraciou com outros. Lembro dos conselhos de que o nojinho que eu tinha da Tiffany ia passar, lembro de ter ficado amiga-filha da professora de português, lembro de inúmeros conselhos que não ouvi e quebrei a cara, lembro de amar mais e receber menos ou de amar o mínimo e receber o máximo. Lembro que meus amigos são tesouros raros, lembro das amizades de mais de 30 anos e dos amigos que sempre serão, dos amigos íntimos que me sinto livre para fazer o que eu quiser em suas casas, inclusive dormir e tomar banho.

Lembro das amigas irmãs caprichosas que as amo, lembro das amigas chatinhas que admiro ad eternum, lembro de todas as recordações felizes, dos colos, lembro de exercer o perdão com os amigos que pisaram na bola comigo por maldade ou ignorância, lembro de ter sido perdoada também, lembro de ritualizar na festa de fim de ano e ao brinde de champanhe e ao som de fogos de artifício falar o nome de todas as pessoas que eu quero bem e desejo felicidade e prosperidade, lembro das amigas do lindo, do cdb, lembro de ter mais amigas que amigos mas os poucos que tenho valem por 1 milhão de amigos, lembro de engolir o choro diante daquela amiga que teima em te criticar, lembro de chorar da felicidade alheia e alegrar-me como se aquela felicidade fosse uma conquista minha, lembro de me sentir amada a cada instante por um amigo que não vejo, mas o sinto tão fortemente em minha vida, lembro de ter pais amigos, lembro de ter micos compartilhados.

Lembro de ter recebido cartinhas e fotos de amigos que moram longe antes da era e-mail, lembro das amigas de Luminosa, lembro dos amigos primos, da amiga de facul que de tão íntima virei amiga de toda sua família, lembro da facilidade de fazer amigos dos amigos e amigas do Café Cancun. Lembro de ter amigos que amam comidas exóticas como eu e são verdadeiros chefs, lembro de ser feliz com o que tenho de melhor, Sou privilegiada por ter amigos, lembro das minha madrinhas queridas, dos meus ex que se transformaram em amigos, lembro de amigas defensoras dos animais, amigas humanas e que me inspiram. Amigos, ainda bem que fui agraciada com inúmeros sentidos a minha existência.

Um brinde à vocês!

Arcise Câmara

Eu quero voltar
voltar as lembranças
voltar a infância
voltar as momentos
que voam aos ventos
voltar a glória
de uma história
contada e vivida
em minha memória

Davi Lourenço

Lembranças de amizades curiosas
É neste humilde verso que as resgato;
É como a fonte que dá vida às rosas
Adormecidas pelo tempo ingrato.

Situações inocentes, carinhosas,
Da nossa infância no momento exato.
Imagens da lagoa, bichos, prosas...
Na memória, belíssimo retrato.

Relembro cada lance motivado
Pela saudade, no contexto puro
Da emoção e constante aprendizado.

Dez anos passam em segundos, juro.
Nossas cartas escritas no passado,
Nossas vidas, distantes no futuro.

Castro Lima Sichieri

MINHA INFÂNCIA

Oh que tempo maravilhoso,
Tempo proveitoso que nos resta lembrar,
Tempo que corria e brincava, ria e chorava,
E na memória vai ficar...

Como era bom o dia de chuva,
Andava descalço e sem guarda-chuva,
Pulando enxurrada, com a roupa molhada,
Mas esperando o sol chegar...

Que felicidade, que tempo gostoso,
A verdadeira amizade, um tempo prazeroso,
Brincava de salva, jogava bola,
Ia pra rua quando chegava da escola,
Na intenção de mais um dia brincar...

Tempo bonito, foi minha infância,
Hoje é difícil, muita arrogância,
A maioria nem quer mais saber,
Sendo assim não vão entender,
A felicidade que pude alcançar...

Lembro desse tempo, sinto alegria,
Vivi minha infância, dia após dia,
Hoje a lembrança vem junto comigo,
Está ao meu lado como se fosse um amigo,
Não quero esquecer, apenas viver,
E quero comigo, sempre guardar...

Oh que tempo maravilhoso,
Tempo proveitoso que nos resta lembrar,
Tempo que corria e brincava, ria e chorava,
E na memória vai ficar.

Bruno Henrique Ferreira dos Santos

Sabe aquele tempo que a gente lembra com uma certa nostalgia: amigos de infância, o céu estrelado, olhar apaixonado, amarelinha na calçada, estudar um dia antes da prova e ainda tirar nota alta, pois é, bons tempos... Um dia a gente cresce e acha que sabe tudo, que agora sim vou ser feliz, ter uma casa, um carro, um bom emprego... uma pena que a gente demora tanto tempo para perceber que bom mesmo era sentar na calçada e olhar para o céu, imaginando os monstros que as nuvens formavam... bom mesmo era rir de tudo sem grandes preocupações, com a inocência que só uma criança traz no olhar... bom mesmo era curtir estes momentos tão especiais, tão cheios de sonhos, de fantasias, de esperança, tão perto de Deus.

Marisa M. Amaral

As vezes eu sinto uma saudade enorme. Só não sei de quê. Talvez seja da minha infância. Era tão boa. Tudo era tão simples, tão fácil. Ou talvez seja das pessoas. Daquelas que passaram más não ficaram... se foram sem se despedir. Más também pode ser os momentos. Esses que marcam e pairam na nossa mente. São sem dúvida, especiais. É como se o agora fosse dispensável, e o pensamento voasse, procurando algo que não sabemos bem o que é. E nosso olhar insiste em ir em direção a janela. Como se a resposta desse aperto no coração estivesse além. Não sei se sensação é boa ou ruim...Sinto-me agradecida por tudo que vivi; más ainda há uma enorme vontade de quero mais.

Michelle Coimbra

JABUTICABAS

Pomar de minha infância:
Laranjeiras, bananeiras, abacateiro,
Mangueiras, goiabeiras, uvas docinhas.
Um cajueiro e o pessegueiro em flor.

Mas o que eu mais curtia era a jabuticabeira.
Quando florida, prenuncio de doçura no ar,
Enchia de doce expectativa, meu paladar.
Como era bom chupar jabuticabas no pé!

O sabor só pode ser comparado
A esta doce e suave lembrança.
É na jabuticabeira de minha infância,
Que reencontro os meus sonhos...
- Saudade! -

Verluci Almeida