Final de tarde

Cerca de 242 frases e pensamentos: Final de tarde

Repimboca da parafuzeta

Era final de tarde, numa pequena cidade chamada Repimboca da Parafuzeta, na qual ninguém fora dela atrevia-se a citar seu nome, por uma espécie de vergonha.
Mas, vergonha por quê? Vou lhe explicar...
Repimboca é uma cidade como qualquer outra, mas com algumas diferenças.
Neste lugar as pessoas são chamadas de Djow, as crianças sabem voar, e os aviões andam de bonde. O macaco joga futebol, computador é sofrimento, caderno é paz, roupa é parede. A grosseria é substituída por carinho, o racismo pelo respeito. Pulseiras são sentimentos, saudade é paciência, amizade é família. Mulheres têm vergonha, os olhos são criativos. A amizade tem amor, e o amor gera o beijo.
Você deve estar se perguntando: ok. Mas porque vergonha?
Vergonha porque vivemos em uma cidade em que as pessoas são chamadas de gente, e essa gente é racista e grosseira. Pensa que nos viemos do macaco, caderno é sofrimento, computador é criatividade, família não sabe o que é carinho. Sentimentos geram vergonha. Quem voa é avião, o bonde trás poluição, saudade vive no fundo dos olhos, o amor só é amor se existir beijo. Mulheres usam pulseiras no lugar de roupas, a “parede” separa a paciência do respeito. Amigos denominam Djow como gíria. Nesta cidade uma das coisas que não existe é paz.
Agora você entendeu o porquê da vergonha?
Ah, esqueci de falar... Repimboca da Parafuzeta é apenas um de vários sonhos, que não passarão de sonhos.

Deborah Oliveira

Quando bate aquela melancolia dominical de final de tarde, surge em sua memória lembrança de épocas mais felizes, onde a vida corria sem essa pressa atual, onde o final de tarde era só um pretexto para a família se reunir na cozinha enquanto a mãe preparava uma panela imensa de sopa. Aquele cheiro, juntamente com o calor e o burburinho das vozes misturadas sempre foi a melhor receita para aquecer a alma, para dar forças para todos ali enfrentarem felizes a semana que se iniciava.

Ângela Beatriz Sabbag

Quem dera o tempo nos encontra-se mais uma vez: no final da tarde,
no barzinho da esquina...quem dera, nossos passos nos levassem ao mesmo destino, seguissem a mesma rota, que outrora, fazia nossos corpos dançarem no ritmo perfeito a nossa canção.

Leônia Teixeira

O NOME NÃO DIZ TUDO

Em um final de tarde, estando eu, a passear pelas rua do Recife, fui atraído por um vendedor de livros. O sujeito começou a me mostrar os livros mais antigo, percebendo o meu interesse, abriu um grande baú, de onde tirou vários títulos.

O titulo que me chamou a atenção foi “ESPALHA BRASAS”de um escritor Paraibano de nome José Cavalcante. Folhei-o lentamente, e dei de cara com os seguintes versos:

Eu sou José Cavalcante
Conhecido por Zé bala
Moço, fui bicho elegante
Velho, foi-se minha gala

Mulher a de pouco siso
Que me chamam de pidão
Eu peço por que preciso
E elas porque me dão.

Comprei, paguei cinco reais por uma obra tão rara, esse é o valor do escritor brasileiro.

Continuei meu caminho, vinte minutos depois, esteva na praça dois irmão, eis aqui um lugar que deveria ser cuidado pensei! Cuidam nada! esses caras querem, é só gastar o dinheiro do povo. Isso eu só pensei, quem repetiu meu pensamento, foi um jovem casal que passava ao meu lado. (até parecia que lia meus pensamentos).


poucos minutos depois, estava assentado em um antigo banco de metal, debaixo de uma grande arvore.

Em vão procurei algum fruto, afim de identificar a arvore, isso mesmo, frutos, só identifico a arvore pelo fruto, e isso não é um principio bíblico, é falta de conhecimento mesmo. Se tem manga, repito: essa é uma mangueira, se eu vejo goiaba, já a identifico imediatamente como sendo uma goiabeira, e da ir por diante.

Não vi fruto, valia a sombra.

Fui a leitura, agora com mais calma, sendo interropindo as vezes, por uma mãe raivosa.

-sai daí menino, deixa o animal quieto!
-mãe, ele quer me morder!

Lia, e absorvia cada pagina!

Eu sou um tipo de animal que não morde crianças. Ou mordo?

Cinco minutos de pleno silêncio. É nesses momentos que me transporto de um lugar a outro com facilidade.

O pensamento cria asas.

