Justiça

Cerca de 1133 frases e pensamentos: Justiça

Assuntos que nunca falamos, porém deveríamos: Religião, Mundo, Amor, Sociedade, Natureza e Justiça.
Quem para pra discutir isso hoje em dia? Vivemos num mundo controlado por uma mídia hipócrita, onde a única religião existente é o Cristianismo, o Mundo é Estados Unidos, amor é um sentimento banal, sociedade é classificada em dois níveis ricos e pobres, natureza é uma propaganda sem ações, e Justiça é algo inexistente.
Quando se existe uma opinião diferente essa tal Mídia Hipócrita logo taxa isso como loucura. Em uma conversa com meu antigo professor de historia, ele disse que a mídia quer apenas controlar as mentes ignorantes - perdão o termo - fazendo eles seguirem uma seqüencia de atos: compre, utilize, jogue fora, compre um nome, siga a moda, seja magra, seja bonita, use roupas da moda, seja um modelo patético de uma sociedade robótica, com uma ordem simples "Aja, não reaja". Hoje em dia, nem a juventute se salva mais, são escravos da moda, da musica, da mídia em si, são poucos os que tem ideais. Então eu te faço uma pergunta, como vai ser o mundo daqui a 10 anos?

Carolina Langaro Silva

Nem sempre a igualdade promove a justiça, portanto, é essencial o senso crítico do que realmente se refere a igualdade e quando ela deve ser exigida.

Ataíde Lemos

O caminho da justiça é estreito, porém, nele existe liberdade sem limites.

Valdeci Alves Nogueira

No mundo há grande falta de justiça, porque o homem, como causa primeira, é injusto consigo mesmo.

Valdeci Alves Nogueira

Se procederes com justiça, os retos o louvarão e só os injustos reclamarão.

Valdeci Alves Nogueira

Quem nunca odiou e quis vingar-se? Quem nunca desejou fazer sua própria justiça? Quem nunca quis ser o maior e quem nunca desejou dominar? Contudo, só os piores homens fazem o que os bons se recusam a fazer.

Valdeci Alves Nogueira

Todo HOMEM deve ter um compromisso constante com a VERDADE e a JUSTIÇA...

Daniel Lindoso

De nada serve a lei sem justiça, porque a sua simples criação tornou possível encontrar o meio de ilibar os ricos e penalizar os pobres.

David Zac

Justiça deve ser instrumento do direito e não ferramenta de coação.

Sir Hob

A Justiça é uma questão de Ponto de Vista.

Alvaro Granha Loregian

Justiça no Brasil é um jogo de estratégia, ganha aquele que tiver mais argumentos.

Wendel Henrique Ferreira

Tsidkenu (nossa justiça, nossa iluminação)

Tsidkenu é uma expressão hebraica que superar muito a noção de justiça que temos no mundo, pelo menos no nosso. Essa noção é citada no Talmude e na Bílbia, sobretudo, no livro de Jeremias.

"Deus (Jeová) é justo por que é justo".

O conceito de justiça que comumente aplicamos às nossas concepções humanas esbarra nas condições e condicionamentos de regularização e organização ods agrupamentos humanos (sociedade), embora, justiça seja muito mais do que isto.

As vezes, acreditamos que somos injustiçados ou que existam pessoas injustiçadas no mundo e ao redor dele e, quem sabe, realmente existam, porém, cada um de nós, com suas convicções religiosas, não podemos nos contradizer no sentido do acreditar, isto é, se acreditamos piamente na concepção de D'us ou de Deuses, devemos aceitar a crença e tudo o que vem com ela.
A condição de injustiçado nos joga numa contradição eterna, que pode colocar nossas crenças pessoais em Xeque -mate, pois, se concebermos que existem pessoas injustiçadas e extremamente "esquecidas" pela criação, estamos negando a Superioridade e a decisão daquele ou daquela que tudo criou.

