Hoje aqui Deitada

Cerca de 133 frases e pensamentos: Hoje aqui Deitada

Deitada em minha rede com o livro sobre meu colo
em extâse purrissímo...não sou mais aquela menina
com seu livro,mas uma mulher com seu amante..!!

Clarice Lispector

Na cama está deitada a deusa, a soberana dos sonhos. Mas como é que ela veio aqui? Quem a trouxe, que poder mágico a instalou neste trono de fantasia e de volúpia?

Charles Baudelaire

Sobre as estrelas

Deitada na grama, o céu empoeirado de estrelas. Passei o dedo e - curioso - algumas vieram grudadas na ponta. Olhei para cima e assoprei. Foi tanta estrela caindo que agora eu mal consigo enxergar de tanta esperança.

Rita Apoena

Deitada no ombro dele, ela via seu rosto muito próximo. Esse era o sonho, nada mais.

Caio Fernando Abreu

Hoje eu cansei da vida...
Ficar deitada sem fazer nada parecer ser a melhor coisa a se fazer.
Se não fossem as obrigações,
Não me levantaria da cama o dia inteiro.
Hoje, ficar deitada, sem fazer nada, é com certeza o melhor a se fazer.
Nem comer, nem dançar, nem fazer compras, nem mesmo cantar.
Hoje o melhor do dia é mesmo dormir.
É fechar os olhos e simular que a noite dura uma semana ou dura para sempre.
E ficar apenas deitada,
Sem fazer nada,
Apenas deitada.

Germana Facundo

"Nos dias seguintes ao dia em que estivera deitada no ombro dele tão proximamente nu também, no fundo de um sonho, conseguia reencontrá-lo. Pois havia outros detalhes, semanas depois ainda tentava lembrar. Havia um cheiro, por exemplo. Tênue, quase perverso. Intimidade úmida, limpa, nas dobras da carne suada, preservada na própria pele."

Caio F Abreu

Deitada sozinha na areia
esperei a onda chegar,
pedi para ela me levar,
mas ela mui graciosa me
abraçou e foi brincar...

Então entrei no mar
pedi para ele me levar,
mas o mar tambem não quis
e voltou ao azul marejar...

Desolada fiquei na areia,
olhando a onda brincar e
o mar azul a marejar...
Fechei os olhos e então pude
sentir, quando o mar com remorsos,
veio me buscar...

sonia schmorantz

Toda mulher deitada é linda!

Claudeci Ferreira de Andrade

E também às vezes, quando estou deitada o medo volta a assaltar-me, o terror profundo do silêncio e do que me poderá sair desse silêncio para me atingir.
Eu então bato nas paredes, no chão, para acabar com o silêncio. Bato,canto, assobio com persistência até mandar o medo embora.

Anaïs Nin

Já esta de manha e ainda não dormi, um tumulto de pensamentos desorganizados. Deitada agora no sofá depois de me revirar na cama a noite inteira, liguei a tv e fiz um chá na esperança do sono chegar e me livrar dos gritos desse silêncio tão barulhento. A solidão as vezes é bem vinda, me faz pensar na vida e procurar saidas para os tormentos que parecem por tantas vezes não ter fim. Os dias andam passando rapido demais e os finais estão cada vez mais frequentes. Hoje em dia é dificil segurar alguma coisa por muito tempo, num mundo onde os valores estão invertidos. E lá vou eu, perdida, vagando outra vez pelo meu inconsciente, com pensamentos eloquentes, na louca fé de que um dia isto vai passar.

Brunna Luisa - Bruna Luisa

Quando o frio vim a sua pele,
Deitada na sofá observando a chuva cair sobre a janela.
Eu estarei deitada com a saudade de ti aquecer,
O frio vem até a mim, mas lembro do travesseiro que ainda tem seu cheiro, e á ele me agarro.
Respiro fundo e me vêm as lembranças que jamais esquecerei....

