Justiça

Cerca de 947 frases e pensamentos: Justiça

A justiça de Deus é inexorável e exige por meio de suas leis o cumprimento do divino plano de evolução que todos os seres e as coisas devem seguir.

A Logosofia abarca todos os conhecimentos humanos e transcende para conhecimentos maiores

Carlos Bernardo González Pecotche

A paz entre os homens, a justiça social só vai acontecer de forma sustentada quando cada indivíduo voltar os olhos para si mesmo e encontrar sua imperfeição, o mal que habita o seu íntimo. Nisso, a educação e o exemplo tem um papel fundamental.

Arnaldo R. Barbalho Jr.

A mentira da uma volta enorme,encontra com a verdade na esquina da justiça!

EdelziaOliveira.

Quem faz parceria com a justiça e anda de mãos dadas com a verdade, nunca terá problemas com Deus!

Reinaldo Ribeiro - O Poeta do Amor

O Que Faz a Justiça do Evangelho?

Qual é a justiça de Deus
que se revela no Evangelho?
Ela é Juízo ou Justificação?
Quem quiser conhecer,
basta somente ler,
com a mente e com o coração,
o que diz o apóstolo,
em Romanos três:

Mas agora, sem lei,
se manifestou
a justiça de Deus
testemunhada pela lei
e pelos profetas;

justiça de Deus,
ofertada com amor
mediante a fé
em Jesus Cristo,
o Senhor.

Para todos
e sobre todos
os que crêem;
porque não há distinção,
não há não,
não há distinção.

Pois todos pecaram
e carecem da glória de Deus.

Somos justificados
gratuitamente,
pela graça do nosso Senhor,
conforme a redenção
que Deus nos dá,
pela fé no sangue
que Ele derramou.

É nisto que consiste
a Sua divina justiça,
pois foi em Cristo
que puniu nossos pecados,
livrando-nos da culpa,
para sermos justificados.

Silvio Dutra

A Justiça Que Produz Vida Eterna

Mas vós sois dele, em Cristo Jesus,
o qual se nos tornou, da parte de Deus,
sabedoria, e justiça,
e santificação, e redenção.
(1Co 1:30)

Além de sabedoria, santificação e redenção,
é afirmado também no texto,
que nosso Senhor se tornou justiça,
da parte de Deus, para nós.

Esta justiça que é o próprio Cristo
foi prometida por Deus e profetizada
no Velho Testamento,
especialmente pelo profeta Isaías.

E o propósito de tal justiça tem a ver principalmente, com a nossa salvação.

Deus Pai tem oferecido livre e gratuitamente
a justiça de Seu Filho, para a salvação
de todo aquele que nEle creia.

Não há nenhum outro modo de salvação
a não ser por este que foi determinado
desde a eternidade por Deus Pai.

É pela aceitação desta justiça divina
que há em nosso Senhor Jesus Cristo,
que uma pessoa é salva da condenação.

Qualquer outro meio no qual se confie,
não pode salvar de fato,
porque Deus somente perdoará
e receberá como seus filhos
àqueles que receberam a Cristo,
para ser a justiça deles.

Ninguém pode ser recebido por Deus
sem que a Sua justiça perfeita
seja completamente satisfeita.

Por isso o fim da própria lei é Cristo,
para justiça de todo aquele que crê.

Deus somente fica satisfeito
quando aceitamos esta justiça
que Ele está nos oferecendo.

E nós, quando cremos,
ficamos também plenamente satisfeitos,
e não gostaríamos de ser salvos
por nenhum outro modo.

Porque reconhecemos que não há
qualquer justiça própria em nós
que nos recomende a Deus,
pois estamos cheios de pecados.

