Deserto

Cerca de 845 frases e pensamentos: Deserto

As dificuldades da vida são como um deserto. Ninguém mora no deserto, apenas está de passagem.

Adriano Martins Pinheiro

Caminhando sozinho pelo deserto da vida pelo universo oculto de meu coração.

Gabriel Bandeira

O deserto nao é o fim, é o processo de treinamento e seleçao dos vencedores. Calebe e Josué foram ousados em crer em Deus e em sua salvaçao e se tornaram grandes heróis da fé.

Belkis Braz

Encruzilhadas...
Engraçado, como a gente se deixa enganar com tanta facilidade nessas épocas, dando crédito a abraços e sorrisos de pessoas que nunca se dignaram a olhar nossos sentimentos, pessoas que nos feriram sem o mínimo pudor, que nos puseram sempre em segundo plano, e que passada a euforia das comemorações, voltarão a agirem do mesmo jeito, pois o mau caráter lhes é implícito !Mas o consolo que nos resta, é saber que na verdade essas criaturas enganam-se a si mesmas quando evacuam impurezas, aqui e ali, sem se lembrarem que num futuro próximo, essas impurezas serão o seu obrigatório caminho! Muitas delas se recusarão, inutilmente, por ali caminhar, outras caminharão por sobre seus próprios detritos e se deleitarão com eles, nos enojando, e ai estacionando, por estarem no mal, imantadas! Nos resta então, pedir a Deus que as ilumine, mas nos de forças para nos livrarmos do pacto feito com elas, em alguma encruzilhada desses nossos passados caminhos !

odair floresúmidos tateiam deserto

Encruzilhadas...
Engraçado, como a gente se deixa enganar com tanta facilidade nessas épocas, dando crédito a abraços e sorrisos de pessoas que nunca se dignaram a olhar nossos sentimentos, pessoas que nos feriram sem o mínimo pudor, que nos puseram sempre em segundo plano, e que passada a euforia das comemorações, voltarão a agirem do mesmo jeito, pois o mau caráter lhes é implícito !Mas o consolo que nos resta, é saber que na verdade essas criaturas enganam-se a si mesmas quando evacuam impurezas, aqui e ali, sem se lembrarem que num futuro próximo, essas impurezas serão o seu obrigatório caminho! Muitas delas se recusarão, inutilmente, por ali caminhar, outras caminharão por sobre seus próprios detritos e se deleitarão com eles, nos enojando, e ai estacionando, por estarem no mal, imantadas! Nos resta então, pedir a Deus que as ilumine, mas nos de forças para nos livrarmos do pacto feito com elas, em alguma encruzilhada desses nossos passados caminhos !

odair floresúmidos tateiam deserto

Meus pensamentos arrastam-se úmidos pelo vácuo do teu não estar, e meus olhos secos do deserto de ti, tateiam miragens na ilusão de te ouvir !
odair flores

odair floresúmidos tateiam deserto

Esperar é muito mais difícil do que andar. Esperar requer paciência e paciência é uma virtude rara. É bom saber que Deus constróu cercas em volta do seu povo, mas isto se considerarmos a cerca apenas do ponto de vista da proteção. Porém, quando uma cerca é conservada e, sendo cerca-viva, vai crescendo tanto que impede a visão do que está do outro lado, o coração começa a imaginar se algum dia ele sairá daquele pequeno círculo de influência e serviço em que está contido. (...) O homem que abrir caminho através das cercas de Deus cometerá um triste engano. Um princípio vital de orientação é que o crente nunca deve se afastar do lugar onde Deus o colocou, enquanto a Coluna de Nuvem não se mover – Sunday School Times.

Quando aprendemos a esperar sempre a orientação do Senhor em todas as coisas, seremos fortes, teremos a força que nos levará a ter um andar sempre equilibrado e constante. Muitos de nós estamos sem o poder que tanto desejamos. Mas Deus nos concede pleno poder para cada tarefa que ele nos dá. Esperar, manter-nos fiel à sua orientação, eis o segredo para obtê-lo. E qualquer coisa que sair fora desta linha de obediência é desperdício de tempo e energias. Esperemos vigilantes pela direção de Deus.- S.D. Gordon.

Uma pessoa que é obrigada a estar quieta, em inatividade forçada, e vê passar diante de si as ondas palpitantes da vida, será que a existência precisa ser um fracasso?Não; a vitória é para ser conseguida em ficar parado; em uma espera tranqüila. E isto é muitas vezes mais difícil do que correr nos dias em que podemos estar ativos. Requer maior heroísmo ficar ali e esperar, sem perder o ânimo e a esperança; submeter-se à vontade de Deus; deixar com os outros o trabalho e as honras dele; ficar calmo e confiante, regozijando-se sempre, enquanto a multidão feliz e atarefada avança e vai embora. É a vida mais elevada: “Tendo feito tudo,ficar firme.” – J.R. Miller.

