Diálogo

Cerca de 322 frases e pensamentos: Diálogo

Diálogo de fim.

- Suma da minha saudade!
- Mas vivemos tão pouco...
- Preciso digerir a falta.
- Faço-te a mesma falta que me fazes?
- Eu não queria precisar me repetir.
- Sinto falta da tua constância.
- Não te toco mais, por nojo.
- Não te toco mais, por covardia.

Carolina Pires

O diálogo cria base para colaboração. -

Paulo Freire

O Casal que se apóia no diálogo, trilha de mãos dadas para uma velhice terna e amiga.

Nibas Barreto

Conviver é muito estranho. Na maioria das vezes exige-se mais silêncio que dialogo.

Alesi Mendes F.U.

São poucas as pessoas a quem eu realmente quero, e menos ainda aquelas das quais tenho uma boa opinião. Quanto melhor conheço o mundo, menos ele me satisfaz; e cada dia vejo confirmada a minha crença na incoerência de todos os caráteres humanos e na pouca confiança que se pode depositar nas aparências do mérito ou do bom senso."

Jane Austen

LAREÇA: pq biscas tem shorts jeans curtos parecendo calcinha e nada mais?
EU: sei lah mano
deve ser predisposição genetica

Dialogo interessante

Oh, Zé! Daquela que bate fundo, desfaz o mundo, alonga segundo e dá até em vagabundo é de que tipi? _Ah, dessa, é sardade profunda matadêra.
E daquela que dá em sonhadô, tira o dispô, vira os zói do dotô e faz da gente bebedô em curriquêro chororô? Dessa daí, eu sei eu, que é das profunda tamém. E matadêra.
Zé, e daquela qui a gente sente só a farta da presença, de mão dada com ausênça, na inocença da crença que intorta doença sem carença de clemença, bate até macia, nem se anuncia e judia mas é até mêi que alegria? Alegria de lembrá de quem num tá.
Sabe, Zé? De que tipi é aquela sardade que a gente qué matá, mas sem muita precisança, prosquê deve do ôtro querê por de merma confiança, que morra tamém a que a gente tem, sabeno que morrê morrida de morte morta mermo, ah, essa num vai morrê é nunca?
Prosquê até pode quetá, mar começa de novo na hora da hora de chegá a hora de se dispegá. Essa tamém é das profunda matadêra?
Né não. É só sardade mermo. Sardade verdadêra.

Diálogo sobre sardade (Victor Chaves)

Logan: Sozinha de novo?
Veronica : Naturalmente.
Logan: Eu, uhh... eu conheço o sentimento.
Veronica: Você? Anfitrião do melhor baile de formatura privado de substituição? Estou certa de que você poderia ter escolhido uma das interesseiras! Eu gosto muito dessa música!
Logan: Sabe, eu estou surpreso, Veronica. E como um observador astuto da condição humana, eu pensei que você via através das pessoas melhor do que isso, quero dizer... interesseiras? Esse não sou mais eu.
Veronica: Então como você é agora?
Logan: Você sabe... torturado! Desde que eu tive meu coração partido.
Veronica: A Hannah realmente te marcou né?
Logan: Qual é, você sabe que eu não estou falando da Hannah. Eu pensei que a nossa história fosse épica, sabe? Eu e você.
Veronica: Épica como?
Logan: Atravessando anos e continentes, vidas arruinadas, derramamento de sangue... Épica. Mas o verão já está chegando ,e nós não nos veremos mais. E depois você sairá da cidade, e então... então estará tudo acabado.
Veronica: Logan...
Logan: Eu sinto muito sobre... o verão passado, você sabe se eu tivesse outra chance...
Veronica: Qual é, vidas arruinadas, derramamento de sangue? Você realmente acha que um relacionamento deve ser tão difícil?
Logan: Ninguém escreve música sobre os que são fáceis.
Veronica: Eu tenho que ir, eu tenho que ir.

Veronica Mars - Diálogo entre Logan e Veronica

(Outro dia, apartamento do Logan)

Logan: Oi...
Veronica: Primeiro, deixe-me dizer que eu sinto muito por fugir ontem à noite daquele jeito. Eu estava um pouco confusa e precisava organizar meus pensamentos, pensar no que você disse.
Logan: Veronica...
Veronica: Me deixa colocar isso pra fora! Eu não quero perder você da minha vida também. E eu não estou dizendo que estou pronta para mergulhar de novo em qualquer coisa, mas... Depois da formatura vamos combinar de nos ver, ver onde isso nos leva. Lembra o que você disse sobre nossa relação ser épica?
Logan: ...
Veronica: Oh deus...
Logan: Ontem à noite foi um borrão.
Srta Casablancas: É o nosso serviço de quarto? Não, apenas Veronica Mars. Que decepção... Vamos, vamos deixá-lo limpo. Tchau Veronica.
Logan: Veja, seja lá o que eu disse, eu... você deve saber...
Veronica: Pare!!

Veronica Mars - Diálogo entre Logan e Veronica (Parte 2)

Como em todas as classes ou grupos sociais encontraremos dificuldades na forma de nos relacionarmos uns com os outros, porém, isso não significa exatamente que tudo aquilo que diverge e converge não possa nos alçar a um novo patamar ou permitir que escrevamos uma nova história, de GARRA e não de GUERRA.

Humanidade Cultura de Paz Não-Violência Diálogo Educação

O diálogo interno é que define suas escolhas e, mais, define sua força

Roger Stankewski

Devemos praticar, a união faz a força, o diálogo faz o entendimento.