Silvio Dutra

Tal o Líder Tal o Povo – I Reis 16

Enquanto havia estabilidade e justiça no trono do Reino do Sul (Judá), por 66 anos seguidos, com os reinados sucessivos de Asa (15.4, 10) e de seu filho Josafá, depois dele (22.42), o Reino do Norte experimentava a instabilidade e a idolatria de reis que se sucediam no trono pelo uso de força e violência.
Deus havia levantado a Baasa para assumir o trono de Israel, pelo afastamento de Nadabe, filho de Jeroboão, de forma que fosse cumprida a palavra que Ele havia proferido contra a sua casa, mas Baasa não fez a vontade do Senhor porque apenas conspirou contra Nadabe, movido por interesse pessoal e político, e deu continuidade às práticas idolátricas de Jeroboão (I Reis 16.1,2).
De modo que o Senhor enviou também uma palavra de juízo contra Baasa, e contra a sua casa, através do profeta Jeú, filho do profeta Hanani, semelhante à que havia dado a Jeroboão, através do profeta Aías, de que sua casa seria exterminada e o seus descendentes, que morressem na cidade seriam devorados pelos cães, e os que morressem no campo, pelas aves de rapina, significando isto que eles não seriam honrados em seus sepultamentos.
Baasa havia exterminado a descendência de Jeroboão, mas até isto foi levado em conta pelo Senhor contra ele, conforme lemos no verso 7.
Isto deve ser devidamente submetido à nossa reflexão, porque se fora proferido tal juízo de extermínio da casa de Jeroboão, pelo próprio Senhor, como Ele estava também determinando agora o mesmo juízo sobre a casa de Baasa, poderia parecer a alguns que há um paradoxo nisto.
Todavia, se pesarmos os motivos que moveram Baasa a fazê-lo, a saber, não por motivo de zelo do Senhor, e sem o uso de extremada violência, e nem ainda para atender ao seu próprio interesse pessoal egoísta, agravado pelo fato de ter voltado as costas para Deus, dando continuidade à idolatria que havia dado ocasião ao juízo, que foi determinado sobre Jeroboão e sua casa, então fica muito claro a nós que Baasa se tornou de fato mais ainda merecedor de um tal juízo, do que o próprio Jeroboão, porque à sua idolatria acrescentou a sua cobiça e violência.
Ele matou não por zelo e amor à Palavra do Senhor, mas por amor ao poder e às riquezas, usando de extrema frieza e crueldade.
Quando Elá, filho de Baasa, reinava, Zinri, o capitão da metade dos carros do exército de Elá, conspirou contra ele e o matou, e não somente a ele mas a todos os descendentes de Baasa, e amigos próximos dele, que tinham influência no reino, mas como o fizera com os mesmo motivos que haviam movido Baasa em relação à descendência de Jeroboão, conforme comentamos anteriormente, ele não prevaleceu diante de Deus e não pôde contar com a sua proteção, porque não ficou no trono por mais de sete dias, porque Onri, que era o general do exército de Elá, veio contra Zinri e o matou, e passou a reinar em seu lugar.
Este Onri se fez forte em Israel, mas não somente deu continuidade ao culto idolátrico de Jeroboão, como também fez pior do que todos os que reinaram antes dele, pois, introduziu outras abominações em Israel.
Até então a capital do reino era Tirza, desde os dias de Jeroboão, e Onri reinou nesta cidade nos primeiros 6 anos do seu reinado, e tendo comprado um monte de um homem chamado Semer, edificou nele a cidade de Samaria, que passou a ser a capital do reino, e na qual ele reinou os seis últimos, dos doze anos do seu reinado (v. 24).
Depois de Onri, passou a reinar seu filho Acabe, que foi o pior rei de Israel, e sendo um homem fraco de caráter, fez toda a vontade da sua perversa mulher, chamada Jezabel, filha de um rei de Sidom, que trouxe o culto de adoração a Baal para Israel e lhe deu uma grande expansão e a nova capital do reino, Samaria, recebeu uma casa e um altar para o culto de Baal, que possuía 450 profetas e um poste-ídolo (Asera) para cujo serviço Jezabel deu 400 profetas (v. 31, 32 e cap 18.19, 22).
Este 16º capítulo de I Reis é encerrado com o cumprimento de uma maldição que havia sido proferida pelo Senhor nos dias de Josué (Js 6.26), mais de 500 anos antes, pois isto sucedeu durante o reinado de Acabe.
Um homem de Betel, depois de todo este tempo, ousou reedificar Jericó, e lhe sucedeu o que havia sido profetizado, porque quando lançou o alicerce da cidade morreu o seu filho primogênito, e ao colocar as suas portas morreu o mais moço (v. 34).
Isto era um prenúncio e um alerta para Acabe e todos em Israel de que o Senhor traria sobre eles todos os juízos proferidos na Lei de Moisés contra a idolatria do Seu povo, ainda que estes juízos, como a profecia de Jericó, tivessem sido proferidos há mais de 500 anos.