Passaria o resto da minha vida ali. Aquele banco de ferro, ou era de bronze? Não sei. Só sei que faria dele o meu mausoléu, tal qual Manoel Bandeira. Percorreria as mesmas ruas. Visitaria aquela criança doente. "Em uma casa, a mãe embala uma criança doente".

Faria uma reforma na "Ponte Buarque de macedo, indo em direção a casa agra" E como Augusto dos Anjos, "Assombrado com minha sombra magra"

Construiria a minha tese em cima dos versos de Mario Quitana.

Todos aqueles que atravessa meu caminho
Eles passarão
Eu, passarinho.

Ou simplesmente releria as ultimas estrofes de Zé Cavalcante:

Eu peço por que preciso
E elas por que me dão.

Tudo seria possível, se não fosse aquele grito, que parecia vir do além.

Cruel, ou Cruel! Vem aqui por favor!

Fui tentado a sair do meu transe momentâneo, e me transporta a vida real.

O grito de alguém, chamando outro alguém, eram insistente, Cruel, ou Cruel.

Fui forçado a me virar. Mais não fiz isso de forma brusca, agi como que estar em câmara lenta, estava mas curioso em saber quem era Cruel, do que, em quem chamava.

Seria algum animal? se fosse, o animal, seria da raça Pit-Bul, sendo assim, seria melhor eu ser cauteloso em meus movimentos.

De repente, passa por me um jovem, não era do tipo negrão, Galegão, ricardão. Era apenas um jovem.

Era magro, muito magro.

fixei meu olhar naquela figura. Seus traços finos, voz suave. No seu andar, tinha a leveza da brisa. Mãos na cintura. Caminhava devagar. Quase parando.

Chega até sei interlocutor, poe-lhe a palma da mão no ombro, sacode a cabeça e pergunta:
-Que queres?

Passavam das seis horas.

Levantei. Sair caminhando lentamente, enquarto pensava:

O nome não diz tudo.

Edilson Alves

Final de tarde também combina com risos, pipoca e algumas cenas de um filminho mal elaborado,
porém cômico!!!

Suely Araújo( Borboleta Encantada)

Tardes de Inverno

Não sei bem descrever a felicidade
Mas naquele final de tarde de inverno
Vendo seu sorriso iluminado pelos últimos raios de sol
Não pensava no passado, nem almejava o futuro
Gostaria de ficar eternamente naquele momento
Se realmente existe felicidade
Deve ser algo assim
Algo entre sua beleza e estado de espírito
Foi a paisagem mais linda de se ver
Naquela tarde fria de inverno, seu sorriso me aqueceu.

Anderson Dagen

Lembranças...
Aquele final de tarde
tinha o cheiro de terra molhada.
A chuva caiu forte sobre o chão seco
que quebradiço, pouco ou nada, produzia.
Sentada ali, onde gostava de ficar,
olhei mais longe e fiquei imaginando
como seriam as cores do outono
que lentamente, se aproximava.
Eu queria outra vez, a primavera
com a fragrância das lavandas
que no ano anterior, cobriu os campos
e deixou saudade quando foi embora.
Recordações me visitaram
e lembrei da espera ansiosa
daquele amor tão singelo
que corria de braços abertos
e pedia para eu descer da janela
antes que a noite chegasse.
by/erotildes vittoria/

Erotildes Vittoria

VOCÊ CHEGA EM CASA
NO FINAL DO DIA
NO FINAL DA TARDE
LIGA O INTERRUPTOR
NADA SE ACENDE

ESTÁ FALTANDO LUZ

VOCÊ ACORDA DE MANHÃ
VAI TOMAR SEU BANHO
ESCOVAR SEUS DENTES
LAVAR SUAS MÃOS
AS TORNEIRAS ESTÃO VAZIAS

ESTÁ FALTANDO ÁGUA

VOCÊ SE DESESPERA
TUDO LHE FAZ FALTA
NAQUELE EXATO MOMENTO
EM QUE VOCÊ PRECISA DELE

PRECISAVAS DA LUZ
QUERIAS ASSISTIR TV

PRECISAVAS DE ÁGUA
PRA TOMAR SEU BANHO

QUE FALTA FIZERAM NÉ ?

ASSIM É TUA AMIZADE
SINTO FALTA TODOS OS DIAS
QUANDO ENTRO NO MEU MUNDO
E NÃO ENCONTRO E NÃO SINTO
TUA PRESENÇA EM MIM

PARECE SIMPLES
E REPETITIVO DIZER
TIAMO
TODOS OS DIA

MAS NÃO É !

