Escrever

Cerca de 3810 frases e pensamentos: Escrever

Vê se não demora. Eu tenho ânsia de falar da gente. Se eu não puder escrever de você, eu vou ter que escrever do final. Então, vê se não demora.

Maria Paula Fraga

O mais dificil nao é escrever muito, e sim escrever pouco dizendo tudo.

Caderno de frases e Poesias Scarlat

Só posso escrever o que sou. E se os personagens se comportam de modos diferentes, é porque não sou um só."

Graciliano Ramos

Você

Quando eu escrever, que seja sobre você
Quando eu pensar, que seja em você
Quando eu for acordado, que seja por você
Por que quando abro os olhos és tudo que vejo
Pois és tudo o que almejo um dia conquistar

Mas às vezes me pergunto
Se esse momento algum dia vai chegar

Pois tenho medo de ter que procurar,
E um outro você conhecer,
Admirar, vigiar, desejar
E então sobre ela escrever

Porém uma certeza posso ter
Quando eu escrever, será sempre sobre você.

Felipe Almino

Escrever é um dom
que se aprimora com a depressão...

Bianka Raphaela

Eu...
Eu quero ser como Arnaldo
Eu quero escrever Drumond
Eu quero cantar com Marisa
Eu quero subir ao monte
Eu quero amar,beijando
Eu quero ser eu mesmo,talvés,não.
Eu quero ter mel
Eu quero nascer de uma fonte
Eu quero poder sonhar
Eu quero ser eu.

Daniel P .Santos

Do que adianta escrever frases bonitas e tentar dar lição de moral, se você nem sequer segue suas próprias conclusões.

Patrezy Breno

Meu Ideal Seria Escrever...

Meu ideal seria escrever uma história tão engraçada que aquela moça que está doente naquela casa cinzenta quando lesse minha história no jornal risse, risse tanto que chegasse a chorar e dissesse -- "ai meu Deus, que história mais engraçada!". E então a contasse para a cozinheira e telefonasse para duas ou três amigas para contar a história; e todos a quem ela contasse rissem muito e ficassem alegremente espantados de vê-la tão alegre. Ah, que minha história fosse como um raio de sol, irresistivelmente louro, quente, vivo, em sua vida de moça reclusa, enlutada, doente. Que ela mesma ficasse admirada ouvindo o próprio riso, e depois repetisse para si própria -- "mas essa história é mesmo muito engraçada!".

Que um casal que estivesse em casa mal-humorado, o marido bastante aborrecido com a mulher, a mulher bastante irritada com o marido, que esse casal também fosse atingido pela minha história. O marido a leria e começaria a rir, o que aumentaria a irritação da mulher. Mas depois que esta, apesar de sua má vontade, tomasse conhecimento da história, ela também risse muito, e ficassem os dois rindo sem poder olhar um para o outro sem rir mais; e que um, ouvindo aquele riso do outro, se lembrasse do alegre tempo de namoro, e reencontrassem os dois a alegria perdida de estarem juntos.

Que nas cadeias, nos hospitais, em todas as salas de espera a minha história chegasse -- e tão fascinante de graça, tão irresistível, tão colorida e tão pura que todos limpassem seu coração com lágrimas de alegria; que o comissário do distrito, depois de ler minha história, mandasse soltar aqueles bêbados e também aqueles pobres mulheres colhidas na calçada e lhes dissesse -- "por favor, se comportem, que diabo! Eu não gosto de prender ninguém!" . E que assim todos tratassem melhor seus empregados, seus dependentes e seus semelhantes em alegre e espontânea homenagem à minha história.