Lettie B. Cowman - Manaciais no Deserto

Tesouro do Céu parte I

Viagem no deserto
Na viagem do deserto
Brilhou no céu três estrelas
Surpreendentes cavaleiros
Junto com a Princesa
Se apresentaram
Vestidos
Com Pompa Real

No deserto os sonhos
Se misturam
Com os sonos cadenciados
Torturando inocência
Nos homens aventureiros

O que existe além do vale
Infinito sentimento ainda resiste
Entre um pesadelo e outro
Paralisados

Em alguma parte deste paraíso
Repousa a mão descansada
Deste vil homem pecador
Nas vis ignomínias!

Samuel Ranner

Quando você se sentir no deserto, procure um Oásis.

Juahrez Alves

Deserto De Mim

Mesmo quando existe um deserto dentro de mim...
Eu consigo florescer!
Porque a minha força, vem da minha fé.
Do meu amor a Deus!!

Dayse Sene

Olho pela janela, imagino...

Ao chorar em silêncio,
desejo ver a chuva
Imagino que cada uma de suas gotas
possa ser uma de minhas lágrimas.
Muitos irão ver, mas não irão saber.
Desejo que caiam gotas delicadas.
Desse modo, penso ter alguém
a chorar junto comigo, fazendo-me companhia
Em algum lugar desse vasto mundo de chuvas.
E se forem torrenciais,
Talvez consiga purificar minha alma,
Eliminar o que nela há de triste
E preenche-la do que de alegre vive.

Mas sei que o sol existe e vem comigo
Devolve-me o sorriso,
Renova-me as esperanças,
Contamina-me com sua energia,
Preenche minha alma
Aquece meu corpo,
Faz renascer meu espírito.
Pois a Vida brilha nos corações de todos.
E o sol surge como um amigo
que aquece o amor do outro
Com apoio, carinho e consolo,
Preenchendo-o com puros raios de sol.

E a suave brisa a beijar nossos rostos.

Marcia Bandeira

Na escuridão do quarto ela se encontra
Da escuridão do mundo ela se esconde
Protege seu coração ressequido
Das frustrações amargas da vida
Oculta sentimentos há tempos esquecidos
Sufoca memórias há tempos não sentidas.

Se andas ao Sol
Esbanja luz em sorrisos
Se andas sob a lua
Diamantes em seus olhos
Se dança pela chuva
Lágrimas lhe fogem
Em meio à multidão
Sozinha agoniza
Em meio ao deserto
Se sente preenchida
Pelo vento
Pelo silêncio
Pelo tempo.

Marcia Bandeira

Na solidão do meu deserto ouvi gritar o meu silêncio.

Ket Antonio

Quer vitória?
Vai ter que passar pelo deserto, sentir fome, sede, frio e se sentir sozinho.
Está disposto a passar por tudo isso e muito mais...
Sem lutas não há vitórias!

gccosta

DESERTO é tratamento de caráter - Nele você não planta, não colhe e não poupa, mas se Deus estiver ali com você, nele não te faltará nada, o suprimento será diário.

cidineinunes

Não planteis sementes em penhascos, nem em areias do deserto. não procurem agarrar, o que foge entre os dedos, tentem olhar o que está dentro de vocês, Esse é o vossos mundo, cultivai-o da melhor maneira, não há segredos, todos somos iguais. Não é as belas flores do jardim, que fazem a felicidade, mas o perfume que delas criam a substancia que exalta o sonho que a morte não detrói.

ferochhas

Não é possível transformar um deserto em um jardim florido apenas um dia, mas você pode semear as sementes e regar com a água do Oasis e assim transformá-lo pouco a pouco.
Assim é a vida!

