Carolina Grein Xavier: E hoje eu me sinto tão leve, tão feliz. ...

E hoje eu me sinto tão leve, tão feliz. Feliz por estar de bem comigo mesma. Uma sensação que há tempos eu não sentia. E eu não vou deixar o seu "stress", a sua irritação, a sua vontade de ficar sozinho ao mesmo tempo em que me deseja, estragar essa paz que sinto dentro de mim. Ela é mais forte que a vontade de te abraçar quando te vejo chorar. Não é indiferença, é só que estou cansando desse seu papo chato, dessas conversas monótonas, dessas mentirinhas bobas sem pé, nem cabeça. Desculpinhas esfarrapadas, contradições. Ah, isso não me afeta mais. Talvez eu já tenha me acostumado com esse teu jeito instável de levar a vida, talvez eu tenha me apegado a isso. Mas sabe, outro dia eu estava na rua, pensando, onde eu foi que eu tropecei, e não vi pedra alguma! A única pedra que estava empacando a minha felicidade era a minha própria felicidade. E só quem entende sabe como dói ter que se desfazer daquilo que te faz feliz, justamente para ser feliz. Não estou abandonando meus sentimentos por você, ou melhor, estou sim, parte dele, talvez, mas é um abandono desassossegado, que nos trás coisas boas para mim e para você. E nesse tempo eu cresci muito, e embora ainda estejamos juntos, nos vendo sempre, de verdade, eu vou largo tudo isso, toda essa vontade de estar contigo todo o tempo para se dedicar a mim. Eu mereço essa atenção, mais do que nada, eu mereço me amar. Gostar de você é bom, mas me consome muito. Chega, dei um basta. Vou levando, vou ficando, vou te fazendo carinhos de vez em quando, mas não pensando em você como antes, não. Não é que você tenha se tornado um segundo plano na minha vida, é que eu não posso deixar de ser a protagonista da minha vida e me tornar figurante. Viver para mim, a realidade não pode ser representada (pelo menos, não como ela é) em pequenos quadrinhos coloridos numa revista em quadrinhos, ou, então, em letras de músicas. Viver é mais do que apenas existir. Olá, mundo real, planeta Terra chamando. Acorda! Vem que a vida lá fora te chama para o agora. E se quisermos fazer alguém feliz, é necessário o egoísmo de nos amarmos antes mesmo de qualquer coisa. Desculpa minha sinceridade, mas eu não posso viver em prol de uma coisa que eu nem sei se existe, e não quero perder meu tempo na expectativa e sofrer com mais uma desilusão. Desapego! Eis a palavra certa para quem quer ser feliz consigo, com outrem e conquistar a paz interior.

Carolina Grein Xavier
Postar no Facebook