“1 Então veio a palavra do Senhor a Jeú, filho de Hanani, contra Baasa, dizendo:
2 Porquanto te exaltei do pó, e te constituí chefe sobre o meu povo Israel, e tu tens andado no caminho de Jeroboão, e tens feito o meu povo Israel pecar, provocando-me à ira com os seus pecados,
3 eis que exterminarei os descendentes de Baasa, e os descendentes da casa dele; sim, tornarei a tua casa como a casa de Jeroboão, filho de Nebate.
4 Quem morrer a Baasa na cidade, comê-lo-ão os cães; e o que lhe morrer no campo, comê-lo-ão as aves do céu.
5 Quanto ao restante dos atos de Baasa, e ao que fez, e ao seu poder, porventura não estão escritos no livro das crônicas dos reis de Israel?
6 E Baasa dormiu com seus pais, e foi sepultado em Tirza. Então Elá, seu filho, reinou em seu lugar.
7 Assim veio também a palavra do Senhor, por intermédio do profeta Jeú, filho de Hanani, contra Baasa e contra a casa dele, não somente por causa de todo o mal que fizera aos olhos do Senhor, de modo a provocá-lo à ira com a obra de suas mãos, tornando-se como a casa de Jeroboão, mas também porque exterminara a casa de Jeroboão.
8 No ano vinte e seis de Asa, rei de Judá, Elá, filho de Baasa, começou a reinar em Tirza sobre Israel, e reinou dois anos.
9 E Zinri, seu servo, chefe de metade dos carros, conspirou contra ele. Ora, Elá achava-se em Tirza bebendo e embriagando-se em casa de Arza, que era o seu mordomo em Tirza.
10 Entrou, pois, Zinri e o feriu, e o matou, no ano vigésimo sétimo de Asa, rei de Judá, e reinou em seu lugar.
11 Quando ele começou a reinar, logo que se assentou no seu trono, feriu toda a casa de Baasa; não lhe deixou homem algum, nem de seus parentes, nem de seus amigos.
12 Assim destruiu Zinri toda a casa de Baasa, conforme a palavra do Senhor, que ele falara contra Baasa por intermédio do profeta Jeú,
13 por causa de todos os pecados de Baasa, e dos pecados de Elá, seu filho, com que pecaram, e com que fizeram Israel pecar, provocando à ira, com as suas vaidades, o Senhor Deus de Israel.
14 Quanto ao restante dos atos de Elá, e a tudo quanto fez, porventura não estão escritos no livro das crônicas dos reis de Israel?
15 No ano vigésimo sétimo de Asa, rei de Judá, reinou Zinri sete dias em Tirza. Estava o povo acampado contra Gibetom, que pertencia aos filisteus.
16 E o povo que estava acampado ouviu dizer: Zinri conspirou, e matou o rei; pelo que no mesmo dia, no arraial, todo o Israel constituiu rei sobre Israel a Onri, chefe do exercito.
17 Então Onri subiu de Gibetom com todo o Israel, e cercaram Tirza.
18 Vendo Zinri que a cidade era tomada, entrou no castelo da casa do rei, e queimou-a sobre si; e morreu,
19 por causa dos pecados que cometera, fazendo o que era mau aos olhos do Senhor, andando no caminho de Jeroboão, e no pecado que este cometera, fazendo Israel pecar.
20 Quanto ao restante dos atos de Zinri, e à conspiração que fez, porventura não estão escritos no livro das crônicas dos reis de Israel?
21 Então o povo de Israel se dividiu em dois partidos: metade do povo seguia a Tíbni, filho de Ginate, para fazê-lo rei, e a outra metade seguia a Onri.
22 Mas o povo que seguia a Onri prevaleceu contra o que seguia a Tíbni, filho de Ginate; de sorte que Tíbni morreu, e Onri reinou.
23 No trigésimo primeiro ano de Asa, rei de Judá, Onri começou a reinar sobre Israel, e reinou doze anos. Reinou seis anos em Tirza.
24 E de Semer comprou o outeiro de Samaria por dois talentos de prata, e edificou nele; e chamou a cidade que edificou Samaria, do nome de Semer, dono do outeiro.
25 E fez Onri o que era mau aos olhos do Senhor; pior mesmo do que todos os que o antecederam.
26 Pois ele andou em todos os caminhos de Jeroboão, filho de Nebate, como também nos pecados com que este fizera Israel pecar, provocando à ira, com as suas vaidades, o Senhor Deus de Israel.
27 Quanto ao restante dos atos que Onri fez, e ao poder que manifestou, porventura não estão escritos no livro das crônicas dos reis de Israel?
28 Onri dormiu com seus pais, e foi sepultado em Samaria. E Acabe, seu filho, reinou em seu lugar.
29 No trigésimo oitavo ano de Asa, rei de Judá, começou Acabe, filho de Onri, a reinar sobre Israel; e reinou sobre Israel em Samaria vinte e dois anos.
30 E fez Acabe, filho de Onri, o que era mau aos olhos do Senhor, mais do que todos os que o antecederam.
31 E, como se fosse pouco andar nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, ainda tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios, e foi e serviu a Baal, e o adorou;
32 e levantou um altar a Baal na casa de Baal que ele edificara em Samaria;
33 também fez uma asera. De maneira que Acabe fez muito mais para provocar à ira o Senhor Deus de Israel do que todos os reis de Israel que o antecederam.
34 Em seus dias Hiel, o betelita, edificou Jericó. Quando lançou os seus alicerces, morreu-lhe Abirão, seu primogênito; e quando colocou as suas portas, morreu-lhe Segube, seu filho mais moço; conforme a palavra do Senhor, que ele falara por intermédio de Josué, filho de Num.” (I Rs 16.1-34).

