Rafaela Angela Cortina: As vezes eu não sei o que quero da...

As vezes eu não sei o que quero da vida, e as vezes eu não sei o que esperar das pessoas.
Já tive planos e já pensei que seria o que hoje já não quero mais ser.
Me fizeram acreditar que amor pra valer eu ia sentir só uma vez na vida, e que as outras vezes iria ser um “gostar apaixonado”, e que esse gostar era coisa pequena, coisa sem valor.
Me fizeram acreditar que eu só iria ser feliz realmente quando encontrasse a minha alma gêmea, e que quando ela surgisse na minha vida meu coração iria bater mais rápido, minhas pernas tremer, meus olhos brilhar e meu coração se abrir sem medo.
Me fizeram acreditar que alguém iria me amar de verdade apenas uma vez, e se eu não valorizasse tal sentimento nunca mais iria encontrar algo semelhante.
Me fizeram acreditar que só existe uma fórmula para a felicidade, e que se eu escapasse dela estaria condenada a infelicidade.
Me fizeram acreditar que a gente não aprende gostar das pessoas, e que a insistência é a base do fracasso.
Me fizeram acreditar que a beleza exterior é uma carta de recomendação, e que esta abre tantas portas quanto a inteligência.
Me fizeram acreditar que a leitura ensina pessoas a questionarem sua propria infelicidade.
Me fizeram acreditar que os outros resolvem os problemas da minha mente.
Me fizeram acreditar que eu sigo um caminho já traçado e um destino já imposto, que as minhas próprias escolhas não fazem diferença quanto ao futuro incerto.
Me fizeram acreditar que os sonhos são bobagens, que o melhor a fazer é se deixar levar.
Me fizeram acreditar em todas as obviedades impostas, em todos os relacionamentos fracassados, em todas as mentes perturbadas, em toda a vida mal vivida.
Me fizeram acreditar que assim seria pra mim.
Ninguém contou que já nascemos inteiros, e que ninguém merece a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se tivermos em boa companhia só é mais agradável.
Ninguém contou que fórmulas para a felicidade dão errado e frustram as pessoas; sempre existem outras alternativas,
Ninguém contou que a gente aprende a gostar das pessoas com a convivência mútua, com a vontade das duas partes, e que ninguém nasce predestinado a amar outra pessoa.
Ninguém contou que beleza exterior é a curto prazo, que o que realmente importa são as vivências, as experiências, o aprendizado.
Ninguém contou que se resolvem os problemas com uma mente bem treinada para não se deixar abater, e não com remédios antidepressivos e estimulantes.
Ninguém contou que nós fazemos nossas escolhas e projetamos nosso futuro, e a decisão de caminhar por um caminho já trilhado é nossa.
Ninguém contou que tudo depende apenas de nós, que em um relacionamento sempre existem dois lados, que amamos o quanto somos capazes e somos felizes o quanto investimos nisso.

Rafaela Angela Cortina