A Soberania da Criação é um fato ainda a ser refletir quando vivemos nessas sociedades modernas, onde quase todas as coisas são pensadas e contestadas, por exemplo, quando pensamos na fome e na guerra, poderíamos nos perguntar onde estaria a justiça da Criação que deixaria sua própria criação nessa situação. Ora, a mente da humanidade está coligada com a mente suprema, porém, as escolhas e a sequência dos atos sobre esse plano físico está por conta e risco daquilo que nós mesmos criamos. Não que isso não faça parte da criação, porque tudo faz, mas nossas escolhas interferem no processo criativo da evolução, a exemplo, quando a natureza precisa alterar-se ela mesma ocasiona uma catastrófe para que uma estabilização venha a seguir, assim também ocorre com a humanidade e, muitas vezes isso não tem haver com o conceito de justiça, de justiçamento.

Adonay Justo, D'us Justo, Aláh Justo, Buda Justo, Olorum Justo são a essência de um caminho que é tentado ser percorrido por nós desde nossa estabilização sobre a Terra.

Justiça está implícita na quantidade de certezas e fatos que você ocasiona no processo de sua vida e, que de maneira alguma, impede ou prejudica o outro ou a outra de também realizar suas certezas e suas crenças.
Justiça é a vontade humana de prosperar, mesmo sebendo que pode acordar e um terremoto acabar com tudo o que construiu e, mesmo nesse quadro de horror, erguer as mãos e dizer àqueles e àquelas que sobreviveram que um mais um formam dois e a reconstrução é necessária, com amor, com despreendimento, com comoção e emoção.
Justiça é compartilhamento de imagens, de pensamento, de sociedades para um bem mais elevado, para um amor mais bem construído, para a construção de um mundo melhor, sem as hipocrisisas da vida e as elevadas ondas negativas que nossas mentes constroem no intuito de destruir......

Eis a Justiça

Yeshua Tsidkenu (D'eus nossa Justiça).......

João Francisco da Costa

"A justiça nunca falha, assim como Deus, algo nessa frase soa incoerente "

Felipe Guedes

Perdão para os criminosos

É engraçado falarmos em perdão e justiça. O que dizer de um homem que já cumpriu sua pena perante a Lei dos Homens, mas ainda é condenado e visto como alguém que deve ser banido do convívio com a sociedade. Queremos o fogo eterno para os criminosos, porque nos falta misericórdia. Temos a mente tão pequena que não conseguimos ver a Lei de Deus agindo ainda que perante a falha Lei dos Homens.
Se alguém comete um crime, seja ele qual for, a única coisa que podemos pedir é que seja feita a justiça. Pois bem, feita nossa justiça com a aplicação de nossas leis penais, o criminoso é julgado e condenado. Após cumprir sua pena, o que teoricamente significa ter feito a justiça, não consegue voltar ao seio da sociedade.
É sempre apontado na rua como um criminoso, bandido, psicopata, ainda que o crime tenha sido a única vez em que agiu errado. Lógico que há crimes que nos deixam perplexos.
Pensamos também nada que ele faça nos trará a vitima de volta. Assim como a vitima não pode voltar a viver, não pode ter o convívio da sociedade, essa por sua vez, não aceita o convívio do algoz que tirou a vida da vitima.
Mas e a justiça, para que serviu então? A justiça foi feita, o criminoso foi julgado e condenado. Muitos indagam, mas a lei é falha, devia ter cumprido toda a pena, sem direito ao regime aberto, sem direito a liberdade. Mesmo que o criminoso ficasse durante todos os anos em que foi apenado dentro da cadeia, ao sair, sua liberdade seria sempre visto com más olhos.
A família da vitima o perdão talvez nunca seja dado, porque lidam diariamente com a ausência do ente querido. Mas e as outras pessoas? Porque não perdoam?
Falar em perdão é muito fácil. Falar em justiça também.
Mas onde é que vemos o perdão e a justiça serem aplicados na prática.
Alguém que matou, deve ter a vida retirada? Sua morte também não trará de volta a vitima. Apenas não obrigará a sociedade em dar o perdão ao algoz. Não fará com que sejam obrigadas a conviver com alguém que retirou a vida de outro.
A prisão perpetua. O que significa? Alguém que matou deve passar o resto dos seus dias trancafiado pensando no que fez e afinal para que?
Na pratica a mudança de alguém, que realmente se arrependeu só pode ser vista se essa pessoa voltar ao seio da sociedade. Se voltar a ter depois de cumprida sua pena, as mesmas oportunidades que tinha antes.
A desconfiança será sempre sua pena perpetua, pois quantos não estão lhe observando, torcendo por único erro para lhe apontar e dizer psicopata, você nada mudou.
Mas estranho o que dizer de alguém que uma única vez cometeu um delito?
Podemos rotular de psicopata, alguém que somente uma vez em toda sua vida agiu assim?
A questão também é que os homens querem justiça, pois bem, mesmo sendo feito a justiça, essa ainda é pouco.
Ver pessoas indignadas com bandidos que não foram sequer levados ao julgamento, todos nós apoiamos.
Mas depois que o bandido é julgado e condenado? Porque não aceitamos que o assassino depois de cumprir a pena, volte a ter uma vida normal? Afinal a justiça desde o inicio seria essa, ele seria levado a julgamento, seria condenado e deveria cumprir a pena. Sabíamos desde o inicio quando pedimos justiça, quais seriam seus passos. O que queremos mais?
Somos nós juízes dos erros alheios. Como explicar essa condenação que a sociedade faz?
Alguém que tira a vida de alguém, mesmo depois de cumprir a pena que lhe foi dada pela Justiça humana, nunca é perdoado pelos homens. Ele é sempre visto como um criminoso, alguém que deveria ser banido do convívio da sociedade.

