Doçura

Cerca de 396 frases e pensamentos: Doçura

Quero fraternidade e amor de verdade não importando a intensidade, respeito e companheirismo, doçura, quero ser valorizado pelo que sou e não pelo que tenho, quero alguém que procura me entender, que sonhe junto comigo, que seja minha amiga pra todas as horas, que me ouça, que me ajude nas horas difíceis, uma pessoa que queira compartilhar momentos e memórias, que queira construir comigo uma história de felicidade, uma mulher que saiba valorizar meus sentimentos, que saiba valorizar cada segundo, quero paz e saúde, quero que me ajude com soluções, que goste de estudar e que deixe a ignorância de lado, que avalie e pense nas palavras que diz, que evita tomar decisões no calor das emoções, que seja consciente do que faz, uma pessoa eminente à mim, quero uma arquiteta para planejar o futuro comigo, que valorize o tempo, que valorize Deus, não importa a forma como o vê,que tenha fé em si própria, que saiba plantar e colher sentimentos,que durma abraçada e aconchegada comigo e que logo pela manhã conte seus sonhos...

Felipe Cordeiro

O silêncio é doçura:Quando não
respondes às ofensas,Quando não reclamas os teus direitos,Quando deixas
à Deus a defesa da tua honra.O silêncio é misericórdia:Quando te
calas diante das faltas de teus irmãos,Quando perdoas sem remoer o
passado,Quando não condenas, mas intercedes em segredo.O silêncio é
paciência:Quando sofres sem te lamentares,Quando não procuras consolação
junto aos homens,Quando não intervéns, esperando que a semente germine
lentamente.O silêncio é humildade:Quando te apagas para deixar
aparecer teu irmão,Quando, na discrição, revelas dons de Deus,Quando
suportas que tuas ações sejam mal interpretadas,Quando deixas os outros a
glória da obra inacabada.O silêncio é fé:Quando te apagas, sabendo
que é Ele quem age...Quando renuncias às vozes do mundo para permanecer na
Sua presença...Quando te basta que só Ele te compreenda"

Blandinne Theodoro

Sabes-me tão bem

Os teus beijos sabem-me a doçura e os teus abraços a confiança. As tuas palavras são a trilha de uma estrada onde avançamos juntos, de mãos dadas e a sorrir. Tens um olhar que me ilumina na escuridão e um sorriso que me faz esquecer o mundo e viver para ti. No teu toque sinto a seda pura, leve e brilhante que me faz tremer, não por ter valor mas porque é bela, é única e feita por uma grande obra da humanidade, tal como tu. O teu jeito de andar é incomparável, reconheço-o ao fundo de tudo, no meio de todos. Reconheço o teu corpo em qualquer multidão, identifico a tua voz entre tantas outras. Asseguro-me que são as tuas mãos que tocam nas minhas, mesmo de olhos fechados e distingo o teu cheiro entre o meu, quando se entranha na minha roupa. Não és melhor, nem pior, nem maior, nem mais grandioso… és uma mistura de imensas qualidades que te definem e de defeitos que te respeito. És apenas tu, o homem que amo, a força que me levanta e a corda inquebrável que nos liga aos dois num simples sentimento que nos é comum. Não interessa o passado nem o futuro. Somos um presente… somos só nos dois.

Paula Fernandes e Sousa

Perfume de você

Um fascínio misterioso
Sensações nem sei de quê,
É poesia, é doçura,
Nenhum sabor de amargura,
É o perfume de você...

Um enigma a desvendar,
Sua chegada antevê...
Antecipa as delícias
De suas fatais carícias
O perfume de você...

Um mistério que arrebata,
Quando a gente se revê...
Mesmo após remir a chama,
Permanece em nossa cama,
O perfume de você...

Delicado e colorido
Como as flores num buquê,
Companheiro de verdade,
Em presença ou na saudade,
É o perfume de você...

Eternamente, a exalar
O amor que a gente crê...
Inebriante como agora,
Sentirei na vida afora,
O perfume de você!

