Dezembro

Cerca de 143 frases e pensamentos: Dezembro

*SAGITÁRIO*
(de 22 de novembro a 21 de dezembro)

As mulheres sagitarianas
São abnegadas e bacanas
Mas não lhe venham com grossuras
Nem injustiças ou censuras
Porque ela custa mas se esquenta
E pode ser muito violenta.
Aí, o homem que se cuide...
- Também, quem gosta de censura!

Desconhecido

DEZEMBRO

Quem me acode
à cabeça e ao coração
neste fim de ano,
entre alegria e dor?

Que sonho,
que mistério,
que oração?

Amor.

Carlos Drummond de Andrade

Esqueço sempre, mas o corpo lembra:
em breve
será dezembro.

Thiago de Mello

E o que era "eu"
É uma simples palavra
Na boca das trevas de Dezembro

Tomas Tranströmer

peça infantil luís fernando veríssimo a pr…
18 Dezembro, 2002 in Sem categoria


peça infantil

luís fernando veríssimo

a professora começa a se arrepender de ter concordado (”você é a única que tem temperamento para isto”) em dirigir a peça quando uma das fadinhas anuncia que precisa fazer xixi. é como um sinal. todas as fadinhas decidem que precisam, urgentemente, fazer xixi.

— está bem, mas só as fadinhas — diz a professora. — e uma de cada vez!

mas as fadinhas vão em bando para o banheiro.

— uma de cada vez! uma de cada vez! e você, onde é que pensa que vai?

— ao banheiro.

— não vai, não.

— mas tia…

— em primeiro lugar, o banheiro já está cheio. em segundo lugar, você não é fadinha, é caçador. volte para o seu lugar.

um pirata chega atrasado e com a notícia de que sua mãe não conseguiu terminar a capa. serve uma toalha?

— não. você vai ser o único de capa branca. é melhor tirar o tapa-olho e ficar de anão. vai ser um pouco engraçado, oito anões, mas tudo bem. por que você está chorando?

— eu não quero ser anão.

— então fica de lavrador.

— posso ficar com o tapa-olho?

— pode. um lavrador de tapa-olho, tudo bem.

— tia, onde é que eu fico?

é uma margarida.

— você fica ali.

a professora se dá conta de que as margaridas estão desorganizadas.

— atenção, margaridas! todas ali. você não. você é coelhinho.

— mas meu nome é margarida.

— não interessa! desculpe, a tia não quis gritar com você. atenção, coelhinhos. todos comigo. margaridas ali, coelhinhos aqui. lavradores daquele lado, árvores atrás. árvore, tira o dedo do nariz. onde é que estão as fadinhas? que xixi mais demorado!

— eu vou chamar.

— fique onde está, lavrador. uma das margaridas vai chamá-las.

— já vou.

— você não, margarida! você é coelhinho. uma das margaridas. você. vá chamar as fadinhas. piratas, fiquem quietos!

— tia, o que é que eu sou? eu esqueci o que eu sou.

— você é o sol. fica ali que depois a tia… piratas, por favor!

as fadinhas começam a voltar. com problemas. muitas se enredaram nos seus véus e não conseguem arrumá-los. ajudam-se mutuamente mas no seu nervosismo só pioram a confusão.

— borboletas, ajudem aqui! — pede a professora.

mas as borboletas não ouvem. as borboletas estão etéreas. as borboletas fazem poses, fazem esvoaçar seus próprios véus e não ligam para o mundo. a professora, com a ajuda de um coelhinho amigo, de uma árvore e de um camponês, desembaraça os véus das fadinhas.

— piratas, parem. o próximo que der um pontapé vai ser anão.

desastre: quebrou uma ponta da lua.

— como é que você conseguiu isso? — pergunta a professora sorrindo, sentindo que o seu sorriso deve parecer demente.

— foi ela!

a acusada é uma camponesa gorda que gosta de distribuir tapas entre os seus inferiores.

— não tem remédio. tira isso da cabeça e fica com os anões.