CADA DIA QUE NASCE
TEM ALGO NOVO NELE

O SOL POR MAIS QUE BRILHE
NÃO É O MESMO DE ONTEM

A CHUVA POR MAIS QUE MOLHE
NÃO TEM O MESMO SABOR
DA ÚLTIMA QUE CAIU

ASSIM SÃO TUAS PALAVRAS

PARECEM IGUAIS
PARECEM DIZER
AS MESMAS COISAS

MAS SEMPRE TRAZEM
UM BRILHO DIFERENTE

TEU AMOR
SE RENOVA
SE REINAUGURA
EM MIM A CADA DIA QUE NASCE
A CADA DIA QUE ACABA

VOCÊ MESMA
MUDA A CADA HORA
MUDA A CADA DIA

E POR MAIS QUE NOSSOS OLHOS
NÃO ACOMPANHEM
ESTA MUDANÇA DIÁRIA
ELA ACONTECE

É PRECISO QUE SAIBAMOS
APRECIAR A BELEZA
QUE CHEGA A TI
A MANDO DE DEUS
A CADA DIA

CHORAMOS
QUANDO PERDEMOS UM AMOR

CHORAMOS
QUANDO PERDEMOS UM AMIGO

MAS A CADA DIA QUE CHEGA
CONHECEMOS NOVOS AMORES
CONHECEMOS NOVOS AMIGOS

QUE NÃO VÃO DE FORMA NENHUMA
SUBSTITUIR O QUE PERDEMOS
MAS SERÃO AMORES E AMIGOS
PLANTADOS AO LADO
ONDE ESTAVAM
AQUELES QUE PERDEMOS

E AS DORES E ALEGRIAS
AS SAUDADES E ANGÚSTIAS
DEIXADOS PELOS QUE SE FORAM
SERVIRÃO DE ADUBO
PRA QUE OS NOVOS AMORES
PRA QUE OS NOVOS AMIGOS
SE FORTALEÇAM EM NÓS

QUERO SER O ADUBO
DE TUA FELICIDADE

QUERO SER O LENÇO
QUE ENXUGA TUAS LÁGRIMAS

QUERO SER O OMBRO
ONDE CHORA TUAS DORES

QUERO SER O AMIGO
EM QUEM PENSAS
QUANDO PRECISAS
DIZER BOM DIA

QUERO SER O HOMEM
QUE ESTARÁ AO TEU LADO
QUANDO PRECISAS
DIZER TI AMO


TÍTULO : TUA PRESENÇA EM MIM
AUTOR : WHYTTIFIELD / JEMAVENI
REGISTRO : 07092007054555004008
LIVRO (S) : TUA PRESENÇA EM MIM

WHYTTIFIELD SAUNDERS

Certo dia, em um final de tarde de céu azul, fiquei observando o crepúsculo engolindo o sol. que desfalecia em lenta agonia, ao ser completamente envolvido, abriu passagem para a lua majestosa e prateada entrar na passarela do universo, desfilando majestosamente, rodeada de estrelas cintilantes, seguiu lentamente sua caminhada noturna, espalhando seu brilho sobre todas as criaturas, embalando sonhos e iluminando a mente dos poetas, cumprindo sua jornada foi se apagando ao romper da aurora, abrindo caminho para o sol resplandecer ativo e imponente aquecendo toda a terra e os seus habitantes, como é imenso o poder do criador. pense nisso, Paulo guerra,

Paulo Guerra

Dois corações e a máquina do tempo

Caminhava no final da tarde como de costume quando avistei um casal de velhinhos, eles varriam juntos a calçada que estava tomada por grama recém cortada. Cena maravilhosa, o sol, o céu e aquele casal - que deve estar junto a um tempão - varrendo a grama, fazendo um mesmo montinho.

Lembrei dos meus avós que estão completando cinquenta anos de casados. Pensei em como os relacionamentos tem mudado, sobre a independência das mulheres e as consequências que mergulham nós, homens, ainda mais na “síndrome de Peter Pan”.

Quando afinal definiram-se os prazos de validade? Porque ficou tão difícil o “felizes para sempre”? Teria a evolução não acompanhado os corações? Bem, poderíamos argumentar centenas de motivos, partir de vários pontos de saída, para ao final, cruzar a mesma chegada: o ser humano segue intolerante.

Sabem o mais interessante na história do casal que varria a calçada? Quando me aproximei deles ouvi o velinho disparar a seguinte frase: "mah dio cristo cabeçuda non me vare o meu que o vento leva."

Para se compor a essência da união é necessária a aceitação, mais do que a de outro, a própria. Quando nos vemos seres falíveis, compartilhamos os medos e aceitamos que a perfeição de uma relação está justamente na imperfeição humana, é quando descobrimos o milagre que fez de nós, seres tão egoístas, capazes de amar.

A busca pela satisfação por vezes traz a solidão. A ânsia de encontrar-se alguém acaba por ser o prelúdio do fim. No oceano das possibilidades, das tecnologias que tornam o de ontem velho demais para o hoje, nascem as novas gerações, cada vez mais consumistas até mesmo em quanto as relações.