E que ela aos poucos se espalhasse pelo mundo e fosse contada de mil maneiras, e fosse atribuída a um persa, na Nigéria, a um australiano, em Dublin, a um japonês, em Chicago -- mas que em todas as línguas ela guardasse a sua frescura, a sua pureza, o seu encanto surpreendente; e que no fundo de uma aldeia da China, um chinês muito pobre, muito sábio e muito velho dissesse: "Nunca ouvi uma história assim tão engraçada e tão boa em toda a minha vida; valeu a pena ter vivido até hoje para ouvi-la; essa história não pode ter sido inventada por nenhum homem, foi com certeza algum anjo tagarela que a contou aos ouvidos de um santo que dormia, e que ele pensou que já estivesse morto; sim, deve ser uma história do céu que se filtrou por acaso até nosso conhecimento; é divina".

E quando todos me perguntassem -- "mas de onde é que você tirou essa história?" -- eu responderia que ela não é minha, que eu a ouvi por acaso na rua, de um desconhecido que a contava a outro desconhecido, e que por sinal começara a contar assim: "Ontem ouvi um sujeito contar uma história...".

E eu esconderia completamente a humilde verdade: que eu inventei toda a minha história em um só segundo, quando pensei na tristeza daquela moça que está doente, que sempre está doente e sempre está de luto e sozinha naquela pequena casa cinzenta de meu bairro.

Rubem Braga

Escrever é como prostituição. Primeiro você faz por amor, depois para alguns amigos próximos e depois por dinheiro.

Molière

Ah, que vontade de escrever bobagens bem meigas, bobagens para todo mundo me achar ridículo...

Rubem Braga

NUNCA MAIS QUERER

Não quero nunca mais escrever
Dos meus sonhos esquecer
E as minhas fantasias
Nunca mais voltar a ter...

Eu quero agora viver
Nem que eu viva a sofrer
Viver...viver...para num dia
Em que eu menos esperar...morrer...

Não adianta ter ilusão
Quero falir meu coração
E decretar à todos
Minha tremenda decepção...

Não adianta fantasiar
Pois o que eu vivi asonhar
O que eu vivi a procurar
Jamais vai se realizar

Quero perder a esperança
Pois em toda minha herança
Fiz de meus dias
A vida de uma criança...

Não convivi com a real
Fugi do mundo animal
De minha vida fiz uma peça teatral
E atuei...como atriz principal

Hoje decretei falência
Pois nessa minha existência
Só vi minha carência aumentar
Preciso parar de sonhar...

Tentei...muito lutei...
Sonhei...esperei...
Eu quiz e não tive...então resolvi
Viver como a maioria vive...

Pra resumir eu "fali"
Pois pela vida eu vi
Que é preciso ser anormal
Para viver nesse mundo animal...

Celia Piovesan

Eu sei que não deveria te escrever essas palavras.
Mas meu coração é muito insistente, e me pede
pra dizer tudo o que ele nunca teve a chance de
expressar por você antes.
Ele me diz, pra dizer a você, que seus dias são
os mais felizes desde que te conheceu. Que nele,
você pode habitar sem medo por todo sempre, se
desejar!
Disse-me ainda que, você é a dona do seu amor!
Que não saberia viver sem a sua doce presença.
Em cada amanhecer, ele encontra um motivo novo
para bater feliz, e gostaria de fazer feliz,
a mulher que tanto ama... Você!
Disse já ter tentado de dizer antes, mas você lhe
pediu para não dizer essas palavras. Desculpe-me
por escrever a você o que ele me pede!
Fico sem graça diante de tanto amor expressado
por ele. Mas acho que você deveria escutá-lo!
Dê uma chance de ele te mostrar o quanto te deseja,
o quanto é feliz com você por perto.
Sei que se você parar e pensar... Vai ver que ele é
o ideal para você. Vai ver que vocês nasceram
um para o outro... Escute ele dizer... AMO-TE
E será feliz ao lado desse coração apaixonado
que bate por tanto te amar!

Gracieli medeiros

Escrever virou um vício. Frases soltas, textos longos, nadas escritos só pra existir. Se eu não registrar, uma parte de mim se esquece. Se eu parar, uma parte de mim morre.
E o bloqueio? Vai me enlouquecendo. É como se me negassem comida, oxigênio. Sinto como seu eu fosse morrendo a cada começo jogado de lado por não ter o que desenvolver. Se eu dormir, acordo melhor?