— e a minha frase?

a professora tinha esquecido. a lua tem uma fala.

— quem diz a frase da lua é, deixa ver… o relógio.

— quem?

— o relógio. cadê o relógio?

— ele não veio.

— o quê?

— está com caxumba.

— ai, meu deus. sol, você vai ter que falar pela lua. sol, está me ouvindo?

— eu?

— você, sim senhor. você é o sol. você sabe a fala da lua?

— me deu uma dor de barriga.

— essa não é a frase da Lua.

— me deu mesmo, tia. tenho que ir embora.

— está bem, está bem. quem diz a frase da lua é você.

— mas eu sou caçador.

— eu sei que você é caçador! mas diz a frase da lua! eu não quero discussão!

— mas eu não sei a frase da lua.

— piratas, parem!

— piratas, parem! certo?

— eu não estava falando com você. piratas, de uma vez por todas…

a camponesa gorda resolve tomar a justiça nas mãos e dá um croque num pirata. a classe unida avança contra a camponesa, que recua, derrubando uma árvore. as borboletas esvoaçam. os coelhinhos estão em polvorosa. a professora grita:

— parem! parem! a cortina vai abrir. todos a seus lugares. vai começar!

— mas, tia, e a frase da lua?

— “boa-noite, sol”.

— boa-noite.

— eu não estou falando com você!

— eu não sou mais o sol?

— é. mas eu estava dizendo a frase da lua. “boa-noite, sol.”

— boa-noite, sol. boa-noite, sol. não vou esquecer. boa-noite, sol…

— atenção, todo mundo! piratas e anões nos bastidores. quem fizer um barulho antes de entrar em cena, eu esgoelo. coelhinhos nos seus lugares. árvores para trás. fadinhas, aqui. borboletas, esperem a deixa. margaridas, no chão.

todos se preparam.

— você não, margarida! você é o coelhinho!

abre o pano.

texto publicado em homenagem às professoras do meu

Luis Fernando Veríssimo

E Se Fosse Natal?

Não apenas 25 de dezembro, mas todos os 365 dias do ano.
Nos menores gestos de amor, de confraternizar, de apoiar na vontade de sorrir, de amparar, de entender, de perdoar, de receber e repartir.
Na capacidade de sofrer, de calar, de vencer, de estimular, de perder e de novo buscar.
Sem fugir, nem evitar, sem influir, nem invejar, sem omitir, nem negar, sem punir nem matar.

E se fosse sempre natal?
Sem dor, só amor.
São nossos sinceros votos.

Wanda Santos - RJ.

De Volta a Dezembro
Estou tão feliz que você arranjou tempo para me ver
Como está a vida, me diga, como está sua família?
Não os vejo faz tempo
Você está tão bem, mais ocupado do que nunca
Conversa fiada, trabalho, o clima.
Você levantou sua guarda e eu sei porquê
Porque a última vez que você me viu
Ainda está marcada na sua mente.
Você me deu rosas, e eu deixei que elas morressem


Aqui estou eu engolindo o meu orgulho
Na sua frente pedindo
Desculpas por aquela noite
E eu volto para dezembro toda hora.
Acontece que a liberdade não passa de saudades de você
Queria que eu tivesse percebido o que tinha quando você era meu
Eu voltaria para dezembro, mudaria de ideia
E faria tudo certo
Eu volto para dezembro toda hora


Não tenho dormido ultimamente
Ficando acordada até tarde e indo embora
Quando seu aniversário passou,
E eu não liguei, Eu penso no verão
Todas as horas bonitas
Eu assistia você rindo do lado do passageiro
E eu percebi que amava você no outono
Depois veio o frio
Com os dias escuros, quando o medo se arrastou na minha mente
Você me deu todo o seu amor,
E tudo o que eu lhe dei foi um Adeus


Aqui estou eu engolindo o meu orgulho
Na sua frente pedindo
Desculpas por aquela noite
E eu volto para dezembro toda hora.
Acontece que a liberdade não passa de saudades de você
Queria que eu tivesse percebido o que tinha quando você era meu
Eu voltaria para dezembro, mudaria de ideia
E mudaria minha própria mente
Eu volto para dezembro toda hora


