Evangélica

Cerca de 55 frases e pensamentos: Evangélica

" A moral dos Espíritos superiores se resume como a do Cristo, nesta máxima evangélica: Fazer aos outros o que queríamos que os outros nos fizessem, isto é, fazer o bem e não o mal. Neste princípio encontra o homem uma regra universal de proceder, mesmo para as suas menores ações."

Allan Kardec

Confie no Senhor. Paciência. Ele trabalha para aqueles que nele esperam.

Expressão Evangélica

Você é realmente um cristão ou apenas faz parte do circo chamado igreja evangélica moderna?

Paul Washer

Se há uma coisa que a pregação evangélica anda fazendo é diminuir o tamanho de Deus e aumentado o tamanho do homem.

Paul Washer

ATO DE GRATIDÃO

Agradeço ao Senhor porque me deu a vida;
Agradeço Senhor porque me fez sofrer;
Pois sofrendo aprendi a amá-lo muito mais;
Agradeço ao senhor pelas horas de encanto; de estesia de amor, de alegria infinita;
Agradeço ao senhor que me deu inspiração;
Agradeço ao senhor por minhas mãos ligeiras;
Por meus pés que se vão por veredas seguras;
Agradeço ao senhor pela luz dos meus olhos;
Por meu ouvido,por meu celebro,meus lábios;
Agradeço ao Senhor por essa maravilha;
Que ele, sábio, ele criou;-O corpo humano!
Agradeço ao Senhor por tudo quanto tive;
Agradeço ao Senhor por tudo quanto tenho;
Agradeço ao Senhor por meu labor continuo;
Porque como disse Jesus aos Judeus;
"MEU PAI TRABALHA ATÉ AGORA,E EU TRABALHO TAMBÉM"
Agradeço ao Senhor que nunca me deixou;
Agradeço ao Senhor pelo tempo que passa;
Pelo meu calendário, onde há tantos domingos...
E agradeço Senhor pelo instante da morte, quando eu chamada for para enfim descansar!

Autoria desconhecida.

Poesia premiada no primeiro concurso de poesia evangélica em Brasília

Não sei quantas vezes eu fui perdoado
Nem quantas vezes Deus ainda vai me perdoar,
Mas uma coisa eu sei, eu nunca vou desistir,
Sempre vou continuar.
Nem que eu seja o derradeiro a entrar no paraíso.

Stefano Cavalcanti ( o poeta adorador)

Deus é semelhante a uma sala
cheia de gás altamente inflamável
não importa se sua fé é uma faísca ou uma tocha
o importante é tê-la
a explosão depende de você

Stefano Cavalcanti ( o poeta adorador)

Se você quer curtir a vida
Não curta a vida curta
Curta a vida eterna

Stefano Cavalcanti ( o poeta adorador)

Ver para crer ou crer para ver ? De qualquer maneira saia do lugar que limita tua visão. Ele é fiel.

Música Evangélica

Você não precisa ver, precisa crer. Toda promessa passa pelo teste do tempo. O tempo prova o coração e forma o caráter.

Música Evangélica

Na porta de toda igreja evangélica devia ter um grande latão de lixo com os dizeres: ”Ao entrar deixe seu cérebro aqui.”

Italosotero

A Igreja Evangélica oferta a morte lenta em troca da vida eterna.

Cleber Martins

A Igreja evangélica nunca esteve tão cheia; mas tão vazia!