Joao de Paula

Leitura é dialogo.O autor fala,o leitor ouve e a inteligência apreende.

peroladoReino

Amor verdadeiro
'... Um diálogo com o Mestre'A+ A-


Pedi para o Amor: Amor, por gentileza, você poderia me ensinar o que é o verdadeiro amor? O Amor fitou em mim seu olhar e começou a dizer com voz doce e suave:


Verdadeiro amor: É aquele que não se cansa, mas se renova sempre.


Verdadeiro amor: É o daquela mãe que levanta todos os dias antes do nascer do sol. Levanta despertada pelo coração que diz ao acorda-la: Hora de amar! Mas um dia para amar!


Verdadeiro amor: É o daquele pai que sai cedo para o trabalho, e que não tem como centro da sua vida o dinheiro, o prazer. Que não é capaz de encontrar satisfação em outra mulher, que conta as horas para voltar para casa e reencontrar a família.


Verdadeiro amor: É o daquele filho ainda pequeno e indefeso que com voz ainda imatura, mas com coração agradecido diz: Papai, mamãe, Eu te amo! Obrigado por terem cooperado com Deus para que hoje eu estivesse aqui.


Verdadeiro amor: É aquele amor que sempre esquece de si, que tem a sensibilidade de ver no outro aquilo que ele não demonstra mas tem, desde um olhar, um sorriso um afeto...


Verdadeiro amor: É aquele que não tem medo de demonstrar sua fraqueza, as suas limitações, não tem medo de revelar aquilo que verdadeiramente é.


Verdadeiro amor: É aquele que não tem medo de falar a verdade com misericórdia, não tem respeito humano porque só que o bem do outro.


Verdadeiro amor: É aquele que não tem medo de perder para o outro ganhar, pois se alegra sempre com a felicidade do outro, com o seu progresso.


Verdadeiro amor: É aquele que estremece, porém permanece sempre fiel e cada vez mais se torna mais forte, forte como um rocha.


Verdadeiro amor: É aquele que cava tempo para estar com o Amor, se preciso acorda de madrugada, e no silêncio da noite deleita seu coração, seu cansaço nos braços do Pai criador.


Verdadeiro amor: Sim verdadeiro amor, é aquele amor que nunca se julga pronto, mas tem a humildade de reconhecer que tem muito ainda que aprender sobre o que amar de verdade.


Verdadeiro amor: Concluiu o Amor! “É Aquele que morreu em uma cruz a fim de salvar a todos que ama”.


“Não há maior amor que dar a vida pelo irmão!”

João Paulo Medeiros

Esse nosso diálogo não passa de uma enorme bola de hipocrisia.

Larissa Martins.

Fazer valer a verdade e vencer a batalha.
Conduzir o diálogo e alcançar a vitória.
Superar os obstáculos sem destruí-los.
Conversar sim para vencer e não, vencer para deixar calar...

Cláudio M. Assunção

A violência éa arma dos fracos mentais do dialógo

Massembo Pedro

Quando há afinidade, qualquer reencontro retoma a relação, o diálogo, a conversa, o afeto no exato ponto em que foi interrompido.

Afinidade é não haver tempo mediando a vida. É uma vitória do adivinhado sobre o real. Do subjetivo para o objetivo. Do permanente sobre o passageiro. Do básico sobre o superficial.
Ter afinidade é muito raro, mas quando existe não precisa de códigos verbais para se manifestar.

Existia antes do conhecimento, irradia durante e permanece depois que as pessoas deixaram de estar juntas. O que você tem dificuldade de expressar a um não afim, sai simples e claro diante de alguém com quem você tem afinidade.

Afinidade é ficar longe pensando parecido a respeito dos mesmos fatos que impressionam,comovem ou mobilizam. É ficar conversando
sem trocar palavras. É receber o que vem do outro com aceitação anterior ao entendimento.

Afinidade é sentir com. Nem sentir contra, nem sentir para, nem sentir por, nem sentir pelo. Quanta gente ama loucamente, mas sente contra o ser amado. Quantos amam e sentem para o ser amado,
não para eles próprios. Sentir com é não ter necessidade de explicar o que está sentindo. É olhar e perceber. É mais calar do que falar, ou, quando é falar, jamais explicar: apenas afirmar.

Afinidade é jamais sentir por. Quem sente por, confunde afinidade com masoquismo. Mas quem sente com, avalia sem se contaminar. Compreende sem ocupar o lugar do outro. Aceita para poder questionar. Quem não tem afinidade, questiona por não aceitar.

Afinidade é ter perdas semelhantes e iguais esperanças. É conversar no silêncio, tanto nas possibilidades exercidas quanto das impossibilidade vividas.

Afinidade é retomar a relação no ponto em que parou sem lamentar o tempo de separação. Porque tempo e separação nunca existiram.
Foram apenas oportunidades dadas (tiradas) pela vida, para que a maturação comum pudesse se dar.

E para que cada pessoa pudesse e possa ser, cada vez mais a expressão do outro sob a forma ampliada do eu individual aprimorado

Desconhecido

Quanto menor o nível mental de uma pessoa, maior a chance
de se ofender durante um diálogo qualquer.

Francis Iacona

...Os FRACOS usam a força, os fortes usam o diálogo. Os fracos dominam os outros, os fortes promovem a liberdade...

Livro O Mestre Inesquecível - Augusto Cury