Sinto falta da sua pele bronzeada, seu doce sorriso,
Tão bons para mim, tão certos
E como você me segurou nos seus braços
Naquela noite de setembro
A primeira vez que você me viu chorar
Talvez isso seja pensamento positivo
Provavelmente meus sonhos sem fundamento
Se nós nos amássemos de novo eu juro que te amaria certo
Eu voltaria no tempo e mudaria, mas não posso
Então se a sua porta estiver trancada, eu entendo


Aqui estou eu engolindo o meu orgulho
Na sua frente pedindo
Desculpas por aquela noite
E eu volto para dezembro
Acontece que a liberdade não passa de saudades de você
Queria que eu tivesse percebido o que tinha quando você era meu
Eu voltaria para dezembro, mudaria de ideia
E mudaria minha própria mente
Eu voltaria para dezembro, mudaria de ideia
E mudaria minha própria mente
Eu volto para dezembro toda hora


Toda hora

Taylor Swift

"Começo Dezembro com um sorriso no rosto. Com a alegria de que um novo ano vem por aí e que sensações novas surgirão. Novos amores, novas amizades, novos sentimentos. Esqueça os problemas passados, esqueça aquele seu ex namorado que tanto te fez sofrer esse ano, esqueça aquela amiga falsa que te decepcionou, esqueça as notas ruins e o esforço em vão, esqueça as brigas com seus pais, os ciúmes desgastantes e o ódio que corrói. Preencha seu coração com sentimentos bons, abra seus braços e abrace esse novo ano. Essa nova oportunidade de fazer tudo dar certo. Porque fazer o certo.. Só depende de você."

Isabela Freitas

Natal, e não Dezembro

Entremos, apressados, friorentos,
numa gruta, no bojo de um navio,
num presépio, num prédio, num presídio
no prédio que amanhã for demolido...
Entremos, inseguros, mas entremos.
Entremos e depressa, em qualquer sítio,
porque esta noite chama-se Dezembro,
porque sofremos, porque temos frio.

Entremos, dois a dois: somos duzentos,
duzentos mil, doze milhões de nada.
Procuremos o rastro de uma casa,
a cave, a gruta, o sulco de uma nave...
Entremos, despojados, mas entremos.
De mãos dadas talvez o fogo nasça,
talvez seja Natal e não Dezembro,
talvez universal a consoada.

David Mourão-Ferreira

Amanhã é primeiro de dezembro, já venci tantas lutas este ano que seria impossível mencioná-las, isso só me coloca na alma a certeza de continuar!

Leandro Nascimento

*PARA 2011 - bem simples. *

Só para desejar.

Seja bendito ou maldito, este tal “31 de dezembro”, nunca me atraiu. Fingindo uma esperança e uma alegria contagiante – que não contagia – para o próspero ano novo... Eu – na verdade – sempre tenho certa nostalgia de final de ano – ou – melancolia de ano novo.
Um medo atropela meu coração todo dia 31 de dezembro – de que as coisas boas mudem, e de que as coisas ruins permaneçam ou piorem. É medo de perder as lembranças. E é medo de não conseguir atingir os planos para o novo ano. – Espero que eu não seja a única pessoa que passa o dia 31 de dezembro de pijama e é obrigada à tomar banho e trocar de roupa, para “virar” o ano junto da família. Quando, o que quero, é estar deitada em minha cama, lendo um livro ou vivendo em sonhos.

No mais, eu desejo:
- Realização, em 2011, a todos os planos fracassados de 2010.
- Perdão, em 2011, à todas as pessoas que se perderam, erraram e magoaram em 2010.
- Conforto, em 2011, à todas as pessoas que passaram fome, frio e sede em 2010.
- Solução, em 2011, à todos os problemas que pareceram sem solução em 2010.
- União, em 2011, à todas as famílias que, por seus motivos, estiveram separadas em 2010.
- Paz, em 2011, à todos os corações que se partiram durante o ano de 2010.
- Felicidade, em 2011, à todas as pessoas que lembram mais das lágrimas de 2010 do que dos sorrisos.

