Frsase sobre Brasa

Cerca de 108 frases e pensamentos: Frsase sobre Brasa

Hoje estou quente feito brasa intensa... Feito louco apaixonado indecente que tanto te quer que tanto desejo para que com a sua libido possa desatinar a minha noite;
Seu corpo me quer e os teus olhos me perseguem me despindo da melhor forma e dando a chance de sua língua transitar por entre o meu corpo;
Não te dou sossego, pois quero te cansar e te fazer suar pelo esforço do meu amor que junto ao teu faz-nos a realização do prazer...

Julio Aukay

Uma brasa queima meu pescoço.
Acho que deve ser minha inocência.
Carne trémula.
Olhos e olhares.
Imaculados desejos.

Raniere Gonçalves

Tu és fina branca nuvem ligeira?
tu és chama, brasa que cerras ligeira,
Mas que arde, que queima quem tocar..
mesmo que este toque dure pouco,
mesmo que esta chama logo se apague...
Ainda valeria a pena ve-la arder....
há coisas que duram para sempre.
há coisas que duram só um segundo...
e a coisas que não há meio ou fim...
qual é o nosso, que é você?
O que é eu?

Icaro Maceió (Vinícius Queiroz)

Nossa relação pode ter esfriado , mas meu amor continuara sempre na mais alta brasa , as lembranças boas continuaram SEMPRE ao me lado ,me fazendo companhia , enquanto eu não posso te ver e lhe tocar.

Rafaela Ap Romano

DANDO UM JEITO NA ALMA

Lembranças...
É como a marca que a brasa deixa na pele, depois de cair acidentalmente, ou não.Lembranças são poderosas!
Elas tem o poder de sustentar um amor por toda uma vida, ou apagá-lo de vez; pode devolver a vida, ou tirá-la de vez. Lembranças que fazem sorrir, chorar, ter medo, desespero, borboletas no estômago, raiva, arrependimento, desejos, ou, simplesmente, não nos causam nada.
Quem me conhece sabe que as lembraças me acompanham e costumam me monitorar, no entanto, elas me incentivam a escrever o que eu sinto de uma maneira quase concreta e abstrata.
Hoje, as lembranças me impulsionam a seguir meus sonhos, a ser persistente, teimosa, a conquistar aquilo que eu acredito e a acreditar naquilo que eu sonho.
Mas são essas mesmas lembranças que me fazem chorar agarrada ao meu travesseiro "meia-lua", que me fazem ter medo do escuro e, muitas vezes, procurar abrigo num aperto de mão, num olhar.
Todas as vezes que trilho um caminho diferente, que não sei onde vai dar, as lembranças voltam e, junto, trazem o medo. Aí, eu procuro descobrir pra onde aquele caminho vai me levar e, eu defino uma trajetória e presumo tudo o que vai acontecer e como eu devo agir.
Mas eu nunca aprendo!
Sempre que faço isso, as coisas saem do meu controle e, eu ajo impulsivamente por não saber como agir. Consequentemente, alguns sonhos ficam machucados, outros, traumatizados, e eles se escondem na gaveta do criado mudo perto da janela, no canto da minha alma.
E, eu, sem notar as suas faltas, não me importo. Às vezes, algumas pessoas se importam e perguntam por eles, eu finjo não saber, mas, no fundo, eu posso sentir o cheiro deles apodrecendo trancados ali, naquela gaveta, infectando toda a minha alma.
Sonhos são como borboletas, eles devem ser livres para pousar em nosso ombro no tempo certo.
Eu andei dando um "jeito" na minha alma.
Desde a última vez que aquele vendaval destruiu quase tudo, eu não tinha voltado lá. As janelas estavam abertas, alguns vidros quebrados e estilhaçados no chão. "...certas bençãos de Deus entram estilhaçando todas as vidraças." O vaso que ficava no cantoda minha alma estava quebrado, alguns sonhos já podres, as últimas tulipas que eu havia colocado para enfeitar a minha alma estavam no chão.
Era hora de arrumar tudo aquilo!
Já havia se passado tempo suficiente para que eu criasse força e coragem para ver o estrago que aquele vendaval havia feito. Cada caco de vidro, cada sonho, cada restinho de tulipa, me trazia lembranças de bons momentos que eu não queria ter vivido.
Os bons momentos são como anestesia, que impedem que a dor seja sentida e que nos faça ter ilusão de que não vai doer.
Os bons momentos impedem que você pense e perceba que vai sofrer, que vai ser difícil esquecer.
Varri o chão da minha alma, joguei os cacos, os sonhos apodrecso e os restos de tulipas. Troquei as vidraças, colhi outras flores e coloquei outro vaso no canto da minha alma.
Quem vê a minha alma agora, não imagina o quanto aquele vendaval feriu e bagunçou tudo o que eu havia arrumado com tanto amor.
As lembranças não me fazem esquecer. E isso é bom! Só assim eu posso dar valor a minha alma, em como é bom vê-la arrumada, com cheiro de flores e com a leve brisa entrando pelas vidraças. E, o melhor, eu não espero mais que me tragam flores, eu mesma as colho e enfeito a minha alma. Porque, para a gente se sentir bem, só depende da gente.