Silvio Dutra

Que saibamos aceitar, a partir deste Natal, que nem sempre o que achamos justo é a Justiça; que nem sempre o que entendemos verdadeiro é a verdade, nem sempre a forma como amamos é o verdadeiro Amor, e que qualquer ato nosso por melhoras é um passo para a redenção!

Roberto Curt Dopheide

Democracia, sem uma justiça ética e igualitária, aristocracia é.

Josemar Bosi

Se seguro de vida fosse um produto confiável, o segurado não precisaria entrar na justiça contra a seguradora, para receber o dinheiro de sua apólice.

José Guimarães

Uma posterior Justiça não conserta uma Injustiça anterior!

Sidney Poeta Dos Sonhos

Enquanto o pequeno trabalhador sustentar o luxo das elites não se poderá falar nesse país de justiça social.

Bruno Resende Ramos

Onde Cair Morto?

Há tanta terra.
A justiça social?
Foi pro espaço.

Francismar Prestes Leal

Num só lugar cabe o respeito, a justiça e a felicidade do homem; esse lugar? O amor. (Bruno Ramos)

Bruno Resende Ramos

O lema de Jesus, mesmo em época de eleições, é: Educação na Justiça, Segurança com Deus e Saúde Espiritual; o resto Ele faz.

Helgir Girodo

Vejo pessoas pregando moral, respeito, ética, justiça, mas percebo que nem mesmo sabem os verdadeiros significados desses valores. Devem ver outra pessoa no espelho quando se dizem praticantes dos mesmos. Seja bom ou seja ruim, seja sempre você mesmo! Mais atitude e menos blá blá blá !

Alan Lopes Luiz

JUSTIÇA!

Será sempre a primeira palavra do dicionário da humanidade.

Nadii Anne Ribeiro

JUSTIÇA
Sidney Santos

Igualdade ao cidadão
Respeito ao pleno direito
Alarde, primeiro preceito
Em toda Constituição

Estátua de olhos vendados
Em prol da legalidade
Pensamento enquadrado
Em tela de Liberdade!

Pintada em tintas à óleo
Obra de distinção
Não admite monopólio
Coma a espada na mão

Balança, equivalência
Serenidade ao julgar
Patrimônio das inteligências
Para verdade aforar

Sidney Poeta Dos Sonhos