Mas também, desejo:
- Problemas, em 2011, para que com garra possamos resolver até 2012.
- Tristezas, em 2011, para mostrar que 2010 valeu à pena, para lavar a alma e ensinar aquilo que cada pessoa precisa aprender.
- Perdas, em 2011, à todos aqueles que ainda não conseguiram dar valor ao que realmente importa.

E, – Força – para os momentos ruins.
Esperança – para nunca desistir de seus sonhos.

Sonhos – para que nem todos sejam lúcidos.
E – realidade – para que nem todos sejam loucos.

Eu desejo a nós um 2011 como qualquer outro ano. Mas espero que possamos colher tudo aquilo que nós plantamos. Que nenhuma injustiça aconteça. E que as injustiças que acontecerem, sejam completadas com algo que nos faltava.

Muitas lições, muitos sorrisos, muita coragem e o tradicional: Feliz Ano Novo

Gabriella Beth Invitti

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009
Talvez fosse impressão ou qualquer outra coisa parcialmente embaçada pela chuva que não cessava.
Silenciosamente agradeci pois ninguém saberia que algum dia estive lá...

Meus cílios e pupilas arderam em protesto, implorando rendição.
Minha ultima imagem - quadrada pela janela, como se fosse limitada - foi do sol se refletindo no vidro sujo.
A realidade havia terminado seu show,
O que era colorido e confuso, passou a ser preto, branco... e distante.
Eu estava realmente vendo um filme antigo antes das cores, ou as pessoas realmente tinham perdido a vida na estrada de tijolos amarelos.
Talvez a gente tenha perdido a cor.

Percebi tarde de mais, mas, talvez,... eu sempre soube e nunca quis admitir.
Ele estava certo.
Olhar pra ele, era ver meus defeitos transformados em qualidades, refletidos em um enorme espelho, do qual eu não poderia fugir.
Meus medos se emancipavam de outros ao meu redor, sozinha eu não tinha medo de nada

Quero ser capaz de te olhar nos olhos e entender
Pra que longas explicações, se você não é capaz de me ouvir...
No meio de tantos em absoluta solidão... quão cliché é esse sentimento.

Onde estava o silencio de que eu tanto preciso?!

Meu muro não me proibia de sair... ele proibia as pessoas de entrarem. E é assim que deveria ser... vai ser.
Sinto Muito.

Eu me entregaria de alma a suas mãos, se você ao menos quisesse isso.

Nada mais será como antes...
Voltemos ao passado, seja como você sempre foi, não mude.
Não faça nada por mim...

Foi no dia em que me perdi, naquela sua rua vazia e unicamente molhada de mentiras.
Funda e imunda.
Refletindo a luz falsa de uma estrela próxima de mais, testemunhando meu rosto cansado, borrado. Eu jamais tive face.

Foi um sonho...
Se te ouvir é fingir se importar, então não te ouço.
Se ver, é somente olhar sua forma física... descobri, sou cega também!

Tatiana Morais

Realmente!!!

O mundo é dos espertos...

Mas!!!

O universo é dos Sábios...

Poeta Urbano - Dezembro de 2009.

O segredo da rosa

Você já prestou atenção numa rosa???
Ela além de sua delicadeza...
Possui um segredo!!!

Entre suas 41 pétalas...
Entre seus perigosos espinhos...
Entre seu delicioso perfume e também em seu divino polem...
Existe o segredo!!!