Tamy Henrique Reis Gomes

O fogo da justiça é uma chama que só arde na gasolina.

Torsh

“A Justiça de DEUS, nunca é cruel, pois Ele não nos julga apenas por nossas atitudes, mas sim pelas intenções que nos levaram a elas.”

Sonia Valerio da Costa

VARIG, 83 anos em 07 de Maio!!!



JUSTIÇA PARA A VARIG E SEUS FUNCIONÁRIOS E APOSENTADOS!


Sim, orgulho-me da VARIG. Não necessita ela de apresentações. Cruzou não só os céus deste nosso Brasil, como tingiu com as cores de nossa bandeira os ares de todo o planeta.

Brasileira e gaúha, orgulho-me da VARIG.

Orgulho-me, sim, da VARIG, da dignidade de todos quantos trabalharam para fazê-la crescer e tornar-se uma das maiores companhias aéreas do mundo: seus comandantes, pilotos, co-pilotos, engenheiros, mecânicos, pessoal de apoio, atendentes de bordo (sempre gentis, solícitos e sorridentes e corajosos -quando se fazia necessário), os recepcionistas nos balcões dos aeroportos…TODOS! Dos prestadores mais humildes de serviços vários, aos ocupantes dos mais elevados postos, fazem parte da história do Brasil (mesmo que esta não os mencione).

Orgulho-me da coragem e da dignidade de todos na justa e renhida luta por seus direitos.

Orgulho-me das lágrimas que seus olhos verteram quando Lula deletou de sua memória o sem-número de passagens que a VARIG ofertou – ou eram solicitadas pelos governos todos para seus membros ’passearem’ até com as famílias… ele mesmo, Lula – e ele sabe disso- voava e muitas vezes sem ônus qualquer que seja, com a nossa VARIG. Escrevi “nossa”, não por ter nela trabalhado, mas por ser gaúcha e nós a consideramos um patrimônio histórico do nosso Rio Grande do Sul.


Lula, sabendo que poderia ajudá-la a sair dos problemas que enfrentava por motivos vários, inclusive de má gestão e intromissão indesejada do governo nessa mesma gestão, voltou-lhe as costas de forma desumana.

Aquele gesto de Lula, o líder dos trabalhadores, deixou os empregados da VARIG literalmente no chão. Tendo este dois sentidos: sem poder voar e a maioria, com dificuldades mesmo para sobreviver, pois viviam de seus salários. Muitos mesmo, passaram a fazer pequenos serviços de toda a espécie (como doces, tortas, para vender em repartições públicas, etc.). Outros tiveram que mudar-se de onde moravam há anos, pois não mais podiam arcar com o pagamento dos alugueres.