Caminhava eu num final de tarde quando avistei dois velinhos que juntos varriam a calçada: seria isso o amor? Um montinho de grama feito por duas pessoas? Não; acredito que o amor daqueles dois estava justamente no xingamento que sucedeu a cena, estava na certeza de que mesmo se os ventos não fossem favoráveis e desfizessem aquele montinho, ainda assim eles poderiam refazê-lo.

A paixão é o que você somente admira, já o amor, é o tanto que você aprende a reconsiderar.

Felipe Sandrin

Quando chega o final da tarde, eu já não te entendo mais. E quando a noite está próxima, meu coração tenta te encontrar. O dia amanhece, e eu já estou em outro lugar.

AmandPetrovic

E quando encontrar você
Vão poder viajar
No final da tarde

Ariel Lisboa, Ricardo Motta e Fé Motta

No final da tarde,
mesmo laconicamente olhe o ocaso...
fique feliz, mas não muito,
não se jubilize tanto,
pense nos que não têm essa possibilidade,
a noite, olhe a lua, ame, mas não se derrame
o amor é salutar em doses homeopáticas,
o amor tem efeitos colaterais
seja feliz, mas não tanto,
é triste ser feliz, eu já fui triste um dia...
olhe a chuva e não se maldiga,
no nordeste chuvas são
gotas de diamantes e águas marinhas...

tadeumemoria

Final de tarde
Sopra meu rosto
O Vento
O Sol
Pinta de Vermelho
O Céu
O lago à minha frente
Reflete a minha imagem
Quando olho minha cara
Reconheço o olhar sincero
Hoje ainda me resta um sorriso
Só preciso descobrir
aonde está
Minha vontade de sorrir
Acho que ficou
No dia
Em que tua mágoa sem trégua
Levou-te decidir
Que era hora de partir

EdsonRicardoPaiva

No final da tarde, escureceu
e a chuva caiu com força
levando embora folhas secas
que navegavam como barcos
sobre ondas gigantes.
do meu poema - Passarela

Erotildes Vittoria

Final de tarde, eu na solidão do meu quarto, tomando café. A televisão está desligada, mas estou com o rádio ligado. Uma música me lembrou você e eu parei para pensar em como seria se você estivesse aqui. Eu não estaria no meu quarto, mas sim na rede, ao seu lado, lá na varanda. Ao invés de café, estaríamos dividindo um morango. Eu seguraria uma xícara com leite condensado e a caixa de morango estaria em sua mão. Você molharia o morango no leite condensado, colocaria em minha boca e depois daria um selinho, como sempre fez. Eu iria sorrir e dizer que te amo. O dia estaria lindo, com um sol radiante que fariam seus cabelos brilharem ainda mais, juntamente com o seu olhar; ao invés dessa chuva que escorre pela minha janela. Eu cantaria para você uma música sobre amor eterno, com a minha voz rouca, totalmente sem ritmo, e você ficaria toda boba pela letra da música que escolhi, mas entre risos, pediria para eu parar, por causa da minha voz. Sabe… Eu gostaria de dizer que te quero de volta, mas você se foi sem deixar rastros e ainda que eu grite, você não escutaria. Agora me resta imaginar a vida que teríamos juntos, até que o ânimo de recomeçar bata à minha porta.

Mariana Souza

Porque cada pedra, além do final da tarde no horizonte é aprendizado, casco do pé decalço. Exausto? Amanhã renovo, volto e sigo em frente.

BIS

Robinson Klaesius

Só o dia ruim tem chances de tornar o final da tarde inesquecível.

Daniel Polcaro

Eu quero andar de mãos dadas com você a beira mar no final da tarde, quero andar de skate mesmo sem saber andar com você, quero jogar futebol em um dia de sol, quero ter aquelas lutinhas que todo casal tem, quero te fazer uma visita inesperada em casa e te ouvir dizer "Entre minha branquela", quero dividir colheres de brigadeiro num dia frio, quero dividir sorrisos bobos e palhaçadas com você, quero fazer declarações de amor infinitas, quero abraços apertados, quero beijos inesperados, quero te ouvir me chamar de branquela, enfim, quero viver a mais linda eternidade ao teu lado!

maria eduarda

No final da tarde quero fugir para longe e ficar escondida,
pois quero ouvir por alguns segundos o silêncio.
Hoje, vou deitar no chão de mão espalmadas para sentir a terra.
Quero sentir as batidas do meu coração e lembrar que vivo.
Quero deixar o tempo passar...
Quero olhar as árvores dançando no vento e escutar passarinhos.
Quero sentir meus pés descalsos amassando folhas secas.
Quero ver o sol se despedir e vou sorrir para a lua.

Mirian Machado Mendes