Cada pétala nos encanta pela maciez e delicadeza...
Cada espinho se não tomarmos cuidado, nos machucamos...
O perfume é suave e encantador...
E o polem semeador da vida das rosas...
O segredo da rosa não se consegue em um dia apenas...
Você tem que ter paciência...
Muita paciência...Para desvendar seus segredos...
Para iniciar nessa busca pelo segredo da rosa
Precisamos nos encantar com elas...
Precisamos compartilhar uma rosa com quem amamos...
Precisamos respeitá-las...Pois toda rosa é sagrada...
Poucos conhecem a fundo o poder e o segredo da rosa...
Um dos segredos da rosa...É que ela; As vezes usa derivados de seu nome...Rosa, flor, Rose...
Outro segredo é que a rosa não usa apenas seu corpo vegetal...
Ela também usa a forma humana...
Nesse caso, ela usa uma derivação de seu nome...
A forma humana da rosa, se chama rose...
Possui a delicadeza e maciez das pétalas em sua pele...
Possui os perigosos espinhos, que para pessoas que não sabem caminhar entre seus labirintos podem e vão se ferir...
Possui o perfume suave igual a sua versão vegetal...
E possui o polem; Que na versão humana é o semeador da amizade verdadeira...
Esta é a rose...
Rosa, flor, rose...
Todas as derivações nos levam a mais pura, delicada e perigosa criação de Deus...
Todos os labirintos nos levam a amizade sincera e duradoura...
E assim continuamos a eterna busca pelo segredo da rosa...

Poeta Urbano - Dezembro de 2010

...Se me incomodasse tanto o ser humano me solicitando, eu deixaria de me exibir, ficaria dentro de minha casa e procuraria um trabalho num laboratório de pesquisas químicas, por exemplo...

Fernanda Montenegro - Seleções - dezembro de 2001

Amores “Perdido”

Solidão
Mais que paixão,
Que domava todo meu coração.

Amor não correspondido
Mas não me indigno,
Quem sabes um dia
Sereis
Retribuído!

Olhares trocados
Beijos roubados,
Amor incondicional
Que fará nenhum mal.

Lembro-me daquele dia , mais
Que feliz dia.
Que a gente se amou,
Como mais ninguém fazia.

Tu sabes amor,
Que a Paixão acabou,
Dos beijos perdidos,
Restou minha dor!

Sales, Anderson MarinhoGrajaú-Ma,21.Dezembro.2013

Dezembro chegou!!! E com ele vem a esperança de um novo ano que está tão pertinho... Vem recordações de um ano que está no fim. Coisas boas... coisas ruins... Aprendizagem!! Dezembro mês de limpar as gavetas, mês de reflexão... Admito, continuo acreditando em Papai Noel, a única diferença é que agora eu posso o reconhecer um pouquinho em cada pessoa. Sempre é possível fazer o bem a alguém porque não começar em Dezembro, o mês da mágia??? Repense seus valores!!!

Jiba Vanessa Dias

E que todas as boas intenções que pairam, utopicamente, sobre dezembro tornem-se um dia, de fato, realidade. Que todas as luzes que brilham frenéticas nessa época do ano sejam luzes no fim do túnel e sirvam como direção a quem de guia necessitar. Que os ventos que predizem a chegada de mais um ano sejam os bons ventos perfumados da primavera e que, nesse período, desabrochem junto às flores os nossos melhores sentimentos!

Vem dezembro, vem manso, toca teus sinos em sintonia com o pulsar dos corações enfastiados, faz dessa melodia um acalento a quem pouco ou nada crê na vida, renova a esperança em quem espera um dia ‘o milagre’ acontecer. Seja esse milagre! Que o Natal seja mais que uma troca de presentes e comida farta, mais que um bom e esquecido velhinho descendo pela chaminé, que seja fé. Somente fé.

Seja muito bem-vindo, senhor Dezembro! Pode entrar, a porta está aberta!

Simone Emanuelle Oliveira

Naquela manha de Dezembro eu nasci.
Ja estava em mim o dom de cantar e dancar.
Mas o mais importante , o amor estava comigo. Deus me disse que colocaria em mim a missao para melhorar o mundo em meu redor.sim eu vou fazer isso.Nao quero sair dessa vida sem ter feito algo bom.

Monica Michael Holst Jackson