Muitos adoeceram de tristeza, entraram em depressão. Alguns vieram mesmo a falecer por esse ou outro motivo (tristeza mata)…

Quanto ao AERUS, eu mesma, como advogada, durante algumas reuniões, mostrei para os representantes de uma associação de aeroviários, quais as possibilidades existentes – e então ainda as havia – que poderiam ser transformadas em probabilidades. Infelizmente não fui ouvida. Havia um boletim que publicou minhas posições. (Só para informar: nunca lhes cobrei honorários quaisquer que fossem).

No que se refere à Secretaria de Previdência Complementar, órgão fiscalizador e regulamentador do Ministério da previdência e Assistência Social, referentemente às Instituições Fundacionais (então regulamentadas pelas disposições da Lei 6435/77, a maioria de seus Secretários ocupava o posto, mas não para cumprir com os objetivos do mesmo: regulamentar e fiscalizar. O que escrevo tenho como comprovar, pois acompanhei durante um bom tempo suas atuações.

Houve um secretário que chegou inclusive, à irresponsabilidade de conceder aumentos para os benefícios solicitados por também irresponsáveis dirigentes de uma das maiores fundações existentes, sem que lhe houvesse sido apresentada a respectiva Nota Atuarial.
E FICOU POR ISSO MESMO…(por enquanto).

O que não é justo, é deixar à míngua os participantes do AERUS. O que não é justo, é não terem sido cumpridas as determinativas legais. O que não é justo é a tal Secretaria não ter cumprido sua função.

Sendo tudo isso injusto, mais ainda injusto se tornou com a omissão do Presidente da República, Reizinho de Pindorama, quando tinha por dever e força mesmo do ofício, o dever de ter agido na forma da lei, para suprir a omissão daquele órgão do Ministério citado retro. Afinal, Fundações como o AERUS tinham a chancela das armas da República. Há que os compromissos serem honrados em seu nome.


(Transcrevo abaixo a cópia da Carta do ex Comissário Aposentado VARIG, José Paulo de Resende para o Juiz Roberto Luis Luchi Demo Juiz da 14ª Vara Federal.)

Felizmente há ainda juízes que realmente cumprem sua função: distribuir JUSTIÇA.

Na verdade espero que Sua Excelência o faça, em nome da própria JUSTIÇA e, acima e além, ouça sua consciência. Sei que é um dos juízes que enobrece a negra toga que enverga e um dos luminares do Poder Judiciário.

Sabe o Meritíssimo Juiz da causa, que se trata da busca do Direito Justo e que pode julgar de acordo com o estabelecido na Lei de Introdução ao Código Civil.


Mirna Cavalcanti de Albuquerque Pinto da Cunha.

OAB/RJ 004762


Carta ao Senhor Juiz Roberto Luis Luchi Demo Juiz da 14ª Vara Federal.



Niterói, 22 de abril de 2010.



Exmo. Senhor Juiz Roberto Luis Luchi Demo Juiz da 14ª Vara Federal.



Exmo. Juiz:



” Os 83 ANOS DA VARIG NO DIA 07 de maio de 2010. “



No dia 07 de maio de 2010 seria comemorado os 83 anos da VARIG. Seria mais um Aniversário da Grande Companhia Aérea Varig que tantos serviços prestou ao Povo Brasileiro e ao País. Seria comemorado se a grande empresa Varig estivesse ainda dentro do Cenário da Aviação Civil Brasileira.

Exmo. Juiz Roberto Luis Luchi Demo infelizmente desde o dia 20 de julho de 2006 a Varig, a Grande Varig, não existe mais. O governo do Presidente Lula entregou a mesma ao dito ” Mercado” e milhares de homens e mulheres ( Trabalhadores da VARIG ) ficaram com uma mão na frente e outra atrás.

Os Aposentados e Pensionistas do Aerus Varig ( Planos I e II da Varig ) no Instituto de Pensão Aerus desde o dia 12 de abril de 2006 ( 3 meses antes da venda da VARIG para o Grupo Volo ) já tinha sofrido um grande baque, pois a SPC – Secretaria de Previdência Complementar, órgão do governo que deveria fiscalizar os Fundos de Pensão, interveio e liquidou os Planos I e II da VARIG no Aerus.