Itamara Sillva

''A menina do espelho''

Audy estava lá, deitada em sua cama, o cansaço a dominava, ela então resolveu, antes de dormir, tomar um delicioso banho quente naquele frio demasiado. Enquanto as águas caíam em seu corpo ela pensava no sofrimento em que ela passava naquele momento, seu pai havia falecido, ele tinha uma rara doença, e por isso teve sua morte adiantada. Ela não aguentava a dor, todo esse sofrimento estava destruindo-a , suas lágrimas caíam junto à água quente, que a aquecia no mesmo tempo.
Ela não conseguia pensar em outra coisa. Ela saiu do banho, pegou uma toalha que estava sobre a pia do banheiro e secou suas lágrimas. Ela olhou-se no espelho, mas o vapor inundava a superfície, ela não conseguia se ver, apenas enxergava tudo embaçado...ela, então, passou levemente sua mão pálida no espelho, para que pudesse se ver. Naquele exato momento Audy viu, através do espelho uma menina, com a aparência horrível dizendo: ''eu vou te prender eternamente em mim'', ela, sem entender absolutamente nada, correu desesperadamente até sua cama e cobriu-se, com medo, tentou dormir, mas a tentativa foi inútil, ela simplesmente não pensava em outra coisa, a imagem da menina não saía da sua cabeça.
Ela sem saber o que fazer, resolve ir até a casa dos seus avós, para poder esfriar o pensamento...lá ela consegue esquecer de tudo. Ela estava sem medo. Os avós pediram para que ela ficasse na sua casa por um tempo, e ela resolveu que a melhor forma de ter coragem seria ficando lá. Ela vai á escola, normalmente, como fazia todos os dias, quando chega em casa, ela vai direto tomar banho, sem mais receios ela entra no banho, quando saí, vê novamente a imagem da menina falando a mesma coisa.
A menina no espelho era apenas um fruto da sua imaginação, mas Audy não sabia disso.

Bárbara Quinta

Por baixo da energia elétrica que ilumina o meu quarto eu sempre estou deitada no início da noite, procurando aquela luz que adormeceu dentro de mim.

Evelyn Dias

Eu me encontrava na cama, deitada, pensando em tudo e vivendo em nada, quando ouço uma voz que dizia:- Querida as coisas não costumam cair do céu, e a felicidade quase nunca bate na porta de alguém, então faça o meu favor e levante dessa cama e vá viver, porque a vida é curta demais pra você estar deitada pensando no futuro.

Luisa Dutra

Hoje o sol não veio, mas a chuva veio como a melhor companhia, estou deitada sozinha nessa cama, no vazio que hoje é o meu ser sem você.

Gabriela Stacul

Queria poder dormir com a certeza que ao me levantar você estaria deitada ao meu lado.
Queria poder dizer que te quero com a certeza que ouviria de sua boca que também me quer.
Tenho medo de que tudo isso seja um sonho e que ao amanhecer acordaria sem você ao meu lado.
Sentindo na pele, que jamais ouviria de sua boca que me quer.

Ertulio Carlos Scaranto Radzikowski

Bateu aquela saudade de você, ainda mais agora deitada nessa cama fria.

Gabriela Stacul

Só amor

Abro os olhos.
Deitada em teus braços
...Nossas peles evaporam amor...

Jacqueline Campos Rojas

E eu estou aqui, em mais uma madrugada monótona. Deitada na minha cama, com meu fone de ouvindo ouvindo aquela música que nós julgávamos ser nossa (…) E claro, pensando nele! Eu deito para dormi, para descansar, depois de um dia chato e cansativo… Mas não é isso o que acontece. Eu deito e ele invade meus pensamentos. Sabe, ele é o causador da minha insônia (…) Pensei muito em fazer o que eu estava preste a fazer, e cheguei a conclusão de deixar o meu orgulho de lado e enviar aquela mensagem que eu escrevi para ele, e ela dizia…

Ela: “Eu te odeio. Tenho ódio de você. Sim, te odeio. Odeio esse teu jeito todo errado. Odeio você, seu idiota. Odeio o fato de me sentir protegida quando você segura minha mão. Odeio quando você sussurra no meu ouvido que me ama. Odeio quando você consegue me fazer sorrir. Eu odeio a sua risada contagiante. Eu odeio o jeito como você se preocupa comigo. Odeio todos os seus gestos de carinho e demonstrações de amor, afeto. Eu odeio a sua voz. Odeio, sério. Odeio quando você diz que eu estou linda vestida com sua camisa. Odeio quando você me abraça por trás. Odeio quando você me chama de “minha pequena”. Odeio os seus beijos, seus carinhos, odeio o seu cheiro. Odeio quando você me faz cafuné. Odeio quando o seu perfume fica na minha roupa. Odeio pensar tanto em você. Odeio precisar tanto de você. Odeio não conseguir te odiar de verdade. Eu te odeio tanto, meu caro.”