Verônica H.

AMOR INCONDICIONAL

Algo me inspira a escrever sobre este sentimento, demasiadamente falado, porém, pouco achado. As pessoas dizem Eu te amo!, com tamanha facilidade, e não obstante, um instante depois, cobram respostas. Mas, não estamos diante de uma pergunta, e sim, de uma exclamação, de uma afirmação. Eu te amo e ponto! sem respostas, sem anseios, sem angústias, sem condições. Este sentimento não requer reciprocidade, não pede nada em troca, por muitos, é denominado amor-altruísta. Este amor é facilmente visualizado, na mãe pelo filho, naquela que não espera nada, que ora todas as noites pela sua plena felicidade. Mesmo que as coisas não andem bem, ela nunca deixará de amá-lo. Para este tipo de amor, não existe "se’s".Se você deixar de fazer... Se você me der aquele presente... Se você me amar como eu te amo! Amor incondicional: por muitos desprovido de pensamento racional, por outros carregado de inestimável valor emocional. Um amor sem limites, onde o Céu não é o fim, onde sempre se pode mais, onde o velho ditado " fazer o bem, sem olhar a quem" se faz mais do que presente. Mas, para seres falíveis ao erro,é inegável dizer que amar assim não é fácil, pois requer esforço, dedicação, maturidade. Esforço para não se entregar, para saber perdoar, para relevar, duas vezes pensar, para sempre se levantar.Dedicação para amparar, confortar, acariciar, acudir, auxiliar, apoiar. Maturidade pra raciocinar, relembrar, viver, esquecer, fingir que não vê, "dar o braço a torcer". Um amor assim, realmente, está por existir, mas, uniões verdadeiras são construídas de amor verdadeiro, dizer eu te amo é assumir toda esta carga de "compromissos", que digo, realmente, não é difícil. É fazer momentos mínimos se tornarem eternos, não pelo seu lapso temporal, mas por este fantástico sentimento, que não trava brigas, nem disputas, e sim, compartilha emoções, distribui felicidade, sem impor, NUNCA nem JAMAIS: Condições.

Cássia Montouto.

Conhecia as regras do escrever, sem suspeitar as do amar; tinha orgias de latim e era virgem de mulheres

Dom Casmurro - Machado de Assis

"(...) Se não gostar de ler, como vai gostar de escrever? Ou escreva então para destruir o texto, mas alimente-se. Fartamente. Depois vomite. Pra mim, e isso pode ser muito pessoal, escrever é enfiar um dedo na garganta. Depois, claro, você peneira essa gosma, amolda-a, transforma. Pode sair até uma flor. Mas o momento decisivo é o dedo na garganta (...)"

Caio Fernando Abreu

Queria te escrever uma poesia linda...mas pra que...se o que sinto por você se resume em tres palavrinhas simples mas que dizem "tudo"...é...isso mesmo..."EU TE AMO "...

Celia Piovesan

Só peço a Deus que a trama das palavras desperte nossas falas e nos ajude a escrever poemas que despertem resposta em quem não sabe responder. Só peço a Deus que o drama dos altares rebrilhe nos olhares e venha em nós se eternizar e faça gerar sonhos naqueles que não sabem mais sonhar...

Pe. Fábio de Melo

Pot-pourri de assuntos

O que escrever para a próxima coluna? Listo prováveis assuntos: o mercado de trabalho, homens que cospem catarros horrorosos pelas ruas, minha bunda, sexo sem amor, a necessidade de ter alguém pra chamar de amor.