Tiago Belinha

A religião evangélica é o retrocesso religioso da própria evolução religiosa

Capuano Thiago

"Quero falar sobre fé e seus personagens.
Venho de uma família evangélica, Igreja "Assembléia de Deus", uma das religiões protestantes mais
populares no Brasil. E essas pessoas acreditam na bíblia como um guia sobrenatural verossímil da história humana. Ao meu ver é um bom livro de conselhos morais e familiares, e de estórias como os 10 mandamentos e a estória de Daniel.
Eu não estou julgando a FÉ e não renego a espiritualidade. mas eu não consigo aceitar. Como isso é possível? Como acreditar cegamente em um livro que, em primeiro lugar; originalmente foi escrito em aramaico, traduzido pro grego e posteriormente para o italiano. Popularizado pela igreja católica no mesmo período da imposição teocêntrica?
Curiosamente essa "vitória" tornou o catolicismo a instituição mais poderosa do mundo. E como falar sobre a riqueza do catolicismo e não mencionar o Dízimo
naquele tempo não existia ainda o capitalismo, o mercado funcionava através do escambo, ou seja os produtores deveriam "doar" 10% de tudo o que produziam ou a moeda privilégio da nobreza
para as tais "primícias do senhor". afinal de contas onde Deus gastaria esse dinheiro??
Como poderei seguir uma religião se ninguem é capaz de me convencer de que este é o caminho correto? ou que pelo menos não é
o incorreto??
Deixe me falar o que eu penso sobre Jesus, não sobre sua existência terrena, mas sobre o seu "conto de fadas".
Jesus foi um Líder, um grande líder carismático, e isso é fato! um líder, como ., Krishna, Buda, Maomé, Moisés, Confúcio, Rama, Orfeu, Hermes, Zoroastro...
Cada cultura tem o seu Super Herói Divino, e todos estes originados de uma mesma causa. A "inautonomia" humana, da necessidade latente de transferir a responsabilidade de suas ações. sejam elas boas ou não. Todos eles realizaram milagres, as lendas nos dizem!
Como posso acreditar em um suposto filho de "Deus", se não houve e não há no mundo alguem que me descreva Jesus com o mínimo de coerência ética possível?
Jesus sendo judeu, jamais teria pele clara e cabelos loiros, a menos que fosse albino. Nossa ciência, cética como a conhecemos me convenceu dos poderes
do auto-controle. Há quem diga que não existem limites para a mente humana. Acredite, para mim é muito dificil contestar minha fé,
tudo o que me foi imposto desde o meu nascimento, tudo o que sempre foi sagrado! por que ninguem sabe a real verdade, nem eu.
então, se Jesus realmente foi o filho sagrado de Deus, eu tenho sido Herege! e honestamente, tudo o que conhecemos sobre inferno e paraíso, eu estou certo de que não vou me sentir confortável no inferno, ou talvez não! Quem pode dizer com certeza como realmente é o inferno??? ou onde é?
Mas tudo o que temos são questões, dúvidas... e nenhuma resposta 100% convincente.

Andy Souza

souzaAndy

Adoração é a joia perdida da Igreja Evangélica.

A. W. Tozer

A Igreja catolica, Evangelica ou qualquer outra denominação esta fazendo a parte que lhe cabe...Agora o que precisamos e ouvir e passar aos necessitados A Palavra de Deus...Um dia eu tbm ouvi de alguem essa Palavra e atendi o chamado, hoje posso passar aos queridos amigos um pouco do que Deus fez na minha vida, e com lagrimas nos olhos que escrevo essas palavras querido(a) amigo(a), receba hoje mesmo O Senhor Jesus em sua vida e passe a ser um Cristão vitorioso na Presença de Deus...Abraço fraterno

J M da Silva

I. O arrependimento para a vida é uma graça evangélica, cuja doutrina deve ser tão pregada por todo o ministro do Evangelho como a da fé em Cristo. Ref. At. 11: 18; Luc. 24:47; Mar. 1: 15; At. 20:21.
II. Movido pelo reconhecimento e sentimento, não só do perigo, mas também da impureza e odiosidade do pecado como contrários à santa natureza e justa lei de Deus; apreendendo a misericórdia divina manifestada em Cristo aos que são penitentes, o pecador pelo arrependimento, de tal maneira sente e aborrece os seus pecados, que, deixando-os, se volta para Deus, tencionando e procurando andar com ele em todos os caminhos dos seus mandamentos. Ref. Ezeq. 18:30-31 e 34:31; Sal.51:4; Jer. 31:18-19; II Cor.7:11; Sal. 119:6, 59, 106; Mat. 21:28-29.
III. Ainda que não devemos confiar no arrependimento como sendo de algum modo uma satisfação pelo pecado ou em qualquer sentido a causa do perdão dele, o que é ato da livre graça de Deus em Cristo, contudo, ele é de tal modo necessário aos pecadores, que sem ele ninguém poderá esperar o perdão,
Ref. Ez. 36:31-32 e 16:63; Os. 14:2, 4; Rom. 3:24; Ef. 1: 7; Luc. 13:3, S; At. 17:30,31.
IV. Como não há pecado tão pequeno que não mereça a condenação, assim também não há pecado tão grande que possa trazer a condenação sobre os que se arrependem verdadeiramente. Ref. Rom. 6:23; Mat. 12:36; Isa. 55: 7; Rom. 8:1; Isa. 1: 18.,
V. Os homens não devem se contentar com um arrependimento geral, mas é dever de todos procurar arrepender-se particularmente de cada um dos seus pecados. Ref. Sal. 19:13; Luc. 19:8; I Tim. 1:13, 15.
VI. Como todo o homem é obrigado a fazer a Deus confissão particular das suas faltas, pedindo-lhe o perdão delas, fazendo o que, achará misericórdia, se deixar os seus pecados, assim também aquele que escandaliza a seu irmão ou a Igreja de Cristo, deve estar pronto, por uma confissão particular ou pública do seu pecado e do pesar que por ele sente, a declarar o seu arrependimento aos que estão ofendidos; isto feito, estes devem reconciliar-se com ele e recebê-lo em amor.
Ref. Sal. 32:5-6; Prov. 28:13; I João 1:9; Tiago 5: 16; Luc. 17:3-4; Josué 7:19; II Cor. 2:8.
Mesmo nos dias do Velho Testamento vemos a eficácia do arrependimento para que o pecador possa se aproximar e estar de pé na presença de Deus. O que tornou Abel, por exemplo, aceitável a Deus? A Bíblia não afirma precisamente que foi a sua oferta, como alguns costumam dizer, pois, ambos, tanto ele quanto a sua oferta foram agradáveis a Deus (Gên 4.4), mas não foi por seus méritos e oferta que Abel foi aceito, mas pela sua fé em Deus (Hb 11.4), porque era pecador como todos os demais homens. A sua oferta e ele foram aceitáveis a Deus somente por causa de Cristo, que torna o nosso arrependimento aceitável. Abel arrependeu-se, pela fé, de seus pecados, e por isso podia aproximar-se de Deus. Seu irmão Caim exemplifica aqueles que se recusam a arrepender-se quando chamados por Deus para deixarem o mal e a obedecerem a Sua vontade (Gên 4..5-9). O que se aprende disto tudo? Que não é a condição de ser pecador propriamente dita que impossibilita a aproximação e comunhão do pecador com Deus, mas falta de fé e arrependimento. Todos os que são aceitos por Deus, são aceitos porque se arrependeram, e são justificados pelo sangue de Cristo. Abraão, Moisés, Samuel e tantos quantos foram justificados e salvos no Antigo Testamento, foram porque se arrependeram de seus pecados. E é por igual meio que todos são salvos ainda em nossos próprios dias (At 2.37-39).

