Gabriella Beth Invitti: A máquina perfeita. O corpo humano é a...

A máquina perfeita.

O corpo humano é a invenção mais perfeita que existe. Cada nervo, célula, veia, órgão, sistema – tudo impecavelmente bem planejado. Claro, que como tudo, alguns exemplares saíram com defeitos, e talvez esses defeitos sirvam apenas para uma coisa: como prova de superação.

As pessoas podem chamar de loucura ou de qualquer outra coisa, mas eu acredito que existem outros seres. Não falo de extraterrestres, afinal, não acredito que exista vida em outros planetas, não atualmente. Eu acredito que futuramente Marte será o que é hoje a Terra, e a Terra será engolida pelo Sol – mas isso daqui a bilhões de anos – para mim, o aquecimento global é apenas mais uma prova de que a Terra se aproxima cada vez mais do Sol. – Enfim, não acredito em vida em outros planetas, acredito que os planetas circulam pela galáxia e enquanto estão na atmosfera que a Terra ocupa há vida neles. Mas eu quero chegar no ponto em que existem casos que não há como explicar, e aí está no que eu verdadeiramente acredito, acredito que existam aberrações de seres humanos, como personagens fictícios de vampiros, lobisomens, etc, eu acredito em outras criaturas, mas como algo mais natural. Afinal, se fosse tudo de nossa compreensão, poderíamos explicar tudo, porém, não podemos. E se for da vontade de Deus, um dia os homens conhecerão e explicarão tudo.

Realmente, é loucura, mas prefiro acreditar em algo lunático do que não poder explicar. É bem mais inteligente.

Eu acredito também, no poder que Deus deu para os homens: a sabedoria. – O poder da cura, onde um médico é sábio para curar a obra perfeita de Deus: os seres humanos, a máquina em si. – O câncer, por exemplo, é uma das ‘falhas’ do poder concedido aos seres humanos, até hoje não existe a cura exata para o câncer, eu particularmente já perdi duas pessoas para esta doença. Câncer é uma mutação de células que se dividem malignamente e invadem órgãos e tecidos, formando um tumor. Normalmente, quando uma pessoa é operada por ter câncer, ela volta ao hospital em um ano. Drauzio Varella descreveu bem a esperança de todos nós: “Se um dia você ouvir que foi encontrada a cura do câncer, não leve a sério.“ – Mas me respondam, ‘por que?’. Quem faz as perguntas também parece bem mais inteligente do que quem não responde. E por que essas pessoas que eu perdi tiveram câncer e eu não (até agora)? Tudo uma causa de superação, uma prova de superação, como se nada fosse por acaso.

Quando você tem alguma falha em um órgão você pode receber outro órgão perfeito de algum anjo que deixa a vida. E não importa que tipo de pessoa você é, você tem direito a uma segunda chance recebendo outro órgão. E para mim, todos os doares de órgãos vão para o que chamamos de céu. – Mas quando você tem câncer, você não tem direito a uma segunda chance. Não é simplesmente ficar anos em uma fila de espera por um órgão, é ficar anos sofrendo e esperando a morte. – Quando falarem que a morte é a sua única certeza, não leve a sério, a morte é a única certeza de quem passa por provações.

E é por isso, que eu vou lutar e correr atrás do meu sonho. Alias é mais do que um sonho, é um objetivo, um plano de vida. – Nem que eu tenha que fazer dez anos de cursinho, nem que eu tenha que trabalhar 15 horas por dia... eu vou fazer medicina. – Eu vou explorar a máquina perfeita, e entender de perto cada provação que um paciente passar. – Eu vou ver um coração bater! Ao vivo. – Eu vou ver cada veia, nervo, cada ligação perfeita de um corpo! – Eu vou mexer dos pés a cabeça em um corpo e no final, sentir o prazer de curar. Ou a dor de perder e saber que fiz de tudo, que tentei, lutei, mas a provação daquela alma havia acabado.

Quando eu falo que o corpo humano é a máquina perfeita, não estranhe, pois é mesmo. E Deus foi o maior engenheiro de tudo. – E então no final de cada manutenção realizada com sucesso da máquina, o sábio ganhará um sorriso e um agradecimento, que fará sua vida valer à pena.

Gabriella Beth Invitti