Mayara Freire

Sombras

Antiga brasa...
Socorro estou congelando!
Antes uma brasa incandescente,
Agora um cristal de gelo.
Estou indo para o outro lado,
E lá, já não há volta...
Temo ser frio, mas já não sou mais
como antes, quente.
Ontem eu disse que te amava,
Hoje já não sei mais,
Amanhã provavelmente te odiarei.
Não me conheço mais, ou talvez agora
eu esteja realmente me conhecendo.
Em todos os casos as sombras são tentadoras
e agradáveis, para quem realmente as conhece...

Marcos H. R. da Rosa

Sinto falta
De casa...
Da minha vida aventurada...
Dos beijos que me deixavam em brasa...
Dos contos inacabados...
Dos lugares que conheci...
Do perfume roubado...
Dos amigos que fiz...
Dos abraços apertados...
e dos amores que perdi!

David P. Guimarães Thomé

A Paixão é uma Chama , Que um Dia pode Virar Brasa e Apagar!

Julio Medeiros

Para saciar esse desejo que insiste e vive queimando dentro de mim, que arde como a brasa e pulsa como um coração descontrolado.

Deyse Dayane Rocha Nunes

Sempre que o fogo termina de queimar a lenha, sobra uma pequena brasa que pode reacender a chama.

Clarice Brito

Barulho? Que barulho?
Só estou ouvindo um delicioso rufar de batidas de alguns corações em brasa, os gritos finos de prazer emitidos por uma dama em êxtase, os “click-tó-dom” súbitos e instantâneos como pulos de uma criança sorrindo com poucos dentes formados, e os gritos de revolta, raiva e, o melhor, glória de viver em um mundo tão hostil, mas acordar todos os dias e ver pessoas maravilhosas lutando para dar e receber amor incondicional.
Não estou ouvindo nenhum barulho... Só a nossa sociedade...

Ruan Shinobi-kun Cunha

Um pouco mais de sol - eu era brasa,
Um pouco mais de azul - eu era além.
Para atingir, faltou-me um golpe de asa...
Se ao menos eu permanecesse aquém...

Mário de Sá-Carneiro

você sabe a diferença entre amor e paixão
paixão é um sentimento que logo termina...é como a brasa de uma fogueira...se nao for alimentada logo se apaga....e amor...ahhh o amor....o amor nao se pega...nem se admira de uma vitrine...nem se prende em uma gaiola para ouvi-lo cantar todas as manhas...nao.....o amor nao se sente nem se compreende..o amor apenas se vive...é como um vulcão que sua chama nunca se apaga..mesmo que se passe milhares de anos...esse é o verdadeiro amor...esse é o amor verdadeiro..amor ao próximo..amor a DEUS

Hendrix Geremias

O amor é como dois carvões em brasa, assoprando ele aquece; Sem o vento, lentamente ele acaba!

Fábio Cunha Silva

Coração arde feito brasa;a razão não te dominas mais,tudo parece agora está perdido;os olhos antes vivos produzem as culpas desta geração.A era nostalgica já se foi, a tristeza inunda o meu ser. A loucura parece tão próxima.Solidão pra que esperar?

JÚNIOR TARGINO

Fogo do Amor

Quero ser a brasa acesa
Que em meio a carvões apagado
possa fazer a vida voltar
Serei um fogo contagiante
Que tirará das cinzas
Esse apagão constante
Onde surgirá uma chama, tão forte
Que o amor vai se irradiar
Serei como uma célula de fogo
Multiplicando o calor
Um dia essa chama, pode até se apagar
Mas nunca faltará em mim
Esse fogo, que se chama, amor

Reff Carvalho

É estranho eu sei
Confuso talvez
A brasa virou fogaréu
O amor é outro amor
Daquele que não existe dor, nem rancor
As lembranças levarei pra sempre comigo
Do tempo que passar
Te prometo ser um simples amigo

Caio H. Rocha

O ódio? O que é o ódio? Ele é calendário sem fim dos dias intermináveis, a mão que arde na brasa da burrice.

Sidiney Breguêdo

Joaquim Maria

Azevedo limão mel cana caldo aposta carneiro
Brasa coalho João partida dado dinheiro
Suzana cafuza lava prato avental farinha paliteiro
Chega Chico facão pé quente escarra bigode brejeiro
Dança do lado Joana seu macho toca Dedé Tonho sanfoneiro
Zé cochila baba madruga na barca pesca robalo inteiro
Fiado de novo Santana busca Manél bebo queda levanta ligeiro
Seu Joaquim balcão caneta casa no fundo poço terreiro pato cercado galinha poleiro.
Reza no quarto Maria seis filho estante retrato santo padroeiro

Tiago landeira

O amor é como o fogo: ele acende, se mexe na brasa, mas se o vento começa, ele se vira contra você!

Vanileire Morais