Silvio Dutra

A Cultura Evangélica Brasileira e a Elite Cultural.

O tapa que a cultura pop deu na cara da conservadora elite cultural brasileira nos anos 90, dói até hoje. Expressões como “neoliberalismo”, “sustentabilidade” e (a mais queridinha de todas) “globalização”, eram como biscoito de polvilho na boca de estadistas, intelectuais, jornalistas e outros. Já para alguns da dita “classe popular”, eram como água de piscina que entrou no ouvido. Enquanto a Europa ainda se esforçava para despachar os resquícios dos entulhos do Muro Berlim, e o Brasil vivia aquela aflição de noiva em dia de esponsais às vésperas da ECO 92, simultaneamente explodiam três bombas no território guarani: o axé, o funk e a música evangélica.
Embora os dois primeiros sejam considerados fenômenos culturais de grandes proporções e, no entanto, de baixa qualidade artística e de pouca relevância, a música evangélica não mereceu nem isso. Foi relegada ao mais sutil dos silêncios: o desprezo.
Enquanto os elitistas caiam de joelhos ante a invasão de toda sorte de lixo cultural norte-americano, músicos, técnicos, cantores e instrumentistas se especializavam buscando o aperfeiçoamento e, em consequência, a profissionalização da música gospel. E isso se dava numa conjuntura cultural totalmente desfavorável: nessa época, qualquer um virava cantor no Brasil, qualquer coisa apoiada numa simples nota era chamada de “música”, tanto que a música eletrônica sem letra passou a ser o hino de muitos jovens nas festas RAVE. Enquanto que para ser um simples cantor evangélico, mesmo um dessas igrejinhas de bairros pobres, exigiam-se mais e mais habilidades e técnicas – não bastava ter voz bonita ou ser o filho ou a filha do pastor.
A década acabou. Mas o silêncio da elite cultural não. Foi necessário que o reconhecimento viesse do estrangeiro: o Grammy latino com Aline Barros. Ainda assim não foi bastante para que a elite enxergasse aquilo que está a um palmo de seu nariz: as múltiplas qualidades da música cristã. É claro que o objetivo de tal gênero não é o reconhecimento, é louvar ao Senhor e com um só propósito: honrá-lo glorificando-o. Mas a falácia do discurso que a elite cultural apregoa aos quatro ventos de “valorização da diversidade cultural brasileira” é de fazer doer! De doer em sua própria pele.
E não é só isso. A rica contribuição linguística ao idioma de Camões atingiu a todas as classes sociais. Jargões como “irmão”, “abençoado”, “varão”, “A paz de Cristo”, “vigia” entre outras, são conhecidos até por aqueles que não creem em Deus.
Dos retiros espirituais que são perfeitas expressões de festividade e harmonia entre os participantes, às encenações de peças teatrais e à dança profética, os evangélicos dão vários exemplos de verdadeira cultura. E não é preciso citar as produções cinematográficas que, embora incipientes, com pouco público e com divulgação precária, vão pouco a pouco ganhando espaço e a admiração de muitos. A saber: meu objetivo aqui não é classificar tal cultura como boa, melhor, superior a esta ou aquela, e sim provar, baseando-me em fatos verificáveis, que é cultura também e merece ser respeitada como tal.
Não obstante, o reconhecimento seja mesmo difícil por sua inerência intrinsecamente lógica. Sim, lógica: a cultura evangélica brasileira cresce como semente plantada na rocha pura. Então, estupefata, a elite cultural brasileira questiona:
“Como pode uma semente ter germinado na rocha pura?!”

Não encontram outra resposta senão o silêncio. Eis sua postura.

Alexandre de Jesus