Demoro um dia inteiro para me decidir porque sou indecisa. Não me decido por nenhum porque sou possessiva e filha única: quero todos. Então vamos lá, seguindo a ordem.
Existe um boato por aí que publicitário tem a vida mansa e que todos eles são meio loucos. Isso dá uma coceirinha nos estudantes que acham esse papo muito cool e se matriculam aos montes pelas faculdades do país. Sou redatora publicitária e há dois anos e meio não tenho um salário decente apesar das mais de doze horas trabalhadas por dia. Já mudei de agência seis vezes e já mudei de assunto mais de mil quando amigos e parentes perguntam por que eu não tenho um horário fixo, um salário fixo e um lugar fixo para ir todos os dias. Aturo a crise mundial, a crise do país, a crise do mercado, a crise do mercado publicitário e a crise de meia-idade de colegas de trabalho com seus leões na mesa, suas baleias em casa e a tara por jovenzinhas deslumbradas e em aprendizado.

O boato da loucura é realidade, ninguém normal atura isso tudo. Quanto a ter a vida mansa, que vão todos para a merda antes que eu me esqueça.

Não sei de muitas coisas nesta vida, mas aprendi que entre a paixão e o ódio pela propaganda, tem sempre um catarro. Vou andando pelas ruas pensando em todos os lados bons e ruins da minha profissão: eu crio, eu não tenho um trabalho burocrático, chato, operacional, burro, exato. Eu movimento grana, eu emociono, eu faço as pessoas rirem. Plá, uma catarrada. Eu ganho mal, me deram uma porra de um PC em vez de um Mac, eu fico muito tempo sentada e minha bunda tá horrível, plá, outra catarrada.
Por que diabos esses imundos homens cospem essas melequeiras pelas ruas? Por que diabos? Por que diabos? Como eu odeio isso. ODEIO. Onde está escrito que o mundo permite essa escatologia exposta à luz do dia? Às vezes é preciso desviar para não sentir respingarem resquícios da nojeira no peito do pé. Desejo do fundo do meu coração que todos eles sufoquem entalados com suas crias gosmentas e fiquem tão verdes quanto elas.

Mas ainda mais nojento do que escutar aquela chupada suína que precede o plá da catarrada, é escutar o sugar de tesão de um escroto qualquer que você nunca viu na vida. É aquele "ssssssssss delícia", "ufffffffffffffffff gostosa".

Não se anime não, seu neanderthal urbano, que o que você está vendo é apenas o poder de uma calça jeans caríssima, que uma redatora publicitária em começo de carreira com seu salário de merda só pode ter comprado em cinco vezes sem juros. Cê não tá vendo, querido, que por trás disso é apenas a bunda de uma redatora publicitária que sofre várias crises de mercado e não tem tempo para uma academia? Tá caída, mermão! Já não é mais a mesma. Aliás, isso me lembrou a propaganda, mas este assunto já deu.

E por falar em dar... dar não é fazer amor. Dar é dar. Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido, mas dar é bom pra cacete. Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca, te chama de nomes que eu não escreveria, não te vira com delicadeza, não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom. Melhor do que dar, só dar por dar. Dar sem querer casar, sem querer apresentar pra mãe, sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo. Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral, te amolece o gingado, te molha o instinto. Dar porque a vida de uma publicitária em começo de carreira é estressante e dar relaxa. Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã. Tem caras que você vai acabar dando, não tem jeito. Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.

Dar é bom. Na hora. Durante um mês. Para as mais desavisadas, talvez por anos. Mas dar é dar demais e ficar vazia. Dar é não ganhar. É não ganhar um "eu te amo" baixinho, perdido no meio do escuro. É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir. É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: "Que cê acha, amor?". Dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito. Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor, esse sim é o maior tesão. Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar o suficiente pra nem perceber as catarradas na rua.

Tati Bernardi

Alguns me chamariam de boba por escrever coisas tão loucas pra alguém que quer ficar tão longe. Mas a vida é muito curta e o silêncio nunca vai te mostrar o que eu quero te dizer, mesmo que você não queira escutar. Por isso eu escrevo.

Maria Paula Fraga