Fim de Semana

Cerca de 1071 frases e pensamentos: Fim de Semana

O domingo é um defunto de sexta feira que ainda não foi enterrado.

Cristiano Silva (Cavaleiro Errante)

Não tente entender meus paradigmas, esse sou eu e amo minha liberdade,
Amo a Segunda feira e cada dia da semana vivendo cada minuto sendo uma esponja naquilo tudo ao meu redor que acredito precisar, ou caso mesmo eu nem precise só me preveni.

(Sidão) Sidnei Carvalho

Uma bela noite para um belo dia de amanhã e um belo final de semana.
Percebi que gosto de falar belo, escrever belo e indagar o belo!
QUE BELO!

E agora, José

Inspirada na pirada semana.
Ins-pirada, inspira? inspirada..
Ahhhh simplesmente PIRADA!?

E agora, José

Meu final de semana começa hoje, como se tivessem decretado feriado nacional e internacional.

Dani Leão

Não necessariamente vai passar amanhã, ou dentro de uma semana, um mês ou dois, um ano ou até mais...
Só não esqueça: Sempre passa!
Existe tempestade que nos servem de placas indicativas.

Mírian Leite

Sexta-feira o dia mais esperado da semana, onde todos quer sair e se divertir.

HermesJr

Não tenho dom pra servir de lanchinho apenas aos fiins de semana, isso eu deixo para quem se contenta em ser petisco, quero viver um menu farto, desses triviais que a gente tem certeza que vai ter todos os dias, com direito a sobremesa. Mas que seja um banquete seguro!

Keila Sacavem

Uma nova semana começa,
e com ela novos desejos, novos sonhos,
expectativas novas. Procure viver cada momento
como se fosse o único,
cada segundo é um novo momento que jamais ira se repetir

Romulo Santos

Você vai acordar um dia querendo mudar o mundo.
Poderá passa um dia assim, talvéz uma semana, um mês.
Mas quando esse tempo passar, você vai perceber que a grande mudança que você queria fazer não era no mundo, e sim em uma cidade chamada VOCÊ!

Luan Vinicius

Queria conseguir ficar uma semana triste, de cara fechada e seca com o mundo. Mas eu choro rindo, morro sorrindo e ninguém desconfia, talvez seja melhor.

Marcella Fernanda

Essa semana eu tomei um porre e tô meio um porre.

Hortência Grigóstomo

É, o fim de semana foi lindo, valeu a pena cada segundo, e fim.
Nem tudo que é lindo, é eterno.

Luar Moraes Xavier

Bom dia... Esta semana que inicia Senhor, peço para pegar na sua mão, pois sei que quando esta comigo, nada me abala, o Senhor é meu escudo e minha espada, Com essa força serei forte,e que minhas angustias e lágrimas se transformem em sorrisos, peço que me uses conforme a sua vontade, pois estarei seguindo o caminho que o Senhor indicou...

Valdir Venturi

Neste fim de semana,
Eu iria ela vinha,
Horas marcadas não tinha.

Foi assim na sexta,
Sábado durante dia,
Sol muito irradiava, brilhava.

Neste sentido ,
Imaginei um fim de semana lindo,
Brilhante formoso ensolarado,
Nele, poderia termos nos encontrado.

Como sempre rápido ele muito voava,
Batidas no meu coração pensava , olhava , imaginava,
Dentre isto tudo sabe ler meus olhos , por este motivo no ar parava.

Benedito basilio

SEMANA DOS GRANDES CRONISTAS
Fernando Sabino - A última crônica
A caminho de casa, entro num botequim da Gávea para tomar um café junto ao balcão. Na realidade estou adiando o momento de escrever.

A perspectiva me assusta. Gostaria de estar inspirado, de coroar com êxito mais um ano nesta busca do pitoresco ou do irrisório no cotidiano de cada um. Eu pretendia apenas recolher da vida diária algo de seu disperso conteúdo humano, fruto da convivência, que a faz mais digna de ser vivida. Visava ao circunstancial, ao episódico. Nesta perseguição do acidental, quer num flagrante de esquina, quer nas palavras de uma criança ou num acidente doméstico, torno-me simples espectador e perco a noção do essencial. Sem mais nada para contar, curvo a cabeça e tomo meu café, enquanto o verso do poeta se repete na lembrança: "assim eu quereria o meu último poema". Não sou poeta e estou sem assunto. Lanço então um último olhar fora de mim, onde vivem os assuntos que merecem uma crônica.

