Durkheim

Cerca de 7 frases e pensamentos: Durkheim

É preciso sentir a necessidade da experiência, da observação, ou seja, a necessidade de sair de nós próprios para aceder à escola das coisas, se as queremos conhecer e compreender.

Émile Durkheim

Nosso egoísmo é, em grande parte, produto da sociedade.

Émile Durkheim

Não há..senão diferenças de um certo gênero que tendem..uma para a outra; são aquelas que em lugar de se opor e de se excluir, se completam mutuamente.

Émile Durkheim

O indivíduo se mata para parar de sofrer.

Émile Durkheim

Conjunto das crenças e dos sentimentos comuns à média dos membros de uma mesma sociedade que forma um sistema determinado com vida própria

Toda a teoria sociológica de Durkheim pretende demonstrar que os fatos sociais têm existência própria e independem daquilo que pensa e faz cada indivíduo em particular. Embora todos possuam sua "consciência individual", seu modo próprio de se comportar e interpretar a vida, podem-se notar, no interior de qualquer grupo ou sociedade, formas padronizadas de conduta e pensamento. Essa constatação está na base da que Durkheim chamou de consciência coletiva.
Segundo Durkheim "para que exista o fato social é preciso que pelo menos vários indivíduos tenham misturado sua ações e que dessa combinação tenha surgido um produto novo". Esse produto novo, constituído por formas coletivas de agir e pensar, se manifesta como uma realidade externa às pessoas. Ele é dotado de vida própria, não depende de um indivíduo ou outro.
"Mas, dirão, um fenômeno só pode ser coletivo se for comum a todos os membros da sociedade ou, pelo menos, à maior parte deles, portanto, se for geral. Certamente, mas, se ele é geral, é porque é coletivo (isto é, mais ou menos obrigatório), o que é bem diferente de ser coletivo por ser geral. Esse fenômeno é um estado do grupo, que se repete nos indivíduos porque se impõe a eles. Ele está em cada parte porque está no todo, o que é diferente de estar no todo por estar nas partes[...]"

Émile Durkheim

O papel do Estado, com efeito, não é exprimir, resumir o pensamento irrefletido da multidão, mas sobrepor, a esse pensamento irrefletido, um pensamento mais meditado e, por força, diferente. É, e deve ser, foco de representações novas, originais, as quais devem por a sociedade em condições de conduzir-se com maior inteligência que quando é simplesmente movida dos sentimentos obscuros, a agir dentro dela.

Émile Durkheim

Para Durkheim a sociologia tem como objetivo próprio os fatos sociais. Os fatos sociais constituem toda maneira de agir, fixa ou não, suscetível de exercer sobre o individuo uma coerção exterior, os fatos sociais referem-se às maneiras de agir, de pensar e de sentir exteriores ao individuo, dotadas de um poder de coerção em virtude do qual se lhe impõem. Os fatos sociais só podem se explicados através de outros fatos sociais. As principais características dos fatos sociais são: coercitividade, exterioridade e generalidade.

Um fato social é normal quando ele é um fenômeno que está ligado com as condições gerais da vida coletiva do tipo social considerado, o crime, por exemplo, é um fato social normal por que ele sempre irá existir.

Fato social patológico e o contrario do normal, ele é considerado patológico porque não está de acordo com as atitudes e comportamentos da sociedade.

Solidariedade mecânica típica das sociedades pré-capitalistas, onde os indivíduos se identificam através da família, da religião, da tradição, dos costumes. É uma sociedade que tem coerência porque os indivíduos ainda não se diferenciam. Reconhecem os mesmos valores, os mesmos sentimentos, os mesmos objetos sagrados, porque pertencem a uma coletividade. E a solidariedade orgânica, característica das Sociedades Capitalistas, onde, através da divisão do trabalho social, os indivíduos tornam-se interdependentes, garantindo, assim, a união social, mas não pelos costumes, tradições etc. Os indivíduos não se assemelham, são diferentes e necessários, como os órgãos de um ser vivo.


Para Durkheim anomia é quando a sociedade está em um período sem a existência de regras claras, sem valores, sem limites, é para “vencer” esse estado anomico da sociedade a solução que ele apresenta é a necessidade de se estabelecer uma solidariedade orgânica entre os membros da sociedade. Onde cada órgão tem uma função e depende dos outros para sobreviver, se cada membro da sociedade exercer uma função na divisão do trabalho, ele será obrigado através de um sistema de direitos e deveres, e também sentirá a necessidade de se manter coeso e solidário aos outros.

A neutralidade cientifica para Durkheim está baseado em uma atitude de neutralidade do sociólogo, para que isso aconteça e necessário que ele, considere os fatos sociais como coisas, ou seja, tomar os fatos sociais como uma realidade externa e independente do individuo que observa; afastar sistematicamente todas as noções previas, ou seja, afastar-se das prenoções que são idéias formadas a partir da experiência prática dos indivíduos, obtidas sem qualquer método ou sistema, considerar os fato sociais isoladamente de suas manifestações individuais – tudo o que decorre das pressões do grupo sobre os indivíduos, que serão objetos da analise sociológica. Resumidamente Durkheim diz que para haja uma ciência neutra e objetiva é necessário que o sociólogo delimite seu objeto de estudo, afaste-se de toda e qualquer tipo de prenoção e que ele trate os fatos sociais como coisas.

Thais S.G