Eu disse, Exmo. Juiz Roberto Luis Luchi Demo, porque este órgão foi criado para fiscalizar os fundos de Pensão existente neste Pais, mas no caso do AERUS não fiscalizou. Tanto não fiscalizou que concordou com as 21 repactuações de dívidas da Varig com o Fundo de Pensão Aerus. A SPC não só concordou com as 21 repactuações de dívidas da empresa aérea Varig com o Fundo de Pensão Aerus como também concordou com as 8 repactuações de dívidas da Transbrasil com o AERUS. Mas esta mesma SPC interveio sem dó e piedade nos Planos Varig e Transbrasil. Liquidando os mesmos.

Então Exmo. Juiz Roberto Luis Luchi Demo está em suas mãos o processo da SL 127. Em março deste ano o Supremo Tribunal Federal colocou em julgamento este processo.

4 ( quatro ) ministros do STF, os Exmos Ministros Eros Grau, Celso de Mello, Marco Aurélio e Carlos Ayres Britto deram ganho de causa para esta ação civil impetrada pelo SNA cujo patrono é o Dr. Castagna Maia ( Advogado contratado pelo SNA – Sindicato Nacional dos Aeronautas ). Os demais Ministros do STF esperam a vossa decisão para poder julgar esta ação.

Por isto lhe peço encarecidamente que Vsa. Excia. possa julgar o mais breve possível esta ação e que a mesma seja favorável a todos os Trabalhadores da Varig. Que esta ação seja vitoriosa em vossas mãos e retorne ao Supremo Tribunal Federal. Voltando ao STF vitoriosa para todos nós tenho certeza que os demais Ministros do STF que ainda não votaram a favor poderão fazê-lo. Os Aposentados e Pensionistas do AERUS VARIG E DA TRANSBRASIL poderão voltar a receber integralmente os seus benefícios.

Julgue Exmo. Juiz Roberto Luis Luchi Demo o mais breve possível esta ação. Agilize esta ação em benefício de todos os Aposentados e Pensionistas do AERUS VARIG E TRANSBRASIL.

Que a mesma seja em vossas mãos vitoriosa para todos nós. Lembre-se, Exmo Juiz Roberto Luis Luchi Demo, que os 83 anos da VARIG, o Aniversário dela, não podemos mais comemorar como gostaríamos de comemorar, mas continuamos, em nossas mentes, sempre a comemorar o Aniversário desta Grande Companhia Aérea que tanto faz falta no Cenário da Aviação Civil Brasileira.

Em nome desta Grande Empresa que foi a Varig e de seus Trabalhadores peço para Vsa. Excia. que agilize este processo que se encontra em vossas mãos. Não só nós como também os aposentados e pensionistas da Transbrasil ( Outra Grande Empresa Brasileira de Aviação ) ficarão eternamente agradecidos com Vs. Excia.

Desde já o meu muito obrigado Exmo. Juiz Roberto Luis Luchi Demo

Aproveito o ensejo para enviar para Vsa. Excia.,

Cordiais Saudações!

Atenciosamente,

Comissário Aposentado VARIG Paulo Resende

José Paulo de Resende

Itaipu – Niterói – Rio de Janeiro

E-mails: paul88482005@gmail.com ou pauloresende88@gmail.com



PS: Exmo Juiz Roberto Luis Luchi Demo aproveito o ensejo para enviar novamente para Vsa. Excia um vídeo do Movimento Acordo Já feito por mim e que solicita à Vsa. Excia a agilização desta ação. Este vídeo, Exmo. Juiz Roberto Luis Luchi Demo, foi feito no dia 31 de março de 2010 em frente ao Fórum da Cidade do Rio de Janeiro.



NOTA: o vídeo poderá ser assistido acessando:



http://mail.globo.com/mail/?AuthEventSource=SSO#inbox/1282acb3a667d917

mirna cavalcanti de albuquerque pinto da cunhaJosé Paulo de Resende

Vivo para que minha passagem por este mundo seja marcada pelo bem e pela justiça, para que meu nome em minha lápide não seja a única lembrança de que meus pés tocaram este solo.

Crystiane Bagatelli

Ás vezes, leis e justiça são coisas distintas.

Hideraldo Montenegro

A justiça pode ser injusta, porém a injustiça nunca será justa

Fabiano A. Ferreira