Ao fundo do botequim um casal de pretos acaba de sentar-se, numa das últimas mesas de mármore ao longo da parede de espelhos. A compostura da humildade, na contenção de gestos e palavras, deixa-se acrescentar pela presença de uma negrinha de seus três anos, laço na cabeça, toda arrumadinha no vestido pobre, que se instalou também à mesa: mal ousa balançar as perninhas curtas ou correr os olhos grandes de curiosidade ao redor. Três seres esquivos que compõem em torno à mesa a instituição tradicional da família, célula da sociedade. Vejo, porém, que se preparam para algo mais que matar a fome.

Passo a observá-los. O pai, depois de contar o dinheiro que discretamente retirou do bolso, aborda o garçom, inclinando-se para trás na cadeira, e aponta no balcão um pedaço de bolo sob a redoma. A mãe limita-se a ficar olhando imóvel, vagamente ansiosa, como se aguardasse a aprovação do garçom. Este ouve, concentrado, o pedido do homem e depois se afasta para atendê-lo. A mulher suspira, olhando para os lados, a reassegurar-se da naturalidade de sua presença ali. A meu lado o garçom encaminha a ordem do freguês. O homem atrás do balcão apanha a porção do bolo com a mão, larga-o no pratinho -- um bolo simples, amarelo-escuro, apenas uma pequena fatia triangular.

A negrinha, contida na sua expectativa, olha a garrafa de Coca-Cola e o pratinho que o garçom deixou à sua frente. Por que não começa a comer? Vejo que os três, pai, mãe e filha, obedecem em torno à mesa um discreto ritual. A mãe remexe na bolsa de plástico preto e brilhante, retira qualquer coisa. O pai se mune de uma caixa de fósforos, e espera. A filha aguarda também, atenta como um animalzinho. Ninguém mais os observa além de mim.

São três velinhas brancas, minúsculas, que a mãe espeta caprichosamente na fatia do bolo. E enquanto ela serve a Coca-Cola, o pai risca o fósforo e acende as velas. Como a um gesto ensaiado, a menininha repousa o queixo no mármore e sopra com força, apagando as chamas. Imediatamente põe-se a bater palmas, muito compenetrada, cantando num balbucio, a que os pais se juntam, discretos: "parabéns pra você, parabéns pra você..." Depois a mãe recolhe as velas, torna a guardá-las na bolsa. A negrinha agarra finalmente o bolo com as duas mãos sôfregas e põe-se a comê-lo. A mulher está olhando para ela com ternura — ajeita-lhe a fitinha no cabelo crespo, limpa o farelo de bolo que lhe cai ao colo. O pai corre os olhos pelo botequim, satisfeito, como a se convencer intimamente do sucesso da celebração. Dá comigo de súbito, a observá-lo, nossos olhos se encontram, ele se perturba, constrangido — vacila, ameaça abaixar a cabeça, mas acaba sustentando o olhar e enfim se abre num sorriso.

Assim eu quereria minha última crônica: que fosse pura como esse sorriso.

Fernando Sabino

Não Deixe Nada Para Semana Que Vem.
Porque Semana Que Vem Pode Nem Chegar!

Pitty

A SEMANA

Segunda, me inflamo.
Terça, te amo.
Quarta, te vejo.
Quinta, te desejo.
Sexta, te quero.
Sábado, te espero.
Domingo, te sonho.
......................................

E quando longe de ti,
só para ti, componho.

J.G de Araujo

Aquele amor que nasce em uma semana, também é chamado de necessidade!

Edmar Autieri de Souza

Que final de semana maravilhoso!!!
Porque estar com você é sempre prazeroso?

De mãos dadas com você passear
Como minha esposa as pessoas te apresentar!

Um ao outro completa dedicação
Troca de carinhos amor e atenção!

Tínhamos uma esperança
De comprar nossa aliança...

Uma que fosse nossa cara, nosso jeito
e não é que encontramos!
Buscamos em nós o amor e o respeito
e agora tão feliz estamos!

Uma aliança tão linda que simboliza
nosso amor
Será uma enorme alegria quando em seu
dedo definitivamente por!

Mostrar a quem quiser e ao mundo que
nosso amor é tão profundo.

Obrigado por você existir...
E de mim nunca desistir!

De acreditar em seu pensamento...
Que é puro esse nosso sentimento!

Acreditar em seu coração
E ter a certeza de que não foi em vão!

Te amo vc minha flor
Te amo vc meu grande e eterno amor!

Carlos Correia