Prof Lourdes Duarte

APROFUNDANDO A FÉ NO CAMINHO DE SANTIAGO DE COMPOSTELA
(França, Espanha e Portugal)
De uma forma ou de outra, desde pequena, tenho buscado aquela fé que consegue remover a inquietude humana e proporcionar a paz essencial à vida neste ou em qualquer outro plano.
Quando criança e adolescente, acreditava que tinha essa fé, isto porque participava ativamente, mesmo de forma ingênua, em atividades da Igreja Católica.
No entanto, a idade adulta, ou seja, a vida no Colégio Central em plena ditadura militar, na Universidade e, depois, como docente, aluna de mestrado e de doutorado, envolvi-me em movimentos político-sociais, na luta por uma sociedade mais justa e igualitária, por um ensino de qualidade, por melhores condições de vida, entre outros, ficando invisíveis muitos dos valores religiosos que foram inicializados na minha infância.
Não mais livros religiosos, procissões, palavras proferidas em missas, novenas etc, mas livros que mostravam a realidade mundial, brasileira, baiana: desigualdade social, pobreza, desemprego, inacessibilidade a serviços básicos como educação e saúde, além da baixa resolubilidade desses serviços.
Uma mudança, por que não dizer, radical!
Essa nova vida não me deixou perceber que a vida com Deus é, como diz Frei Inácio de Larranaga, vida de fé, e fé não é sentir, mas saber; não é emoção, mas convicção; não é evidência, mas certeza.
Viria compreender um pouco essa mensagem algum tempo depois, ao vivenciar a dor de perdas acumuladas, especialmente a do meu filho de 20 anos, que me levaram a um estado de “cansaço” intenso! Não tinha a ideia de que procurava um deserto, isto é, sair do lugar onde vivia, trabalhava, e retirar-me para um lugar solitário: campo, bosque, montanha...
Teria que ser algo que me fizesse conhecer melhor o meu eu para superar a dor, para me superar.
Caminhar/peregrinar foi uma opção pois cada caminho é um caminho que nos leva ao desconhecido, ao que esse desconhecido é capaz de nos ensinar.
Em apenas uma semana lá estava eu fazendo, a pé, como peregrina, o Caminho de Santiago de Compostela, inicialmente, o Caminho Francês (33 dias pelas montanhas).
Ao chegar à Santiago e assistir à tradicional Missa dos Peregrinos, senti um “vazio” profundo, uma necessidade de continuar caminhando rumo ao desconhecido. Foi incrível! Ainda estava faltando algo!
Então, decidi fazer o Itinerário Santiago/Fisterra-Muxia (Costa da Morte), não aprovado, naquele momento, pela Igreja Católica, porque era permeado pelo misticismo.
Foram mais 96km pelas montanhas, com apenas três albergues à disposição do peregrino. Ao chegar em Fisterra-Muxia, onde fiquei uma semana bastante envolvida pelo seu misticismo, vivenciando momentos especiais, tudo ficou mais confuso. Descobri que ainda não havia conseguido a revelação que buscava e que não era muito clara para mim.
Continuar caminhando/peregrinando, não mais pelas montanhas mas por terras planas, vales e montes, seria uma saída: o Caminho Português ao “reverso”, isto é, de Fisterra-Muxia (Espanha) para Porto (Portugal). No entanto, encontrei-me em um “Caminho” sem “calor humano”, com poucos peregrinos, albergues vazios mas fui parcialmente compensada ao participar, em Redondela, durante três dias, como voluntária, da construção de tapetes de flores, com desenhos religiosos, nas ruas desta cidade portuguesa.
Ainda inquieta, tomei a decisão que deveria estar “guardada” no meu íntimo: de trem, fui de Porto para Fátima onde tentei deixar uma medalhinha desta Santa, que meu filho usava quando mudou de plano. Fátima não era o seu lugar! Uma freira orientou-me a levá-la de volta para o Brasil, onde, num certo dia, ao mirá-la, de forma especial, levantei-me repentinamente, fui ao cemitério e mandei cravá-la no túmulo do meu filho. A partir daí, não mais me preocupei com a medalha uma vez que ela já estava onde deveria, provavelmente, estar há muito tempo.
Bem, consciente ou inconscientemente fiz um deserto, um tempo forte dedicado a Deus em silêncio, solidão, e pude sentir como na fé Jesus toca as nossas feridas, especialmente aquelas que nos machucam muito!
Para Frei Ignácio, a vida de quem crê é uma peregrinação. Mas eu não sabia o que é “ser peregrina”. Aprendi no Caminho que o peregrino não sabe nada: onde vai dormir nem o que fará no dia seguinte; que fadiga, incerteza e insegurança são o pão do seu cotidiano; e que ele tem uma meta mas não consegue vê-la claramente. Assim, comecei a entender que as duas forças dialéticas da fé podem ser a certeza e a obscuridão.
Dessa experiência existencial, um dos grandes aprendizados na minha vida: quando pensei que o objetivo infinito estava ao meu alcance, nas minhas mãos, Deus se ausentou e silenciou; apareceu, desapareceu; aproximou-se, afastou-se; tornou-se concreto e se desvaneceu. Foi nas montanhas, em direção à Astorga (Espanha), onde me perdi por 14h. Pedi socorro a Ele mas tão logo encontrei o “sinal” do Caminho, deixei de crer e me perdi de novo...
Apesar do meu “afastamento/alheamento”, passei a perceber que deveria reduzir a silêncio a minha mente quando ela tentasse se rebelar e que deveria abandonar-me na fé.
Mas, como é difícil ter “aquela” fé que tudo suplanta!
Só Ele sabe como tenho tentado/venho tentando...

Delva Brito

"É durante o deserto que fazemos uma retrospectiva das nossas ações para que possamos compreender tal situação."

Rob Kenede Santos de Jesus

...o que faz sofrer verdadeiramente não é o deserto, não é a seca, não é a dor, não é o caos por dentro; o que faz gritar, que faz revirar por dentro, que dói mais profundamente, na sua essência, é o imenso oceano de sentimentos, de sensibilidade, compaixão, que transborda na gente...

Autora: Aurilene Damaceno

Aurilene Damaceno