E chegou a bater um arrependimento de ter enviado aquela mensagem á ele, acho que preferia ter ficado com o meu orgulho e não ter enviado a mensagem… Mas depois de alguns minutos, o meu celular toca e era ele, em resposta a minha mensagem…

Ele: “E quer saber mesmo? Eu te odeio também. Eu te odeio mais do que você possa imaginar, sério. Eu odeio cada traço do seu rosto, eu odeio o seu sorriso que me faz sorrir junto. Eu odeio a maneira como você me olha, odeio os teus olhos. Eu odeio quando você deita no meu travesseiro e deixa o seu perfume nele. Eu odeio quando você bagunça meu cabelo. Odeio quando você toca na minha nuca e faz com que eu me arrepie todo. Eu odeio quando você vesti a minha camisa, você fica tão linda nela. Eu odeio esse teu ciúmes possessivo. Odeio o jeito como você fica quando você está cansada, com sono. Eu odeio quando você me abraça, quando você me beija… Eu odeio. Odeio cada fio do teu cabelo. Eu odeio sentir ciúmes de você, odeio. Eu odeio não ser bom o suficiente para você. Porque você me faz te odiar tanto assim? Me explica. Eu te odeio tanto, garota. Eu odeio tudo em você. Mas a única coisa que eu não odeio é de te amar. Garota, eu odeio você.

Ayla Souza

Terceira Guerra Mundial: Razão vs Coração

Hoje, fiquei, aproximadamente, três minutos deitada, após o término de uma comédia romântica que assisti com minha mãe.
Não sabia ao certo o motivo, mas havia um choro entalado em minha garganta.
Um tipo de grito implorando para ser arremeçado para fora da minha boca.
Engoli minha saliva, na esperança de mandá-lo embora.
- Falha tentativa. -
Prevendo o choro, me levantei do sofá e me direcionei ao banheiro.
Respirei fundo, procurando o motivo desse meu estado.
Sem respostas, achei que fosse enlouquecer.
Mas consegui conter as lágrimas.
Caminhei até meu quarto e sentei em frente ao meu computador.
Como de costume, coloquei uma música triste para combinar com meu estado de espírito.
- Odeio essa minha mania, mas não consigo deixá-la. -
Abri meu bloco de notas e vi como se eu mesma estivesse me perguntando: O que está acontecendo?
- Nessa hora, vi um Titanic em cada um de meus olhos. Brigando contra um tsunami de lembranças, lutavam para permanecer inteiros.
Por pouco, ambos sobreviveram à primeira tempestade. -
Eu comecei a escrever, mas não me entreguei totalmente à “folha em branco”.
De uma forma confusa, fui explicando alguns fatos que haviam acontecido, mas o texto em si, não fazia sentido algum.
Na verdade, eu não sabia o que estava acontecendo, nem sabia o que estava sentindo.
Sabia o que queria para mim e sabia o que não podia querer.
Uma provável luta entre razão e coração, talvez.
Procurei na razão, motivos para não querer pensar no que meu coração queria que eu colocasse para fora.
Achei defeitos, erros, mentiras, brigas… Enfim, inúmeros motivos para não querer dar ouvido ao meu coração.
Desliguei o computador e me deitei em minha cama.
Senti os barcos em meus olhos, se partindo de fora à fora e afundando ao mesmo tempo em que eu afogava meu rosto no travesseiro.
Única coisa que eu dizia em um baixo tom para apenas eu mesma ouvir, era: “Por quê? Por quê?”
Para não correr risco da minha mãe ir até meu quarto e me flagar em lágrimas, eu continuei a pensar nos motivos que a razão me proporcionava e comecei a sentir raiva.
O choro cessou sem que eu pudesse notar seu final, e adormeci sem perceber.
Destino ou seja lá o que for, eu sonhei com você.
- Sua imagem bem nítida, me permitiu captar o brilho no canto direito do seu sorriso e a imagem do meu rosto que refletia em seus olhos.
Sem dizer nada, se aproximou e tocou minha mão.
Eu pude sentir a maciez da sua pele quando houve o contato entre nossas mãos.
Antes de entrelaçar seus dedos entre os meus, alisou a palma da minha mão.
Então, ergueu meu braço lentamente e desentrelaçou seus dedos dos meus, logo, repousou minha mão sobre seu seio esquerdo.
Parecíamos uma só pessoa.
Um só ritmo para ambos batimentos cardíacos.
E, com barulhos em meu quarto, acordei.
Para a minha surpresa: Eu estava sorrindo.

Mariana Souza