Oriza Martins

"Um dia eu perderei a doçura, a meiguice e a serenidade,
o coração vai ficar frio, e eu vou deixar de amar você.
Neste dia, o meu sol deixará de aquecer, minha estrela não brilhará mais,
E eu não vou mais voltar.
O sonho de estar com você nos momentos mais importante da minha vida, se apagará, e eu vou aprender a não sonhar mais ...
Não vou mais lembrar do seu telefone, e não vou mais querer ouvir tua voz.
Posso chorar, lamentar, sofrer e pensar em momentos nossos, mas vai passar.
E tudo o que vivemos, que foi importante, vai ser uma página virada na minha vida.
Deixarei de amar você ... "

Gabriela Elvira Goellner

Doçura.

Eu não suporto imaginar
Que você não vai voltar
E que os dias vão passar
E a saudade aumentar

Mas eu quero te dizer
Que eu espero por você
E que nada vai fazer
Eu te esquecer

De viajar eu sempre gostei
E nelas eu sempre encontrei
Pessoas que admirei
Mas por você me apaixonei

E eu crio poesias
Expressando a alegria
De ter conhecido um dia
A tua anatomia

E a felicidade é saber
Que eu posso te ver
E te dou prazer
Mesmo se tocar em você

Eu te peço minha paixão
Que não alimente ilusão
Que tudo isso não seja em vão
Para não magoar meu coração

Mas se esse sentimento acabar
Eu não vou lamentar
Pois viver é arriscar
E não deixar de sonhar

Saiba que tem onde ficar
Quando minha cidade visitar
Aqui há alguém com quem contar
Uma amiga pra sempre lembrar.

Ellen Samille C. Borges

SAUDADE
Saudade! o teu olhar longo e macio
Derramando doçura em meu olhar...
Um bocado de sol sentindo frio,
Uma estrela vestida de luar...

Saudade! pobre beijo fugidio
Que tanto quis e não cheguei a dar...
A mansidão inédita de um rio
Na volúpia satânica do mar...

Saudade! o nosso amor... o teu afago...
O meu carinho... o teu olhar tão lindo...
Um pedaço de céu dentro de um lago...

Saudade! um lenço branco me acenando...
Uma vontade de chorar sorrindo,
Uma vontade de sorrir chorando...

Ciro Vieira da Cunha

Queria eu, poder retribuir com a mesma intensidade e doçura, queria eu poder olhar-me no espelho e não deparar-me com a tristeza estampada de forma tão latente.

Jolie

Ela é de uma inegualavel doçura,
De uma eterna brandura
De um Talento famigerado,
De um caráter apreciado
De um sorriso contagiante,
De uma Voz Atroante
seu olhar firme me cativou,
seu jeito meigo me conquistou,
Suas frases filosoficas me alegram,
Suas atitudes me inspiram,
Sua presença me fortalece,
Seus elogios me engrandece,
Sua beleza tende a me pasmar,
e seu cheiro a me hipnotizar.

Resumindo: Ela é uma pessoa maravilhosa,
agradeço a Deus todos os dias por Te-la em meu coração

Odirley Oliveira

Com que suave doçura me levantas do leito em que sonhava profundas plantações perfumadas, passeias os dedos pela pele e me desenhas no espaço, desequilibrado, até que o beijo pouse curvo e recorrente para que a fogo lento comece a dança cadenciada da fogueira se tecendo em rajadas, em hélices, ir e vir de um furação de fumaça.. Porque, depois, o que resta de mim é só um inundarme entre as cinzas sem um adeus, sem nada mais que o gesto para libertar as mãos?

Julio Cortázar

Nunca gostei do obvio . Doçura , envolvimento e mistério , são tudo que há em mim .

Natália Vieira

Pátria minha

A minha pátria é como se não fosse, é íntima
Doçura e vontade de chorar; uma criança dormindo
É minha pátria. Por isso, no exílio
Assistindo dormir meu filho
Choro de saudades de minha pátria.

Se me perguntarem o que é a minha pátria, direi:
Não sei. De fato, não sei
Como, por que e quando a minha pátria
Mas sei que a minha pátria é a luz, o sal e a água
Que elaboram e liquefazem a minha mágoa
Em longas lágrimas amargas.

Vontade de beijar os olhos de minha pátria
De niná-la, de passar-lhe a mão pelos cabelos...
Vontade de mudar as cores do vestido (auriverde!) tão feias
De minha pátria, de minha pátria sem sapatos
E sem meias, pátria minha
Tão pobrinha!

Porque te amo tanto, pátria minha, eu que não tenho
Pátria, eu semente que nasci do vento
Eu que não vou e não venho, eu que permaneço
Em contato com a dor do tempo, eu elemento
De ligação entre a ação e o pensamento
Eu fio invisível no espaço de todo adeus
Eu, o sem Deus!

Tenho-te no entanto em mim como um gemido
De flor; tenho-te como um amor morrido
A quem se jurou; tenho-te como uma fé
Sem dogma; tenho-te em tudo em que não me sinto a jeito
Nesta sala estrangeira com lareira
E sem pé-direito.

Ah, pátria minha, lembra-me uma noite no Maine, Nova Inglaterra
Quando tudo passou a ser infinito e nada terra
E eu vi alfa e beta de Centauro escalarem o monte até o céu
Muitos me surpreenderam parado no campo sem luz
À espera de ver surgir a Cruz do Sul
Que eu sabia, mas amanheceu...

Fonte de mel, bicho triste, pátria minha
Amada, idolatrada, salve, salve!
Que mais doce esperança acorrentada
O não poder dizer-te: aguarda...
Não tardo!

Quero rever-te, pátria minha, e para
Rever-te me esqueci de tudo
Fui cego, estropiado, surdo, mudo
Vi minha humilde morte cara a cara
Rasguei poemas, mulheres, horizontes
Fiquei simples, sem fontes.

Pátria minha... A minha pátria não é florão, nem ostenta
Lábaro não; a minha pátria é desolação
De caminhos, a minha pátria é terra sedenta
E praia branca; a minha pátria é o grande rio secular
Que bebe nuvem, come terra
E urina mar.

Mais do que a mais garrida a minha pátria tem
Uma quentura, um querer bem, um bem
Um libertas quae sera tamen
Que um dia traduzi num exame escrito:
"Liberta que serás também"
E repito!

Ponho no vento o ouvido e escuto a brisa
Que brinca em teus cabelos e te alisa
Pátria minha, e perfuma o teu chão...
Que vontade me vem de adormecer-me
Entre teus doces montes, pátria minha
Atento à fome em tuas entranhas
E ao batuque em teu coração.

Não te direi o nome, pátria minha
Teu nome é pátria amada, é patriazinha
Não rima com mãe gentil
Vives em mim como uma filha, que és
Uma ilha de ternura: a Ilha
Brasil, talvez.

Agora chamarei a amiga cotovia
E pedirei que peça ao rouxinol do dia
Que peça ao sabiá
Para levar-te presto este avigrama:
"Pátria minha, saudades de quem te ama…
Vinicius de Moraes."




in Antologia Poética

Vinicius de Moraes

Em vez de o vazio de qualquer outro, fico com a doçura de te imaginar

Nanda Volpe

Todos nós somos completos, temos amor e ódio, doçura e veneno dentro de nós, porém a escolha do que usar, é nossa!

Rogério Stankewski

"A árvore não prova a doçura dos próprios frutos,
o rio não bebe suas próprias ondas,
e as nuvens não despejam água sobre si mesmas:
a força dos bons deve ser usada para benefício de todos."

Sábios Hindus

Cores, flores, leveza, estrelas, doçura, nuvens e sorrisos.
Sei que eu repito essas palavras muitas vezes, em todas as frases, em todos os textos.
É que meus dias têm sido desse jeito, compostos por essas delicadezas.
Feitos dessas bonitezas da vida, que fazem tudo parecer mais...leve.
Que Deus permita que eu siga bordando meus versos com milhares de cores e flores, e lindezas, assim.
Transformando passado em poesia, desenhando no presente, um futuro mais bonito. E doce. E todinho enfeitado de fé.


[amém]

Karla Tabalipa

“Ana” significa cheia de graça. E agora, olhando diretamente para ela de longe, não me parecia a mais nova das moças, mas certamente era uma das mais delicadas e graciosas. Uma princesa, diria Eduardo. O gentil homem que há anos atrás foi roubado o coração. E que aguardava a minha visita, com o mesmo partido, do lado de fora. Uns passos a mais e dava para olhar mais detalhadamente. A moça estava sem cor, coberta de tubos de variados tamanhos e com pequenos ferimentos no lábio inferior, o que de fato fez o meu coração apertar. Com as pernas bambas, custei-me para me aproximar, mas sem pensar duas vezes dei mais alguns passos tortos em direção a ela. Ao chegar à beira da cama, alisei-lhe o rosto e enfermeiras me fuzilaram com olhares furiosos. “As pessoas não entendem que aqui não se pode tocar nos pacientes…” escutei a de cabelo mais escuro dizer. Ao mesmo tempo em que olhei para trás, a mesma de cabelos escuros balançava a cabeça negativamente. Ignorei. Minha atenção era da moça, aquela doce moça deitada a minha frente. Não podiam me impedir de tocar-la, e então continuei a alisar-lhe o rosto e em seguida os cabelos, que frágeis se soltaram em pequenos tufos sobre a minha mão. Ela estava ali sozinha, tão debilitada, e precisando dos meus cuidados. Sussurrei, mas percebi que ela não podia me ouvir. Os remédios a deixavam fraca e ela não tinha forças para me olhar. Por um momento fechei meus olhos e pedi para que de alguma forma ela sentisse minha presença. Esperei. E esperei, e sem sucesso não houve nenhum movimento, nem mesmo um pequeno sinal que me fizesse acreditar. Por mais que a tocasse era inútil imaginar que poderia estar me sentindo. Às lágrimas escorriam pelo meu rosto e como tive vontade de pega-la no colo. Ninar, cantar… E cantei. Cantei no intuito de que pelo menos pudesse me ouvir. A música eu não poderei lhe confessar o nome, pois esse passou a ser o meu segredo e da doce moça deitada sobre minha proteção. Continuei a cantar por alguns breves e eternos segundos. Até minha voz falhar e meus soluços tomarem o seu lugar. Pus minha cabeça sobre a moça, e ali eu fiz meu pranto. E chorei, chorei, chorei.
Tentei me recuperar. Mas as lágrimas eu não podia conter. Percebi então que já não possuía controle algum sobre elas, nem sobre o meu coração, nem sobre a moça. Pudera minhas lágrimas fazer milagres, caírem sob sua face e a despertasse como nos contos de fadas. “Lágrimas de um amor verdadeiro” pensei. Mas a vida não era justa, sabíamos bem, e por mais que Ana em meu coração se igualasse a mais bela das princesas, também não era um conto de fadas. Olhei para o relógio e meus preciosos minutos tinham se passado, talvez os primeiros de muitos ainda, talvez os últimos, talvez lembrados para sempre, talvez esquecidos quando pela manhã ela voltasse para casa. Quem poderia saber ou me provar o contrário? Não havia explicação, apenas esperança. Sim, esperança era a minha palavra, e eu tinha a total esperança na minha doce moça. Preciso confessar lhe que jamais conheci alguém tão única como ela. Tão forte, tão minha. E naquele momento — naquele precioso momento —sem me sentir, sem talvez nem me ouvir lhe disse: “Eu sempre te amei e sempre irei amar” e com um beijo na testa me despedi da minha graciosa Ana.
Após nove dias naquele mesmo estado a moça partiu, levando consigo todo o meu coração. Ela se foi deixando uma dor profunda em cada um em que plantou o seu amor. Amor… Como era amada a minha moça, era a mais encantadora que o mundo já teve o prazer de conhecer. E apesar da saudade que deixou com a sua partida, deixou também o que de mais valioso trazia em seu coração: Sua graça e doçura.
(...)
— E esta foi à última vez que eu vi a moça — minha doce, doce vovó — ainda com vida.

Brenda de Almeida, A doçura de Ana.

E agradeço a Deus por sua existência, por sua essência tão pura, por seus beijos de doçura, e seus abraços de leveza, e essa linda certeza, que não estou mais sozinha.

Mychele Magalhães Velloso

É um simples desejo, que transformo em oração: Que o mal se aparte, que a leveza, a doçura e a alegria, sejam bordadas com magia e arte, e que cresçam e floresçam, em todo e qualquer coração.
Amém.

Mychele Magalhães Velloso

"E acontece que,a doçura um dia acaba,o amor um dia evapora,e que ser amável não é pra qualquer um."

Karla Souza